Aeronave de reconhecimento Su-24MR da Marinha Russa. (Foto: JASDF)

As aeronaves de alerta da Força de Autodefesa Aérea do Japão (JASDF) tiveram dois dias intensos, com aeronaves russas e chinesas voando próximo de seu espaço aéreo. O Ministério de Defesa do Japão divulgou as informações e as imagens das três aeronaves interceptadas em dois dias.

Avião de vigilância chinês Shaanxi Y-9JB, também conhecido como GX-8 para missões ELINT. (Foto: JASDF)

No dia 29 de agosto, os jatos da JASDF foram acionados para escoltar uma aeronave chinesa de vigilância e guerra eletrônica Shaanxi Y-9JB, também conhecidos como aviões de inteligência eletrônica GX-8 (ELINT), contornaram as ilhas de Tsushima cruzando o Mar do Japão e o Mar da China Oriental.

A aeronave Y-9JB (GX-8) é uma variante atualizada das aeronaves de reconhecimento eletrônico Y-8DZ e Y-8G, e é baseada na estrutura do avião de transporte Y-9.

Trajeto feito pela aeronave chinesa Y-9JB.

A aeronave é reconhecidamente diferente da aeronave de transporte da linha de base, pois possui vários apêndices e outras carenagens conectadas à fuselagem superior e lateral e no topo da cauda.

A aeronave Y-9JB está equipada para monitorar o tráfego de comunicações e as emissões de radar. Além disso, o avião espião chinês foi equipado com pressurização de cabine melhorada para operações em altitudes mais elevadas e também foi equipado com sistemas eletrônicos atualizados, incluindo novas carenagens e antenas.

Aeronave de reconhecimento marítimo Tu-142 da Marinha Russa. (Foto: JASDF)

Neste sábado, dia 1º de setembro, os jatos japoneses foram acionados novamente para interceptar duas aeronaves russas de reconhecimento marítimo Tu-142 que se aproximavam espaço aéreo do Japão, além de um jato Su-24MR.

De acordo com a declaração do oficial do Ministério da Defesa do Japão, a JASDF enviou aviões de caça para escoltar as duas aeronaves de reconhecimento marítimo e anti-submarino (ASW) Tu-142 e um jato de reconhecimento Su-24MR sobre o Mar do Japão.

O avião de reconhecimento russo Sukhoi Su-24MR voou perto do espaço aéreo japonês, perto da cidade de Wajima, Ishikawa, antes de voltar para Vladivostock, e os Tu-142 voaram ao longo de toda costa japonesa.

Trajetos realizados pelas aeronaves russas.

O Tupolev Tu-142 é uma aeronave de reconhecimento marítimo e de guerra anti-submarino (ASW), derivada do bombardeiro estratégico turboélice Tu-95. O Su-24MR “Fencer” é uma aeronave supersônica da linha de frente que pode realiza um reconhecimento profundo a até 400 km da linha de frente.

A fim de permitir que a aeronave realize um profundo reconhecimento, o jato é equipado com um radar lateral. Ele facilita o rastreamento de alvos terrestres, como fortificações inimigas e equipamentos, através do uso de câmeras sensíveis de alta resolução, sistemas de detecção de rádio e sensores infravermelhos que ajudariam a detectar objetos camuflados.

De abril de 2017 a março de 2018, ou no ano fiscal de 2017, os caças japoneses realizaram 390 missões para escoltar os aviões de guerra russos, totalizando um aumento de 89 missões em relação ao ano fiscal anterior.

Simultaneamente, o número de saídas para interceptar jatos chineses reduziu consideravelmente ao mesmo tempo – para 500 de 851.

O comitê do Estado-Maior Conjunto japonês disse que a Rússia envia principalmente aviões de reconhecimento para missões perto das fronteiras japonesas, afirmando que suas rotas se estendem mais tipicamente sobre o Mar do Japão, perto de Hokkaido e ao longo da costa noroeste de Honshu.

7 COMENTÁRIOS

  1. Isso é apenas reflexo do novo equilíbrio do poder na região. E com o crescente poderio deles lá, principalmente chinês, acho melhor o Japão e a Coreia do Sul se acostumarem.
    Melhor que negociem algo interessante para eles enquanto há tempo.

    • Balela Xings, este dragão têm dentes de papel machê. A reportagem diz que as bisbilhotagens dos chinos cairam quase pela metade, e lembremos do que aconteceu com os nazis depois que se expandiram a força.Foram implacavelmente e humilhantemente empurrados de volta até serem esmagados na sua própria capital. É melhor Jinping rever esta sua cobiça desenfreada enquanto há tempo.

  2. Nada anormal no front.
    Com os F-35, o Japão poderá realizar melhor análise dos sinais emitidos pelos aviões de vigilância chineses. Dos TU-95, não será necessário, já que é possível detectá-los ao acionar os motores em suas bases.