Israel declarou operacional seu primeiro esquadrão de caças F-35I Adir.

A Força Aérea de Israel declarou nesta quarta-feira que a sua frota de caças furtivos F-35 está operacional, menos de um ano depois de receber a primeira aeronave.

O chefe da Força Aérea de Israel (IAF), o general Amikam Norkin, disse que os aviões F-35, conhecidos em Israel como “Adir”, ou poderosos, darão a Israel novas capacidades que são necessárias para enfrentar os “desafios em constante evolução e complexos” no Oriente Médio.

“O anúncio da operacionalização da aeronave ‘Adir’ ocorre no momento em que a IAF está operando em grande escala em várias frentes em um Oriente Médio dinâmico”, disse Norkin em um comunicado.

O anúncio ocorreu após vários ataques na Síria atribuídos à Força Aérea de Israel no início da semana. Em pelo menos dois ataques ao longo de um período de 72 horas no início da semana, o regime sírio anunciou que lançou mísseis superfície-ar contra aeronaves israelenses.

Israel já recebeu 9 caças F-35I.

Israel não confirmou ou negou seu papel nos recentes ataques sírios. No entanto, insistiu publicamente que agiria para evitar que o Irã estabelecesse uma presença permanente no país devastado pela guerra, ao norte de sua fronteira.

Israel recebeu seus dois primeiros aviões de combate F-35 no final de dezembro de 2016. Nos 11 meses e meio, a força aérea tem colocado as máquinas no ritmo, treinando pilotos para voar e preparando tripulações para manter e consertar.

“O processo de recepção do Adir foi realizado por equipes dedicadas especialmente treinadas, que receberam nove aeronaves no ano passado”, disse um porta-voz militar em um comunicado.

O avião de combate de quinta geração foi elogiado como um “game changer” pelos militares israelenses, não só por suas capacidades ofensivas e furtivas, mas por sua capacidade de conectar seus sistemas com outras aeronaves e formar uma rede de compartilhamento de informações.

No entanto existem os que se opõem ao alto preço da aeronave: aproximadamente US$ 100 milhões cada. (O fabricante, Lockheed Martin, diz que o custo deverá diminuir à medida que mais países comprarem o F-35).

No mês passado, Israel recebeu dois jatos F-35 adicionais, elevando o tamanho de sua frota para nove aeronaves. Israel concordou em comprar 50 caças F-35 no total dos Estados Unidos. Os restantes 41 aviões serão entregues em parcelas de dois e três nos próximos anos.

Israel receberá 50 caças F-35I até 2024.

Os caças furtivos F-35 são operados pelo Esquadrão ‘Golden Eagle’ da IAF, com sede na Base Aérea de Nevatim, no centro de Israel.

Israel foi o primeiro país além dos EUA a receber o F-35, e defendeu a compra das aeronaves avançadas diante das críticas ao seu lento processo de produção, ao alto preço e aos inúmeros contratempos ao longo dos anos.

A encomenda inicial de 33 jatos F-35 deverá ser completamente entregue até 2021. Um segundo lote de 17 aviões que foi encomendado mais tarde deverá chegar em dezembro de 2024, disse o Ministério da Defesa.

Caças F-35I de Israel operam a partir da Base Aérea de Nevatim.

Israel recebe mais de US$ 3 bilhões por ano dos EUA em ajuda militar, e no ano passado, os dois países concordaram em um novo pacote de ajuda que verá que Israel receber US$ 3,8 bilhões anualmente até 2028, cuja grande maioria deve ser usada em compras de empresas de defesa dos EUA.


Fonte: Times of Israel – Edição: Cavok

9 COMENTÁRIOS

  1. Ora, com essa ajudinha de 3,8 bilhões de dólares por ano, seria uma tremenda burrice não comprar equipamentos militares dos EUA. Assim, até eu gostaria de ver esses aviões na FAB. De graça, até colírio no olho. Rsrsrs