Jatos QF-16 na rampa de voo da Base Aérea de Edwards, California, no dia 28 de abril de 2017. (Foto: U.S. Air Force / Chris Higgins)

Três aeronaves QF-16s chegaram recentemente na Base Aérea de Edwards para ajudar a equipe conjunta de teste operacional (JOTT) F-35 com testes planejados para avaliar a furtividade do mais novo caça de quinta geração dos EUA.

O QF-16 é um alvo aéreo em grande escala que foi modificado para ser pilotado com um piloto no cockpit em treinamento e também sem um piloto como alvo para testes de mísseis ao vivo. Os jatos são originários do 82º Esquadrão de Alvos Aéreos (ATRS) da Base da Força Aérea de Tyndall, Flórida, e da Base da Força Aérea de Holloman, Novo México.

O QF-16 é um caça de quarta geração que mantém todas as capacidades inerentes do F-16 Fighting Falcon básico, incluindo voo supersônico e manobrabilidade de 9G, de acordo com o 82º ATRS.

Um caça F-35A da Base Aérea de Eglin, Florida, decola para uma missão junto com os QF-16.

As capacidades do caça QF-16 são projetados para ajudar a testar os caças de quinta geração F-35 Lightning II contra adversários e alvos aéreos.

“Estamos nos preparando para o teste operacional inicial e a avaliação que começa no próximo ano”, disse Matt Feringa, analista sênior de sistemas táticos do F-35 JOTT. “Parte da missão do QF-16 é transportar pods de interferência de radar em voo. Nós voamos os F-35s juntos com os QF-16 como parte do desenvolvimento de nosso projeto de teste e para avaliar preliminarmente o F-35 contra os pods de interferência.”

O JOTT de Edwards faz parte de uma joint venture que realiza testes operacionais e avaliação do F-35 Joint Strike Fighter. A unidade é composta por todos os serviços dos EUA que operarão as diferentes variantes do F-35, juntamente com parceiros da coalizão, como o Reino Unido e a Holanda, que também operarão o JSF.

Feringa disse que os QF-16 permanecerão em Edwards por duas semanas e o JOTT recebeu bons dados para avançar com seus planos de teste. Para os propósitos do teste JOTT, os QF-16 foram pilotados por pilotos do 82º ATRS.

O QF-16 permite aos clientes testar os sistemas de armas em cenários do mundo real antes de chegar ao campo de batalha. A capacidade operacional inicial para o alvo QF-16 em escala total foi declarada em 23 de setembro de 2016. O 82º ATRS opera a única capacidade de alvo aéreo em escala completa no Departamento de Defesa.

O QF-16 substituiu os alvos aéreos QF-4, que foram convertidos de F-4 Phantoms II. O QF-4 voou sua última missão não tripulada no dia 17 de agosto de 2016 na Base Aérea de Holloman e foi oficialmente aposentado em dezembro do ano passado.

SEM COMENTÁRIOS