Nos últimos 40 anos, alguns caças clássicos dos EUA foram vendidos para Israel. Esses jatos, que incluem o F-15 Eagle e o F-16 Fighting Falcon, foram a espinha dorsal da Força Aérea Israelense (IAF) por um tempo. Parece que os caças enviados a Israel são muito mais propensos a passar pelo teste real do combate.

Essa tradição se manteve fiel ao F-35 também. Em maio de 2018, os israelenses usaram o F-35 em combate – marcando o batismo de fogo avião. Exatamente quais alvos foram atingidos ainda não foram completamente divulgados, mas as Forças de Defesa de Israel (IDF) liberaram uma foto do avião sobre Beirute.

Somos os primeiros a usar o F-35 em combate no Oriente Médio“, disse o comandante da Força Aérea Israelense, Major-General Amikam Norkin, que também observou que mais de 100 mísseis foram disparados contra os aviões israelenses.

McDonnell Douglas F-15A Eagle de Israel, muito superior aos MiG-21 e 23 dos sírios. Na fuselagem, adiante do cockpit, estão as marcas de inimigos abatidos.

Enquanto o batismo de fogo do F-15 com Israel resultou na primeira vitória ar-ar do avião, o primeiro combate do F-35 foi contra as forças do governo sírio, apoiadas pelo regime radical iraniano e pelo governo russo. Este último, na ocasião, tinha deslocado para a Síria uma série de sistemas avançados, incluindo o SA-21 Growler, o novo caça multi-funções MiG-29K, o Su-34 Fullback e o Su-35 Flanker. A Rússia até deslocou seu porta-aviões para a área de combate (o que depois se mostrou um tremendo fiasco).

Os combates entre Israel e o regime sírio também abriram o caminho para a muito menos bem sucedida estreia em combate do sistema de mísseis Pantsir projetado pela Rússia. No que também parece tradição, os sistemas russos encontram um campo de testes no Oriente Médio – e falham miseravelmente. Em 1982, os militares sírios usaram tanques de batalha T-72 em um esforço para deter as operações israelenses no Líbano. Os T-72 se saíram mal na batalha, uma indicação inicial de que eles não correspondiam à campanha publicitária.

O uso israelense do F-15 e do F-16, no entanto, pressagiou o sucesso norte-americano na operação Tempestade no Deserto. O sucesso do F-35 poderia ser o mesmo tipo de prenúncio?


Com informações de We Are The Mighty


IMAGEM de capa: F-35I ‘Adir’ sobre Beirute (Crédito: Força Aérea de Israel).

Anúncios

78 COMENTÁRIOS

  1. A despeito de toda a qualidade dos equipamentos americanos, o sucesso da Força Aérea de Israel se deve principalmente ao treinamento, doutrina e estratégia militar inigualável dos israelenses.
    Vale também lembrar do sucesso que tiveram com os Mirage III franceses.
    Até me arrisco a dizer que teriam os mesmos resultados caso usassem os mesmos equipamentos dos inimigos (MIG-21, MIG-23 etc..)
    Qualquer coisa diferente disso não é opção, não fosse assim, pelas características geográficas completamente desfavoráveis, já teriam sido varridos do mapa a muito tempo.

  2. Por enquanto os F-15 e F-16 tem dado conta do recado com margem de sobra, vista o fato dos F-16 estarem passeando sobre o S-300 e atingindo o que querem na Síria. E só não destruíram o S-300 ainda porque não quiseram.
    Quando resolverem usar o F-35 pra valer, é de se esperar resultados acachapantes contra os inimigos.

    E sobre os equipamentos russos levarem a pior, isto é tradição, basta vermos os números de todos os conflitos nos quais foram utilizados.
    E não é que sejam todos tão ruins, alguns são realmente muito bons, mas na maioria dos casos os equipamentos ocidentais tem um nível de refinamento de projeto e de superioridade tecnológica bem acima do estilo "pé de boi" dos russos.

    • Os usuários dos equipamentos russos também não tem o mesmo nível de treinamento dos americanos ou israelenses.

      • Junte a isso o suporte deficitário fornecido pelos russos. Não só no que tange à manutenção do equipamento, mas também à doutrina e treinamento. Tanto que é comum ver equipamento russo sendo operado em outros países por russos.

        • Rolava uma história que dependendo da fábrica onde era produzido o equipamento, o ferramental, medidas e tudo o mais diferia entre si, gerando um pesadelo logístico.

      • Os russos sempre colocaram a culpa nos clientes, mas os próprios pilotos russos em uniforme egípcio tomaram pancada dos israelenses.

        A verdade é que o equipamento russo está 20 anos atrasado na eletrônica, furtividade e motores.

        Falta verba para refinar os projetos, a qualidade da produção não é boa e o suporte TB.

      • Sem dúvida. Já na guerra da Coréia o nível de treinamento e estratégias de combate empregadas pelos pilotos dos EUA se sobressaíram frente aos pilotos norte coreanos, russos e chinos, além da superioridade tecnológica da mira com radar com telemetria do F-86.
        E no caso de Israel há o tremendo diferencial de estarem cercados por inimigos que querem exterminá-los, e que já provaram e continuam provando isto na prática.
        E se formos analisar como se saíram em conflitos os diversos povos ao longo dos séculos, de acordo com as características particulares e intrínsecas de cada um, veremos que enquanto alguns sempre tiveram certas qualidades e tendências que os colocaram em vantagem frente aos adversários, outros sempre tiveram certas qualidades e tendências que os colocaram em desvantagem, como o baixo nível de organização, estratégias de combate medíocres, treinamento medíocre, falta de tenacidade, desunião, etc. É algo que vai além de possuir bons equipamentos e bom treinamento.

  3. Site We are the mighty, deve ter o nível do Sputnik russo…pura propaganda…

    • O fato é que as operações israelenses continuam após a entrega do S300.

      Foram entregues em outubro e até agora nada.

      • A Síria recebeu em outubro três batalhões de S300 com 300 mísseis.

  4. O F-35 segue a tradição americana em fornecer aeronaves robustas, capazes militarmente e confiáveis! Vejam os Blackhawks comparados aos Eurocopters… Ferro bruto para operar no deserto, selva, gelo e tomando chumbo! Não se pode dizer o mesmo de equipamentos Europeu ou Russo… Basta perguntar a qualquer piloto militar de qual procedência eles preferem receber seus equipamentos…

    • A indústria de defesa americana usa a experiência em combate para aprimorar seus produtos.

      Por isso, não levo fé em equipamento chinês, particularmente os mais complexos.

  5. É preciso ter cuidado com generalizações. Alguns equipamentos russos são muito bons, bem superiores aos americanos. Exemplo disso são os fuzil Ak-47, que eram tão bons que soldados americanos no Vietnam preferiam usá-los em lugar dos F16.
    Também no Vietnam, foram derrubados mais de dez mil aviões e helicópteros americanos por misseis e canhões antiaéreos fornecidos pelos russos, e, no caso dos misseis, operados por russos.
    Na guerra da Coréia, os Mig 15 eram superiores aos caças americanos, inclusive os maiores ases daquela guerra foram pilotos russos, que participaram daquela guerra secretamente.
    Na Segunda Guerra Mundial, os alemães, tão desenvolvidos tecnologicamente, foram surpreendidos pelos tanques T-34 e KV-1, muito superiores aos carros de combate alemães.
    Na guerra do Yom Kippur, os mísseis russos derrubaram dezenas de caças israelenses, levando estes ao desespero.
    Além disso, os equipamentos exportados pelos russos tem sua performance degradada, sendo inferiores aos mesmos equipamentos usados nos serviços russos.
    Sem contar que os usuários dos equipamentos russos no exterior são países atrasados, cujos militares tem dificuldade de operar equipamentos sofisticados modernos.
    Vale lembrar que os Estados Unidos perderam a guerra do Vietnam, empataram na da Coréia, e só podem dizer que venceram a Segunda Guerra porque os russos quebraram a espinha dorsal do exército alemão.

    • No Vietnam, além do espaço limitado, das aéreas proibidas, todo mundo sabia o corredor que as aeronaves de ataque usariam. Aí até eu.

      Quando se tem que recorrer a guerra da Coréia e a 2 guerra mundial, a coisa tá feia.

      Não havia eletrônica nessa época. Da década de 70 pra cá, os russos ficaram pra trás.

      • ? verdade que os russos receberam uma grande quantidade de equipamentos não só dos Estados Unidos, mas também da Inglaterra. Mas, no que se refere a armas (tanques e aviões, principalmente), eram de má qualidade, e se dependesse de tais armas, os russos teriam perdido a guerra.

        O que realmente foi útil foram os fornecimentos de matérias primas, de combustíveis e de caminhões. As matérias primas e os combustiveis foram necessários, devido à grande perda de território e de recursos que os russos sofreram no início da guerra, por causa do despreparo do seu exército, por conta dos expurgos de milhares de oficiais bem treinados, em decorrência da paranóia do Stalin. Sem contar que, por ordem do ditador, as unidades russas de fronteira abandonaram as sólidas fortificações da fronteira antiga para se posicionarem nos países bálticos e na parte da Polônia recentemente conquistados.

        Quanto aos 400 mil caminhões, permitiram que os russos se concentrassem na fabricação de tanques, em que excederam muito a quantidade fabricada pelos americanos, e com qualidade superior. Esses caminhões permitiram a motorização das unidades russas, fazendo que avançassem com mais rapidez. Mas o avanço ocorreria de qualquer forma, lembrando que o exército alemão ainda era em grande parte hipomóvel.

        Também é verdade que morreram muito mais soviéticos que alemães, mas isso só demonstra a dureza do povo russo, pois perdeu 30 milhões de habitantes, e ainda assim venceu a guerra.

        Quanto à guerra da Finlândia, que aliás os russos venceram, foi realmente uma vergonha para eles, devido à incompetência de seus comandantes e ao heroísmo dos finlandeses. Mas um pouco antes, em Khalkhin Gol, na Mongólia, um exército russo bem equipado e comandado deu uma surra no exército japonês, de modo que este desistiu de invadir a Sibéria, e foi atacar os americanos, ingleses e holandeses, a quem derrotaram seguidamente durante seis meses, até a sorte da guerra começar a mudar.

        Esse mesmo exército siberiano depois foi enviado para defender Moscou, salvando a capital soviética quando os alemães já estavam vendo as torres do Kremlin.

      • No Vietnam, havia áreas que não podiam ser atacadas, mas só nos primeiros anos da guerra. Depois os ataques sobre Hanói e o porto de Haiphong foram liberados, assim como sobre a trilha de Ho Chi Min, inclusive nos trechos que passavam pelo Camboja e pelo Laos.

        Se se pode falar da guerra do Vietnam, porque não se pode comentar sobre a guerra da Coréia, que terminou poucos anos antes de a guerra do Vietnam começar? Por sua vez, a Segunda Guerra terminou 5 anos antes da guerra da Coréia começar.

        Quanto a eletrônica, é algo que já existe desde antes da Segunda Guerra, ou radares não são equipamentos eletrônicos? E se a eletrônica embarcada nos aviões americanos é superior à dos russos, o que é verdade, os equipamentos de guerra eletrônica russos são muito superiores aos americanos, basta ver a choradeira dos generais americanos com a derrubada dos drones dos Estados Unidos pelos russos na Síria e na Ucrânia.

        • A eletrônica russa é fantástica. Vemos milhares de produtos russos inovadores no mercado.

          Não sabem projetar um chip comercial, mas os computadores embarcados nas aeronaves é maravilhoso.

          • Menos Eduardo, menos…
            Também não sou fã número 01 de russos e acredito sim que os americanos estão muito a frente, mas alguns fatos não há como negar.
            A Rússia foi a primeira nação a enviar satélites ao espaço, já enviou seres humanos, até pouco tempo tinha uma estação espacial própria, fabrica alguns dos reconhecidamente melhores caças do mundo, instalaram o primeiro radar AESA em um caça, têm o domínio da tecnologia nuclear a décadas.. etc.. etc..
            Isso tudo mesmo com você, eu e a torcida do flamengo gostando ou não..
            Acredite, nenhuma nação se torna um potência bélica plena, por puro acaso.
            Insinuar que eles estão na idade da pedra sem domínio dessas tecnologias, não vai acrescentar nada à discussão.
            Vira esse disco..

            • O assunto é eletrônica, motores e furtividade.

              Nessas três áreas, estão vinte anos atrasados.

              As tecnologias que vc citou, foram desenvolvidas na URSS (estação espacial, satélites e armas nucleares).

              Os caças são os mais abatidos do mundo.

              • Quanto a eletrônica, os russos são superiores na guerra eletrônica.

                Em motores, a inferioridade pode se referir à duração dos motores russos, mas não à potência.

                Quanto à furtividade, os americanos são superiores, sem dúvida, mas essa característica não torna uma aeronave invulnerável, quando se está a combater um inimigo capaz. Basta lembrar do F-117 abatido pelos sérvios usando equipamentos fabricados na União Soviética.

                Quanto aos caças que seriam mais abatidos, você deve estar se referindo aos caças soviéticos (degradados em relação aos que eram usados na União Soviética) usados por militares mal treinados de paises do terceiro mundo. Ou você já ouviu falar de um Su-30, Su-34 ou Su-35 abatido?

                • Guerra eletrônica são sensores, emissores e processamento.

                  Os americanos tem os melhores processadores do mundo.

                  Desconheço emprego maciço de guerra eletrônica em campanha pelos russos.

                  O mais potente motor de caça do mundo é o F110. O mais potente geral é o GE9X.

                • Sem dúvida, os americanos possuem os melhores processadores do mundo. Quanto às potências dos motores russos, eu disse apenas que eles também possuem motores potentes, mesmo que no momento os americanos tenham os mais potentes.

                  Quanto à guerra eletrônica, os próprios americanos admitem que os equipamentos russos são superiores aos deles. Na Síria e na Ucrânia, eles tem sido muito utilizados, com os generais americanos na Síria reclamando que seus drones são constantemente derrubados pelos russos.

                  Esqueci de comentar num post anterior que não há dúvida de que os Estados Unidos perderam a guerra do Vietnam. Guerras são travadas por um objetivo político. O objetivo do governo americano era impedir a absorção do Vietnam do Sul pelo Vietnam do Norte.
                  Tal objetivo não foi conseguido, mesmo depois de oito anos de guerra, mais de 50 mil americanos mortos e muitos mais feridos, e enorme quantidade de material perdido.
                  Hoje, só existe um Vietnam, e sua capital não é Saigon (que aliás mudou de nome para Ho Chi Minh), mas Hanói, anteriormente capital do Vietnam do Norte.

                • Derrota soviética: de 14 a 26.000 mortos.

                  Mais de 50.000 feridos

                  E saíram de lá com o rabo entre as pernas.

                  Lembrando que os americanos venceram os talibãs.

                • Os soviéticos foram derrotados no Afeganistão, realmente.

                  Os talib?s foram retirados do governo pela Aliança do Norte, usando armamento fornecido pela Rússia, a pedido dos americanos. Os Estados Unidos apoiaram com ataques aéreos e forças especiais.

                  Além do mais, ao contrário do que você diz, os talib?s não foram derrotados. Ainda estão lutando, e estão vencendo.

                  Agora mesmo está havendo negociações, para permitir mais uma retirada dos Estados Unidos, a fim de dizerem que não foram derrotados.

                  Provavelmente é só questão de tempo para os talib?s retornarem ao poder no Afeganistão.

                • Russos são superiores na guerra eletrônica com base em três ou quatro notícias da internet?

                  Daí o cara pergunta sobre caças que nunca entraram em combate? Como poderiam ser abatidos?

                • Eu não li 3 ou 4 not?cias na internet afirmando a superioridade dos equipamentos de guerra eletrônica russos.

                  Eu acompanho sites como http://www.nationalinterest.org e jamestown.org. Se você procurar neles, vai encontrar artigos sobre isso. E são sites americanos sérios.

                  Os caças Su-30 entraram em combate recentemente, utilizados pela Índia contra o Paquistão.

                  Quanto a entrar em combate com os caças da Força Aérea Russa, não falta oportunidade, já que a Rússia tomou territórios de aliados americanos como a Ucrânia e a Geórgia. Há pouco tempo os russos apreenderam 3 navios ucranianos. Porquê os Estados Unidos não intervém e obriga a Rússia a devolver os territórios e os navios?

                  A resposta é muito simples: falta coragem. Os americanos são muito valentes, mas só contra "grandes potências" como o Iraque, a Síria, Panamá e Granada.

                  Se entrassem em combate com um país como a Rússia, aí poderíamos ver quão poderosos eles e seus equipamentos realmente são, a começar pelos F-35, que com mais de 900 defeitos não sanados, talvez nem precisem de combate aéreo com caças russos para caírem.

                • Idem.

                  Os americanos não estavam na Síria que é aliada russa?

                  Por que não abateram as aeronaves americanas?

                  Por que não foram lá expulsar os americanos?

                  Falta coragem.

                • Idem 2. Sao muito valentes contra Ucrânia, Geórgia, Chechênia, Isil…

                  Quero ver atacar um país que possa se defender.

                • Na Chechênia foi outro vexame russo pois levaram uma tremenda sova perdendo milhares de blindados e muito mais homens que as forças tremendamente inferiores dos chechenos, e foram descontar a vergonha matando 100 mil civis inocentes com seus bombardeios em áreas de habitações.
                  Um documentário feito pelas proprias "forças especiais", aquelas mesmas que mataram centenas de reféns para liquidar sequestradores num teatro, sendo alvos de tiro ao pato na Chechênia: https://youtu.be/WebLG53nHCU

                • É verdade, são países fracos.Mas os russos os atacaram para se defender.Se a Ucrânia e a Geórgia não tivessem tentado entrar na OTAN, não teriam sofrido invasões. Com isso, a Russia vetou a entrada dos dois naquela aliança.

                  Se uma potência extra-continental tentar cercar o Brasil utilizando um país vizinho, acho que a gente deve invadir o tal país, como autodefesa.

                • É verdade. Também falta coragem aos russos, já que o resultado final iria ser a destruição da Rússia, assim como a destruição dos Estados Unidos e do resto do mundo.

                  Só me referi å falta de coragem dos americanos por causa da propaganda que fazem de ser tão superiores. Se acreditassem mesmo na própria propaganda, então atacariam os russos, mas não o fazem, por que haveria o troco.

                • Desde que Putin assumiu a Rússia também vive de propaganda, talvez você seja muito novo mas antes dele chegar havia inúmeras críticas sobre o equipamento deles. Desde político chamando Su-27 de dinossauro ultrapassado até militares chamando os tanques de lixo. Teve críticas sobre inúmeras falhas nos equipamentos fornecidos as forças armadas e aos seus aliados como também problemas no suporte mesmo dentro da Rússia.

                  Putin calou a boca de todo mundo, em parte mudando as coisas em outra proibindo as pessoas de falar.

                  Mas concordo com você que os equipamentos modernos deles devem ser muito bons sim e, em alguns casos, superar os ocidentais.

                • A realidade do exército russo é o T72, BTR-80 e BMP-2. São milhares. Tecnologia da década de 70 atualizada para anos 80.

                  Armata são dezenas.

                  A realidade da marinha são Destroyers soviéticos.

                  O resto é maquete para feira.

                  Equipamento novo e em quantidade só na força aérea. O resto é pontual.

                • Amigo, russos e norte americanos se enfrentaram na Coréia com jatos similares, e depois que abriram os arquivos da URSS, soube-se que o placar a favor do F-86 contra o Mig-15, que se supunha ser de 14×1 era na verdade de 10×1. Uma surra e tanto não? E até veteranos russos foram abatidos por novatos dos EUA.
                  Esta sua defesa russófila apaixonada em todos estes comentários está repleta de afirmações sem base na realidade, como é hábito recorrente de vocês.

                • Paulo, a diferença real foi de 7 a 1, para os americanos.

                  Mas enquanto os americanos enfrentaram veteranos russos da Força Aérea Soviética, perderam a maioria dos combates.Tanto que os maiores ases da guerra da Coréia foram pilotos russos.

                  Só que, por influência política do comandante da Força de Defesa Aérea (os soviéticos tinham duas forças a?reas), destinada a derrubar bombardeiros, os pilotos da Força Aérea foram retirados e substituídos por pilotos da defesa aérea que não tinham treinamento em dogfight. O resultado é que mesmo os pilotos russos começaram a perder os combates.

                  Mas a maioria do placar de 7 a1 é devido aos pilotos chineses e norte-coreanos, muito mal treinados.

                • Aquela época do canhão, do caça subsônico, do dogfight…

                  Beatles era um sucesso.

                • Esqueci de comentar que não sou propriamente russófilo. Nem conheço a Rússia, enquanto já fui duas vezes aos Estados Unidos, e não foi só Miami e Orlando. Fiz duas viagens por terra, de Miami a Nova Iorque e de através dos estados de Nevada, Arizona e Las Vegas. Minhas músicas preferidas são americanas, assim como meus filmes e séries prediletos.

                  Mas não é por isso que tenho de engolir a propaganda americana. Na verdade, até os sites, livros e revistas sobre assuntos militares e diplomáticos que leio são americanos.

                  Na verdade, sou "braseilirófilo", já que me considero nacionalista ferrenho.

                  Meu sonho é que um dia o Brasil venha a ter um poder militar equivalente ao dos russos e americanos.

                • Esse argumento de não tem coragem (como se a Rússia tivesse e seus caças fossem um sucesso em combate) aí fica difícil.

                • Falta coragem?

                  Vão começar a terceira guerra mundial por causa de coragem!!!

                  Por essa lógica por que a Rússia não invade a Ucrânia e pega o território para ela?

                  Su-30 viu um combate e nem abateu nada mesmo tendo disparado contra os F-16 segundo uma das várias versões que os indianos divulgaram. E se escapou de um míssil foi por conta e um ECM feito em Israel.

                  Quando falaram em superioridade em guerra eletrônica não estavam falando de aviação e sim das tropas no solo. Realmente falaram isso porque eu também li.

            • russos n instalaram o primeiro radar aesa em caça, eles foram os primeiros a instalarem um radar de varredura eletronica, mas era um pesa, o primeiro aesa foi instalado pelos japoneses no F-2

        • Coréia x Vietnam
          – Gerações de aeronaves
          – mísseis
          – radares e AA

          No Vietnam estão presentes os elementos da guerra aérea moderna.

          Depois do ataque a Hanói, foi feito o acordo para a retirada. Os americanos iniciaram a saída.

          • "Porque na 2 guerra o T34"

            O T34 não está operacional. O emprego de CC hoje é completamente diferente.

            Não discuto motor a pistão, eletrônica valvulada…

            Estão obsoletos.

            • Se for falar em obsoletismo, então vamos jogar o F-22 fora. A eletrônica dele já está obsoleta.

              O B-52 é mais velho que os pais dos pilotos que os comandam, mas ainda ? útil.

              Quanto a falar de guerras antigas, são elas onde encontramos enfrentamentos diretos, com tiroteio, entre russos e americanos (casos das guerras da Coréia e do Vietnam).

              As guerras atuais são exclusivamente por procuração. Não dá para comparar sírios do terceiro mundo usando equipamentos russos com israelenses do primeiro mundo usando equipamentos americanos (e em Israel há um milhão de israelenses de origem russa).

              Se Israel passar a usar armas russas e a Síria armas americanas, o resultado vai ser o mesmo, com Israel tendo vitórias acachapantes.

              • Acho um pouco simplificar as coisas esse argumento de que ninguém tem competência para usar as armas russas.

                Não dizem que elas são mais simples e fáceis de usar?

                Estão há décadas treinado os sírios e modernizando sistemas deles e mesmo assim demoram 5 a 10 para abater um caça.

                • Quem está preparado para usar as armas russas se sai muito bem. A Índia, equipada com armas russas, tanto em terra quanto no ar, venceu três das quatro guerras que travou com o Paquistão, equipado com modernas armas americanas e com tripulações bem treinadas. A única guerra que não venceu foi um empate.

                  Em uma delas, os indianos tomaram a parte oriental do Paquistão, que hoje é um país independente, Bangladesh.

              • Os soviéticos treinavam os pilotos árabes, são instrutores bem ruins então.

              • O que é um B52? O que é um F22?

                São aeronaves ativas.

                Não vou discutir Mig 15. Procure outra pessoa.

                • É ilógico discutir equipamento militar fora de uso com emprego diferente do atual.

                  Já te disse isso mil vezes.

          • É verdade que os pilotos árabes foram treinados pelos soviéticos. Mas o nível educacional dos árabes era baixo, o que dificultava a instrução.

            Além do mais, a doutrina soviética era defeituosa, pois os pilotos, nessa época, tinham de obedecer o controle do solo, ao invés de terem liberdade de lutar como quisessem.

            É só ver o caso da Índia e do Paquistão. O Paquistão era treinado e equipado pelos americanos, enquanto a Índia era equipada pela União Soviética, mas não era treinada por ela. Houve quatro guerras entre os dois países, a Índia venceu três e a outra foi um empate.

            Em uma delas a Índia tomou a parte oriental do Paquistão, que hoje é um país independente, Bangladesh

            • Pilotos de caça vem da elite cultural dos países árabes. Muitos são educados no na Europa.

    • Os russos só não foram engolidos pelos nazis na Segunda Guerra devido à quantidade massiva de equipamentos que receberam dos EUA.
      Ainda assim suas vitórias foram às custas de perdas enormes de combatentes e equipamentos frente aos adversários.
      Para cada nazi morto foram 30 russos, e na covarde invasão da Finlândia os russos foram humilhados por um exército 10 vezes menor que o seu e com 100 vezes menos equipamentos.

      • Em qualquer livro de história e biografias de Generais Alemães o que eles dizem é que existem inimigos com os quais se pode lutar e existem os Russos, outro tipo de combatentes. Quem eles realmente temiam eram os Russos, soldados obstinados, duros, cruéis e muito eficientes. As melhores divisões Alemãs capitularam no leste, tivesse os Alemães deixado de invadir a Rússia e hoje o mapa da Europa era outro.

  6. Lembrando que a estréia em combate dos Pantsir não foram contra Israel, mas sim nas bases russas…
    Taxar o Pantsir de fiasco e muito prematuro, pois o sistema foi concebido pelos russos para atuar em camadas, e não sozinho, pois todos os ataques israelense os caças se mantiveram fora do alcance do Pantsir, sobrando para este último defender se da saturação de mísseis e bombas, único sistemas Sirios capaz de atacar os caças são os S-200, mas pela idade acaba sendo muito falho…. Não se sabe se os S-300 (dos Sírios) que a pouco tempo entraram em operação na Síria estão integrados aos Pantsir e se os russos liberaram o uso deles contra a aviação Israelense…

    • Os s300 foram entregues em outubro. Há fotos de reconhecimento aéreo dos sistemas instalados.

      • "Instalados" "fotos" ?
        Desde quando ?
        Por que a algumas semanas saiu a notícia sobre a confirmação da finalização dos trabalhos de instalação e a continuidade de treinamento dos operadores Sirios..
        Parece que os próprios judeus sabem disso… https://www.israelhayom.com/2019/07/01/russia-com

        Mesmo estando instalado , integrado a outros sistemas Sirios e a tripulação treinada, não se sabe se o Sirios terão autoridade para usa los contra Israel..

        • Chegaram em outubro do ano passado. Há fotos aéreas feitas pelos israelenses no Google. Se não podem ser usadas, não deveriam estar lá.

        • Por melhor que seja o S-300 ( e eu acredito que seja bom) se usarem contra Israel provavelmente vai ser destruído. Com guerra eletrônica, despistadores e saturação, talvez até mísseis balísticos.

    • Segundo foi divulgado recentemente, os generais russos estão exigindo um substituto para o Pantsir com urgência…

      • Não a nenhuma "exigência de Generais"
        Ou "substituto"para o Pantsir, o que existe é uma atualização do sistema, seguindo a experiência na Síria, inclusive esta modernização já foi apresentada no Army 2019 e chamará Pantsir SM…

  7. Pensem o seguinte um país que possui submarinos nucleares muito modernos, mísseis balísticos intercontinentais, mísseis de cruzeiro com milhares de km de autonomia, um sistema próprio de navegação por satélite, fábrica antivírus dos mais eficientes, possui o único meio ( que até a nação mais moderna tem de utilizar se quiser ir para a estação espacial). Esse país não pode ser considerado em nenhuma ótica como atrasado. Em algumas áreas tem deficiência talvez por abordagem diferente das questões, mas em outras áreas também com certeza é líder. Só o tamanho do orçamento de defesa dos EUA já dá uma ideia da preocupação deles com a tecnologia "atrasada" dos Russos.

      • Engraçado e até certo ponto constrangedor. Se nossa economia é do tamanho da deles ficam perguntas a serem respondidas.
        1- Porquê não temos uma rede de satélites própria?
        2- Porquê não produzimos e exportamos aviões de caça moderníssimos, sistemas de defesa antiaérea, aviões de alerta e vigilância entre outros?
        3- Porquê não possuímos uma frota de submarinos nucleares, uma frota de submarinos de ataque e uma frota de superfície respeitável?
        4- Porquê nunca possuímos uma estação espacial?
        5- Porquê não produzimos e exportamos carros de combate?
        5- Porquê não produzimos Mísseis Hipersonicos e Helicópteros de combate, Helicópteros de transporte?
        Ao responder estás perguntas a comparação com a economia do Brasil perde sentido e dizer que exporta hidrocarbonetos também não serve muito para expressar o nível de tecnologia de um povo. Nenhum país, fora os EUA tem condições de enfrentar a Rússia em qualquer arena de combate essa é a verdade.

        • O equipamento militar russo é o equipamento militar soviético atualizado.

          A rede de satélites foi implantada com a tecnologia que eles já possuíam.

          O tempo passa. É um país decadente.

          Poder militar sem uma economia forte não existe. O equipamento americano na 2 guerra era horrível, mas a superioridade econômica levou a vitória.

          A Rússia hoje teria dificuldades em manter uma campanha.

    • Um país com toda essa supertecnologia que não consegue lançar um produto inovador. Tantas mentes brilhantes, fábricas e fábricas, não sai um jato executivo, um caminhão, um jetski, nem uma faca ginsu.

      • É realmente estranho isto. Parece que todas as mentes criativas da Rússia são recrutadas para as estatais de produtos militares e os outros setores não criam nada que se destaque ou ao menos se iguale ao que se produz em diversos outros países.

        • Só propaganda.

          As supostas superarmas são atualizações de projetos soviéticos impulsionadas pela guerra de desinformação.

        • É a pós verdade. As pessoas acreditam em qualquer coisa.

          Ontem fui ao teatro e foi um dos dias mais tristes da minha vida.

          Não por mim que em poucos anos vou comprar um sítio sem internet e me isolar.

          Fico triste pelos meninos e meninas que vivem essa época horrível. Um sentimento de culpa por não ter feito nada por eles.

Comments are closed.