Israel pretendia adquirir cerca de uma dúzia de tiltrotores V-22 Osprey.

A Força Aérea de Israel não vai adquirir o V-22 Osprey da Boeing devido a questões orçamentárias.

Embora os militares acreditem que haja uma necessidade operacional de 12 a 14 aeronaves que possam decolar e pousar como helicópteros, mas que voam como aviões de asa fixa, não há dinheiro suficiente para adquirir a aeronave com rotor de inclinação (tiltrotor), conforme apurou o The Jerusalem Post.

O V-22 foi projetado para missões extensas e sensíveis em tempos de guerra e para uso rotineiro.

A Força Aérea de Israel está modernizando seus esquadrões de caças e helicópteros antigos e acredita que precisa haver uma mistura de helicópteros de carga pesada e o V-22, disse uma fonte de defesa no ano passado.

Como parte das novas aquisições financiadas em grande parte pelo Memorando de Entendimento assinado entre Jerusalém e Washington, que levaria Israel a receber US$ 38 bilhões em assistência militar na próxima década, Israel comprou dois esquadrões dos caças furtivos F-35 Adir e está atualmente decidindo entre os helicópteros pesados ??Chinook da Boeing ou CH-53K da Lockheed Martin.

A Força Aérea de Israel também deve decidir entre comprar um terceiro esquadrão de jatos F-35 ou o mais recente F-15EX da Boeing.

Como parte do novo plano plurianual das Forças de Defesa de Israel, o país terá um esquadrão de aviões de combate F-35 completo no próximo ano. Também visa abrir outro esquadrão avançado de caças F-15 ou F-35.

Israel expressou interesse pela primeira vez nos tiltrotores V-22 Osprey da Boeing em 2012. Dois anos depois, o Departamento de Defesa dos EUA notificou o Congresso sobre sua intenção de vender seis deles para Israel em um acordo no valor de US$ 1,13 bilhão.

Mas o contrato chegou na hora errada. A coalizão do governo de Israel caiu e, quando outra foi formada, seu orçamento de defesa era necessário para requisitos mais urgentes, como a tecnologia usada para detectar e destruir os túneis de ataque transfronteiriços do Hamas.

Autoridades do estabelecimento de defesa de Israel tiveram uma nova oportunidade de avaliar as capacidades da aeronave no ano passado, durante um exercício conjunto realizado com o Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA no sul do país. Em agosto, a Força Aérea de Israel emitiu uma solicitação de preço ao Gabinete de Programas Internacionais da Marinha dos EUA para a aeronave com rotor de inclinação.

Principalmente usado pelo Corpo de Fuzileiros Navais e pelo Comando de Operações Especiais da Força Aérea dos EUA desde que entrou em serviço em 2007, o V-22 passou por uma ação extensa no Afeganistão e no Iraque, apoiando missões de reação rápida e resposta a crises a longo prazo.

Com uma velocidade máxima de cruzeiro de 522 quilômetros por hora e uma capacidade de alcance estendido de 2.103 km sem reabastecimento, o V-22 permitiria que Israel chegasse a países vizinhos, como Iraque, Irã e Sudão.

A aeronave versátil de combate utiliza a tecnologia do rotor de inclinação, combinando o desempenho vertical de helicópteros (como decolagens e aterrissagens) com a velocidade, altitude e alcance dos aviões de asa fixa, tornando-os ideais para missões de operação especial, porque não precisam pistas.


Fonte: The Jerusalem Post

Anúncios