Um A-10C do 107º Esquadrão de Caça libera uma munição prática BDU-33 no Campo de Artilharia Camp Grayling, em foto de arquivo de 2014. (Foto: U.S. Air National Guard / MSgt. David Kujawa)

Um jato A-10C Thunderbolt II da Força Aérea dos EUA, sediado na Base Aérea de Moody, Georgia, acidentalmente lançou suas bombas de treinamento durante um voo na Flórida depois de atingir um pássaro em voo, na segunda-feira (01/07), de acordo com um comunicado oficial liberado pela base aérea.

A aeronave de ataque, atribuída ao 23º Grupo de Caça, “colidiu com um pássaro causando a liberação inadvertida de três munições de treinamento não explosivas BDU-33s de 25 libras usadas para simular as bombas M1a-82 de 500 libras, segundo o comunicado Escritório de Assuntos Públicos da 23ª Ala de Caça.

O BDU-33 é uma munição de treinamento de 25 libras usada para simular a bomba M1a-82 de 500 libras. Tem aproximadamente 22 e meio polegadas de comprimento e é de cor azul. (Foto: (U.S. Air Force / Airman 1st Class Eugene Oliver)

As munições fictícias caíram em algum lugar perto da Rodovia 129, perto de Suwannee Springs, no norte da Flórida, em uma área controlada. A Força Aérea dos EUA aparentemente ainda está procurando as “bombas”. O serviço instruiu qualquer um que se deparar com elas para manter distância, explicando que, embora as armas sejam inertes, elas têm uma pequena carga pirotécnica que pode ser perigosa.

A Base Aérea de Moody, no centro da Geórgia, informou que não houve relato imediato de feridos* ou danos depois que as munições de treinamento não explosivas caíram do jato A-10C Thunderbolt II.

Um Chefe de Tripulação de aeronaves A-10A Thunderbolt II atribuído ao 717º Esquadrão de Manutenção (MXS), carrega bombas inertes BDU-33/B Mk-76 MOD 5 de 25 libras em uma rack triplo. (Foto: U.S. Air Force)

A Força Aérea dos EUA disse que está investigando o caso no norte da Flórida. Anteriormente foi determinado que cada base tenha um programa BASH (Bird Avoidance Strike Hazard), que inclui manipulação de habitat, exclusão e controle de itens letais.

As aves são um problema sério para os militares dos EUA, pois causam milhões de dólares em danos por ano. Desde 1995, a Força Aérea dos EUA sofreu mais de 105 mil colisões com pássaros que custaram ao serviço mais de US$ 800 milhões.


* O pássaro provavelmente discordaria.

Anúncios