Roll-out do jato Javelin proposto pela Stavatti no T-X da USAF. (Foto: Stavatti)
A Stavatti Aerospace está entrando com a aeronave a jato Javelin no Programa de Treinamento Avançado de Pilotos (T-X) da USAF.

O Stavatti Javelin é um novo jato de treinamento bimotor de alto desempenho, de dois lugares e uma aeronave Very Light Fighter (VLF). Derivado do Javelin ATG Mk-30, o Javelin será um candidato para o requisito de treinador T-X da USAF, bem como um treinador e VLF que pode ser vendido para as forças aéreas aliadas em todo o mundo.

O projeto Javelin começou em 1998 com a formação do Aviation Technology Group (ATG) em Englewood, Colorado. Pretendendo-se como um avião desportivo de jato civil de dois lugares, um mockup original do Javelin ATG-1 foi revelada e apresentada na convenção da NBAA em 2002. Com encomendas para 151 aeronaves em 2003, a ATG anunciou em 2004 uma parceria com a Israel Aircraft Industries (IAI) para desenvolver e produzir uma família de dois jatos militares biplaces designados Javelin Mk-20 e Mk-30. O protótipo Javelin realizou seu primeiro voo no dia 30 de setembro de 2005. Em dezembro de 2007 a ATG cessou as operações comerciais depois de não conseguir aumentar o capital de desenvolvimento, declarando falência em 2008.

Em 14 de novembro de 2016, a Stavatti Aerospace Ltd obteve uma Licença Exclusiva para redesenhar, desenvolver, prototipar, certificar, fabricar, vender e dar suporte ao Javelin como Advanced Jet Trainer (AJT) e VLF do atual proprietário intelectual e dono dos ativos físicos do projeto Javelin.

Após a execução do contrato de licenciamento, a Stavatti imediatamente começou a redesenhar a configuração do Javelin Mk-30 para se enquadrar diretamente nos requisitos atuais da RfP do T-X da USAF emitida no dia 31 de dezembro de 2016. O Javelin Stavatti mantém muitas características exteriores do projeto Javelin original, mas se beneficia de melhorias estruturais para aumentar o fator de carga máximo para 9Gs, motores mais potentes, maior capacidade interna de combustível, maior carga de carga externa máxima, maior peso de decolagem máximo, um cockpit projetado para a missão que satisfaz os requisitos do T-X no caso da acomodação da tripulação de voo e uma velocidade máxima de Mach 1,36. O resultado é um instrutor supersônico de próxima geração, muito acessível.

A Stavatti está agora preparando a Javelin Industry Team e pode fazer parceria com uma maior contratante principal para expandir a capacidade do programa Javelin para fornecer capacidade abrangente de fabricação, treinamento e apoio logístico para satisfazer os requisitos do T-X.

A Stavatti vai lançar informações técnicas sobre o redesenhado Javelin no dia 1º de março, seguido por uma resposta formal para a USAF no T-X no dia 30 de março.

Anúncios

15 COMENTÁRIOS

  1. É diferente, mas eu achei legal. Parece um híbrido, mistura do Textron Scorpion com o Saeqeh.

    • Projeto feito sobre requerimentos do comprador. Para substituir o vetor atual. Se quisessem um vetor mais robusto, a acft teria a "cara" de um F-16/F-18 biplace. Por isso à semelhança. Tudo para agradar o cliente.

  2. É um jato interessante, deve ter mercado privado.

    Mas, duvido bastante que tal empresa possa competir, mesmo que seu jato seja superior.

    O RFP requer 350 treinadores para ficarem operacionais até 2024, não sei se a Stavatti tem capacidade de uma linha de montagem, estrutura e fornecimento logístico para às necessidades da USAF.

  3. Concorrente novo, não conhecia este pássaro e esta empresa deve ser pequena. Será que pode tomar o contrato da Boeing ? Em tempos de Trump a gente não duvida de mais nada.

    • Se estes caras forem amigões do Trump, este newcomer azarão já ganhou!!
      Brincadeiras a parte, esta concorrência T-X ainda deve reservar algumas surpresas, como esta, por exemplo.
      Isto sem considerar outras surpresas que o D.Trump certamente irá provocar, já que tá na cara que ele gosta de meter o bedelho em tudo.
      Curiosidade: quando a matéria fez referência ao nome Javelin, lembrei-me do Gloster Javelin:
      https://www.the-blueprints.com/blueprints-depot/m

      Certamente este nome não foi registrado naquela época; caso contrário, creio que este nome não poderia ser assim utilizado.

      • Ué?

        Quando o Apedeuta quis dar a volta na COPAC e decidiu da cabaça dele comprar o Rafale, bateram palmas e disseram que era decisão do presidente.

        Já o Trump não pode se pronunciar sobre o assunto.

        Vai entender.

  4. Pode ser até marketing, como alguns políticos brasileiros que se candidatam a presidente, sem a menor chance de ganhar (só para justificar a existência da sigla e suas benesses político-financeiras a frente), mas esse concorrente novo é de um pessoal bem corajoso: a USAF vai avaliar a aeronave com seriedade e até a qualidade dos rebites passará por olhos formais e isentos, quase antipáticos. Não será um "o importante é competir".

  5. Só uma perguntinha AINDA se pode oferecer uma nova solução no programa ???
    O T-X já não está em andamento ???
    Pode isso Arnaldo ???

Comments are closed.