MiG-29fCaças indianos irão realizar disparos reais de AAMs de curto alcance de origem russa.

O exercício Integrated Test Range (Teste de Alcance Integrado – ITR) vai testar o poder de fogo dos mísseis ar-ar russos. Os disparos irão ocorrer sobre o mar nos dias 18, 20 e 22 de setembro.

Caças Su-30 e MiG-29 serão as plataformas usadas para acertar alvos que serão rebocados e liberados dentro da área de testes. Estes mísseis ar-ar foram adquiridos pela Índia da Rússia há vários anos. O teste desses mísseis destina-se a aferir a adequação e a eficiência das armas.

Esses mísseis russos têm a capacidade de engajar, de forma eficiente, alvos a uma distância de 15 km e uma altitude mínima de 6.000 m em menos de dez segundos. “Essas armas foram armazenadas por um longo tempo. Através deste teste pretende-se validar a sua eficiência. Os mísseis a serem utilizados foram selecionados aleatoriamente do lote”, disse um funcionário da defesa.

Esta missão é crucial para o IAF. No ano passado, a força aérea teve de encerrar o seu exercício de defesa quando três mísseis (russos) das cinco tentativas de engajar alvos aéreos falharam.

FONTE: The New Indian Express – Tradução e edição: CAVOK


Anúncios

29 COMENTÁRIOS

  1. Se fossem misseis Americanos/europeus/israelenses não poderiam falhar….

    Mas como são russos e tem pedigree, a gente deixa uma "margenzinha" de 60% de falha para esse teste também…

  2. e cada vez mais nitido que a India compra demais, compra mal e a corrupção e enorme! provavelmente por causa dessa ultima que ocorram os outros dois! não consigo entender a tamanha diversidade de aeronaves que a India tem, e irracional!

  3. MJBlaya,

    O indianos estão sim fazendo um esforço para racionalizar e padronizar a frota. O Rafale em particular visa substituir quase todas as demais aeronaves do inventário indiano; até mesmo uma parcela dos Flankers seriam substituídos por ele.

    No futuro, a FAI muito provavelmente terá sua espinha dorsal na forma do Rafale ( ataque ), com o FGFA fazendo uma ponta de lança ( conquistar e manter a superioridade aérea ), e o Tejas como uma solução de defesa aérea de menor custo, para tampar as lacunas dos demais em caso de desdobramento massivo. Três caças para três objetivos definidos…

  4. “Essas armas foram armazenadas por um longo tempo. Através deste teste pretende-se validar a sua eficiência. Os mísseis a serem utilizados foram selecionados aleatoriamente do lote”

    essa parte alguns comentaristas não leram, não se trata de serem misseis russos, mas sim do longo periodo de armazenamento, e pelo jeito deficiente! Talvez alguém possa nos dizer qual e a vida util de um missil ar-ar ocidental!

  5. sim, mas isso deverá aparecer em 10 ou 15 anos, nesse periodo os custos de manutenção das forças armadas indianos deverão ser astronômicos!

  6. Sempre existe uma justificativa para as falhas no equipamento russo.

    E ao contrário do que você está tentando demonstrar se trata sim "de serem misseis russos", pois existem vários outros casos de baixa performance e falta de controle de qualidade nos mísseis ar-ar e diversos outros equipamentos de origem russa.

    O mesmo histórico de falhas e defeitos também aconteceu na Alemanha reunificada, na Etiópia, no Oriente Médio e na própria Rússia.

    Sorte que a Índia é uma democracia onde o povo e resto do mundo tem acesso às informações e a verdade, ao contrário do que acontece na Rússia e China onde os meios de comunicação controlados só podem divulgar o Estado permite.

    Mas para quem tenta comparar um Mig-21 e Mig-29 com 2.500 horas de vida útil com F-16 e F-15 que voaram 5.500 horas em missões de verdade tudo é possível.

  7. que historico de falhas vc tem sobre Alemanha, Etiopia e oriente medio relacionado a longo armazenamento?

  8. no mesmo jornal tem uma materia sobre misseis terra-ar russos que falharam 3 em 5, falhas de simplesmente não conseguir o disparo, e o exercito indiano afirma que o problema e o longo armazenamento e obviamente mal feito!

  9. faça o seguinte, guarde misseis da raytheon de forma pouco apropriada e depois peça garantia aos americanos!

  10. É já pensou em fazer um pouquinho de pesquisa?

    O próprio comandante de Força aérea alemã afirmou que os R-27 tinha metade do alcance especificado pelo fabricante e que tais mísseis tinham baixa probabilidade de acertos.
    E se você não sabe na Etiópia o R-27 tem uma taxa de acerto inferior a 5%.

  11. Antes de Putin assumir o poder e bloquear a liberdade de imprensa, os próprios generais russos comentavam sobre a pouca confiabilidade dos mísseis usados por seus caças e outros equipamentos .
    E, como escrevi acima, na Etiópia os maravilhosos R-27 tiveram a espetacular taxa de acerto de um para cada vinte mísseis lançados deixando os pilotos de flankers obrigados a enfrentar o inimigo em combates aproximados.

    E o que você sabe sobre o armazenamento dos mísseis indianos? sabe se foram mal cuidados?
    O que você está tentando fazer é insinuar de ma fé que a culpa é sempre dos indianos pelas falhas nos equipamentos russos.
    Falhas nos motores, no Fly-by-wire e nos míssies são sempre responsabilidade da manutenção indiana mesmo que indianos acusem abertamente os russos pelos problemas.

    E é sabido que existem acordos de sigilo entre indianos e russos sobre problemas de seus equipamentos, mas, infelizmente para alguns, a imprensa na Índia é live e pode divulgar o que quiser.

    Faça um pesquisa sobre a eficiência das armas russas antes de tentar distorcer a informação.
    Tenho certeza que qualquer um que tenha estudado a mínimo possível sobre tecnologia russa sabe muito bem do histórico de ineficiência eletrônica do equipamento deles.
    http://en.wikipedia.org/wiki/R-27_(air-to-air_mis

    "In the 1999 Eritrean-Ethiopian War, Eritrean MiG-29s fought Ethiopian Su-27s both piloted by Russian mercenaries.[6] There were possibly as many as 24 R-27s fired by both sides. Only one R-27 fired by an Ethiopian Su-27 at an Eritrean MiG-29 proximity-fuzed near enough the MiG that the damaged aircraft eventually crashed on landing.[7][8]"
    Antes que digam que a Wiki ão é confiável existem várias outras fontes que confirmam essa afirmação.

    Também é bom lembrar que a Força aérea Russa orientava seus pilotos a sempre disparar dois mísseis de cada vez devido a sua baixa confiabilidade.

    Eu, pessoalmente, não acredito que o colega esteja tão desinformado ao ponto de ignorar todas as críticas sobre a qualidade das armas russas.

  12. Antes de Putin assumir o poder e bloquear a liberdade de imprensa, os próprios generais russos comentavam sobre a pouca confiabilidade dos mísseis usados por seus caças e outros equipamentos .
    E, como escrevi acima, na Etiópia os maravilhosos R-27 tiveram a espetacular taxa de acerto de um para cada vinte mísseis lançados deixando os pilotos de flankers obrigados a enfrentar o inimigo em combates aproximados.

    E o que você sabe sobre o armazenamento dos mísseis indianos? sabe se foram mal cuidados?
    O que você está tentando fazer é insinuar de ma fé que a culpa é sempre dos indianos pelas falhas nos equipamentos russos.
    Falhas nos motores, no Fly-by-wire e nos míssies são sempre responsabilidade da manutenção indiana mesmo que indianos acusem abertamente os russos pelos problemas.

    E é sabido que existem acordos de sigilo entre indianos e russos sobre problemas de seus equipamentos, mas, infelizmente para alguns, a imprensa na Índia é live e pode divulgar o que quiser.

    Faça um pesquisa sobre a eficiência das armas russas antes de tentar distorcer a informação.
    Tenho certeza que qualquer um que tenha estudado a mínimo possível sobre tecnologia russa sabe muito bem do histórico de ineficiência eletrônica do equipamento deles.
    http://en.wikipedia.org/wiki/R-27_(air-to-air_mis

    "In the 1999 Eritrean-Ethiopian War, Eritrean MiG-29s fought Ethiopian Su-27s both piloted by Russian mercenaries.[6] There were possibly as many as 24 R-27s fired by both sides. Only one R-27 fired by an Ethiopian Su-27 at an Eritrean MiG-29 proximity-fuzed near enough the MiG that the damaged aircraft eventually crashed on landing.[7][8]"
    Antes que digam que a Wiki ão é confiável existem várias outras fontes que confirmam essa afirmação.

    Também é bom lembrar que a Força aérea Russa orientava seus pilotos a sempre disparar dois mísseis de cada vez devido a sua baixa confiabilidade.

    Eu, pessoalmente, não acredito que o colega esteja tão desinformado ao ponto de ignorar todas as críticas sobre a qualidade das armas russas.

  13. Antes de Putin assumir o poder e bloquear a liberdade de imprensa, os próprios generais russos comentavam sobre a pouca confiabilidade dos mísseis usados por seus caças e outros equipamentos .
    E, como escrevi acima, na Etiópia os maravilhosos R-27 tiveram a espetacular taxa de acerto de um para cada vinte mísseis lançados deixando os pilotos de flankers obrigados a enfrentar o inimigo em combates aproximados.

    E o que você sabe sobre o armazenamento dos mísseis indianos? sabe se foram mal cuidados?
    O que você está tentando fazer é insinuar de ma fé que a culpa é sempre dos indianos pelas falhas nos equipamentos russos.
    Falhas nos motores, no Fly-by-wire e nos míssies são sempre responsabilidade da manutenção indiana mesmo que indianos acusem abertamente os russos pelos problemas.

    E é sabido que existem acordos de sigilo entre indianos e russos sobre problemas de seus equipamentos, mas, infelizmente para alguns, a imprensa na Índia é live e pode divulgar o que quiser.

    Faça um pesquisa sobre a eficiência das armas russas antes de tentar distorcer a informação.
    Tenho certeza que qualquer um que tenha estudado a mínimo possível sobre tecnologia russa sabe muito bem do histórico de ineficiência eletrônica do equipamento deles.
    http://en.wikipedia.org/wiki/R-27_(air-to-air_mis

    "In the 1999 Eritrean-Ethiopian War, Eritrean MiG-29s fought Ethiopian Su-27s both piloted by Russian mercenaries.[6] There were possibly as many as 24 R-27s fired by both sides. Only one R-27 fired by an Ethiopian Su-27 at an Eritrean MiG-29 proximity-fuzed near enough the MiG that the damaged aircraft eventually crashed on landing.[7][8]"
    Antes que digam que a Wiki ão é confiável existem várias outras fontes que confirmam essa afirmação.

    Também é bom lembrar que a Força aérea Russa orientava seus pilotos a sempre disparar dois mísseis de cada vez devido a sua baixa confiabilidade.

    Eu, pessoalmente, não acredito que o colega esteja tão desinformado ao ponto de ignorar todas as críticas sobre a qualidade das armas russas.

  14. Antes de Putin assumir o poder e bloquear a liberdade de imprensa, os próprios generais russos comentavam sobre a pouca confiabilidade dos mísseis usados por seus caças e outros equipamentos .
    E, como escrevi acima, na Etiópia os maravilhosos R-27 tiveram a espetacular taxa de acerto de um para cada vinte mísseis lançados deixando os pilotos de flankers obrigados a enfrentar o inimigo em combates aproximados.

    E o que você sabe sobre o armazenamento dos mísseis indianos? sabe se foram mal cuidados?
    O que você está tentando fazer é insinuar de ma fé que a culpa é sempre dos indianos pelas falhas nos equipamentos russos.
    Falhas nos motores, no Fly-by-wire e nos míssies são sempre responsabilidade da manutenção indiana mesmo que indianos acusem abertamente os russos pelos problemas.

    E é sabido que existem acordos de sigilo entre indianos e russos sobre problemas de seus equipamentos, mas, infelizmente para alguns, a imprensa na Índia é live e pode divulgar o que quiser.

    Faça um pesquisa sobre a eficiência das armas russas antes de tentar distorcer a informação.
    Tenho certeza que qualquer um que tenha estudado a mínimo possível sobre tecnologia russa sabe muito bem do histórico de ineficiência eletrônica do equipamento deles.
    http://en.wikipedia.org/wiki/R-27_(air-to-air_mis

    "In the 1999 Eritrean-Ethiopian War, Eritrean MiG-29s fought Ethiopian Su-27s both piloted by Russian mercenaries.[6] There were possibly as many as 24 R-27s fired by both sides. Only one R-27 fired by an Ethiopian Su-27 at an Eritrean MiG-29 proximity-fuzed near enough the MiG that the damaged aircraft eventually crashed on landing.[7][8]"
    Antes que digam que a Wiki ão é confiável existem várias outras fontes que confirmam essa afirmação.

    Também é bom lembrar que a Força aérea Russa orientava seus pilotos a sempre disparar dois mísseis de cada vez devido a sua baixa confiabilidade.

    Eu, pessoalmente, não acredito que o colega esteja tão desinformado ao ponto de ignorar todas as críticas sobre a qualidade das armas russas.

  15. Antes de Putin assumir o poder e bloquear a liberdade de imprensa, os próprios generais russos comentavam sobre a pouca confiabilidade dos mísseis usados por seus caças e outros equipamentos .
    E, como escrevi acima, na Etiópia os maravilhosos R-27 tiveram a espetacular taxa de acerto de um para cada vinte mísseis lançados deixando os pilotos de flankers obrigados a enfrentar o inimigo em combates aproximados.

    E o que você sabe sobre o armazenamento dos mísseis indianos? sabe se foram mal cuidados?
    O que você está tentando fazer é insinuar de ma fé que a culpa é sempre dos indianos pelas falhas nos equipamentos russos.
    Falhas nos motores, no Fly-by-wire e nos míssies são sempre responsabilidade da manutenção indiana mesmo que indianos acusem abertamente os russos pelos problemas.

    E é sabido que existem acordos de sigilo entre indianos e russos sobre problemas de seus equipamentos, mas, infelizmente para alguns, a imprensa na Índia é live e pode divulgar o que quiser.

    Faça um pesquisa sobre a eficiência das armas russas antes de tentar distorcer a informação.
    Tenho certeza que qualquer um que tenha estudado a mínimo possível sobre tecnologia russa sabe muito bem do histórico de ineficiência eletrônica do equipamento deles.
    http://en.wikipedia.org/wiki/R-27_(air-to-air_mis

    "In the 1999 Eritrean-Ethiopian War, Eritrean MiG-29s fought Ethiopian Su-27s both piloted by Russian mercenaries.[6] There were possibly as many as 24 R-27s fired by both sides. Only one R-27 fired by an Ethiopian Su-27 at an Eritrean MiG-29 proximity-fuzed near enough the MiG that the damaged aircraft eventually crashed on landing.[7][8]"
    Antes que digam que a Wiki ão é confiável existem várias outras fontes que confirmam essa afirmação.

    Também é bom lembrar que a Força aérea Russa orientava seus pilotos a sempre disparar dois mísseis de cada vez devido a sua baixa confiabilidade.

    Eu, pessoalmente, não acredito que o colega esteja tão desinformado ao ponto de ignorar todas as críticas sobre a qualidade das armas russas.

  16. Antes de Putin assumir o poder e bloquear a liberdade de imprensa, os próprios generais russos comentavam sobre a pouca confiabilidade dos mísseis usados por seus caças e outros equipamentos .
    E, como escrevi acima, na Etiópia os maravilhosos R-27 tiveram a espetacular taxa de acerto de um para cada vinte mísseis lançados deixando os pilotos de flankers obrigados a enfrentar o inimigo em combates aproximados.

    E o que você sabe sobre o armazenamento dos mísseis indianos? sabe se foram mal cuidados?
    O que você está tentando fazer é insinuar de ma fé que a culpa é sempre dos indianos pelas falhas nos equipamentos russos.
    Falhas nos motores, no Fly-by-wire e nos míssies são sempre responsabilidade da manutenção indiana mesmo que indianos acusem abertamente os russos pelos problemas.

    E é sabido que existem acordos de sigilo entre indianos e russos sobre problemas de seus equipamentos, mas, infelizmente para alguns, a imprensa na Índia é live e pode divulgar o que quiser.

    Faça um pesquisa sobre a eficiência das armas russas antes de tentar distorcer a informação.
    Tenho certeza que qualquer um que tenha estudado a mínimo possível sobre tecnologia russa sabe muito bem do histórico de ineficiência eletrônica do equipamento deles.
    http://en.wikipedia.org/wiki/R-27_(air-to-air_mis

    "In the 1999 Eritrean-Ethiopian War, Eritrean MiG-29s fought Ethiopian Su-27s both piloted by Russian mercenaries.[6] There were possibly as many as 24 R-27s fired by both sides. Only one R-27 fired by an Ethiopian Su-27 at an Eritrean MiG-29 proximity-fuzed near enough the MiG that the damaged aircraft eventually crashed on landing.[7][8]"
    Antes que digam que a Wiki ão é confiável existem várias outras fontes que confirmam essa afirmação.

    Também é bom lembrar que a Força aérea Russa orientava seus pilotos a sempre disparar dois mísseis de cada vez devido a sua baixa confiabilidade.

    Eu, pessoalmente, não acredito que o colega esteja tão desinformado ao ponto de ignorar todas as críticas sobre a qualidade das armas russas.

  17. "obviamente mal feito!"
    O jornal escreveu obviamente mal feito ou isso é conclusão sua?

    Parece mais óbvio que os russos ainda não conseguiram atingir o nível de controle de qualidade de ocidental.
    Já ouviu falar que nos tempos da união soviética o controle de qualidade da indústria russa não chegava nem perto da eficiência européia ou até mesmo brasileira? E que peças construídas em diferentes fábricas muitas vezes mal se encaixavam uma noutra? E sobre aeronaves com buracos e frestas na fuselagem pq os painéis não e alinhavam corretamente?

    Quando os russos atingirem os mesmos padrões de produção do ocidente isso deverá ser demonstrado com fatos e evidências e não através de boatos ou insinuações de fãs anti-americanos.

  18. a obviedade está no fato de que o disparos não ocorrerem por falhas que o proprio exercito indiano disse ser do armazenamento, portanto este foi mal feito, e uma questão de pensar! tente!

  19. como vc tem a limitação ideologica para pesquisar, veja da propria wikipedia sobre a ação na Etiopia: http://en.wikipedia.org/wiki/Air-to-air_missile

    Poorly-trained pilots are known to fire their missiles at maximum-range engagement with poor results. In the 1998–2000 Eritrean-Ethiopian War, fighters from both sides shot over a dozen medium-range R-27 (AA-10 Alamo) missiles at distance with little effect. But when better-trained Ethiopian Su-27 pilots gave chase and attacked with short-range R-73 (AA-11 Archer) missiles, the results were often deadly to the Eritrean aircraft. [1]

    Além do que, somente ingenuos para achar que cada missil disparado e um abate!

  20. como vc tem a limitação ideologica para pesquisar, veja da propria wikipedia sobre a ação na Etiopia: http://en.wikipedia.org/wiki/Air-to-air_missile

    Poorly-trained pilots are known to fire their missiles at maximum-range engagement with poor results. In the 1998–2000 Eritrean-Ethiopian War, fighters from both sides shot over a dozen medium-range R-27 (AA-10 Alamo) missiles at distance with little effect. But when better-trained Ethiopian Su-27 pilots gave chase and attacked with short-range R-73 (AA-11 Archer) missiles, the results were often deadly to the Eritrean aircraft. [1]

    Além do que, somente ingenuos para achar que cada missil disparado e um abate!

  21. como vc tem a limitação ideologica para pesquisar, veja da propria wikipedia sobre a ação na Etiopia: http://en.wikipedia.org/wiki/Air-to-air_missile

    Poorly-trained pilots are known to fire their missiles at maximum-range engagement with poor results. In the 1998–2000 Eritrean-Ethiopian War, fighters from both sides shot over a dozen medium-range R-27 (AA-10 Alamo) missiles at distance with little effect. But when better-trained Ethiopian Su-27 pilots gave chase and attacked with short-range R-73 (AA-11 Archer) missiles, the results were often deadly to the Eritrean aircraft. [1]

    Além do que, somente ingenuos para achar que cada missil disparado e um abate!

  22. como vc tem a limitação ideologica para pesquisar, veja da propria wikipedia sobre a ação na Etiopia: http://en.wikipedia.org/wiki/Air-to-air_missile

    Poorly-trained pilots are known to fire their missiles at maximum-range engagement with poor results. In the 1998–2000 Eritrean-Ethiopian War, fighters from both sides shot over a dozen medium-range R-27 (AA-10 Alamo) missiles at distance with little effect. But when better-trained Ethiopian Su-27 pilots gave chase and attacked with short-range R-73 (AA-11 Archer) missiles, the results were often deadly to the Eritrean aircraft. [1]

    Além do que, somente ingenuos para achar que cada missil disparado e um abate!

  23. como vc tem a limitação ideologica para pesquisar, veja da propria wikipedia sobre a ação na Etiopia: http://en.wikipedia.org/wiki/Air-to-air_missile

    Poorly-trained pilots are known to fire their missiles at maximum-range engagement with poor results. In the 1998–2000 Eritrean-Ethiopian War, fighters from both sides shot over a dozen medium-range R-27 (AA-10 Alamo) missiles at distance with little effect. But when better-trained Ethiopian Su-27 pilots gave chase and attacked with short-range R-73 (AA-11 Archer) missiles, the results were often deadly to the Eritrean aircraft. [1]

    Além do que, somente ingenuos para achar que cada missil disparado e um abate!

  24. como vc tem a limitação ideologica para pesquisar, veja da propria wikipedia sobre a ação na Etiopia: http://en.wikipedia.org/wiki/Air-to-air_missile

    Poorly-trained pilots are known to fire their missiles at maximum-range engagement with poor results. In the 1998–2000 Eritrean-Ethiopian War, fighters from both sides shot over a dozen medium-range R-27 (AA-10 Alamo) missiles at distance with little effect. But when better-trained Ethiopian Su-27 pilots gave chase and attacked with short-range R-73 (AA-11 Archer) missiles, the results were often deadly to the Eritrean aircraft. [1]

    Além do que, somente ingenuos para achar que cada missil disparado e um abate!

Comments are closed.