Iran Air ATR 72-600, Renderização - ATR
Iran Air ATR 72-600 / Renderização: ATR

Menos de uma semana após o anúncio da encomenda bilionária de 118 aeronaves comerciais do fabricante europeu Airbus, e dando segmento ao processo de reestruturação de sua frota, a cia aérea estatal iraniana Iran Air adquiriu 20 unidades do turboélice franco-italiano ATR 72-600.

Segundo a ATR, as negociações para o fornecimento das aeronaves foram iniciadas na semana passada, por ocasião da visita oficial do presidente iraniano, Hassan Rouhani, e do ministro iraniano dos Transportes e Desenvolvimento Urbano, Abbas Akhoundi, à Itália e França.

iranair
Farhad Parvaresh (esq), presidente e CEO da Iran Air, e Patrick de Castelbajac (dir), presidente e CEO da ATR, durante a assinatura do contrato ontem em Teerã / Foto: ATR

O negócio, no valor de  € 1 bilhão (US$1.1 billion) a preço de tabela, inclui opções para outras 20 aeronaves do mesmo modelo. A assinatura do contrato foi realizada ontem em Teerã numa cerimônia simples que contou com a presença dos presidentes e CEO da Iran Air e ATR, Farhad Parvaresh e Patrick de Castelbajac, respectivamente.

Com baixo consumo de combustível e fácil operacionalização em pistas curtas, o ATR 72-600 pode receber até 72 passageiros em configuração de alta densidade. A aeronave é propulsada por dois motores Pratt & Whitney Canada PW127F (hélice com seis pás) e possui alcance máximo de 899 milhas náuticas (1.665 km) com capacidade total passageiros.

ATR 72-600, Foto - DF31Airslides
ATR 72-600 / Foto: DF31Airslides, em caráter ilustrativo

RELEMBRE: 

divider 1

FONTE: ATR

EDIÇÃO: Cavok

Anúncios

12 COMENTÁRIOS

  1. Nossa, pensava que o ATR tinha sido parado de ser produzido!

    Será que ainda sai um 777 pro Iran mesmo com as dificuldades de negociação?

  2. Só está demorando pra sair os contratos de novos caças, seram esses caças russos ou chineses ?

  3. Airbus, Sukhoi, ATR, e a Embraer do super parceiro Brasil, pro final da fila, e estes bolivarianos PTistas foram criar caso com Israel, vai entender!?

    • Pois é, Wolf…

      Por isso nós temos feito questão de mostrar todos negócios do Irã na área da aviação, assim as pessoas podem ter uma noção do vazio diplomático que existe em relação ao Brasil, que no passado apoiou a causa errada. Ao contrário de Ahmadinejad, a quem o Brasil apoiou, e que era visto com maus olhos pelo ocidente, o atual presidente, Hassan Rouhani, é considerado um homem de diálogo. As possibilidades do Brasil colher algo junto a esse governo são mínimas, haja vista não fizemos nada para isso. Hoje, no Irã, o próprio Ahmadinejad é considerado persona non grata.

  4. Como é bom ter dinheiro. Ou ao menos crédito. Por enquanto só deu Europa. Será que o Tio Sam tem alguma carta na manga? Sem o aval do Obama para soltar as amarras iranianas, esse show de aquisições não estaria acontecendo.

  5. As negociações começaram 1 semana atrás e fecharam um negócio de 1 bilhão de dólares? Igualzinho lá na Índia!

  6. Nesse nicho de turboélice não tem muita opção mesmo não. Bom pra ATR. Um tempo atrás ouvi lamentações de oficiais da Força Aérea de a Embraer ter deixado de produzir esse tipo de avião…

  7. Realmente o mercado de turboélices ocidental é dominado pela ATR, o canadense DHC-8 vende pouco, o Casa 235 é difícil ouvir falar. Agora interessante era o Nurtanio N-250 da Indonésia, era muito parecido com o ATR mas não vingou, quem não conhece poderia até confundir os dois.

Comments are closed.