O cancelamento da compra de UAS P.1HH HammerHead dificultou a situação financeira da fabricante Piaggio.

O governo italiano decidiu cancelar seu pedido para o veículo aéreo não tripulado P.1HH HammerHead e pode intervir para salvar a fabricante de aviões Piaggio, encomendando mais P.180s Avanti.

“Com relação à situação industrial que afeta a Piaggio Aerospace, o Ministério de Defesa da Itália continua a apoiar a criação de condições adequadas para uma solução mais duradoura que possa equilibrar melhor as necessidades operacionais do instrumento militar e o valor estratégico da empresa”, disse a ministra da Defesa, Elisabetta Trenta. “Vou trabalhar para que isso aconteça também com a implementação de um programa de renovação da frota do P180 já disponível nas Forças Armadas. Essa intervenção foi de grande importância já no encontro com os sindicatos em Mise no dia 26 de fevereiro.”

O Ministério de Defesa da Itália pretendia adquirir oito drones P.1HH, em um contrato avaliado em 250 milhões de euros com a fabricante italiana Piaggio Aerospace. Para ajudar a manter a Piaggio aberta, o governo italiano pretende atualizar sua frota de aeronaves executivas com novos P.180 Avantis.

No que diz respeito ao programa P.1HH, um drone que a Força Aérea considera inadequado para suas próprias necessidades, “o desenho inicialmente apresentado, embora válido em sua substância viu o desaparecimento de algumas condições fundamentais de características de voo. Investigações diretas estão em andamento para buscar outras sinergias que permitam que o programa continue no interesse nacional”, adiciona Trenta.

O único protótipo do P.1HH caiu em 2016.

O único protótipo do drone P.1HH foi perdido quando caiu no mar da Sicília, em maio de 2016, durante os testes de voo, o que paralisou o programa.

A Força Aérea Italiana assinou um acordo para se tornar o “cliente lançador” do P.1HH durante a feira IDEX em Abu Dhabi em fevereiro de 2015, e inicialmente deveria encomendar três sistemas, cada um compreendendo duas aeronaves e uma estação terrestre. A Força Aérea dos Emirados Árabes Unidos deveria encomendar outros oito sistemas. A Mubadala Development, uma unidade do fundo soberano dos EAU, detinha 50% do capital da Piaggio Aerospace.

“Gostaria de agradecer à Ministra da Defesa, Elisabetta Trenta, por confirmar o valor estratégico da Piaggio Aerospace e por expressar publicamente seu compromisso, que nunca falhou ao apoiar seu futuro. Trabalharemos nos próximos dias junto com o mesmo Ministério e para as Forças Armadas envolvidas, para que tal compromisso seja realizado em um curto espaço de tempo”, declarou Vincenzo Nicastro, comissário extraordinário da Piaggio Aerospace.

A empresa italiana, que tem mais de mil funcionários, está em crise há algum tempo, passa por um processo de reestruturação e corre o risco ir a falência após perder o contrato.

Anúncios

SEM COMENTÁRIOS