Jatos L-159 da Draken International participaram de exercício com os fuzileiros navais dos EUA.

A Draken International passou duas semanas fornecendo apoio de Adversários Aéreos (ADAIR) para a 3ª Ala Aérea dos Fuzileiros dos EUA, durante o exercício WINTER FURY, na Estação Aérea dos Fuzileiros Navais (USMC) de Miramar, California, de 27 de novembro a 7 de dezembro de 2017. Como principal fornecedor de serviços de treinamento ADAIR, a Draken International apresentou recursos da 4ª Geração usando uma formação de quatro aeronaves L-159 Honey Freeber que emprega o radar pulso Doppler GRIFO-L altamente capaz.

O exercício foi um evento de treinamento de combate de alto nível para as unidades dos fuzileiros, exercendo a missão de defesa ofensiva em grande escala, Interdição Aérea e Defesa Aérea contra uma ameaça complexa e avançada.

O exercício Winter Fury foi realizado na Estação Aérea de Miramar, California.

A Draken fez parceria com a BAE Flight Systems, que forneceu ataque eletrônico avançado e voou ao lado de aeronaves adversárias F-5 do esquadrão VMFT-401 e F/A-18 Super Hornets do VX-9. Juntos, os esquadrões “vermelhos” entregaram grandes pacotes de força que desafiaram os esquadrões F-35B, F/A-18 e AV-8B da 3ª Ala Aérea. A Draken voou um total de 46 dias e mais horas noturnas que apoiaram o exercício e forneceram planejadores de missão, comandantes de missão, oficiais de treinamento e controladores para ajudar nas apresentações adversárias.

De acordo com Jeff Scott, Diretor de Operações Marítimas da Draken, “a Draken fornece a replicação de ameaça profissional com radares avançados e pilotos de primeira linha, não apenas metal no céu, mas um adversário representativo mais ameaçador.” Atualmente, a Draken é o único fornecedor de contrato de apoio aéreo aprovado para apoiar a Escola de Armas (Fighter Weapons) da USAF e apoiou o treinamento de caças de 5ª Geração mais do que qualquer outro fornecedor de serviços aéreos contratados, incluindo aeronaves F-22, F-35A e F-35B da Força Aérea dos Estados Unidos, Fuzileiros Navais dos EUA e Real Força Aérea Holandesa.

Scott, um ex-instrutor da escola de armas do USMC, e piloto de F-35B, declarou: “a Draken usa ex-formandos e instrutores da escola de armas MAWTS-1, Top Gun e USAF Fighter Weapons School, bem como ex-pilotos Aggressor atuais de todos os serviços”. A Draken também é atualmente o único fornecedor de serviços de contrato autorizado a conduzir manobras ilimitadas contra o Departamento de Defesa.

“A Draken voa todo o espectro do apoio de adversários, incluindo unidades de treinamento iniciais como os esquadrões de treinamento F-35A da USAF na Base da Força Aérea de Luke, e todo o caminho até a Escola de Armas de Combate da USAF, eventos Red Flag e exercícios como Winter Fury, onde radar e noite são capacidades necessárias para replicar ameaças de nível superior. Foi um prazer apoiar os fuzileiros navais e ótimo para fazer parte de um exercício tão extraordinário”, disse Scott.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. A verdade é uma só: a força aérea americana está décadas a frente de qualquer outra. Isso se deve não só a ter equipamento de ponta e manter a vanguarda tecnológica mas também ao treinamento que seus pilotos recebem assim como o pessoal de solo que trabalha duro para manter seus meios em plenas condições de voo.
    Muita gente fala da China, mas ela está décadas atrás dos americanos e por mais rápidos que seja seu crescimento não há como pular etapas. Excelência é algo que você constrói e não algo que vc adquire.
    Quem ler isso irá pensar que sou um daqueles leitores que batem palma a tudo o que os americanos fazem, pelo contrário, tenho uma boa bronca deles. Mas temos que ser sinceros: o profissionalismo deles é algo a ser estudado e imitado.

  2. Sem dúvidas! Não acho que os pilotos israelenses estejam muito atrás…

Comments are closed.