Caça indiano Sukhoi Su-30MKI Flanker.

A Força Aérea Indiana ainda quer integrar o míssil britânico ar-ar de curto alcance (ASRAAM) da MBDA em sua frota de aeronaves de combate Sukhoi Su-30MKI. Mas isto está desencadeando protestos de Moscou.

“Nenhum país permitiria isso”, disse Vladimir Drozhzhov, vice-diretor do Serviço Federal de Cooperação Técnico-Militar da Rússia (FSMTC). Ele disse isso enquanto respondia a perguntas de um grupo de jornalistas indianos que visitavam os escritórios da Rosoboronexport em Moscou, conforme relatado pelo site indiano LiveFist.

Para Moscou, a integração de um míssil ocidental em uma aeronave russa representa um risco para a segurança da tecnologia. De acordo com a Rosoboronexport, há preocupações sobre o acesso a dados confidenciais da aeronave por engenheiros ocidentais. Além disso, para a Rússia, o cliente deve passar imperativamente pelo fabricante de equipamentos russo em tudo o que diz respeito à configuração de um novo dispositivo.

De acordo com a reportagem, Drozhzhov também indicou que a Rússia normalmente informava seus clientes que as responsabilidades e o suporte pós-venda em equipamentos fornecidos ficavam comprometidos se o cliente embarcava em “qualquer contrato, modernização ou atualização” que não envolvesse a “participação da fabricante original”.

Míssil ar-ar de curto alcance ASRAAM.

Para a Índia, a adoção do míssil ASRAAM na frota Su-30MKI é essencialmente uma padronização de armas em suas frotas de aeronaves de combate, a fim de simplificar a doutrina e o gerenciamento de estoques. Mas além de uma simples atualização, a IAF parece querer substituir permanentemente o míssil russo R-73 “Vympel” pelo ASRAAM. A Rússia estava tentando vender a nova versão de seu míssil R-73 para a Índia.

Ao que tudo indica o recente combate aéreo com o Paquistão acelerou a escolha da Índia na adaptação do míssil na sua frota de Su-30. A longo prazo, portanto, a Índia está preparando uma renovação gradual de seus estoques de mísseis em favor dos mísseis ocidentais, pelo menos em parte.

Em 2014, a Índia assinou com o Reino Unido um acordo para adquirir 384 mísseis ASRAAM da MBDA visando substituir o antigo míssil Matra Magic R550 para ser integrado nos jatos SEPECAT Jaguar.

Anúncios