Aeronave de transporte Kawasaki C-2, da JASDF.

O governo japonês planeja desenvolver novas aeronaves de ataque eletrônico a partir de seus aviões de patrulha P-1 e transporte C-2 em uso pelas Forças de Autodefesa do país. O objetivo é combater os equipamentos de guerra eletrônica russos e chineses.

O plano para desenvolver as aeronaves de ataque eletrônico está alinhado com as Diretrizes do Programa de Defesa Nacional, que estipulam o reforço das capacidades do Japão para “neutralizar radares, comunicações e outros meios de contrapartes que pretendam invadir o Japão”, disse o gabinete do governo japonês em dezembro. O Japão planeja iniciar o processo de desenvolvimento completo no próximo ano fiscal, informou o Yomiuri Shimbun no domingo.

Kawasaki C-2, em voo acompanhado por um T-4.

Especificamente, o avião de transporte Kawasaki C-2 da Força Aérea de Autodefesa e o avião de patrulha Kawasaki P-1 da Força de Autodefesa Marítima seriam equipados com equipamentos de interferência, informou o jornal News Daily, citando fontes não identificadas.

O objetivo é introduzir modelos baseados no C-2 no ano fiscal de 2027, enquanto o cronograma de desenvolvimento e outros planos para o P-1 ainda estão sendo considerados.

O sistema de controle de direção do P-1 usa fibras ópticas que não são afetadas pelos feixes de interferência, o que deve proporcionar maiores habilidades de ataque eletrônico em comparação com outras aeronaves que usam sinais elétricos. Navios de guerra japoneses já possuem equipamentos de guerra eletrônica, mas a ênfase tem sido em aspectos defensivos, como a capacidade de desviar ataques de mísseis usando feixes de interferência, afirmou o relatório.

Aeronave de patrulha marítima P-1.

O desenvolvimento de aeronaves de ataque eletrônico, por outro lado, destina-se a desabilitar as capacidades de ataque de aeronaves inimigas, navios de guerra e outras forças enviando feixes de interferência em uma ampla área para incapacitar suas redes de comunicação e radares.

Outras reportagens sugerem que Tóquio está interessado em adquirir aeronaves Boeing EA-18G Growler, a variante de guerra eletrônica do F/A-18F Super Hornet.

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. Pode ser uma opção à ser ofertada pela Embraer com a plataforma do KC-390, apesar de ser defensor que se usasse a plataforma dos E-175 para essa tarefa na FAB.

  2. Com a China botando as asinhas de fora no Pacífico, é bom mesmo o Japão, Coréia, Taiwan etc… se prepararem, dias sombrios podem aparecer pela frente.

  3. Da mesma forma que alguns querem que a FAB use uma plataforma comercial Embraer, o Japão poderia usar um MRJ.
    A questão é que a JASDF já usa o C-2 e a JMSDF usa o P-1, então o MRJ seria um avião a mais no inventário por isso é melhor usar os C-2 e P-1 para Elint/Sigint.

Comments are closed.