033AFA_070522_0052_indiaCom as eleições nacionais se aproximando na Índia, a especulação está crescendo sobre os contratos para a aeronave MMRCA (medium multi-role combat aircraft) bem como para o MRTT (multi-role tanker transport) que estão muito atrasados e poderão em breve ser assinados.

No entanto, o MMRCA pode cobrir apenas o fornecimento de 18 aeronaves Dassault Rafale da linha de produção francesa, deixando a continuação das negociações para os restantes 108 unidades a ser celebrado pelo novo governo. A Índia anunciou sua escolha pelo Rafale em janeiro de 2012, mas as negociações posteriormente esbarraram nas clausulas sobre offsets, a transferência de tecnologia e o papel da Hindustan Aeronautics (HAL).

Atrasos na aquisição estão forçando os esquadrões da da Força Aérea Indiana (IAF). Isso resulta em pressão sobre o Ministério da Defesa para aumentar o ritmo de celebração dos contratos pendentes. Um código de conduta do governo impede que qualquer contrato possa ser assinado 45 dias antes de uma eleição. A eleição nacional está prevista para março, junto com o final do exercício financeiro.

© Sebastien Rande / Cote Cour pour Dassault Aviation

“Se o contrato for assinado em breve, será nada mais do que um negócio de papel que garante o compromisso do governo. Podemos esperar atrasos após as primeiras 18 aeronaves, uma vez que os caças restantes serão construídos sob licença com transferência de tecnologia. O governo quer garantir que o contrato não possa ser questionado por governos posteriores”, disse um funcionário associado ao projeto. Outro funcionário do Ministério da Defesa observou que a assinatura do contrato MMRCA iria restaurar a confiança, que foi abalada pelo recente escândalo sobre a compra AW101.

Após longas discussões, HAL concordou com a Dassault sobre a questão dos primeiros fornecedores, incluindo estruturas aéreas.

Avião tanque

Um funcionário IAF disse que um novo avião tanque de reabastecimento é uma prioridade. Uma reunião entre o Ministério da Defesa indiano e a Airbus Defesa e espaço sobre o MRTT que foi adiado no ano passado, após a morte do funcionário sênior responsavel pela aquisição, foi agendada para meados de janeiro.

O A330MRTT também pode ser usado como um transportador puro para 300 soldados, além de uma carga útil de 45 toneladas, ou para acomodar até 130 macas para evacuação médica.

FONTE: AINonline – Tradução: CAVOK


Anúncios

527 COMENTÁRIOS

  1. """ A Índia anunciou sua escolha pelo Rafale em janeiro de 2012, mas as negociações posteriormente esbarraram nas clausulas sobre offsets, a transferência de tecnologia e o papel da Hindustan Aeronautics (HAL)."""

    A Índia está dando um exemplo de ao Brasil do como : """ é assim que se faz, tá ? """

    Em seu FX escolheu o melhor e mais potente vetor com plena capacidade nuclear e não está ABRINDO AS PERNAS ao repasse tecnológico, como em outro determinado país, cuja mentalidade é a tal absorção de TECNOLOGIA SUFICIENTE , complexo de Vira – Latas mesmo… corto meu pescoço mas não digo qual país é .

    Abs.

  2. Que FX enrolado esse hein??!!

    Qualquer Semelhança com um certo país aos sul do equador é Mera Coincidência!!!

  3. E quando precisar fazer manutenção e atualizações nos seus caças eles irão pra França ao contrario de um determinado pais que as farão em seu próprio território.

  4. Stadeu, já postei aqui que Índia, Israel, Japão e Coréia do Sul não brincam com estas coisas, só escolhem o melhor e nada menos do que isso, pois tem potências nucleares como vizinho. Aqui nós temos os Bolivarianos como vizinhos, nossos parceiros, e outros paises em desenvolvimento acelerado que não nos incomodam (Chile, Peru, Colombia). Então a pior ameaça é dos grandes mesmo. O Rafale nos daria sim uma capacidade de reação e de impor medo aos aventureiros maior que o Gripen. Vejo no Gripen um Playstation sofisticado para manter a doutrina, mas não espere dele a capacidade de impor o respeito que o Saito imagina conseguir, mesmo com 120 deles. Não temos como contrapor ameaças ao pré sal por exemplo. Se a Shell (Holanda, UK) mais Exxon (USA) resolverem que é legal explorar petroleo na borda das fronteiras maritimas atuais, o farão. O que fazer? Diplomacia, STJD? Espero sinceramente estar enganado, muito enganado quanto as capacidades deste caça, em se tornar mesmo lendário, outstanding :D. Quem nos deve esta resposta? FAB e COPAC.

  5. Tirar petróleo do pré-sal, ainda mais em auto-mar, não se faz da noite pro dia, nem de uma semana a outra!!!

    Como diz o ditado: " O buraco é mais embaixo"

    "Espero sinceramente estar enganado, muito enganado quanto as capacidades deste caça, em se tornar mesmo lendário, outstanding :D. Quem nos deve esta resposta? FAB e COPAC."

    O tempo é o senhor das respostas, o tempo é o senhor da verdade !!!! rsrsrs!!!

  6. Nunca vai ser diferente:
    Uma coisa é comprar equipamentos militares de um determinado País/Fabricante e as negociações ficarem unicamente no âmbito das quantidades, valores e prazo de entrega.

    Outra coisa bem diferente é a aquisição de equipamento militar, onde as negociações PRECISAM contemplar TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA, PRODUÇÃO LOCAL, quantidades, valores e prazo de entrega.

    Seja na Índia, Brasil ou qualquer outro país. Tratam-se de negociações muito complexas e o processo é lento mesmo. Então vamos parar de torcer contra.

    Basta observar a história e analisar as aquisições militares das grandes potências. Os projetos por lá também se arrastam por muito tempo. O programa Joint Strike Fighter, por exemplo, começou na década de 1990 e tem sido assolado por excesso de custos e atrasos. Apesar de ser um vetor formidável, o F-35 tem forçado tanto os Estados Unidos, quanto aos demais parceiros internacionais no projeto a reverem suas estratégias de uso do vetor. Um dos pontos, entre inúmeros, que mais chama atenção do mercado é valor final da aeronave, que é muito superior ao inicialmente informado pelo fabricante.

    Fico imaginando se isso fosse aqui no Brasil. Haveria todo tipo de comentário e crítica gratuita dizendo que se tratava se superfaturamento, propinas, corrupção, roubo e tudo o que estamos acostumados a ler no dia a dia.

    Novamente digo, toda negociação complexa é lenta. Pra ser rápido, tem que ser compra de prateleira.

  7. Não vou questionar a superioridade do Rafale em relação ao Gripen. Eu, inclusive, torcia pelo Rafale.

    Porém, apenas uma questão: Se a Shell (Holanda, UK) mais Exxon (USA) resolverem que é legal explorar petróleo na borda das fronteiras marítimas atuais, concordo com você que 120 Gripen não evitariam que isso acontecesse, mas você acha mesmo que 120 Rafale o fariam?

    Estão sendo usados exemplos extremos, USA, UK, Holanda… Se fossemos defender os interesses de soberania nacional contra esses países, precisaríamos de muito mais que 120 caças, sejam eles Rafale, F-18 Super Hornet ou Gripen, mesmo como força de dissuasão.

    Por favor, sejamos realistas!

  8. Wolfpack,
    Seu pensamento quanto aos vizinhos chega a ser preocupante. Do que adiantariam ter nos hangares 120 rafales contra uma invasão do pré sal por parte dos britanicos???NADA. projeto rafale nasceu destinado a ser um sucesso. Sucesso este que nem no próprio pais faz, pois, as compras foram infinitamente menores do que programado. Rafales em qualquer força aerea fora do bloco do G5 , virará rainha de hangar. O brasil fez muito bem em eleger as pulguinhas suecas. O resto é choro de quem gostaria de outra aeronave e não pensa no gasto operacional. Procura saber o que eles andam fazendo quanto aos scorpene (subarinos). Pagamos uma fortuna por um submarino ultrapassado. Rafale é uma aeronave que se não vencer na India não terá mais fabricação isto é incontest.
    Saudações GRIFO

  9. Olá Patriota,
    Concordo em parte, pois os custos de operação do Gripen NG de 4.500,00 dolares / hora já foram questionados na Africa do Sul com custos do C/D chegando a 12.000 doalres /hora. Além disso precisaremos de mais unidades do Gripen para cumprir a missão de menor número de Rafales e Super Hornets. Existe ainda a questão dos reabastecimentos em vôo, debatidos no artigo do Francoorp, onde serão necessárias mais aeronaves cisternas para operação dos pulguinhas. Os custos desta aeronaves no Brasil na forma que a FAB está vendendo para a população é irreal. Este caça simplesmente irá mal subsituir os F-5EM como vem sendo feito na Suiça. Foram vetados em outros lugares, como Coréia, Holanda, Dinamarca, India devido a suas capacidades. Na Suiça todos sabemos das discussões em torno de sua capacidade em substituir F-5EM e F/A-18C/D.
    Agora, concordo que devemos esperar. Acredito que uma vez decidido devemos fechar logo a assinatura deste contrato e cobrar do COPAC e FAB que enteguem o prometido no FX-2. Somente isso.

  10. Olá Patriota,
    Concordo em parte, pois os custos de operação do Gripen NG de 4.500,00 dolares / hora já foram questionados na Africa do Sul com custos do C/D chegando a 12.000 doalres /hora. Além disso precisaremos de mais unidades do Gripen para cumprir a missão de menor número de Rafales e Super Hornets. Existe ainda a questão dos reabastecimentos em vôo, debatidos no artigo do Francoorp, onde serão necessárias mais aeronaves cisternas para operação dos pulguinhas. Os custos desta aeronaves no Brasil na forma que a FAB está vendendo para a população é irreal. Este caça simplesmente irá mal subsituir os F-5EM como vem sendo feito na Suiça. Foram vetados em outros lugares, como Coréia, Holanda, Dinamarca, India devido a suas capacidades. Na Suiça todos sabemos das discussões em torno de sua capacidade em substituir F-5E e F/A-18C/D.
    Agora, concordo que devemos esperar. Acredito que uma vez decidido devemos fechar logo a assinatura deste contrato e cobrar do COPAC e FAB que enteguem o prometido no FX-2. Somente isso.

  11. Então Patriota , você tem que dizer pra nós o que está acontecendo no caso dos submarinos … toda informação pesa no raciocínio final … quanto ao submarino ultrapassado , não temos tantos dados técnicos para comparação a disposição. A meu ver esses subs nucs Brs são os primeiros e poderão ser melhorados , aliás em material bélico tudo muda e rápido normalmente para melhor… parece que temos essa dificuldade aqui no Brasil :

    “”"Por sua vez, querer comparar o projeto de aviões de países com as dimensões continentais como os EUA e Rússia com um país da dimensão territorial da Suécia é de uma irrealidade a toda prova. A meu ver, por exemplo, caso a escolha recaísse sobre o Su-35, avião de superioridade aérea continental, para cada um avião desse tipo seriam necessários três Gripen NG para cobrir todo o território continental brasileiro, ou seja, para a hipotética escolha de 36 Su-35, estes equivaleriam a 108 Gripen NG (36 Su-35 X 3=108 Gripen NG).”"”
    http://www.planobrazil.com/um-gripen-ng-substitui

    Eu acharia melhor fazer uma comparação deste tipo com aviões que já existem tipo Rafale e SU-35 , comparar com NG baseado nas promessas da SAAB não acho tão verdadeiro assim , prefiro ver voando daqui a cinco anos e com 100% da tecnologia repassada .

    Mas uma coisa é certa, o Brasil é um país de dimensões continentais com enorme mar territorial a ser protegido e precisa de um avião para essas proporções … o pulguinha ??? sei não .

  12. Então Patriota , você tem que dizer pra nós o que está acontecendo no caso dos submarinos … toda informação pesa no raciocínio final … quanto ao submarino ultrapassado , não temos tantos dados técnicos para comparação a disposição. A meu ver esses subs nucs Brs são os primeiros e poderão ser melhorados , aliás em material bélico tudo muda e rápido normalmente para melhor… parece que temos essa dificuldade aqui no Brasil :

    “”"Por sua vez, querer comparar o projeto de aviões de países com as dimensões continentais como os EUA e Rússia com um país da dimensão territorial da Suécia é de uma irrealidade a toda prova. A meu ver, por exemplo, caso a escolha recaísse sobre o Su-35, avião de superioridade aérea continental, para cada um avião desse tipo seriam necessários três Gripen NG para cobrir todo o território continental brasileiro, ou seja, para a hipotética escolha de 36 Su-35, estes equivaleriam a 108 Gripen NG (36 Su-35 X 3=108 Gripen NG).”"”
    http://www.planobrazil.com/um-gripen-ng-substitui

    Eu acharia melhor fazer uma comparação deste tipo com aviões que já existem tipo Rafale e SU-35 , comparar com NG baseado nas promessas da SAAB não acho tão verdadeiro assim , prefiro ver voando daqui a cinco anos e com 100% da tecnologia repassada .

    Mas uma coisa é certa, o Brasil é um país de dimensões continentais com enorme mar territorial a ser protegido e precisa de um avião para essas proporções … o pulguinha ??? sei não .

  13. Então Patriota , você tem que dizer pra nós o que está acontecendo no caso dos submarinos … toda informação pesa no raciocínio final … quanto ao submarino ultrapassado , não temos tantos dados técnicos para comparação a disposição. A meu ver esses subs nucs Brs são os primeiros e poderão ser melhorados , aliás em material bélico tudo muda e rápido normalmente para melhor… parece que temos essa dificuldade aqui no Brasil :

    “”"Por sua vez, querer comparar o projeto de aviões de países com as dimensões continentais como os EUA e Rússia com um país da dimensão territorial da Suécia é de uma irrealidade a toda prova. A meu ver, por exemplo, caso a escolha recaísse sobre o Su-35, avião de superioridade aérea continental, para cada um avião desse tipo seriam necessários três Gripen NG para cobrir todo o território continental brasileiro, ou seja, para a hipotética escolha de 36 Su-35, estes equivaleriam a 108 Gripen NG (36 Su-35 X 3=108 Gripen NG).”"”
    http://www.planobrazil.com/um-gripen-ng-substitui

    Eu acharia melhor fazer uma comparação deste tipo com aviões que já existem tipo Rafale e SU-35 , comparar com NG baseado nas promessas da SAAB não acho tão verdadeiro assim , prefiro ver voando daqui a cinco anos e com 100% da tecnologia repassada .

    Mas uma coisa é certa, o Brasil é um país de dimensões continentais com enorme mar territorial a ser protegido e precisa de um avião para essas proporções … o pulguinha ??? sei não .

  14. Então Patriota , você tem que dizer pra nós o que está acontecendo no caso dos submarinos … toda informação pesa no raciocínio final … quanto ao submarino ultrapassado , não temos tantos dados técnicos para comparação a disposição. A meu ver esses subs nucs Brs são os primeiros e poderão ser melhorados , aliás em material bélico tudo muda e rápido normalmente para melhor… parece que temos essa dificuldade aqui no Brasil :

    “”"Por sua vez, querer comparar o projeto de aviões de países com as dimensões continentais como os EUA e Rússia com um país da dimensão territorial da Suécia é de uma irrealidade a toda prova. A meu ver, por exemplo, caso a escolha recaísse sobre o Su-35, avião de superioridade aérea continental, para cada um avião desse tipo seriam necessários três Gripen NG para cobrir todo o território continental brasileiro, ou seja, para a hipotética escolha de 36 Su-35, estes equivaleriam a 108 Gripen NG (36 Su-35 X 3=108 Gripen NG).”"”
    http://www.planobrazil.com/um-gripen-ng-substitui

    Eu acharia melhor fazer uma comparação deste tipo com aviões que já existem tipo Rafale e SU-35 , comparar com NG baseado nas promessas da SAAB não acho tão verdadeiro assim , prefiro ver voando daqui a cinco anos e com 100% da tecnologia repassada .

    Mas uma coisa é certa, o Brasil é um país de dimensões continentais com enorme mar territorial a ser protegido e precisa de um avião para essas proporções … o pulguinha ??? sei não .

  15. Então Patriota , você tem que dizer pra nós o que está acontecendo no caso dos submarinos … toda informação pesa no raciocínio final … quanto ao submarino ultrapassado , não temos tantos dados técnicos para comparação a disposição. A meu ver esses subs nucs Brs são os primeiros e poderão ser melhorados , aliás em material bélico tudo muda e rápido normalmente para melhor… parece que temos essa dificuldade aqui no Brasil :

    “”"Por sua vez, querer comparar o projeto de aviões de países com as dimensões continentais como os EUA e Rússia com um país da dimensão territorial da Suécia é de uma irrealidade a toda prova. A meu ver, por exemplo, caso a escolha recaísse sobre o Su-35, avião de superioridade aérea continental, para cada um avião desse tipo seriam necessários três Gripen NG para cobrir todo o território continental brasileiro, ou seja, para a hipotética escolha de 36 Su-35, estes equivaleriam a 108 Gripen NG (36 Su-35 X 3=108 Gripen NG).”"”
    http://www.planobrazil.com/um-gripen-ng-substitui

    Eu acharia melhor fazer uma comparação deste tipo com aviões que já existem tipo Rafale e SU-35 , comparar com NG baseado nas promessas da SAAB não acho tão verdadeiro assim , prefiro ver voando daqui a cinco anos e com 100% da tecnologia repassada .

    Mas uma coisa é certa, o Brasil é um país de dimensões continentais com enorme mar territorial a ser protegido e precisa de um avião para essas proporções … o pulguinha ??? sei não .

  16. Então Patriota , você tem que dizer pra nós o que está acontecendo no caso dos submarinos … toda informação pesa no raciocínio final … quanto ao submarino ultrapassado , não temos tantos dados técnicos para comparação a disposição. A meu ver esses subs nucs Brs são os primeiros e poderão ser melhorados , aliás em material bélico tudo muda e rápido normalmente para melhor… parece que temos essa dificuldade aqui no Brasil :

    “”"Por sua vez, querer comparar o projeto de aviões de países com as dimensões continentais como os EUA e Rússia com um país da dimensão territorial da Suécia é de uma irrealidade a toda prova. A meu ver, por exemplo, caso a escolha recaísse sobre o Su-35, avião de superioridade aérea continental, para cada um avião desse tipo seriam necessários três Gripen NG para cobrir todo o território continental brasileiro, ou seja, para a hipotética escolha de 36 Su-35, estes equivaleriam a 108 Gripen NG (36 Su-35 X 3=108 Gripen NG).”"”
    http://www.planobrazil.com/um-gripen-ng-substitui

    Eu acharia melhor fazer uma comparação deste tipo com aviões que já existem tipo Rafale e SU-35 , comparar com NG baseado nas promessas da SAAB não acho tão verdadeiro assim , prefiro ver voando daqui a cinco anos e com 100% da tecnologia repassada .

    Mas uma coisa é certa, o Brasil é um país de dimensões continentais com enorme mar territorial a ser protegido e precisa de um avião para essas proporções … o pulguinha ??? sei não .

  17. contra os britanicos eu fico tranquilo, nem porta-aviões eles terão até 2019! e boa parte da Royal Navy esta indo para o desmanche!

    vc pensam em guerra em termos do joguinho War, guerra em primeiro lugar depende da logistica, e a inglaterra não tem como manter o pre-sal em suas mãos, hoje talvez somente os americanos teriam, mesmo assim tenho duvidas, além do que, se as potencias quizerem o pre-sal usaram o mesmo expediente que usam em outros lugares, usaram os quinta-colunas, trairas brasileiros para tentar um golpe ou simular uma guerra civil para ai justificar uma invasão, e contaram com esses trairas para oprimir seu proprio pais!

  18. WolfpackVF1,

    Quanto a reabastecimento em voo, não seria lá tão diferente se a escolha fosse o Rafale…

    Com combustível interno, o caça francês tem um raio operacional de uns 925 km ( as fontes variam, com algumas citando até 1000km ou mais ). O Gripen C entrega 800 km de raio máximo ( tem fonte que cita cerca de 830 km ), ao passo que o Gripen NG prevê, com o acréscimo de combustível, um raio operacional similar ao do Rafale…

    Com tanques de traslado, o Gripen C chega a 3200 quilômetros ( tem fonte que cita 3500km; pouca coisa menos que um Rafale… ). O NG prevê um aumento considerável nesse quesito, pretendendo chegar aos 4000km…
    http://jas39gripen.blogspot.com.br/
    http://www.fighter-planes.com/info/rafale.htm

  19. WolfpackVF1,

    Quanto a reabastecimento em voo, não seria lá tão diferente se a escolha fosse o Rafale…

    Com combustível interno, o caça francês tem um raio operacional de uns 925 km ( as fontes variam, com algumas citando até 1000km ou mais ). O Gripen C entrega 800 km de raio máximo ( tem fonte que cita cerca de 830 km ), ao passo que o Gripen NG prevê, com o acréscimo de combustível, um raio operacional similar ao do Rafale…

    Com tanques de traslado, o Gripen C chega a 3200 quilômetros ( tem fonte que cita 3500km; pouca coisa menos que um Rafale… ). O NG prevê um aumento considerável nesse quesito, pretendendo chegar aos 4000km…
    http://jas39gripen.blogspot.com.br/
    http://www.fighter-planes.com/info/rafale.htm

  20. WolfpackVF1,

    Quanto a reabastecimento em voo, não seria lá tão diferente se a escolha fosse o Rafale…

    Com combustível interno, o caça francês tem um raio operacional de uns 925 km ( as fontes variam, com algumas citando até 1000km ou mais ). O Gripen C entrega 800 km de raio máximo ( tem fonte que cita cerca de 830 km ), ao passo que o Gripen NG prevê, com o acréscimo de combustível, um raio operacional similar ao do Rafale…

    Com tanques de traslado, o Gripen C chega a 3200 quilômetros ( tem fonte que cita 3500km; pouca coisa menos que um Rafale… ). O NG prevê um aumento considerável nesse quesito, pretendendo chegar aos 4000km…
    http://jas39gripen.blogspot.com.br/
    http://www.fighter-planes.com/info/rafale.htm

  21. WolfpackVF1,

    Quanto a reabastecimento em voo, não seria lá tão diferente se a escolha fosse o Rafale…

    Com combustível interno, o caça francês tem um raio operacional de uns 925 km ( as fontes variam, com algumas citando até 1000km ou mais ). O Gripen C entrega 800 km de raio máximo ( tem fonte que cita cerca de 830 km ), ao passo que o Gripen NG prevê, com o acréscimo de combustível, um raio operacional similar ao do Rafale…

    Com tanques de traslado, o Gripen C chega a 3200 quilômetros ( tem fonte que cita 3500km; pouca coisa menos que um Rafale… ). O NG prevê um aumento considerável nesse quesito, pretendendo chegar aos 4000km…
    http://jas39gripen.blogspot.com.br/
    http://www.fighter-planes.com/info/rafale.htm

  22. WolfpackVF1,

    Quanto a reabastecimento em voo, não seria lá tão diferente se a escolha fosse o Rafale…

    Com combustível interno, o caça francês tem um raio operacional de uns 925 km ( as fontes variam, com algumas citando até 1000km ou mais ). O Gripen C entrega 800 km de raio máximo ( tem fonte que cita cerca de 830 km ), ao passo que o Gripen NG prevê, com o acréscimo de combustível, um raio operacional similar ao do Rafale…

    Com tanques de traslado, o Gripen C chega a 3200 quilômetros ( tem fonte que cita 3500km; pouca coisa menos que um Rafale… ). O NG prevê um aumento considerável nesse quesito, pretendendo chegar aos 4000km…
    http://jas39gripen.blogspot.com.br/
    http://www.fighter-planes.com/info/rafale.htm

  23. WolfpackVF1,

    Quanto a reabastecimento em voo, não seria lá tão diferente se a escolha fosse o Rafale…

    Com combustível interno, o caça francês tem um raio operacional de uns 925 km ( as fontes variam, com algumas citando até 1000km ou mais ). O Gripen C entrega 800 km de raio máximo ( tem fonte que cita cerca de 830 km ), ao passo que o Gripen NG prevê, com o acréscimo de combustível, um raio operacional similar ao do Rafale…

    Com tanques de traslado, o Gripen C chega a 3200 quilômetros ( tem fonte que cita 3500km; pouca coisa menos que um Rafale… ). O NG prevê um aumento considerável nesse quesito, pretendendo chegar aos 4000km…
    http://jas39gripen.blogspot.com.br/
    http://www.fighter-planes.com/info/rafale.htm

  24. Caro stadeu…

    O fato de uma aeronave ter mais alcance não significa propriamente que ela fará mais pela defesa aérea apenas por causa disso… A superioridade aérea também se faz pela presença da aeronave. Por tanto, aí vem a questão:

    O que faz mais sentido? Ter 36 Su-35 em três bases pelo país ( presumindo 3 esquadrões de 12 aeronaves ), ou ter 108 Gripens equipando uns 7 esquadrões ( 7 bases portanto ) e ainda com uma reserva técnica ( presumindo esquadrões de 12 aeronaves )…? Como eu disse, a superioridade também se faz pela presença. Sete bases significam 7 regiões guarnecidas ao invés de três… E vai chegar primeiro quem estiver mais perto da zona de conflito…

    Ou seja, ter alcance é bom. Mas não significa que um Su-35 estacionado em Brasilia, por exemplo, vá substituir um Gripen que esteja estacionada em Manaus…

    Saudações.

  25. Para começar os americanos dominariam nossos mares e o pré-saL com facilidade.
    O problema seu é o fato deles não estarem iinteressados em guerra contra o Brasil!

  26. MJ, talvez exista mesmo exagero em todos estas ameaças a pré-sal, amazônia verde, azul. O Reino Unido não precisa de seus porta-aviões para realizar alguma aventura por aqui: http://geopoliticadopetroleo.files.wordpress.com/
    Mas também acho exagerado tudo isso e como venceu o Gripen que venha a pulguinha e se cobre que FAB, SAAB e COPAC entreguem o prometido, nada menos do que o prometido. façam como a Índia e detalhem tudo, por sinal nem sei se algum piloto da FAB voo o Gripen NG.

  27. MJ, talvez exista mesmo exagero em todos estas ameaças a pré-sal, amazônia verde, azul. O Reino Unido não precisa de seus porta-aviões para realizar alguma aventura por aqui: http://geopoliticadopetroleo.files.wordpress.com/
    Mas também acho exagerado tudo isso e como venceu o Gripen que venha a pulguinha e se cobre que FAB, SAAB e COPAC entreguem o prometido, nada menos do que o prometido. façam como a Índia e detalhem tudo, por sinal nem sei se algum piloto da FAB voo o Gripen NG.

  28. MJ, talvez exista mesmo exagero em todos estas ameaças a pré-sal, amazônia verde, azul. O Reino Unido não precisa de seus porta-aviões para realizar alguma aventura por aqui: http://geopoliticadopetroleo.files.wordpress.com/
    Mas também acho exagerado tudo isso e como venceu o Gripen que venha a pulguinha e se cobre que FAB, SAAB e COPAC entreguem o prometido, nada menos do que o prometido. façam como a Índia e detalhem tudo, por sinal nem sei se algum piloto da FAB voo o Gripen NG.

  29. MJ, talvez exista mesmo exagero em todos estas ameaças a pré-sal, amazônia verde, azul. O Reino Unido não precisa de seus porta-aviões para realizar alguma aventura por aqui: http://geopoliticadopetroleo.files.wordpress.com/
    Mas também acho exagerado tudo isso e como venceu o Gripen que venha a pulguinha e se cobre que FAB, SAAB e COPAC entreguem o prometido, nada menos do que o prometido. façam como a Índia e detalhem tudo, por sinal nem sei se algum piloto da FAB voo o Gripen NG.

  30. MJ, talvez exista mesmo exagero em todos estas ameaças a pré-sal, amazônia verde, azul. O Reino Unido não precisa de seus porta-aviões para realizar alguma aventura por aqui: http://geopoliticadopetroleo.files.wordpress.com/
    Mas também acho exagerado tudo isso e como venceu o Gripen que venha a pulguinha e se cobre que FAB, SAAB e COPAC entreguem o prometido, nada menos do que o prometido. façam como a Índia e detalhem tudo, por sinal nem sei se algum piloto da FAB voo o Gripen NG.

  31. MJ, talvez exista mesmo exagero em todos estas ameaças a pré-sal, amazônia verde, azul. O Reino Unido não precisa de seus porta-aviões para realizar alguma aventura por aqui: http://geopoliticadopetroleo.files.wordpress.com/
    Mas também acho exagerado tudo isso e como venceu o Gripen que venha a pulguinha e se cobre que FAB, SAAB e COPAC entreguem o prometido, nada menos do que o prometido. façam como a Índia e detalhem tudo, por sinal nem sei se algum piloto da FAB voo o Gripen NG.

  32. Parabéns à Índia.. se ela errar nas suas escolhas e quiser ficar só com o mais "Baratim" poderia decretar seu fim como país mesmo, pois seus inimigos SÃO REAIS ao contrario dos nossos no BRASIL QUE SÃO POTENCIAIS!

    E mais, se o Nosso país tivesse assinado com os Rafale teria MUITAS VANTAGENS frente a esse contrato provisório dos indianos aí… Não acho que sirva de comparação ESSA COISA DE MANUTENÇÃO!

    Valeu!!

  33. Eu nunca fui muito partidário do Rafale para o brasil. Ele sempre foi segunda opção para mim, pelos seus custos e determinados pontos da performance. Afora isso, é triste ver a situação da dassault atualmente. Antes, não aceitavam negociar o Rafale com o código fonte do software, depois para conseguir entrar nos shortlists das licitações, abriram o software. Sendo que aí, acredito que já foi tarde, estão vendo o Typhoon ganhar a cada dia mais mercados (mesmo com seu software fechado e custo um pouco superior). Hoje a dassault provavelmente lamenta não ter participado do Eurofighter, ou não ter estendido sua participação até o fim.

  34. A questão é qual raio operacional destas três aeronaves com 6000 quilos de armas e mais todo combustível que puderem levar? Esta questão eu já enviei ao Senado com mais umas 30 questões adicionais :D. Claro que ninguém irá respondê-las.

  35. RR, não existe previsão de aumento no número de bases como vc prevê. O tema foi abordado pelo Francoorp com propriedade em seu artigo:
    Mas o reabastecimento em voo TRAZ OUTRO FATOR QUE INFLUENCIA NA DISSUASÃO… a perda de tempo!!
    Os reabastecedores fazem rotas mais seguras, suas perdas simplesmente são duríssimas pra uma força aérea, pesam na operatividade, e deveria-se recrutar aeronaves civis pra serem reconfiguradas pra essa missão, o que já é outra história… O que quero dizer é que por mudar de rota os caças leves com curto raio como o Gripen, em um país como o Braisl, poderiam perder tempo nas missõ es de interceptação do inimigo que está fazendo penetração aérea muito distante da posição das patrulhas, e assim deverá ser primeiro reabastecido antes de chegar ao inimigo, mudando de rota em caso de perigo pros reabastecedores… E o inimigo pode já ter atacado uma base militar, ou outro objetivo estratégico dentro do nosso território…
    Vimos isso nas Malvinas cm suas MISSÕES HEROICAS DOS REABASTECEDORES TURBOÉLICES, onde por sorte o inimigo era os subsônicos Harrier… Caças Supersônicos com boa carga de combustível, como os Flankers da Venezuela matariam os reabastecedores com mais facilidade do que os Harrier ingleses também de curto raio!

  36. Mais uma questão, na eventualidade de uma investida de Su-30MKV, estes evitarão os círculos de ação dos Gripen.

  37. Ivany, não consigo enxergar o sucesso do EF2000 que vc enxerga! Acredito que sinceramente o Rafale esteja anos a frente do Eurofighter e muito pelo contrário, a Grã-Bretanha parece estar arrependida de não ter o Rafale em seus novos NAes. Por sinal, a campanha na Líbia ficou clara a superioridade operacional do Rafale frente aos Typhoons, principalmente nas missões de patrulhamento, ataque ao solo, reconhecimento, e interdição. Estamos vendo aspectos políticos sendo relevados mais que aspectos técnicos nos últimos F-Xs. Estaríamos melhor armados com 36x Rafales do que estaremos armados com 36x Gripen NG. Até o próprio Saito já afirmou isso quando nos disse que o Gripen NG não assusta mas impõe respeito.

  38. Aja logística pra tudo isso , e olha que já se falam em 160 Gripens, para se ter uma idéia veja quantos pneus serão necessários, quantos mecânicos, quantos pilotos, é uma outra força aérea só para caças . Por isso acho muito perigoso esse jogo de números, de qualquer modo os aviões modernos , de 5ª geração , visam diminuir a quantidade e aumentar a letalidade.
    Logística e custos … tipo, o que parece barato pode sair muuuito caro.

    Sds.

  39. WolfpackVF1,

    Na era do armamento inteligente, o peso a ser carregado perde relevância ( embora ainda seja importante, é claro )… O que antes era feito por toneladas de bombas comuns, hoje pode ser realizado poucos ( ou apenas um… ) artefatos de precisão.

    Ademais, pelo que sei, a prioridade é a defesa aérea… Dentro desse parâmetro, qualquer um dos concorrentes seria bom o bastante…

  40. WolfpackVF1,

    Os reabastecedores sempre tenderão a permanecer na retaguarda… Não se prevê que eles entrem na zona de combate. Aliás, pelo que sei, raras vezes isso aconteceu na história… E sempre haverão diversas aeronaves a se revesarem em caso de PAC… Enquanto um time monta guarda, outro vai para a retaguarda e reabastece…

    Quanto a bases aéreas… São quatro instalações principais na região Amazônica: Manaus, Porto Velho, Boa Vista, São Gabriel da Cachoeira; e creio que podemos somar Belém. Temos Anápolis, Brasília e Campo Grande, no Centro-Oeste. São Luis, Fortaleza, Natal, Recife e Salvador, no Nordeste. Santa Cruz, Galeão, Campo dos Afonsos, São Paulo, Santos e a AFA no Sudeste. E no Sul, Florianópolis, Canoas e Santa Maria… Enfim, bases tem…

    E o Gripen foi projetado para operar de pistas curtas; o que significa que pode operar de aeroportos pequenos e campos improvisados ( aliás, foi pensado pra isso ).

  41. WolfpackVF1,

    Depende…

    Existem diversas formas de se atacar, tal como a utilização de mísseis de cruzeiro ( o que ambos podem fazer, no final das contas )… O que vai determinar se um irá entrar no circulo defensivo do outro é justamente o alcance dos armamentos disponíveis, quer seja em missão de ataque ou de defesa. Um Gripen dotado de mísseis Meteor, por exemplo, poderá ter mais valia que um Flanker com mísseis R-27R.

  42. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso, a aeronave tem que ser MUITO superior.

  43. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso, a aeronave tem que ser MUITO superior.

  44. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso, a aeronave tem que ser MUITO superior.

  45. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso, a aeronave tem que ser MUITO superior.

  46. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso, a aeronave tem que ser MUITO superior.

  47. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso, a aeronave tem que ser MUITO superior.

  48. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  49. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  50. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  51. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  52. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  53. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  54. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  55. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  56. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  57. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  58. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  59. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  60. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  61. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  62. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  63. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  64. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  65. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  66. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  67. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  68. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  69. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  70. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  71. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  72. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  73. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  74. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  75. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  76. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  77. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  78. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  79. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  80. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  81. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  82. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  83. Falando comercialmente, veja quantas forças operam o Typhoon e quantas operam o rafale. O Reino Unido preferiu aposentar os Harrier e ficar sem avião esperando o f-35 à operar o f/a-18 c/d e e/f cedidos praticamente de graça pelos EUA.

    Falando de performance, leia o depoimento do coronel da USAF John Jumper:
    “I’ve flown all the [American] Air Force jets. None was as good as the Eurofighter.”

    No link, você verá que existe uma parte da força aérea do Canadá defendendo a aquisição do Gripen NG pra lá! E se você olhar o teste da força aérea Suíça, o Typhoon tranche 2a faz supercruise a mach 1.4. Fora o Radar Captor-E e fora o IRIS-T e o METEOR de armamentos. http://blogs.ottawacitizen.com/2013/01/07/why-can

    Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22. http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo

    Então, eu só posso me basear em dados para avaliar as aeronaves. Eu nunca voei Typhoon, rafale ou raptor. Os EUA são um país tradicionalmente bairrista em termos de auto-avaliação (tanto que a época da incorporação dos Mig-29 da Alemanha oriental para unificação, a Luftwaffe declarou que eles eram os melhores aviões do mundo, ao passo que os EUA parcimonicamente disseram que era melhor que o eagle em "alguns aspectos"). Para um coronel da USAF dizer isso (o que disse do Typhoon), a aeronave tem que ser MUITO superior. Dadas essas informações, eu entendo que o Typhoon é o melhor caça do mundo.

  84. Ainda neste ínterim, é bom lembrar que o tranche que efetivamente será multirole é o 3, que já foi testado na Inglaterra. Ao ser incorporado, as atividades em operações conjuntas irão aumentar assustadoramente, tanto pela melhor operação dos armamentos ar-superfície quanto pela capacidade do próximo radar integrado ao pod de designação de alvos.

  85. A segunda foto, com os Rafales na linha de montagem, chega a partir o coração.

    O Brasil fez um péssimo negócio com o Gripen. Pra mim isso é fato, que o tempo vai comprovar.

  86. Os americanos já tem problemas demais com o pré-sal deles, no golfo de México!!!

    Mas no nosso caso se precisasse de um caça para proteger o nosso pré-sal, na minha opinião, o ideal seria o SU-34!!

  87. stadeu,

    Sempre haverá a necessidade de alguma quantidade para fazer valer a presença. É bem verdade que a tecnologia sempre fará a sua parte, mas de nada adianta ter uma aeronave super avançada se ela não será operada em números satisfatórios…

    É como eu disse acima, e vou além: um esquadrão Su-35 baseado em Anápolis não ira substituir dois esquadrões de Gripens baseados em Anápolis e Manaus, por exemplo… Perceba que a área a ser coberta acaba sendo maior, embora o raio de combate da aeronave possa ser menor… Mesmo que o Su-35 tenha mais alcance, ele não vai chegar ao norte antes das aeronaves que já estarão mais próximas…

  88. RR,

    Por mais que você queira vender o peixe chamado Gripen NG … ele não existe… protótipo não é caça … promessa de fabricante não é suficiente para se comparar com um SU-35 pronto e homologado e disponível no mercado de vendas internacional.

    Além do que você se prendeu na sua análise a alcance … há imensos critérios a mais que fazem a diferença entre um e outro … ainda mais quando um deles NO ECXISTE.

    Dilma troll , morin gandhi e saito zen , fizeram uma gigantesca besteira para não dizer ca…da, escolheram errado , agora teremos que investir em QUANTIDADE para TENTAR se equiparar aos caças de verdade que tem QUALIDADE.

    Isso não muda…

  89. Ivany junior

    "Em termos de combate ar-ar, veja nos dados da última red flag, quantos kills o Typhoon sob a batuta da Luftwaffe impôs ao temido f-22"

    Na opinião, não acho surpreendente o fato do F-22 perder alguns combates contra o EF-2000 e Rafale, principalmente se forem à curtas distâncias e médias altitudes. Além dos Eurocanards serem extremamete manobráveis ainda é possível que seus pilotos estejam melhor treinados para dogfights que os americanos.
    Também é possível que os caças sejam mais manobráveis em médias e baixas altitudes.

    Eu me surpreenderia caso o Raptor perdesse combates acima dos 12.000 ou 15.000 metros onde o uso de vetoração de empuxo faz diferença na atmosfera rarefeita, e são nessas altitudes em que o F-22 foi feito para ser superior. Também me surpreenderia se houvesse provas de que um Rafale ou EF-2000 conseguiram detectar o Raptor a médias distâncias como 40 ou 50km com seus radares.

    Acredito que deveríamos ter acesso aos muitos outros combates simulados que o F-22 venceu para fazermos uma comparação útil.

  90. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara que desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A frança pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria maquinas como submarinos, navios de superficie e olhe mesmo. MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  91. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara que desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A frança pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria maquinas como submarinos, navios de superficie e olhe mesmo. MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  92. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara que desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A frança pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria maquinas como submarinos, navios de superficie e olhe mesmo. MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  93. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara que desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A frança pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria maquinas como submarinos, navios de superficie e olhe mesmo. MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  94. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara que desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A frança pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria maquinas como submarinos, navios de superficie e olhe mesmo. MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  95. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara que desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A frança pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria maquinas como submarinos, navios de superficie e olhe mesmo. MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  96. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara que desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A frança pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria maquinas como submarinos, navios de superficie e olhe mesmo. MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  97. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara que desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A frança pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria maquinas como submarinos, navios de superficie e olhe mesmo. MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  98. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara que desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A frança pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria maquinas como submarinos, navios de superficie e olhe mesmo. MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  99. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara que desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A frança pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria maquinas como submarinos, navios de superficie e olhe mesmo. MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  100. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara, e desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A França pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria máquinas como submarinos, navios de superficie e olhe, mesmo MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  101. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara, e desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A França pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria máquinas como submarinos, navios de superficie e olhe, mesmo MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  102. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara, e desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A França pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria máquinas como submarinos, navios de superficie e olhe, mesmo MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  103. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara, e desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A França pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria máquinas como submarinos, navios de superficie e olhe, mesmo MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  104. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara, e desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A França pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria máquinas como submarinos, navios de superficie e olhe, mesmo MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  105. Ivany, o EF2000 é um projeto Europeu da EADS, atual Airbus Defense, e somente é operado pelos países que participaram de seu consórcio de desenvolvimento e produção. Não vendeu nenhuma unidade além destas fronteiras. Não considero isso um fator negativo que deprecie o aparelho. Muito pelo contrário. Os melhores vetores nunca foram blockbusters. F15, F14, F22, Panavia Tornado. Somente algumas Nações tiveram acesso a eles. Aviação de combate não é indústria automotiva. Muita gente as compara, e desejam fazer de um avião de caça um agente que mude sua balança comercial. Engano. A França pensou o Rafale para ser seu vetor omnirole, isso significa substituir a tudo e a todos na Força Aérea e Marinha. Não precisou de cliente externo para assegurar seu desenvolvimento. Sim, vendas externas diminuiriam a pressão sobre a escala, mas sua segurança será mantida, senão por exemplo ninguém fabricaria máquinas como submarinos, navios de superficie e olhe, mesmo MBTs, que apresentam baixa escala de produção. São armas estratégicas, como o são F-15, F-22, F-18, Typhoons. F-16, Mirage 2000C, Gripen são armas táticas para atender países periféricos.
    Quanto a opinião sobre coronéis, pilotos, sempre existirão. observe a do piloto de testes da RAF Peter Collins que vôo o Rafale em 2009. http://www.flightglobal.com/news/articles/flight-
    Red Flag são exercícios militares com regras de engajamento programados, e até discutíveis. O Rafale foi ao Arizona, seus pilotos a Vegas, e a USAF os evitou pois suas antenas de coleta de dados estavam bem ligadas nas emissões de radar do F-22. Por sinal de lá pra cá o F-22 entrou em crise existencial. Sem especulações :D.
    Já que tocou em red flag, a performance do Gripen C/D foi sofrível, com índices de disponibilidade muito baixo nestes exercicios.
    Portanto, não leve muito em consideração opiniões de coronéis, ex pilotos, ou exercícios militares. O que vimos na Líbia e Mali diz muito mais sobre estes caças do que as opiniões acima. E lembre-se para vc ter acesso a tecnologia de ponta, paga-se cara pela exclusividade. Voltando a analogia automóveis, não dá pra comparar Golf VII, com Gol G5.

  106. O pior, fechamos a porta para estas tecnologias, inclusive coisa séria, como as últimas inovações de Thales, MBDA, etc. E ainda da indústria americana. Estamos agora comprando um caça no ebay, na amazon, juntando partes, coisa que já escrevi centenas de fezes, bem motivada a Embraer faria igual. mas temos o lobby, e as partes de cada um na jogada, por que aqui as coisas não são sérias.

  107. stadeu…

    Usei o Gripen apenas como exemplo… O raciocínio que postei acima vale pra todos os caças…

    Por fim, como você mesmo disse, o Gripen NG não está pronto… Logo, não tem como dizer se a qualidade da aeronave será ou não inferior… Supondo que se terá um radar AESA associado a tecnologia de ponta, se pode sim esperar uma qualidade muito maior, com tecnologia muito mais avançada que a oferecida por um Su-30, por exemplo…

    E verdade seja dita, a industria aeronáutica sueca já provou a que veio diversas vezes…

  108. apoiado, tres esquadroes bem armados e treinados de Su 34 seriam mais efetivos que a MB inteira…

  109. Mal temos condições de equipar nossos vetores com bombas guiadas a laser, imagine SDBs. Então segundo sua teoria, devemos economizar nos vetores, como fizemos com o Gripen NG, e investir em desenvolvimento de bombas de diâmetro reduzido. É importante notar que operacionalmente o Gripen NG deverá contar com mais aeronaves cisternas do que os demais, somadas as equipes para manter estas aeronaves no ar e em terra, mais o risco e tempo cobrados nestas operações REVO, temos um problemão pela frente. Desculpe, o COPAC, FAB e demais lobistas já pensaram na solução para este problema, inclusive para o radar AESA, o genérico do CEASER da Selex Galileo, menos capaz e ainda por finalizar. Temos 4.5 bilhões para gastar nesta coisa.

  110. O Gripen NG tem pernas curtas e isso nada irá tirar dele, nem toda a retórica do mundo. Ele é um caça leve e continuará a ser assim, não podendo desempenhar papel principal e sim secundário como o fez na Líbia. Quando um Rafale ou Super Hornet cumprir uma missão, quantos Gripen NG serão necessários? O que se viu na Libia, Rafales armados para uma missão de interdição de um aeroporto e ao mesmo tempo com sobras para alvos de oportunidades. Resiliência no teatro de operações. Com isso se poupam grandes quantias de dinheiro. Caças de pernas curtas como o Gripen NG não poderiam operar na Líbia ou Mali como os Rafales o fizeram. Resumidamente, precisaremos de mais, muito mais unidades de. Gripen NG e aeronaves REVO depois desta decisão do COPAC.

  111. Qual o missil de çruzeiro disponível para o Gripen NG? O Scalp?

  112. aaah vc já é capaz de admitir que o Raptor não é a INDESTRUTIBILIDADE VOADORA ???

    snif !! Estou tão emocionado !!!

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKK !!!!

  113. Sempre estaremos com uma defesa manca, com um caça de pernas curtas e limitado em sua carga paga, dependente de aviões cisternas para cumprir suas missões, dependente dos R99 pois seu AESA se finalizado também terá pernas curtas, e observe os problemas do carro chefe da Selex Galileo o CEASER. Isso claramente será explorado por prováveis aventureiros em nossos mares e fronteiras nos próximos 30 anos. Tire de ação os REVO e verá o que acontece. Portanto, este é apenas um brinquedo que não agrega em nada as capacidades atuais da FAB e este sempre foi o objetivo da força, deixar tudo como está.

  114. Caro stadeu,

    A Índia estava indo bem até o anúncio. 2 anos para negociar o contrato é demais, e o pior eles estão "abrindo as pernas" para os franceses, já que a ToT pretendida não será repassada.

    []'s

  115. Na minha opinião a Índia está transformando um contrato onde existia 126 caças e ToT integral por outro que tem 18 caças e ZERO ToT. E mais, no contrato que teoricamente deveria ser a HAL a principal contratada, já dizem que a mesma está sendo convencida de que é melhor deixar para outras empresas de controle da Dassault é claro, fabricarem o caça.

    Indianos, não abram as pernas! Não deem mole não!!!!

    []'s

  116. Ao invés de fazer esse comentário bobo, perdeu a chance de dizer algo inteligente!

    E eu, pelos livros que li, sempre disse que aeronaves stealth não eram indestrutíveis!
    Eu nunca disse que o F-22 era invencível. O que eu disse é que ele é muito superior aos outros.
    Em vez de perder tempo com picuinhas talvez você devesse prestar mais atenção no que as pessoas dizem, principalmente os que pensam diferente de você.

    Se você escreve que alguma vez eu disse que o Raptor era "INDESTRUTIBILIDADE VOADORA " ou não entendeu o que eu escrevi ou está mentindo.

    De qualquer jeito, esse é um espaço para a troca de ideias e não para deboches infantis como o seu.
    Perdeu a chance de ficar quieto e mostrar que é adulto.

  117. WolfpackVF1

    Eu sempre achei o rafale um excelente caça e torcia para que fosse escolhido pela FAB. Mas não foi, agora nos resta acreditar que o Gripen NG também será excelente. Cada um tem suas vantagens, só o fato do gripen poder decolar de estradas com bases montadas em poucas horas já é uma vantagem estratégica imensa. Rafales ou Flankers, tanto faz, pois seriam destruídos no solo por tomahawks ou outro tipo de míssil de cruzeiro.
    O que nos cabe é esperar a FAB desenvolver táticas e métodos para se obter o máximo das capacidades do Gripen.

  118. "tres esquadroes bem armados e treinados de Su 34 seriam mais efetivos que a MB inteira… "

    Não, nada disso, os ""tres esquadroes bem armados e treinados de Su 34 " seriam destruídos no solo por Tomahawks no primeiro dia. Melhor seria uma marinha equilibrada com vários submarinos diesel elétricos modernos.

  119. Caro Nick

    AS notícias que temos é que o relatório do FX-2 possui entre 26 e 30 mil páginas e ainda e há ainda o relatório final para escolha do gripe que é um "bilhetinho" de 6 mil páginas, segundo TV Estadão , tais relatórios devem estar classificados como ULTRA SECRETO ou SECRETO no mínimo , não nos dando uma mínima chance de comparações entre as propostas e justificativas .
    Ora, nem imaginamos como estão os relatórios do FX indiano , a não ser que tenham vazado informações na mídia não sabemos o que realmente está rolando por lá . Ademais são duas nações soberanas que com SABEDORIA vão discutir virgula por virgula do contrato.
    Já aqui no Brasil, com sorrisinho maroto, o nosso protótipo de Nobel da Paz, Morin, diz que quer assinar o contrato com oito ou dez ou doze meses , diz ele , """ se fecharmos (contrato) melhor""" , ou seja oito meses, mais rápido que uma gestação de um ser humano.
    Por que essa pressa ???? Querem atropelar o que ??? os interesses de quem ???
    Eu digo, querem atropelar a verdade .

    A partir de 13: 30 min. http://www.youtube.com/watch?v=UEcnUc907tk

  120. Caro Nick

    AS notícias que temos é que o relatório do FX-2 possui entre 26 e 30 mil páginas e ainda e há ainda o relatório final para escolha do gripe que é um "bilhetinho" de 6 mil páginas, segundo TV Estadão , tais relatórios devem estar classificados como ULTRA SECRETO ou SECRETO no mínimo , não nos dando uma mínima chance de comparações entre as propostas e justificativas .
    Ora, nem imaginamos como estão os relatórios do FX indiano , a não ser que tenham vazado informações na mídia não sabemos o que realmente está rolando por lá . Ademais são duas nações soberanas que com SABEDORIA vão discutir virgula por virgula do contrato.
    Já aqui no Brasil, com sorrisinho maroto, o nosso protótipo de Nobel da Paz, Morin, diz que quer assinar o contrato com oito ou dez ou doze meses , diz ele , """ se fecharmos (contrato) melhor""" , ou seja oito meses, mais rápido que uma gestação de um ser humano.
    Por que essa pressa ???? Querem atropelar o que ??? os interesses de quem ???
    Eu digo, querem atropelar a verdade .

    A partir de 13: 30 min. http://www.youtube.com/watch?v=UEcnUc907tk

  121. Caro Nick

    AS notícias que temos é que o relatório do FX-2 possui entre 26 e 30 mil páginas e ainda e há ainda o relatório final para escolha do gripe que é um "bilhetinho" de 6 mil páginas, segundo TV Estadão , tais relatórios devem estar classificados como ULTRA SECRETO ou SECRETO no mínimo , não nos dando uma mínima chance de comparações entre as propostas e justificativas .
    Ora, nem imaginamos como estão os relatórios do FX indiano , a não ser que tenham vazado informações na mídia não sabemos o que realmente está rolando por lá . Ademais são duas nações soberanas que com SABEDORIA vão discutir virgula por virgula do contrato.
    Já aqui no Brasil, com sorrisinho maroto, o nosso protótipo de Nobel da Paz, Morin, diz que quer assinar o contrato com oito ou dez ou doze meses , diz ele , """ se fecharmos (contrato) melhor""" , ou seja oito meses, mais rápido que uma gestação de um ser humano.
    Por que essa pressa ???? Querem atropelar o que ??? os interesses de quem ???
    Eu digo, querem atropelar a verdade .

    A partir de 13: 30 min. http://www.youtube.com/watch?v=UEcnUc907tk

  122. Caro Nick

    AS notícias que temos é que o relatório do FX-2 possui entre 26 e 30 mil páginas e ainda e há ainda o relatório final para escolha do gripe que é um "bilhetinho" de 6 mil páginas, segundo TV Estadão , tais relatórios devem estar classificados como ULTRA SECRETO ou SECRETO no mínimo , não nos dando uma mínima chance de comparações entre as propostas e justificativas .
    Ora, nem imaginamos como estão os relatórios do FX indiano , a não ser que tenham vazado informações na mídia não sabemos o que realmente está rolando por lá . Ademais são duas nações soberanas que com SABEDORIA vão discutir virgula por virgula do contrato.
    Já aqui no Brasil, com sorrisinho maroto, o nosso protótipo de Nobel da Paz, Morin, diz que quer assinar o contrato com oito ou dez ou doze meses , diz ele , """ se fecharmos (contrato) melhor""" , ou seja oito meses, mais rápido que uma gestação de um ser humano.
    Por que essa pressa ???? Querem atropelar o que ??? os interesses de quem ???
    Eu digo, querem atropelar a verdade .

    A partir de 13: 30 min. http://www.youtube.com/watch?v=UEcnUc907tk

  123. Caro Nick

    AS notícias que temos é que o relatório do FX-2 possui entre 26 e 30 mil páginas e ainda e há ainda o relatório final para escolha do gripe que é um "bilhetinho" de 6 mil páginas, segundo TV Estadão , tais relatórios devem estar classificados como ULTRA SECRETO ou SECRETO no mínimo , não nos dando uma mínima chance de comparações entre as propostas e justificativas .
    Ora, nem imaginamos como estão os relatórios do FX indiano , a não ser que tenham vazado informações na mídia não sabemos o que realmente está rolando por lá . Ademais são duas nações soberanas que com SABEDORIA vão discutir virgula por virgula do contrato.
    Já aqui no Brasil, com sorrisinho maroto, o nosso protótipo de Nobel da Paz, Morin, diz que quer assinar o contrato com oito ou dez ou doze meses , diz ele , """ se fecharmos (contrato) melhor""" , ou seja oito meses, mais rápido que uma gestação de um ser humano.
    Por que essa pressa ???? Querem atropelar o que ??? os interesses de quem ???
    Eu digo, querem atropelar a verdade .

    A partir de 13: 30 min. http://www.youtube.com/watch?v=UEcnUc907tk

  124. Caro Nick

    AS notícias que temos é que o relatório do FX-2 possui entre 26 e 30 mil páginas e ainda e há ainda o relatório final para escolha do gripe que é um "bilhetinho" de 6 mil páginas, segundo TV Estadão , tais relatórios devem estar classificados como ULTRA SECRETO ou SECRETO no mínimo , não nos dando uma mínima chance de comparações entre as propostas e justificativas .
    Ora, nem imaginamos como estão os relatórios do FX indiano , a não ser que tenham vazado informações na mídia não sabemos o que realmente está rolando por lá . Ademais são duas nações soberanas que com SABEDORIA vão discutir virgula por virgula do contrato.
    Já aqui no Brasil, com sorrisinho maroto, o nosso protótipo de Nobel da Paz, Morin, diz que quer assinar o contrato com oito ou dez ou doze meses , diz ele , """ se fecharmos (contrato) melhor""" , ou seja oito meses, mais rápido que uma gestação de um ser humano.
    Por que essa pressa ???? Querem atropelar o que ??? os interesses de quem ???
    Eu digo, querem atropelar a verdade .

    A partir de 13: 30 min. http://www.youtube.com/watch?v=UEcnUc907tk

  125. Caro Nick,

    Fazendo uma comparação entre o FX de lá e aqui, o problema ou deveria ser a solução, é que o nosso FX-2 seria escolher um caça EXISTENTE E COMPETENTE cujos governos e fabricantes estivessem dispostos a passar 100 % da tecnologia nele contida ao Brasil, chegamos a uma final com três concorrentes que aceitaram AS REGRAS DO JOGO e se propuseram ao repasse, exceto os EUA que disse que passaria a TECNOLOGIA SUFICIENTE , segundo os critérios de julgamento deles .
    Agora o FX indiano não sei se eles tem interesse em 100 % da tecnologia ou se os franceses em oferecê-los nesse percentual.
    No caso dos nossos submarinos nucleares os franceses avisaram que não repassariam reator ,a sala do reator e nem sequer dariam vistas a ele , aceitamos as regras deles e assinamos contrato.
    O contrato é vírgula por vírgula, se a Saab não tem COMPETÊNCIA, PROPRIEDADE INTELECTUAL e NÃO QUER REPASSAR… não se assina o contrato e pronto.. ou se vacilarem no cumprimento …cancela o contrato .
    Não dá para viver de esperança mais e nem ficar dizendo amém pra tudo .

    Abs.

  126. Nick, onde você leu esta afirmação de suspensão das 126 unidades? E substituição da HAL como parceira na produção dos Rafales na India, além da suspensão de transferência de tecnologia?
    Especulação?!
    Acho melhor se concentrar nos 40% de transferência de tecnologia do Gripen NG, já confirmados,pela embaixadora brasileira na Suécia, testes e capacidades do Radar AESA genérico do CEASAR da Selex e claro sua entrega nos prazos acertados. A Índia está trabalhando de forma séria como convém a uma potência nuclear.

  127. Duas coisas:
    1º – O pessoal da ZH não faz a menor ideia sobre o que estão falando. A matéria (opinião) é um punhado de ctrl+c e ctrl+v…
    2º – A SAAB vai transferir tecnologia sim, mas só o que for dela e como a pulga não é 100% sueca…

  128. WolfpackVF1…

    Quantos caças serão necessários, isso irá depender da missão… Não é correto afirmar que um Rafale ou F-18 vale dois ou mais Gripens por um simples motivo: nenhum avião vai estar ao mesmo tempo em dois lugares…

    Quanto a alcance e raio operacional, já conversamos sobre isso… O NG conseguirá praticamente o mesmo raio operacional do Rafale para a maioria das missões; principalmente no que concerne a defesa aérea…. A diferença é que levará menos carga. Contudo, na era do armamento inteligente, sempre se poderá contar com a precisão ao invés de força bruta…

  129. WolfpackVF1,

    O radar do Gripen E/F será o ES-05 RAVEN… Que eu saiba, não está prevista nenhuma mudança e os trabalhos prosseguem satisfatoriamente… Tudo indica, até aqui, que terá um desempenho até mesmo superior em muitos aspectos aos AESA anteriores; haja visto agregar novas tecnologias no estado da arte, tais como o swashplate.

  130. WolfpackVF1…

    RBS-15; um míssil muito similar ao Scalp… Já está homologado para o Gripen C. O caminho natural é que equipe o NG…

  131. WolfpackVF1,

    A divisão de trabalho prevista é 40% para o Brasil e 60% para os suecos, com 80% da estrutura sendo produzida no Brasil… Contudo, o que é realmente importante ( capacidade de integrar sistemas ) vai ficar no Brasil e será integralmente desenvolvido aqui.
    http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/fx2-propo

  132. WolfpackVF1,

    A divisão de trabalho prevista é 40% para o Brasil e 60% para os suecos, com 80% da estrutura sendo produzida no Brasil… Contudo, o que é realmente importante ( capacidade de integrar sistemas ) vai ficar no Brasil e será integralmente desenvolvido aqui.
    http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/fx2-propo

  133. WolfpackVF1,

    A divisão de trabalho prevista é 40% para o Brasil e 60% para os suecos, com 80% da estrutura sendo produzida no Brasil… Contudo, o que é realmente importante ( capacidade de integrar sistemas ) vai ficar no Brasil e será integralmente desenvolvido aqui.
    http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/fx2-propo

  134. WolfpackVF1,

    A divisão de trabalho prevista é 40% para o Brasil e 60% para os suecos, com 80% da estrutura sendo produzida no Brasil… Contudo, o que é realmente importante ( capacidade de integrar sistemas ) vai ficar no Brasil e será integralmente desenvolvido aqui.
    http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/fx2-propo

  135. WolfpackVF1,

    A divisão de trabalho prevista é 40% para o Brasil e 60% para os suecos, com 80% da estrutura sendo produzida no Brasil… Contudo, o que é realmente importante ( capacidade de integrar sistemas ) vai ficar no Brasil e será integralmente desenvolvido aqui.
    http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/fx2-propo

  136. WolfpackVF1,

    A divisão de trabalho prevista é 40% para o Brasil e 60% para os suecos, com 80% da estrutura sendo produzida no Brasil… Contudo, o que é realmente importante ( capacidade de integrar sistemas ) vai ficar no Brasil e será integralmente desenvolvido aqui.
    http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/fx2-propo

  137. WolfpackVF1,

    A divisão de trabalho prevista é 40% para o Brasil e 60% para os suecos, com 80% da estrutura sendo produzida no Brasil… Contudo, o que é realmente importante ( capacidade de integrar sistemas ) vai ficar no Brasil e será integralmente desenvolvido aqui.
    http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/fx2-propo

  138. WolfpackVF1,

    A divisão de trabalho prevista é 40% para o Brasil e 60% para os suecos, com 80% da estrutura sendo produzida no Brasil… Contudo, o que é realmente importante ( capacidade de integrar sistemas ) vai ficar no Brasil e será integralmente desenvolvido aqui.
    http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/fx2-propo

  139. “O NG conseguirá praticamente o mesmo raio operacional do Rafale para a maioria das missões; principalmente no que concerne a defesa aérea…. A diferença é que levará menos carga.”

    É ou não é inferior ao Super Hornet e Rafale? O Grifo é bom? Claro que é! Excelente! Mas não coloquem ele na mesma categoria de aviões mais capazes. A pulguinha é um ótimo substituto para o F-5, F-16A/B, Mirage III e MiG-21, MiG-29…

  140. "O NG conseguirá praticamente o mesmo raio operacional do Rafale para a maioria das missões; principalmente no que concerne a defesa aérea…. A diferença é que levará menos carga."

    É ou não é inferior ao Super Hornet e Rafale? O Grifo é bom? Claro que é! Excelente! Mas não coloquem ele na mesma categoria de aviões mais capazes. A pulguinha é um ótimo substituto para o F-5, F-16A/B, Mirage III e MiG-21…

  141. GIORDANI,

    Não quis colocar o Gripen no mesmo patamar do Rafale. Pelo contrário…

    Até mesmo porque, o projeto do NG deixa claro a pretensão de ser uma aeronave da classe das 7 toneladas; e embora com boa capacidade de ataque, creio ser lógico afirmar que será voltada mais para defesa aérea, buscando aproximar-se dos caças médios nesse quesito. O Rafale, por outro lado, tem o propósito de ter o desempenho integral de uma aeronave média, com um desenho mais voltado para o ataque. Contudo, o que tento afirmar é que ele, o Gripen, será bom o bastante, principalmente no que toca a defesa do espaço aéreo.

    E o NG não será tão pequeno assim… Estamos a falar de uma aeronave que terá um porte similar ao de um M2000, e que entregará uma eletrônica no mínimo equivalente a do Rafale F3…

    No mais, creio que se deva basear em parâmetros específicos para se fazer qualquer escolha. E a somatória dessas características e sua consonância com os requisitos para a utilização é o que mede, no meu entender, a praticidade de um aeronave e se ela é melhor ou não para determinada tarefa…

    Por exemplo: vamos supor que a FAB queira uma aeronave que prioritariamente vá a mach 2 e que tenha eletrônica avançada. Dentro desse aspecto, o F-18 E/F é inferior; e logo, não poderia atender a FAB. Já o F-16 block 60 é uma aeronave de mach 2 e a atenderia, dentro desses requisitos…

  142. Arábia Saudita, Omã e EAU não foram desenvolvedores do projeto. Compraram e selecionaram o avião sem código do software aberto, sem transferência qualquer de tecnolgia. "Apenas" pela sua performance.

    Não se trata de "apenas" alguns engajamentos. Trata-se da primeira aeronave que engajou F-22 na arena BVR e no dogfight não levou nenhum 'kill'.

    Na última red flag, a disponibilidade em maratona do Gripen foi de 95%. No exercício de liderança europeu, o Gripen tcheco abateu rafale francês (fr3) e Typhoon austríaco (tranche 1), tanto em BVR quanto WVR.

    Um coronel da USAF que já voou em todos os aviões de lá dizer que o Typhoon é o melhor, tem mais peso que um da RAF que ele é o melhor, dado o bairrismo norte americano, sempre superlativo em relação as suas capacidades, e, o inglês estava falando da arena multi-função. Claro que o rafale é bom, tanto que a versão M foi considerada para os USNavy e Marines no lugar do super 'lobby' hornet e para a Royal Navy no lugar do f-35. Sendo que em exercícios conjuntos do cenário ar-ar, sistemas e capacidades dinâmicas do avião, pegando o novo rafale f3r x Typhoon tranche 3 a desvantagem é gritante pro francês, tanto que a frança só aceitou simular dogfight e mesmo assim com os Typhoon tranche 1 da Austria, ainda assim, o resultado não foi legal pra armee de l'air (5×1 pro Typhoon, se não me engano).

    O Desempenho do Typhoon na Líbia, apesar de não ser o Tranche 3 (o utilizado foi o tranche 2a) mesmo assim não foi nada sofrível. Não ser superior ao rafale por pouca coisa (e estava em ação o rafale f3) não quer dizer muita coisa tendo em vista os alvos que ambos atingiram. Nenhum enfrentou defesa aérea.

    Como o rafale, o Typhoon não é bom negócio pro brasil. É negócio para potências que buscam superioridade em Teatro de Operações forte. Como a Arábia Saudita no Oriente Médio. O que eu to dizendo que o rafale, apesar de ser um ótimo avião, não entrega mais que o Typhoon, e o último, na minha opinião e na de um certo número de pessoas, é o melhor avião de caça do mundo no momento, apesar de eu considerar o rafale é o melhor caça naval. Pra ser um grande interceptador falta a capacidade supercruise (que o Gripen tem à mach 1.1) e melhores ângulos de ataque e defesa em termos de perda e ganho de aceleração. O RCS (assinatura de radar) também é bastante inferior ao Typhoon, que o fazem uma arvore de natal em relação a ele (0.25m²/0.75m² x 1m²/1.25m²), chamariz pra missil. O do Gripen também é superior (0.5m²/0.75m²). E por último, o rafale jamais venceu f-22 em qualquer arena (ficou em 1 derrota e 5 empates no dogfight nos ceus europeus e nunca travou em BVR)

  143. Arábia Saudita, Omã e EAU não foram desenvolvedores do projeto. Compraram e selecionaram o avião sem código do software aberto, sem transferência qualquer de tecnolgia. "Apenas" pela sua performance.

    Não se trata de "apenas" alguns engajamentos. Trata-se da primeira aeronave que engajou F-22 na arena BVR e no dogfight não levou nenhum 'kill'.

    Na última red flag, a disponibilidade em maratona do Gripen foi de 95%. No exercício de liderança europeu, o Gripen tcheco abateu rafale francês (fr3) e Typhoon austríaco (tranche 1), tanto em BVR quanto WVR.

    Um coronel da USAF que já voou em todos os aviões de lá dizer que o Typhoon é o melhor, tem mais peso que um da RAF que ele é o melhor, dado o bairrismo norte americano, sempre superlativo em relação as suas capacidades, e, o inglês estava falando da arena multi-função. Claro que o rafale é bom, tanto que a versão M foi considerada para os USNavy e Marines no lugar do super 'lobby' hornet e para a Royal Navy no lugar do f-35. Sendo que em exercícios conjuntos do cenário ar-ar, sistemas e capacidades dinâmicas do avião, pegando o novo rafale f3r x Typhoon tranche 3 a desvantagem é gritante pro francês, tanto que a frança só aceitou simular dogfight e mesmo assim com os Typhoon tranche 1 da Austria, ainda assim, o resultado não foi legal pra armee de l'air (5×1 pro Typhoon, se não me engano).

    O Desempenho do Typhoon na Líbia, apesar de não ser o Tranche 3 (o utilizado foi o tranche 2a) mesmo assim não foi nada sofrível. Não ser superior ao rafale por pouca coisa (e estava em ação o rafale f3) não quer dizer muita coisa tendo em vista os alvos que ambos atingiram. Nenhum enfrentou defesa aérea.

    Como o rafale, o Typhoon não é bom negócio pro brasil. É negócio para potências que buscam superioridade em Teatro de Operações forte. Como a Arábia Saudita no Oriente Médio. O que eu to dizendo que o rafale, apesar de ser um ótimo avião, não entrega mais que o Typhoon, e o último, na minha opinião e na de um certo número de pessoas, é o melhor avião de caça do mundo no momento, apesar de eu considerar o rafale é o melhor caça naval. Pra ser um grande interceptador falta a capacidade supercruise (que o Gripen tem à mach 1.1) e melhores ângulos de ataque e defesa em termos de perda e ganho de aceleração. O RCS (assinatura de radar) também é bastante inferior ao Typhoon, que o fazem uma arvore de natal em relação a ele (0.25m²/0.75m² x 1m²/1.25m²), chamariz pra missil. O do Gripen também é superior (0.5m²/0.75m²). E por último, o rafale jamais venceu f-22 em qualquer arena (ficou em 1 derrota e 5 empates no dogfight nos ceus europeus e nunca travou em BVR)

  144. Arábia Saudita, Omã e EAU não foram desenvolvedores do projeto. Compraram e selecionaram o avião sem código do software aberto, sem transferência qualquer de tecnolgia. "Apenas" pela sua performance.

    Não se trata de "apenas" alguns engajamentos. Trata-se da primeira aeronave que engajou F-22 na arena BVR e no dogfight não levou nenhum 'kill'.

    Na última red flag, a disponibilidade em maratona do Gripen foi de 95%. No exercício de liderança europeu, o Gripen tcheco abateu rafale francês (fr3) e Typhoon austríaco (tranche 1), tanto em BVR quanto WVR.

    Um coronel da USAF que já voou em todos os aviões de lá dizer que o Typhoon é o melhor, tem mais peso que um da RAF que ele é o melhor, dado o bairrismo norte americano, sempre superlativo em relação as suas capacidades, e, o inglês estava falando da arena multi-função. Claro que o rafale é bom, tanto que a versão M foi considerada para os USNavy e Marines no lugar do super 'lobby' hornet e para a Royal Navy no lugar do f-35. Sendo que em exercícios conjuntos do cenário ar-ar, sistemas e capacidades dinâmicas do avião, pegando o novo rafale f3r x Typhoon tranche 3 a desvantagem é gritante pro francês, tanto que a frança só aceitou simular dogfight e mesmo assim com os Typhoon tranche 1 da Austria, ainda assim, o resultado não foi legal pra armee de l'air (5×1 pro Typhoon, se não me engano).

    O Desempenho do Typhoon na Líbia, apesar de não ser o Tranche 3 (o utilizado foi o tranche 2a) mesmo assim não foi nada sofrível. Não ser superior ao rafale por pouca coisa (e estava em ação o rafale f3) não quer dizer muita coisa tendo em vista os alvos que ambos atingiram. Nenhum enfrentou defesa aérea.

    Como o rafale, o Typhoon não é bom negócio pro brasil. É negócio para potências que buscam superioridade em Teatro de Operações forte. Como a Arábia Saudita no Oriente Médio. O que eu to dizendo que o rafale, apesar de ser um ótimo avião, não entrega mais que o Typhoon, e o último, na minha opinião e na de um certo número de pessoas, é o melhor avião de caça do mundo no momento, apesar de eu considerar o rafale é o melhor caça naval. Pra ser um grande interceptador falta a capacidade supercruise (que o Gripen tem à mach 1.1) e melhores ângulos de ataque e defesa em termos de perda e ganho de aceleração. O RCS (assinatura de radar) também é bastante inferior ao Typhoon, que o fazem uma arvore de natal em relação a ele (0.25m²/0.75m² x 1m²/1.25m²), chamariz pra missil. O do Gripen também é superior (0.5m²/0.75m²). E por último, o rafale jamais venceu f-22 em qualquer arena (ficou em 1 derrota e 5 empates no dogfight nos ceus europeus e nunca travou em BVR)

  145. Arábia Saudita, Omã e EAU não foram desenvolvedores do projeto. Compraram e selecionaram o avião sem código do software aberto, sem transferência qualquer de tecnolgia. "Apenas" pela sua performance.

    Não se trata de "apenas" alguns engajamentos. Trata-se da primeira aeronave que engajou F-22 na arena BVR e no dogfight não levou nenhum 'kill'.

    Na última red flag, a disponibilidade em maratona do Gripen foi de 95%. No exercício de liderança europeu, o Gripen tcheco abateu rafale francês (fr3) e Typhoon austríaco (tranche 1), tanto em BVR quanto WVR.

    Um coronel da USAF que já voou em todos os aviões de lá dizer que o Typhoon é o melhor, tem mais peso que um da RAF que ele é o melhor, dado o bairrismo norte americano, sempre superlativo em relação as suas capacidades, e, o inglês estava falando da arena multi-função. Claro que o rafale é bom, tanto que a versão M foi considerada para os USNavy e Marines no lugar do super 'lobby' hornet e para a Royal Navy no lugar do f-35. Sendo que em exercícios conjuntos do cenário ar-ar, sistemas e capacidades dinâmicas do avião, pegando o novo rafale f3r x Typhoon tranche 3 a desvantagem é gritante pro francês, tanto que a frança só aceitou simular dogfight e mesmo assim com os Typhoon tranche 1 da Austria, ainda assim, o resultado não foi legal pra armee de l'air (5×1 pro Typhoon, se não me engano).

    O Desempenho do Typhoon na Líbia, apesar de não ser o Tranche 3 (o utilizado foi o tranche 2a) mesmo assim não foi nada sofrível. Não ser superior ao rafale por pouca coisa (e estava em ação o rafale f3) não quer dizer muita coisa tendo em vista os alvos que ambos atingiram. Nenhum enfrentou defesa aérea.

    Como o rafale, o Typhoon não é bom negócio pro brasil. É negócio para potências que buscam superioridade em Teatro de Operações forte. Como a Arábia Saudita no Oriente Médio. O que eu to dizendo que o rafale, apesar de ser um ótimo avião, não entrega mais que o Typhoon, e o último, na minha opinião e na de um certo número de pessoas, é o melhor avião de caça do mundo no momento, apesar de eu considerar o rafale é o melhor caça naval. Pra ser um grande interceptador falta a capacidade supercruise (que o Gripen tem à mach 1.1) e melhores ângulos de ataque e defesa em termos de perda e ganho de aceleração. O RCS (assinatura de radar) também é bastante inferior ao Typhoon, que o fazem uma arvore de natal em relação a ele (0.25m²/0.75m² x 1m²/1.25m²), chamariz pra missil. O do Gripen também é superior (0.5m²/0.75m²). E por último, o rafale jamais venceu f-22 em qualquer arena (ficou em 1 derrota e 5 empates no dogfight nos ceus europeus e nunca travou em BVR)

  146. Arábia Saudita, Omã e EAU não foram desenvolvedores do projeto. Compraram e selecionaram o avião sem código do software aberto, sem transferência qualquer de tecnolgia. "Apenas" pela sua performance.

    Não se trata de "apenas" alguns engajamentos. Trata-se da primeira aeronave que engajou F-22 na arena BVR e no dogfight não levou nenhum 'kill'.

    Na última red flag, a disponibilidade em maratona do Gripen foi de 95%. No exercício de liderança europeu, o Gripen tcheco abateu rafale francês (fr3) e Typhoon austríaco (tranche 1), tanto em BVR quanto WVR.

    Um coronel da USAF que já voou em todos os aviões de lá dizer que o Typhoon é o melhor, tem mais peso que um da RAF que ele é o melhor, dado o bairrismo norte americano, sempre superlativo em relação as suas capacidades, e, o inglês estava falando da arena multi-função. Claro que o rafale é bom, tanto que a versão M foi considerada para os USNavy e Marines no lugar do super 'lobby' hornet e para a Royal Navy no lugar do f-35. Sendo que em exercícios conjuntos do cenário ar-ar, sistemas e capacidades dinâmicas do avião, pegando o novo rafale f3r x Typhoon tranche 3 a desvantagem é gritante pro francês, tanto que a frança só aceitou simular dogfight e mesmo assim com os Typhoon tranche 1 da Austria, ainda assim, o resultado não foi legal pra armee de l'air (5×1 pro Typhoon, se não me engano).

    O Desempenho do Typhoon na Líbia, apesar de não ser o Tranche 3 (o utilizado foi o tranche 2a) mesmo assim não foi nada sofrível. Não ser superior ao rafale por pouca coisa (e estava em ação o rafale f3) não quer dizer muita coisa tendo em vista os alvos que ambos atingiram. Nenhum enfrentou defesa aérea.

    Como o rafale, o Typhoon não é bom negócio pro brasil. É negócio para potências que buscam superioridade em Teatro de Operações forte. Como a Arábia Saudita no Oriente Médio. O que eu to dizendo que o rafale, apesar de ser um ótimo avião, não entrega mais que o Typhoon, e o último, na minha opinião e na de um certo número de pessoas, é o melhor avião de caça do mundo no momento, apesar de eu considerar o rafale é o melhor caça naval. Pra ser um grande interceptador falta a capacidade supercruise (que o Gripen tem à mach 1.1) e melhores ângulos de ataque e defesa em termos de perda e ganho de aceleração. O RCS (assinatura de radar) também é bastante inferior ao Typhoon, que o fazem uma arvore de natal em relação a ele (0.25m²/0.75m² x 1m²/1.25m²), chamariz pra missil. O do Gripen também é superior (0.5m²/0.75m²). E por último, o rafale jamais venceu f-22 em qualquer arena (ficou em 1 derrota e 5 empates no dogfight nos ceus europeus e nunca travou em BVR)

  147. Arábia Saudita, Omã e EAU não foram desenvolvedores do projeto. Compraram e selecionaram o avião sem código do software aberto, sem transferência qualquer de tecnolgia. "Apenas" pela sua performance.

    Não se trata de "apenas" alguns engajamentos. Trata-se da primeira aeronave que engajou F-22 na arena BVR e no dogfight não levou nenhum 'kill'.

    Na última red flag, a disponibilidade em maratona do Gripen foi de 95%. No exercício de liderança europeu, o Gripen tcheco abateu rafale francês (fr3) e Typhoon austríaco (tranche 1), tanto em BVR quanto WVR.

    Um coronel da USAF que já voou em todos os aviões de lá dizer que o Typhoon é o melhor, tem mais peso que um da RAF que ele é o melhor, dado o bairrismo norte americano, sempre superlativo em relação as suas capacidades, e, o inglês estava falando da arena multi-função. Claro que o rafale é bom, tanto que a versão M foi considerada para os USNavy e Marines no lugar do super 'lobby' hornet e para a Royal Navy no lugar do f-35. Sendo que em exercícios conjuntos do cenário ar-ar, sistemas e capacidades dinâmicas do avião, pegando o novo rafale f3r x Typhoon tranche 3 a desvantagem é gritante pro francês, tanto que a frança só aceitou simular dogfight e mesmo assim com os Typhoon tranche 1 da Austria, ainda assim, o resultado não foi legal pra armee de l'air (5×1 pro Typhoon, se não me engano).

    O Desempenho do Typhoon na Líbia, apesar de não ser o Tranche 3 (o utilizado foi o tranche 2a) mesmo assim não foi nada sofrível. Não ser superior ao rafale por pouca coisa (e estava em ação o rafale f3) não quer dizer muita coisa tendo em vista os alvos que ambos atingiram. Nenhum enfrentou defesa aérea.

    Como o rafale, o Typhoon não é bom negócio pro brasil. É negócio para potências que buscam superioridade em Teatro de Operações forte. Como a Arábia Saudita no Oriente Médio. O que eu to dizendo que o rafale, apesar de ser um ótimo avião, não entrega mais que o Typhoon, e o último, na minha opinião e na de um certo número de pessoas, é o melhor avião de caça do mundo no momento, apesar de eu considerar o rafale é o melhor caça naval. Pra ser um grande interceptador falta a capacidade supercruise (que o Gripen tem à mach 1.1) e melhores ângulos de ataque e defesa em termos de perda e ganho de aceleração. O RCS (assinatura de radar) também é bastante inferior ao Typhoon, que o fazem uma arvore de natal em relação a ele (0.25m²/0.75m² x 1m²/1.25m²), chamariz pra missil. O do Gripen também é superior (0.5m²/0.75m²). E por último, o rafale jamais venceu f-22 em qualquer arena (ficou em 1 derrota e 5 empates no dogfight nos ceus europeus e nunca travou em BVR)

  148. Arábia Saudita, Omã e EAU não foram desenvolvedores do projeto. Compraram e selecionaram o avião sem código do software aberto, sem transferência qualquer de tecnolgia. "Apenas" pela sua performance.

    Não se trata de "apenas" alguns engajamentos. Trata-se da primeira aeronave que engajou F-22 na arena BVR e no dogfight não levou nenhum 'kill'.

    Na última red flag, a disponibilidade em maratona do Gripen foi de 95%. No exercício de liderança europeu, o Gripen tcheco abateu rafale francês (fr3) e Typhoon austríaco (tranche 1), tanto em BVR quanto WVR.

    Um coronel da USAF que já voou em todos os aviões de lá dizer que o Typhoon é o melhor, tem mais peso que um da RAF que ele é o melhor, dado o bairrismo norte americano, sempre superlativo em relação as suas capacidades, e, o inglês estava falando da arena multi-função. Claro que o rafale é bom, tanto que a versão M foi considerada para os USNavy e Marines no lugar do super 'lobby' hornet e para a Royal Navy no lugar do f-35. Sendo que em exercícios conjuntos do cenário ar-ar, sistemas e capacidades dinâmicas do avião, pegando o novo rafale f3r x Typhoon tranche 3 a desvantagem é gritante pro francês, tanto que a frança só aceitou simular dogfight e mesmo assim com os Typhoon tranche 1 da Austria, ainda assim, o resultado não foi legal pra armee de l'air (5×1 pro Typhoon, se não me engano).

    O Desempenho do Typhoon na Líbia, apesar de não ser o Tranche 3 (o utilizado foi o tranche 2a) mesmo assim não foi nada sofrível. Não ser superior ao rafale por pouca coisa (e estava em ação o rafale f3) não quer dizer muita coisa tendo em vista os alvos que ambos atingiram. Nenhum enfrentou defesa aérea.

    Como o rafale, o Typhoon não é bom negócio pro brasil. É negócio para potências que buscam superioridade em Teatro de Operações forte. Como a Arábia Saudita no Oriente Médio. O que eu to dizendo que o rafale, apesar de ser um ótimo avião, não entrega mais que o Typhoon, e o último, na minha opinião e na de um certo número de pessoas, é o melhor avião de caça do mundo no momento, apesar de eu considerar o rafale é o melhor caça naval. Pra ser um grande interceptador falta a capacidade supercruise (que o Gripen tem à mach 1.1) e melhores ângulos de ataque e defesa em termos de perda e ganho de aceleração. O RCS (assinatura de radar) também é bastante inferior ao Typhoon, que o fazem uma arvore de natal em relação a ele (0.25m²/0.75m² x 1m²/1.25m²), chamariz pra missil. O do Gripen também é superior (0.5m²/0.75m²). E por último, o rafale jamais venceu f-22 em qualquer arena (ficou em 1 derrota e 5 empates no dogfight nos ceus europeus e nunca travou em BVR)

  149. Arábia Saudita, Omã e EAU não foram desenvolvedores do projeto. Compraram e selecionaram o avião sem código do software aberto, sem transferência qualquer de tecnolgia. "Apenas" pela sua performance.

    Não se trata de "apenas" alguns engajamentos. Trata-se da primeira aeronave que engajou F-22 na arena BVR e no dogfight não levou nenhum 'kill'.

    Na última red flag, a disponibilidade em maratona do Gripen foi de 95%. No exercício de liderança europeu, o Gripen tcheco abateu rafale francês (fr3) e Typhoon austríaco (tranche 1), tanto em BVR quanto WVR.

    Um coronel da USAF que já voou em todos os aviões de lá dizer que o Typhoon é o melhor, tem mais peso que um da RAF que ele é o melhor, dado o bairrismo norte americano, sempre superlativo em relação as suas capacidades, e, o inglês estava falando da arena multi-função. Claro que o rafale é bom, tanto que a versão M foi considerada para os USNavy e Marines no lugar do super 'lobby' hornet e para a Royal Navy no lugar do f-35. Sendo que em exercícios conjuntos do cenário ar-ar, sistemas e capacidades dinâmicas do avião, pegando o novo rafale f3r x Typhoon tranche 3 a desvantagem é gritante pro francês, tanto que a frança só aceitou simular dogfight e mesmo assim com os Typhoon tranche 1 da Austria, ainda assim, o resultado não foi legal pra armee de l'air (5×1 pro Typhoon, se não me engano).

    O Desempenho do Typhoon na Líbia, apesar de não ser o Tranche 3 (o utilizado foi o tranche 2a) mesmo assim não foi nada sofrível. Não ser superior ao rafale por pouca coisa (e estava em ação o rafale f3) não quer dizer muita coisa tendo em vista os alvos que ambos atingiram. Nenhum enfrentou defesa aérea.

    Como o rafale, o Typhoon não é bom negócio pro brasil. É negócio para potências que buscam superioridade em Teatro de Operações forte. Como a Arábia Saudita no Oriente Médio. O que eu to dizendo que o rafale, apesar de ser um ótimo avião, não entrega mais que o Typhoon, e o último, na minha opinião e na de um certo número de pessoas, é o melhor avião de caça do mundo no momento, apesar de eu considerar o rafale é o melhor caça naval. Pra ser um grande interceptador falta a capacidade supercruise (que o Gripen tem à mach 1.1) e melhores ângulos de ataque e defesa em termos de perda e ganho de aceleração. O RCS (assinatura de radar) também é bastante inferior ao Typhoon, que o fazem uma arvore de natal em relação a ele (0.25m²/0.75m² x 1m²/1.25m²), chamariz pra missil. O do Gripen também é superior (0.5m²/0.75m²). E por último, o rafale jamais venceu f-22 em qualquer arena (ficou em 1 derrota e 5 empates no dogfight nos ceus europeus e nunca travou em BVR)

  150. Arábia Saudita, Omã e EAU não foram desenvolvedores do projeto. Compraram e selecionaram o avião sem código do software aberto, sem transferência qualquer de tecnolgia. "Apenas" pela sua performance.

    Não se trata de "apenas" alguns engajamentos. Trata-se da primeira aeronave que engajou F-22 na arena BVR e no dogfight não levou nenhum 'kill'.

    Na última red flag, a disponibilidade em maratona do Gripen foi de 95%. No exercício de liderança europeu, o Gripen tcheco abateu rafale francês (fr3) e Typhoon austríaco (tranche 1), tanto em BVR quanto WVR.

    Um coronel da USAF que já voou em todos os aviões de lá dizer que o Typhoon é o melhor, tem mais peso que um da RAF que ele é o melhor, dado o bairrismo norte americano, sempre superlativo em relação as suas capacidades, e, o inglês estava falando da arena multi-função. Claro que o rafale é bom, tanto que a versão M foi considerada para os USNavy e Marines no lugar do super 'lobby' hornet e para a Royal Navy no lugar do f-35. Sendo que em exercícios conjuntos do cenário ar-ar, sistemas e capacidades dinâmicas do avião, pegando o novo rafale f3r x Typhoon tranche 3 a desvantagem é gritante pro francês, tanto que a frança só aceitou simular dogfight e mesmo assim com os Typhoon tranche 1 da Austria, ainda assim, o resultado não foi legal pra armee de l'air (5×1 pro Typhoon, se não me engano).

    O Desempenho do Typhoon na Líbia, apesar de não ser o Tranche 3 (o utilizado foi o tranche 2a) mesmo assim não foi nada sofrível. Não ser superior ao rafale por pouca coisa (e estava em ação o rafale f3) não quer dizer muita coisa tendo em vista os alvos que ambos atingiram. Nenhum enfrentou defesa aérea.

    Como o rafale, o Typhoon não é bom negócio pro brasil. É negócio para potências que buscam superioridade em Teatro de Operações forte. Como a Arábia Saudita no Oriente Médio. O que eu to dizendo que o rafale, apesar de ser um ótimo avião, não entrega mais que o Typhoon, e o último, na minha opinião e na de um certo número de pessoas, é o melhor avião de caça do mundo no momento, apesar de eu considerar o rafale é o melhor caça naval. Pra ser um grande interceptador falta a capacidade supercruise (que o Gripen tem à mach 1.1) e melhores ângulos de ataque e defesa em termos de perda e ganho de aceleração. O RCS (assinatura de radar) também é bastante inferior ao Typhoon, que o fazem uma arvore de natal em relação a ele (0.25m²/0.75m² x 1m²/1.25m²), chamariz pra missil. O do Gripen também é superior (0.5m²/0.75m²). E por último, o rafale jamais venceu f-22 em qualquer arena (ficou em 1 derrota e 5 empates no dogfight nos ceus europeus e nunca travou em BVR)

  151. Arábia Saudita, Omã e EAU não foram desenvolvedores do projeto. Compraram e selecionaram o avião sem código do software aberto, sem transferência qualquer de tecnolgia. "Apenas" pela sua performance.

    Não se trata de "apenas" alguns engajamentos. Trata-se da primeira aeronave que engajou F-22 na arena BVR e no dogfight não levou nenhum 'kill'.

    Na última red flag, a disponibilidade em maratona do Gripen foi de 95%. No exercício de liderança europeu, o Gripen tcheco abateu rafale francês (fr3) e Typhoon austríaco (tranche 1), tanto em BVR quanto WVR.

    Um coronel da USAF que já voou em todos os aviões de lá dizer que o Typhoon é o melhor, tem mais peso que um da RAF que ele é o melhor, dado o bairrismo norte americano, sempre superlativo em relação as suas capacidades, e, o inglês estava falando da arena multi-função. Claro que o rafale é bom, tanto que a versão M foi considerada para os USNavy e Marines no lugar do super 'lobby' hornet e para a Royal Navy no lugar do f-35. Sendo que em exercícios conjuntos do cenário ar-ar, sistemas e capacidades dinâmicas do avião, pegando o novo rafale f3r x Typhoon tranche 3 a desvantagem é gritante pro francês, tanto que a frança só aceitou simular dogfight e mesmo assim com os Typhoon tranche 1 da Austria, ainda assim, o resultado não foi legal pra armee de l'air (5×1 pro Typhoon, se não me engano).

    O Desempenho do Typhoon na Líbia, apesar de não ser o Tranche 3 (o utilizado foi o tranche 2a) mesmo assim não foi nada sofrível. Não ser superior ao rafale por pouca coisa (e estava em ação o rafale f3) não quer dizer muita coisa tendo em vista os alvos que ambos atingiram. Nenhum enfrentou defesa aérea.

    Como o rafale, o Typhoon não é bom negócio pro brasil. É negócio para potências que buscam superioridade em Teatro de Operações forte. Como a Arábia Saudita no Oriente Médio. O que eu to dizendo que o rafale, apesar de ser um ótimo avião, não entrega mais que o Typhoon, e o último, na minha opinião e na de um certo número de pessoas, é o melhor avião de caça do mundo no momento, apesar de eu considerar o rafale é o melhor caça naval. Pra ser um grande interceptador falta a capacidade supercruise (que o Gripen tem à mach 1.1) e melhores ângulos de ataque e defesa em termos de perda e ganho de aceleração. O RCS (assinatura de radar) também é bastante inferior ao Typhoon, que o fazem uma arvore de natal em relação a ele (0.25m²/0.75m² x 1m²/1.25m²), chamariz pra missil. O do Gripen também é superior (0.5m²/0.75m²). E por último, o rafale jamais venceu f-22 em qualquer arena (ficou em 1 derrota e 5 empates no dogfight nos ceus europeus e nunca travou em BVR)

  152. Arábia Saudita, Omã e EAU não foram desenvolvedores do projeto. Compraram e selecionaram o avião sem código do software aberto, sem transferência qualquer de tecnolgia. "Apenas" pela sua performance.

    Não se trata de "apenas" alguns engajamentos. Trata-se da primeira aeronave que engajou F-22 na arena BVR e no dogfight não levou nenhum 'kill'.

    Na última red flag, a disponibilidade em maratona do Gripen foi de 95%. No exercício de liderança europeu, o Gripen tcheco abateu rafale francês (fr3) e Typhoon austríaco (tranche 1), tanto em BVR quanto WVR.

    Um coronel da USAF que já voou em todos os aviões de lá dizer que o Typhoon é o melhor, tem mais peso que um da RAF que ele é o melhor, dado o bairrismo norte americano, sempre superlativo em relação as suas capacidades, e, o inglês estava falando da arena multi-função. Claro que o rafale é bom, tanto que a versão M foi considerada para os USNavy e Marines no lugar do super 'lobby' hornet e para a Royal Navy no lugar do f-35. Sendo que em exercícios conjuntos do cenário ar-ar, sistemas e capacidades dinâmicas do avião, pegando o novo rafale f3r x Typhoon tranche 3 a desvantagem é gritante pro francês, tanto que a frança só aceitou simular dogfight e mesmo assim com os Typhoon tranche 1 da Austria, ainda assim, o resultado não foi legal pra armee de l'air (5×1 pro Typhoon, se não me engano).

    O Desempenho do Typhoon na Líbia, apesar de não ser o Tranche 3 (o utilizado foi o tranche 2a) mesmo assim não foi nada sofrível. Não ser superior ao rafale por pouca coisa (e estava em ação o rafale f3) não quer dizer muita coisa tendo em vista os alvos que ambos atingiram. Nenhum enfrentou defesa aérea.

    Como o rafale, o Typhoon não é bom negócio pro brasil. É negócio para potências que buscam superioridade em Teatro de Operações forte. Como a Arábia Saudita no Oriente Médio. O que eu to dizendo que o rafale, apesar de ser um ótimo avião, não entrega mais que o Typhoon, e o último, na minha opinião e na de um certo número de pessoas, é o melhor avião de caça do mundo no momento, apesar de eu considerar o rafale é o melhor caça naval. Pra ser um grande interceptador falta a capacidade supercruise (que o Gripen tem à mach 1.1) e melhores ângulos de ataque e defesa em termos de perda e ganho de aceleração. O RCS (assinatura de radar) também é bastante inferior ao Typhoon, que o fazem uma arvore de natal em relação a ele (0.25m²/0.75m² x 1m²/1.25m²), chamariz pra missil. O do Gripen também é superior (0.5m²/0.75m²). E por último, o rafale jamais venceu f-22 em qualquer arena (ficou em 1 derrota e 5 empates no dogfight nos ceus europeus e nunca travou em BVR)

  153. Arábia Saudita, Omã e EAU não foram desenvolvedores do projeto. Compraram e selecionaram o avião sem código do software aberto, sem transferência qualquer de tecnolgia. "Apenas" pela sua performance.

    Não se trata de "apenas" alguns engajamentos. Trata-se da primeira aeronave que engajou F-22 na arena BVR e no dogfight não levou nenhum 'kill'.

    Na última red flag, a disponibilidade em maratona do Gripen foi de 95%. No exercício de liderança europeu, o Gripen tcheco abateu rafale francês (fr3) e Typhoon austríaco (tranche 1), tanto em BVR quanto WVR.

    Um coronel da USAF que já voou em todos os aviões de lá dizer que o Typhoon é o melhor, tem mais peso que um da RAF que ele é o melhor, dado o bairrismo norte americano, sempre superlativo em relação as suas capacidades, e, o inglês estava falando da arena multi-função. Claro que o rafale é bom, tanto que a versão M foi considerada para os USNavy e Marines no lugar do super 'lobby' hornet e para a Royal Navy no lugar do f-35. Sendo que em exercícios conjuntos do cenário ar-ar, sistemas e capacidades dinâmicas do avião, pegando o novo rafale f3r x Typhoon tranche 3 a desvantagem é gritante pro francês, tanto que a frança só aceitou simular dogfight e mesmo assim com os Typhoon tranche 1 da Austria, ainda assim, o resultado não foi legal pra armee de l'air (5×1 pro Typhoon, se não me engano).

    O Desempenho do Typhoon na Líbia, apesar de não ser o Tranche 3 (o utilizado foi o tranche 2a) mesmo assim não foi nada sofrível. Não ser superior ao rafale por pouca coisa (e estava em ação o rafale f3) não quer dizer muita coisa tendo em vista os alvos que ambos atingiram. Nenhum enfrentou defesa aérea.

    Como o rafale, o Typhoon não é bom negócio pro brasil. É negócio para potências que buscam superioridade em Teatro de Operações forte. Como a Arábia Saudita no Oriente Médio. O que eu to dizendo que o rafale, apesar de ser um ótimo avião, não entrega mais que o Typhoon, e o último, na minha opinião e na de um certo número de pessoas, é o melhor avião de caça do mundo no momento, apesar de eu considerar o rafale é o melhor caça naval. Pra ser um grande interceptador falta a capacidade supercruise (que o Gripen tem à mach 1.1) e melhores ângulos de ataque e defesa em termos de perda e ganho de aceleração. O RCS (assinatura de radar) também é bastante inferior ao Typhoon, que o fazem uma arvore de natal em relação a ele (0.25m²/0.75m² x 1m²/1.25m²), chamariz pra missil. O do Gripen também é superior (0.5m²/0.75m²). E por último, o rafale jamais venceu f-22 em qualquer arena (ficou em 1 derrota e 5 empates no dogfight nos ceus europeus e nunca travou em BVR)

  154. Bem, se você observar o boletim de engajamento no site da própria red flag vai ver que o IRIS-T saiu como uma das armas mais temidas do evento justamente por engajar em infravermelho em distâncias superiores a 50km. Por isso que os pilotos de Typhoon da Luftwaffe disseram “yesterday, we have had a Raptor salad for lunch.”

  155. 1-Rafale F3 começou a ser entregue no final de 2012 e estarão em ensaios até 2016, não estiveram na Libia.
    2 – O Unico que provou que dá conta do F-22 em exercícios, inclusive em DF, foi o Rafale.
    3 – Nenhum dos deltas canards te capacidade supercruise de fato
    4 – menos menos menos…

    segue o link do video do Rafale encaudadno o F-22, em df, em al-dafra… exercício que o Rafale F2 esfolou o Typhonn:
    http://www.youtube.com/watch?v=oGuWadoTgkE

  156. 1-Rafale F3 começou a ser entregue no final de 2012 e estarão em ensaios até 2016, não estiveram na Libia.
    2 – O Unico que provou que dá conta do F-22 em exercícios, inclusive em DF, foi o Rafale.
    3 – Nenhum dos deltas canards te capacidade supercruise de fato
    4 – menos menos menos…

    segue o link do video do Rafale encaudadno o F-22, em df, em al-dafra… exercício que o Rafale F2 esfolou o Typhonn:
    http://www.youtube.com/watch?v=oGuWadoTgkE

  157. 1-Rafale F3 começou a ser entregue no final de 2012 e estarão em ensaios até 2016, não estiveram na Libia.
    2 – O Unico que provou que dá conta do F-22 em exercícios, inclusive em DF, foi o Rafale.
    3 – Nenhum dos deltas canards te capacidade supercruise de fato
    4 – menos menos menos…

    segue o link do video do Rafale encaudadno o F-22, em df, em al-dafra… exercício que o Rafale F2 esfolou o Typhonn:
    http://www.youtube.com/watch?v=oGuWadoTgkE

  158. 1-Rafale F3 começou a ser entregue no final de 2012 e estarão em ensaios até 2016, não estiveram na Libia.
    2 – O Unico que provou que dá conta do F-22 em exercícios, inclusive em DF, foi o Rafale.
    3 – Nenhum dos deltas canards te capacidade supercruise de fato
    4 – menos menos menos…

    segue o link do video do Rafale encaudadno o F-22, em df, em al-dafra… exercício que o Rafale F2 esfolou o Typhonn:
    http://www.youtube.com/watch?v=oGuWadoTgkE

  159. 1-Rafale F3 começou a ser entregue no final de 2012 e estarão em ensaios até 2016, não estiveram na Libia.
    2 – O Unico que provou que dá conta do F-22 em exercícios, inclusive em DF, foi o Rafale.
    3 – Nenhum dos deltas canards te capacidade supercruise de fato
    4 – menos menos menos…

    segue o link do video do Rafale encaudadno o F-22, em df, em al-dafra… exercício que o Rafale F2 esfolou o Typhonn:
    http://www.youtube.com/watch?v=oGuWadoTgkE

  160. 1-Rafale F3 começou a ser entregue no final de 2012 e estarão em ensaios até 2016, não estiveram na Libia.
    2 – O Unico que provou que dá conta do F-22 em exercícios, inclusive em DF, foi o Rafale.
    3 – Nenhum dos deltas canards te capacidade supercruise de fato
    4 – menos menos menos…

    segue o link do video do Rafale encaudadno o F-22, em df, em al-dafra… exercício que o Rafale F2 esfolou o Typhonn:
    http://www.youtube.com/watch?v=oGuWadoTgkE

  161. Ok RR, vamos as futuras gerações cobrarão isso destes que se decidiram pelo. Gripen NG. Um avião que estará nos céus do Brasil para todos os desafios de hoje e do futuro, pelo menos 30 anos.
    Tomará que tenhamos mesmo acesso a toda tecnologia deste vetor e o principal, que aprendamos com isso.
    Olhos bem abertos, pois tem sindicalista no negócio, só espero que não tenha dinheiro na cueca :D.

  162. Sobre Typhoon x F22: http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo… "On one day a German pilot, recounting a succesfull mission ironically commented: 'yesterday, we have had a Raptor salad for lunch'.”

    Sobre delta-canard com capacidade supercruise, veja o teste da força aérea suíça, que os atingiu tanto no Gripen quanto no Typhoon (mach 1.1 e 1.4, respectivamente).

    Sobre esse "vídeo" as informações não tem muita credibilidade. Isso teria sido vazado por um piloto francês, e a turma da RAF, riu bastante quando disseram isso. Na hora que souberam disso, na Red Flag, gargalharam bastante.

    No exercício europeu subsequente, vejam só, a frança não levou seus rafales. Só m2000-5 que desculparam o caldo que levaram, por não serem de geração 4++.

    Afora isso, a dassault sofre para vender seu avião a qualquer outro lugar que não seja a armee de l'air, e mesmo assim, eles próprios não querem receber a produção anual atual (11 unidades).

  163. Sobre Typhoon x F22: http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo… "On one day a German pilot, recounting a succesfull mission ironically commented: 'yesterday, we have had a Raptor salad for lunch'.”

    Sobre delta-canard com capacidade supercruise, veja o teste da força aérea suíça, que os atingiu tanto no Gripen quanto no Typhoon (mach 1.1 e 1.4, respectivamente).

    Sobre esse "vídeo" as informações não tem muita credibilidade. Isso teria sido vazado por um piloto francês, e a turma da RAF, riu bastante quando disseram isso. Na hora que souberam disso, na Red Flag, gargalharam bastante.

    No exercício europeu subsequente, vejam só, a frança não levou seus rafales. Só m2000-5 que desculparam o caldo que levaram, por não serem de geração 4++.

    Afora isso, a dassault sofre para vender seu avião a qualquer outro lugar que não seja a armee de l'air, e mesmo assim, eles próprios não querem receber a produção anual atual (11 unidades).

  164. Sobre Typhoon x F22: http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo… "On one day a German pilot, recounting a succesfull mission ironically commented: 'yesterday, we have had a Raptor salad for lunch'.”

    Sobre delta-canard com capacidade supercruise, veja o teste da força aérea suíça, que os atingiu tanto no Gripen quanto no Typhoon (mach 1.1 e 1.4, respectivamente).

    Sobre esse "vídeo" as informações não tem muita credibilidade. Isso teria sido vazado por um piloto francês, e a turma da RAF, riu bastante quando disseram isso. Na hora que souberam disso, na Red Flag, gargalharam bastante.

    No exercício europeu subsequente, vejam só, a frança não levou seus rafales. Só m2000-5 que desculparam o caldo que levaram, por não serem de geração 4++.

    Afora isso, a dassault sofre para vender seu avião a qualquer outro lugar que não seja a armee de l'air, e mesmo assim, eles próprios não querem receber a produção anual atual (11 unidades).

  165. Sobre Typhoon x F22: http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo… "On one day a German pilot, recounting a succesfull mission ironically commented: 'yesterday, we have had a Raptor salad for lunch'.”

    Sobre delta-canard com capacidade supercruise, veja o teste da força aérea suíça, que os atingiu tanto no Gripen quanto no Typhoon (mach 1.1 e 1.4, respectivamente).

    Sobre esse "vídeo" as informações não tem muita credibilidade. Isso teria sido vazado por um piloto francês, e a turma da RAF, riu bastante quando disseram isso. Na hora que souberam disso, na Red Flag, gargalharam bastante.

    No exercício europeu subsequente, vejam só, a frança não levou seus rafales. Só m2000-5 que desculparam o caldo que levaram, por não serem de geração 4++.

    Afora isso, a dassault sofre para vender seu avião a qualquer outro lugar que não seja a armee de l'air, e mesmo assim, eles próprios não querem receber a produção anual atual (11 unidades).

  166. Sobre Typhoon x F22: http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo… "On one day a German pilot, recounting a succesfull mission ironically commented: 'yesterday, we have had a Raptor salad for lunch'.”

    Sobre delta-canard com capacidade supercruise, veja o teste da força aérea suíça, que os atingiu tanto no Gripen quanto no Typhoon (mach 1.1 e 1.4, respectivamente).

    Sobre esse "vídeo" as informações não tem muita credibilidade. Isso teria sido vazado por um piloto francês, e a turma da RAF, riu bastante quando disseram isso. Na hora que souberam disso, na Red Flag, gargalharam bastante.

    No exercício europeu subsequente, vejam só, a frança não levou seus rafales. Só m2000-5 que desculparam o caldo que levaram, por não serem de geração 4++.

    Afora isso, a dassault sofre para vender seu avião a qualquer outro lugar que não seja a armee de l'air, e mesmo assim, eles próprios não querem receber a produção anual atual (11 unidades).

  167. Sobre Typhoon x F22: http://theaviationist.com/2012/07/13/fia12-typhoo… "On one day a German pilot, recounting a succesfull mission ironically commented: 'yesterday, we have had a Raptor salad for lunch'.”

    Sobre delta-canard com capacidade supercruise, veja o teste da força aérea suíça, que os atingiu tanto no Gripen quanto no Typhoon (mach 1.1 e 1.4, respectivamente).

    Sobre esse "vídeo" as informações não tem muita credibilidade. Isso teria sido vazado por um piloto francês, e a turma da RAF, riu bastante quando disseram isso. Na hora que souberam disso, na Red Flag, gargalharam bastante.

    No exercício europeu subsequente, vejam só, a frança não levou seus rafales. Só m2000-5 que desculparam o caldo que levaram, por não serem de geração 4++.

    Afora isso, a dassault sofre para vender seu avião a qualquer outro lugar que não seja a armee de l'air, e mesmo assim, eles próprios não querem receber a produção anual atual (11 unidades).

  168. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  169. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  170. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  171. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  172. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  173. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  174. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  175. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  176. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  177. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  178. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  179. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  180. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  181. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  182. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  183. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  184. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  185. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  186. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  187. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  188. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  189. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  190. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  191. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  192. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  193. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  194. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  195. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  196. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  197. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  198. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  199. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  200. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  201. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  202. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  203. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  204. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  205. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  206. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  207. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  208. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  209. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  210. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  211. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  212. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  213. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  214. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  215. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  216. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  217. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  218. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  219. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  220. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  221. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  222. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  223. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  224. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  225. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  226. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  227. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  228. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  229. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  230. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  231. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  232. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  233. Este artigo abaixo é um choque de realidade para os defensores do Gripen NG. Pergunto, em 2018 é melhor termos 5x Gripen NG para defesa de grande parte do nosso espaço aéreo ou 5x Rafales ou 5x Super Hornets?
    Sem contar os riscos que o caça a ser desenvolvido pela Embraer e SAAB esteja realmente operacional nesta data. Hoje o carro chefe da Selex Galileo ainda não foi concluido, o AESA CAESAR.
    A escolha do Gripen NG não pensa a defesa do Estado, mas sim a defesa de interesses econômicos obscuros. http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Rob

  234. Atenção defensor do Gripen: Ao ler tal artigo, tenha em mãos uma caixa de lencinhos…hehehehe…

  235. Ivany, realmente a Tinha me esquecido das 72x unidades da Arabia Saudita e 12x de Omã, mas nada de EAU, onde ele foi desclassificado recentemente. Na Líbia, a função de ataque ao solo (a Força Aérea Líbia era inexistente) foi desempenhada pelos Panavia Tornado.
    Componentes da FAB que acompanharam a Red Flag 2009 relataram que os Suecos causram problemas por indisponibilidade de peças de reposição e falha do Gripen nas operações, o que parece ter sido aprendido neste ultimo ano no Alaska.
    Dois links para vc ler e raciocinar: http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Robhttp://www.planobrazil.com/franca-investe-1-bilha
    (Leia os comentarios)

  236. Ivany, realmente a Tinha me esquecido das 72x unidades da Arabia Saudita e 12x de Omã, mas nada de EAU, onde ele foi desclassificado recentemente. Na Líbia, a função de ataque ao solo (a Força Aérea Líbia era inexistente) foi desempenhada pelos Panavia Tornado.
    Componentes da FAB que acompanharam a Red Flag 2009 relataram que os Suecos causram problemas por indisponibilidade de peças de reposição e falha do Gripen nas operações, o que parece ter sido aprendido neste ultimo ano no Alaska.
    Dois links para vc ler e raciocinar: http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Robhttp://www.planobrazil.com/franca-investe-1-bilha
    (Leia os comentarios)

  237. Ivany, realmente a Tinha me esquecido das 72x unidades da Arabia Saudita e 12x de Omã, mas nada de EAU, onde ele foi desclassificado recentemente. Na Líbia, a função de ataque ao solo (a Força Aérea Líbia era inexistente) foi desempenhada pelos Panavia Tornado.
    Componentes da FAB que acompanharam a Red Flag 2009 relataram que os Suecos causram problemas por indisponibilidade de peças de reposição e falha do Gripen nas operações, o que parece ter sido aprendido neste ultimo ano no Alaska.
    Dois links para vc ler e raciocinar: http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Robhttp://www.planobrazil.com/franca-investe-1-bilha
    (Leia os comentarios)

  238. Ivany, realmente a Tinha me esquecido das 72x unidades da Arabia Saudita e 12x de Omã, mas nada de EAU, onde ele foi desclassificado recentemente. Na Líbia, a função de ataque ao solo (a Força Aérea Líbia era inexistente) foi desempenhada pelos Panavia Tornado.
    Componentes da FAB que acompanharam a Red Flag 2009 relataram que os Suecos causram problemas por indisponibilidade de peças de reposição e falha do Gripen nas operações, o que parece ter sido aprendido neste ultimo ano no Alaska.
    Dois links para vc ler e raciocinar: http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Robhttp://www.planobrazil.com/franca-investe-1-bilha
    (Leia os comentarios)

  239. Ivany, realmente a Tinha me esquecido das 72x unidades da Arabia Saudita e 12x de Omã, mas nada de EAU, onde ele foi desclassificado recentemente. Na Líbia, a função de ataque ao solo (a Força Aérea Líbia era inexistente) foi desempenhada pelos Panavia Tornado.
    Componentes da FAB que acompanharam a Red Flag 2009 relataram que os Suecos causram problemas por indisponibilidade de peças de reposição e falha do Gripen nas operações, o que parece ter sido aprendido neste ultimo ano no Alaska.
    Dois links para vc ler e raciocinar: http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Robhttp://www.planobrazil.com/franca-investe-1-bilha
    (Leia os comentarios)

  240. Ivany, realmente a Tinha me esquecido das 72x unidades da Arabia Saudita e 12x de Omã, mas nada de EAU, onde ele foi desclassificado recentemente. Na Líbia, a função de ataque ao solo (a Força Aérea Líbia era inexistente) foi desempenhada pelos Panavia Tornado.
    Componentes da FAB que acompanharam a Red Flag 2009 relataram que os Suecos causram problemas por indisponibilidade de peças de reposição e falha do Gripen nas operações, o que parece ter sido aprendido neste ultimo ano no Alaska.
    Dois links para vc ler e raciocinar: http://www.defesanet.com.br/fx2/noticia/13810/Robhttp://www.planobrazil.com/franca-investe-1-bilha
    (Leia os comentarios)

  241. Caro Wolf,

    Não estou falando em suspensão das 126 unidades. O que está acontecendo, se confirmado a compra de 18 Rafales de prateleira, é que isso acalmará os franceses, já que esses caças virão integralmente das oficinas francesas, e a produção local que deveria ficar a cargo da HAL só será negociado(se for) no próximo governo Indiano.

    E mais, como você se sentiria ao saber que ao invés da Embraer, quem montaria os Gripen seriam a Petrobrás? Pois é isso o que está acontecendo na Índia. Os franceses estão trabalhando para transferir apenas aperto de parafusos, como fazem na Apertaparafusobrás, digo Airbus Helicopters de Itajubá, conhecida vulgarmente por Helibrás.

    []'s

  242. Sim, ouvi falar dessa disponibilidade baixa na estréia. Mas ano passado eles deram show e foram voando da Suécia para o Alaska.

  243. O que me causa espanto é como a maioria dos canais de comunicação ditos especializados se deslumbram com o Gripen NG, e esquecem as reais necessidades da FAB. Devemos não contar com 120x, 160x unidades de caça FX-2. Precisamos de 5x caças de primeira linha para 2018, isso é um absurdo completo e o culpado maior é a própria FAB que deixou a situação se deteriorar desta forma.
    Logo a Forças Aéreas modernas precisam de números menores de caças, mas que estes possam realmente representar poder de dissuasão, impedindo aventureiros de tentar alguma investida inoportuna. Agora, o Gripen NG trás consigo o risco de não estar pronto conforme cronograma previsto, atrasar e finalmente não entregar as features prometidas, requisitadas. Meu Deus, nem um automóvel é entregue em três anos, levando-se todas as validações e homologações necessárias. Este é o principal problema da decisão pelo Gripen NG, estão enganando o povo, a todos. Agora vcs entendem o desespero
    Em mandar baixar Gripen C/D ou investimentos na defesas AA. Acredito totalmente que o GF jogou os bets com a FAB e entregará a defesa do espaço aéreo totalmente ao Exercito Brasileiro, o lado profissional das três forças, nada de deslumbramentos e champagne. Ninguém viu champagne no batismo do Guarani! Mas o viu no reçebimento dos C-95. Que a sorte que nos acompanhou até hoje, não nos abandone desta vez.

  244. Eu não sei porque tantos por aqui têm ódio do Gripen. A versão C/D já faz bonito nos exercícios mundo afora e recentemente foi aceita na força tarefa da OTAN, bem como, tem um histórico de sucesso nas F.A. em que opera (e a Africa do Sul não faz parte de um T.O. calmo). Fosse a versão C/D usada escolhida como "tampão definitivo", a situação já seria muito melhor que os mirage 2000 que alguns tanto idolatram!

    A frustração pela não escolha do rafale (a nota da dassault foi no minimo, deselegante) e do super lobby (a nota da boeing foi bem estratégica) parece ser muito maior aqui do que na cúpula dessas empresas.

  245. "Venezuela, que apregoa seu interesse pelo caro Rafale (mas deve optar por um modelo russo ou chinês)."

    A Venezuela tá iguarzinho a mim, tô querendo um Civic, mas male male consigo manter um gol G4 pé de boi!!!!

    Alguém avisa para o especialista ROBERTO LOPES, que ele esqueceu de digitar que virão Gripens C tampão

    "Antigo piloto de caças a jato da década de 1970 e 80, Saito sabe, perfeitamente, que já passou da hora de a Força Aérea se impor, e dissuadir traficantes de tóxicos, pilotos do crime transnacional (que servem ao contrabando de armas e à evasão de valores e de fugitivos da Justiça) e vizinhos atrevidos.

    Enfim, é preciso assustar."

    Ai …. ai …..Pra assustar traficante, precisa de Rafale ou SH??!!, para assustar traficante basta o piloto ter autorização de abate e para isso o ST e A1 dá conta do recado!!!!

    Vcs terão motivos para chorar se esse negocio da Índia não sair, bau bau Rafale!!!!

    As viúvas do Rafale choram de mais!!! KKKKKKKKK!!!!!!!!

  246. O Radar Aesa que vai equipar o Gripen E/F é o ES 05 Raven. E o chefe da Selex é a série Captor (M, P, E) do Typhoon.

  247. Giordani, basta fechar a caixa de diálogo que aparece. To lendo sem logar aqui, tranquilamente.

  248. Leia, ele já conta com os tampax, C/D ou algo de 3a geração usados, bem usados. Estamos perdendo o jogo e vamos apostar todas as nossas fichas em um jogador fora de forma, que estava no departamento médico até ontem… Esta é a questão, a situação atual não é para aventureiros, universitários, aprenderem como se faz avião de papel. Isso não é o harpia. Por isso no Prosup da Marinha ela descarta qualquer tipo de nave no papel, devem ser máquinas já consolidadas em suas marinhas. A FAB gosta de estourar champagne e só.