Lockheed F-35 Lightning II. (Foto: Lockheed)

O jornal israelense The Jerusalem Post divulgou que o Ministério da Defesa de Israel disse aos Estados Unidos que somente vai comprar o caça stealth F-35 Lightning II se pelo menos 50% dos sistemas de aviônicos forem trocados por tecnologia fabricada em Israel.

A primeira preocupação dos EUA é a habilidade de Israel para instalar seus próprios sistemas de radar e de guerra eletrônica, mas até o momento os Estados Unidos se recusam a permitir o acesso aos códigos fontes dos sistemas da aeronave, assim como foi igualmente negado aos outros pedidos das nações participantes do programa JSF (Joint Strike Fighter).

Um outro problema é que os Estados Unidos vem recusando a ideia de Israel de efetuar as manutenções em seus futuros caças F-35 de forma independente. Através da atual proposta, se um cliente encontrar problemas de mal funcionamento mecânico, a aeronave deverá ser enviada para um centro de manutenção exclusivo, que estuda-se que seja criado na Itália.

De acordo com autoridades de Israel, o investmento para compra das aeronaves F-35 JSF só terá um bom custo benefício se as empresas de Israel tiverem algum retorno financeiro. Um exemplo foi o contrato da Israel Aerospace Industries que ganhou um contrato para produzir as estruturas principais das asas dos caças F-16 feitos pela Lockheed Martin, também a empresa dos caça F-35. Estima-se que cada caça F-35 custe cerca de US$ 130 milhões.

O artigo do jornal diz ainda que Israel acredita que terá uma aumento qualitativo da tecnologia de ponta sobre outros caças F-35 se puder instalar seus próprios sistemas de aviônicos.

Israel estuda adquirir 25 aeronaves F-35, mas a data ainda não está definida. Se houver um acerto sobre esses assuntos, estima-se que em seis meses o contrato deva ser assinado.

Fonte: The Jerusalem Post – Tradução e Adaptação do texto: Cavok

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

Comments are closed.