Decolagem de um caça F-15J da Força de Auto Defesa Aérea do Japão (JASDF). (Foto: U.S. Air Force / Staff Sgt. Miguel Lara)

O Japão reagiu com aviões de combate contra aeronaves que se aproximaram do seu espaço aéreo em um recorde de 883 vezes nos nove meses até dezembro, com 73% dos incidentes envolvendo aviões chineses, informou o Ministério da Defesa do Japão na sexta-feira (20).

O número subiu 316, ou seja, 36 por cento, em relação ao mesmo período do ano anterior.

Se a tendência continuar, o número de incidentes para todo o ano fiscal até março deve chegar a 1.000, ultrapassando o recorde de 944 do ano fiscal de 1984 durante a Guerra Fria, disse um funcionário do Chefe do Estado Maior junto ao ministério.

Embora nenhuma aeronave tenha violado o espaço aéreo japonês durante o período de nove meses, os números indicam a crescente tensão nas atividades militares chinesas.

Em dezembro, navios da marinha chinesa – incluindo o primeiro porta-aviões da China, o Liaoning e fragatas – navegaram entre a ilha principal de Okinawa e a Ilha Miyako. O Japão enviou caças depois que um helicóptero decolou de uma fragata e voou para dentro de 10 quilômetros do espaço aéreo japonês em torno de Miyako.

No total, o Japão reagiu 644 vezes contra aeronaves chinesas durante o período de nove meses, 271 à mais do que no mesmo período do ano anterior.

O Japão também enviou jatos 231 vezes contra aeronaves russas. Seis incidentes envolveram aviões taiwaneses.

O Japão começou a anunciar as estatísticas sobre as interceptações durante os anos fiscais a partir do ano fiscal de 1958.

Fonte: Kyodo News

Anúncios

SEM COMENTÁRIOS