F-15 interceptando um Tu-95 sobre o Alasca.
F-15 interceptando um Tu-95 sobre o Alasca.

Dois bombardeiros estratégicos Tu-95 Bear da Rússia que efetuavam um voo de patrulha rotineira sobre o Oceano Pacífico foram seguidos por caças da OTAN num voo de patrulha, informou o Ministro da Defesa da Rússia, na quinta-feira, dia 12.

Os bombardeiros fizeram um voo de mais de 15 horas na quarta-feira e foram seguidos por dois caças F-15 Eagle da OTAN.

Uma patrulha similar no dia 29 de setembro foi interceptada por um F-22 que usa tecnologia stealth, reportado pelo primeira vez no mundo que um caça de quinta geração foi enviando para manter os olhos nos russos.

Os voos de patrulha feitos sobre os oceanos Pacífico, Atlântico e Ártico com os bombardeiros estratégicos russos em agosto de 2007, seguem uma ordem do então presidente Vladimir Putin, e são normalmente seguidos pelos sofisticados caças da OTAN.

Todos voos das aeronaves russas são feitos seguindo extritamente as normas e leis internacionais de espaço aéreo sobre regiões de águas internacionais neutras, sem penetrar o espaço aéreo de outros países ou estados, disse o ministro.

Anúncios