Um pacote de atualização para caças Gripen da SAAF foi oferecido pela Rafael. (Foto: © Saab AB)

A Força Aérea da África do Sul (SAAF) recebeu uma oferta de capacidades aprimoradas para seus caças Gripen com um conjunto de novos sistemas avançados desenvolvidos pela empresa israelense Rafael.

A empresa israelense oferece um conceito que alega que pode levar os caças a um padrão de geração 4.5 avançado, atualizando os diferentes sistemas. O conceito está sendo avaliado pela Força Aérea Indiana para seu caça Tejas.

O pacote de atualização que de acordo com a Rafael pode melhorar as capacidades do caça para um padrão de geração 4.5 inclui o sistema de rádio tático Rafael BNET, que de acordo com a empresa, oferece uma eficiência de alto espectro única, bem como capacidades cognitivas.

Os Gripens da SAAF já estão equipados com o pod designador de alvos Rafael Litening 3. A atualização proposta pela Rafael inclui o aprimoramento do Litening para sua versão 4.1.

A Rafael tem trabalhado de perto com a fabricante sueca Saab para oferecer o pacote de atualização para os usuários do Gripen.


FONTE: Defense Web

Anúncios

6 COMENTÁRIOS

  1. Israel é a Marcopolo da aviação. Não importa a procedência, o ano de fabricação ou o modelo. Se voa e leva armamento, eles estão disposição para uma personalização.

  2. Quando veremos esse pássaro voar pelos céus do Brasil?
    Parafraseando uma dupla bem conhecida:
    "Gripen NG, cadê você meu filho?"

    • Não é nenhuma novidade que a primeira aeronave só em 2019
      E isso já se sabe desde que assinamos o contrato
      Torcer não vai fazer a aeronave chegar mais cedo

  3. Depois que Israel desenvolveu os Nesher, Daggers, Kfirs, e Phanton 2000 pegaram gosto na coisa: Upgrades + Reconstrução + Cópias de aeronaves já operacionais e com grande sucesso diga-se de passagem.
    Até a USAF entrou na dos Kfirs ( F – 21 ) usando-os como agressores em treinamentos, mais upgrades virão por aí com certeza, e pena que o Lavi não entrou em operação, acharia mercados por aí !

  4. Isso é uma atualização de sistemas para combate, não é uma modernização da célula em si, coisa que Israel não tem condições de fazer atualmente nos Gripen, nem precisa.

Comments are closed.