O JSM pode ser integrado no compartimento interno do F-35.

O Japão fez um pedido no valor de US$ 49,2 milhões junto à Kongsberg para o fornecimento de Joint Strike Missiles (JSMs) para sua frota de caças F-35.

“A Kongsberg firmou um contrato subsequente com o Japão para fornecer o JSM (Joint Strike Missile) para sua frota de aeronaves de caça F-35”, disse a empresa em comunicado na segunda-feira (11/11).

A empresa anunciou em março de 2019 que ganhou um contrato de Tóquio para os JSMs. As duas partes não divulgaram o valor em dólar ou o número de mísseis cobertos pelo contrato. No entanto, documentos orçamentários japoneses mostram que o país destinou 7,3 bilhões de ienes (US$ 65,6 milhões) para a aquisição de mísseis para o próximo ano fiscal japonês, que começa em 31 de março.

O JSM é um míssil marítimo e terrestre de longo alcance que pode ser transportado internamente no F-35, garantindo assim as capacidades de baixa assinatura (furtiva) da aeronave. É baseado no míssil de ataque naval da Kongsberg. O míssil tem um alcance de 280 km e pode carregar uma ogiva de 230 kg.

O JSM está programado para integração no F-35A durante a liberação do software do Bloco 4, prevista para o início da década de 2020. As verificações anteriores confirmaram que dois JSMs podem caber no compartimento interno de armas do F-35A, embora o F-35B de decolagem curta e aterrissagem vertical só possa transportar o míssil em suas estações de armas externas.

Anúncios