Concepção artistica da aeronave Airbus A220-300 nas cores da JetBlue Airways. (Foto: Airbus)

A JetBlue Airways assinou o pedido firme para 60 aeronaves A220-300, o modelo maior da nova série A220, líder do setor.

“Ao nos aproximarmos do nosso 20º aniversário, o impressionante alcance e economia do altamente eficiente A220, combinada com o excelente desempenho de nossa frota existente de Airbus A321 e dos reestilizados A320, ajudarão a garantir a melhor experiência a bordo para nossos clientes e atender às nossas necessidades e metas financeiras de longo prazo à medida que continuamos o crescimento disciplinado no futuro”, disse Robin Hayes, diretor executivo da JetBlue.

A frota da Airbus já existente da JetBlue inclui 193 aeronaves A320 e A321ceo em operação, com um pedido adicional de 85 aeronaves A321neo.

“A JetBlue provou que não há contradição entre eficiência econômica e um produto de alta qualidade”, disse Christian Scherer, diretor comercial da Airbus. “O endosso da A220 prova que essa aeronave atende a esses dois critérios melhor do que qualquer alternativa em seu segmento. Obrigado à JetBlue e parabéns por este grande marco no seu crescimento.”

O pedido foi concluído na última semana de dezembro. A Airbus produzirá as aeronaves A220-300 em uma nova instalação de montagem nos EUA em Mobile, Alabama. A construção da fábrica, a ser localizada adjacente à instalação de montagem do Airbus A320, começará no final deste mês.

O A220 é o único propósito de aeronave construído para o mercado de 100-150 lugares; ele oferece eficiência de combustível imbatível e conforto widebody verdadeiro em uma aeronave de corredor único. O A220 reúne a aerodinâmica de última geração, materiais avançados e os turbofan de última geração da PW1500G da Pratt & Whitney para oferecer pelo menos 20 por cento menos de queima de combustível por assento em comparação com as aeronaves da geração anterior. Com um alcance de até 3.200 nm (5.020 km), o A220 oferece o desempenho de aeronaves de corredor único maiores.

Com uma carteira de encomendas de mais de 500 aviões até à data, o A220 tem todas as credenciais para ganhar a parte de leão do mercado de aeronaves de 100 a 150 assentos, estimado para representar pelo menos 7.000 aeronaves nos próximos 20 anos.

Anúncios

9 COMENTÁRIOS

  1. E uma empresa americana chamada Moxy também encomendou 60 aeronaves.

    • Perdendo US$ 14 milhões por aeronave do mesmo jeito!

      Aceite Xings!

      • Se vc ler sobre capitalismo verá que isso é comum.
        A empresa derruba o preço para acabar com a concorrência.
        Depois, sozinha, ganha rios de dinheiro.
        Coisa que já faziam Vanderbilt, Rockfeller, Ford, Carnegie e muitos.
        Aula básica de capitalismo predatório.
        Mas, é melhor a EMBRAER abrir bem o olho.

        • Você já está no estágio da negação da realidade não é mesmo!? A despeito do desconto dado o fato é que o avião está com as vendas bem abaixo do esperado ou seja, a Airbus terá de arcar com um prejuízo gigantesco, e já vimos esse filme nos anos 60 com o Convair 990.

          Moral da história é que enquanto a Airbus perdeu e está perdendo dinheiro com esse avião a EMBRAER lucra em cada E-Jet que entrega, fato esse a desgostar pretensos “descendentes de canadenses” não é mesmo Xings!?

  2. Pode soar com ‘tábua da salvação’ para a Airbus/Bombardier, mas precisa vender muito ainda para desencalhar. Afinal na Airbus parece que gostam de coisa megalomaníaca. Não precisa nem ir muito longe, leia-se A400M, A 380, etc.
    Seria a soberba francesa prevalecendo?

    • O programa do A220 é altamente deficitário, essas vendas ainda são muito pouco

  3. O Canadá perdeu não só o avião, como a linha de produção. Depois querem falar dos portugueses…

  4. O A220 é o melhor lançamento de aeronave de corredor único desde o voo do Airbus A320 há 32 anos. O aval de Neeleman parece comprovar os bons números econômicos da nova aeronave. Com um pedido de 60 aeronaves e opção de mais 60, somado aos 75 pedidos firmes da Delta e 75 opções, 60 da JetBlue mais opção em substituição ao E195, e 50 firmes da AirBaltic entre outras empresas aéreas, o Airbus/Bombardier A220 atingiu 500 unidades entre opções e pedidos firmes, eclipsando totalmente o irmão A319-NEO com apenas 53 unidades comercializadas, após mesmo a Airbus ter entregue 1.489 unidades da primeira geração A319-Ceo. Até o momento, a Embraer acumula 270 unidades entre pedidos e opções de compra de seu E190-195E2.
    A Boeing também continua empacada com seu B737-MAX7, o que não deixa de ser uma boa notícia para a família E2.
    Para qualquer operador sempre é muito bom ter opções de modelos e fabricantes! Quem não gosta de competição no setor aeroespacial ainda resta a opção de vender 80% de seu negócio ou até mudar de ramo. Pelo menos no mundo capitalista é assim que funciona. Empresas são incorporadas, extintas, reduzem ou aumentam a oferta de seus produtos, desistem, fecham, trocam de segmento ou vão fabricar produtos de melhor lucratividade. É o mundo dos negócios, de oportunidades e perdas. Enquanto isso, a Airbus continua rindo e satisfeita com as vendas e pedidos firmes do A320/A321-NEO ao atingir em dezembro passado 6.362 unidades, assim como os fabricantes de motores Safran/GE e P&W. Saudações,

Comments are closed.