Quatro jatos F-35 Lightning britânicos concluíram pousos noturnos no porta-aviões da Marinha Real HMS Queen Elizabeth navegando em águas do Reino Unido durante treinamento operacional.

O treinamento do Exercício Lightning Fury sobre o Mar do Norte tem como objetivo garantir que o Esquadrão 207 atinja as qualificações essenciais do supervisor de voo embarcado e dos oficiais de sinalização de pouso (LSO). O exercício baseia-se em testes bem-sucedidos concluídos na implantação ‘Westlant 19’ do Carrier Strike Group no ano passado na costa leste dos EUA.

O secretário de Defesa Ben Wallace disse: “Poucos países no mundo têm capacidade e tecnologia para implantar caças de um porta-aviões no Mar do Norte. Esses testes colocam o Reino Unido no comando do combate de quinta geração e cimentam o Reino Unido como uma potência militar de primeiro nível”

O HMS Queen Elizabeth e o HMS Prince of Wales serão os primeiros porta-aviões do mundo a serem projetados especificamente para operar o jato Lightning. O F-35B de decolagem curta e pouso vertical (STOVL) representa uma mudança gradual na capacidade. Com seus sensores avançados e tecnologia furtiva, o Lightning fornecerá ao Reino Unido uma aeronave de combate de ponta, que será administrada em conjunto pela Royal Air Force e pela Royal Navy.

O comandante do Strike Force do Reino Unido, Mike Utley, disse: “Operar a Lightning Force do Reino Unido a partir do convés do HMS Queen Elizabeth nas águas do Reino Unido é um marco significativo e estamos muito satisfeitos por ter mostrado pessoalmente ao Secretário de Estado da Defesa.

“Este treinamento com o Esquadrão 207 estabelecerá as condições para valiosos exercícios de combate no final deste ano entre o esquadrão operacional e o navio. A utilidade futura desses tremendos ativos de Defesa do Reino Unido está ganhando clareza a cada dia, à medida que avançamos no envelope de sua capacidade combinada, levando à primeira implantação operacional combinada da capacidade de ataque embarcada no próximo ano”.

O Reino Unido declarará a capacidade operacional inicial para ataque embarcado até o final de 2020. A primeira implantação operacional do HMS Queen Elizabeth com o Esquadrão 617 e um esquadrão dos jatos F-35B do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA deve ocorrer em 2021.

Atualmente, o Reino Unido possui 18 aeronaves, com um pedido adicional feito para 30 jatos.

Anúncios