Su 30MK Vladimir Vorobyov 600x400 - Irã se prepara para ir as compras, e o caça russo Sukhoi Su-30 é o primeiro item da lista
Sukhoi Su-30MK / Foto: Vladimir Vorobyov

Provavelmente não há força aérea na história moderna que mereça mais crédito para a inovação e adaptação do que a Força Aérea Iraniana (IRIAF), que por mais de 35 anos tem lutado para manter em condições operacionais uma envelhecida frota de aeronaves, a maioria de fabricação americana, adquirida sob o reinado do Xá.

Na iminência da suspensão das sanções internacionais contra o país, por ocasião de um acordo internacional entre o Irã e seis potências mundiais – Estados Unidos, Reino Unido, França, China, Rússia e Alemanha, que visa limitar o programa nuclear iraniano, garantindo que o mesmo seja usado apenas para fins pacíficos, os militares iranianos já estão de olho na aquisição de sistemas de armas modernas, mais notadamente de uma nova aeronave de combate.

Por conta dos embargos, o atual regime viu suas contas bancárias em todo o mundo congeladas, impedindo Teerã de acessar mais de US$ 150 bilhões em recursos financeiros.

Com a suspensão das sanções programada para ser implementada progressivamente a partir do início de 2016, os iranianos se preparam para lançar mão desses recursos e partir para o que a imprensa internacional já tem chamado de “temporada de compras”. No topo da lista está uma grande quantidade de caças russos Sukhoi Su-30, da série “MK” (MK2, MKK). A aquisição dessas aeronaves permitirá à IRIAF aposentar a grande maioria dos antigos caças atualmente ainda em operação.

Su 30M2 600x400 - Irã se prepara para ir as compras, e o caça russo Sukhoi Su-30 é o primeiro item da lista
Sukhoi Su-30MK / Foto: Vladimir Vorobyov

Além dos Su-30, que devem se tornar a “espinha dorsal” da IRIAF, o Irã também vai receber da Rússia quatro divisões do sistema antiaéreo S-300PMU-2, cuja aquisição foi realizada no passado, mas não entregue devido a essas mesmas sanções.

Há dois aspectos muito significativos nessa disposição iraniana de realizar grandes aquisições militares junto ao complexo militar-industrial russo. O primeiro, e o mais importante, indica que o Irã decidiu fazer da Rússia o seu parceiro estratégico industrial, pelo menos por agora. Durante a MAKS 2015, realizada no último mês de agosto, quase não se viu a presença ocidental, em consequência das reações internacionais decorrentes da anexação russa da Crimeia. Essa ausência, entretanto, foi parcialmente compensada por um grande aumento na participação do Irã e outros clientes interessados em equipamentos russos.

A China, outro parceiro estratégico industrial chave do Irã, também esteve presente durante a MAKS deste ano. A IRIAF, inclusive, foi vista como potencial futura operadora para o caça de 4ª geração chinês Chengdu J-10, mas esta opção parece ter sido arquivada em favor de uma grande aquisição da Rússia.

Durante a MAKS, o vice-presidente iraniano, Sourena Sattari, que também é o responsável pela pasta de Ciência e Tecnologia do Irã, assinou uma série de acordos de cooperação com a Rússia, representada pelo ministro da Indústria e Comércio, Denis Manturov. Uma série de reuniões foi realizada, tendo sido acertada, inclusive, a produção conjunta, no Irã, de mais de um tipo de aeronave, embora os tipos específicos não tenham sido publicamente divulgados.

Su 30MK Dima Ivanov 600x400 - Irã se prepara para ir as compras, e o caça russo Sukhoi Su-30 é o primeiro item da lista
Sukhoi Su-30MK / Foto: Dima Ivanov

Os dois também discutiram ampliar a cooperação em diferentes áreas do setor aeroespacial e assinaram acordos que abrangem o desenvolvimento de centros de engenharia e parques industriais em ambos os países. Manturov fará uma visita oficial ao Irã após o Dubai Airshow, que se encerra no próximo dia 12, para participar da inauguração de uma exposição industrial russa em Teerã.

“Estamos de olho no mercado iraniano. Temos condições de fornecer automóveis, aviões, e equipamentos da construção naval e outras indústrias “, afirmou Manturov durante uma recente visita à cidade de Khabarovsk, no extremo leste da Rússia. “Estamos preparados para trabalhar em conjunto, em condições de cooperação, e no desenvolvimento de projetos conjuntos”, disse ele. “A Rússia tem grande interesse no mercado iraniano”, concluiu.

Coincidentemente, a região de Khabarovsk é também onde fica localizada a (KnAAPO – Komsomolsk-on-Amur Aircraft Production Association), uma das duas principais unidades de produção da Sukhoi na Rússia.

O segundo aspecto na disposição do Irã em realizar grandes aquisições de equipamentos russos é a indicação de que alguns programas nacionais foram abandonados, ou perderam a prioridade. Tanto o Azarakhsh, uma variante de engenharia reversa do Northrop F-5, quanto o Saeqeh uma variante com deriva dupla desenvolvida a partir do mesmo projeto, ambos desenvolvidos pela HESA, não são considerados adequados para atuar nos atuais cenários de combate aéreo. Outros caças como o Shafaq (que foi redesignado como Borhan) e o Qaher-313 também foram considerados inadequados, com este último tendo sido referido por muitos como sendo uma piada. Para estes dois projetos sequer foi construído um protótipo de voo.

De acordo com as informações disponíveis, as aquisições iranianas, além dos Su-30, devem contemplar uma quantidade ainda não declarada de aeronaves de transporte Ilyushin Il-76TD-90A, treinadores avançados e ataque leve Yakovlev Yak-130, além das aeronaves comerciais Sukhoi Superjet 100.

divider 1 600x25 - Irã se prepara para ir as compras, e o caça russo Sukhoi Su-30 é o primeiro item da listaFONTE: AIN

EDIÇÃO: Cavok, com informações de Rustam BogaudinovKuryer

Anúncios

60 COMENTÁRIOS

    • Mas sendo sincero, apesar de nada de stealth ele é mais bonito que o xing ling rs.

  1. Está provado a minha teoria que o Sputinik prática guerra de desinformação.

    Se vc está meramente a serviço da Rússia, esta reportagem é muito melhor que as mentiras de ontem.

    • vc não pode esperar nada de uma mídia do governo.. que é o caso do sputnik….. seria a mesma coisa que entrar no site do PT e acreditar em tudo de bom que eles tem feito.. rsrsr

      • O PT é um bom exemplo, contudo diversos meios de comunicação estão a serviço de países sem serem descarados. Dá pra fazer propaganda do seu governo e alfinetar os inimigos com vergonha na cara.

  2. Bom para o Irã…. Ruim para a máquina voadora mais linda das galáxias (Tomcat) que deverá para de desfilar nos ares dos Persas! Triste.

    • Mas que incrível seria se os F14 tivessem todos voando,ai imagine uma força aérea com F14 e Su 30,não é pra qualquer um.

    • É aqui nossos meios estão disponíveis a favor da corrupção, e não falo só de gov federal não, falo na escala federal, estadual e municipal. A roubalheira come solta nas prefeituras e o MP não tem nem gente disponível para investigar tanta gente.

      Enquanto isso "voamos" de F-5 desdentados de A-1 não modernizados e de AF-1 que voam duas vezes ao ano e de Super Tucano, que aliás se analisarmos em termos de número é a espinha dorsal da FAB".

      É difícil de engolir né! Mas pelo jeito o comando da FAB inventou algum jeito de engolir isso mais macio que nós!

      • Sim, levando em consideração custo horas de voo, a fab so pode voar ST em nº horas aceitáveis.
        Se o povo soubesse ou se interessa-se pela realidade, não iam ter tanta popularidade.

        • A questão não é dinheiro.

          Só o orçamento da FAB em 2014 era de quase o dobro do orçamento total da Suécia nas 3 forças.

          As FAs gastam mal.

      • Espinha dorsal nao é a aeronave mais numerica de uma força, mas sim a que, ao somar tecnologia, capacidades e tambem numeros e operacionalidade providencie a capacidade mais notável dessa mesma força, que no caso do Brasil deverá ser o F5… (:()

    • Caro Galileu, para manter sua saúde, abstrai os termos "estratégia brasileira" do seu vocabulário, mais saudável rs.

  3. Eu não acho que vão deixar o Irã se rearmar assim tão fácil, nem que os serviços secretos inventem algum incidente pra melar tudo.

  4. Pqp e nos de 40 mini caça digo mini pelo tamanho do Brasil.Como eu admiro o povo chines pela capacidade de fazer as coisas e não importa como,aqui somos tudo ricos grande putencia e ao mesmo tempo não somo nada.

  5. Se o Irã parado no tempo já assustava a Arábia Saudita, imagina com os flankers como vai ser.

  6. Com certeza o Irã vai comprar muitos equipamentos Russos depois que levantarem as sanções completamente.
    Irá será a força armada mais poderoso do Oriente Médio depois que levantarem as sanções impostas..

      • Israel?
        Ah, aquele que recebe quatro bilhões de dólares por ano em ajuda militar só dos EUA, sem contar da Europa e que mesmo assim levou um paL de 2(dois) mil homens do Hamas na última guerra, e que levou um paL do Hizbullah em 2006….sei, já ouvi que existem muitos vassalos dos EUA que adoram contar mentiras sobre a valentia de Israel.

        • Se o Estado fascista que você venera não recebe ajuda militar azar, quem mada ser elemento desestabilizador?

          Quem tomou uma senhora surra na Operação Protective Edge, tanto que teve suas infraestruturas reduzidas a pó, foi o Hamas e não Israel seu palhaço!

          E por falar em Israel foi o país que derrotou seus vizinhos em quatro guerras….

          Não é à toa que você tem problemas com as mulheres viu!?

  7. OFF* Semana de testes no KC390, estão voando novamente, hoje passaram mais alto…

  8. Vocês viram no site flightglobal.com, que é bastante sério, que Argentina vai assinar hj a compra de 14 Kfirs com radares AESA.

  9. Tá feito o BRIK. Agora o que falta para o Irã tirar a Arabia Saudita do mapa?

  10. nem adianta que a Embraer nunca poderá vender suas aeronaves ao Irã. Seriam bloqueados pelos Esatdos Unidos.

Comments are closed.