Um mockup do Helicóptero Armado Leve (LAH) que está sendo desenvolvido pela Korea Aerospace Industries a partir do Eurocopter Dauphin, para o qual adquiriu direitos exclusivos. (Foto: KAI)

A Korea Aerospace Industries (KAI), uma empresa de defesa sul-coreana, planeja apresentar em dezembro o protótipo de um helicóptero armado de pequeno porte (LAH) para o Exército do país, de acordo com autoridades.

O LAH é para substituir uma frota envelhecida de helicópteros de ataque do Exército, incluindo modelos MD500s e 70 AH-1S Cobras.

“Após o lançamento do protótipo do LAH no próximo mês, um teste de motor está programado para março do próximo ano e um voo inaugural em maio”, disse uma autoridade da KAI.

Baseado no helicóptero Eurocopter EC155, o LAH é projetado para voar a uma velocidade de 324 quilômetros por hora e tem um alcance de cerca de 905 km. Sua carga máxima de decolagem é de 4,9 toneladas com o helicóptero a ser equipado com um canhão de 20 mm e mísseis guiados contra blindados feitos localmente.

O primeiro LAH operacional está definido para ser entregue às unidades no final de 2022.

Enquanto isso, a KAI retomou as negociações com as Filipinas sobre a possível venda de helicópteros multi-funções Surion KUH-1, segundo seu CEO Kim Jo-won.

A oferta de exportação da KAI chegou ao fim com o acidente fatal em julho de um Marineon operado pelo Corpo de Fuzileiros Navais da Coreia do Sul. Uma equipe de investigação disse que um mastro do rotor defeituoso fornecido por um subcontratado aparentemente foi responsável pelo acidente. O Marineon é uma variante do Surion que é especializada para o Corpo de Fuzileiros Navais.

Kim disse que sua empresa reiniciou “conversas de tecnologia” com as Filipinas na semana passada sobre a possibilidade de fornecer Surions para o arquipélago.

Um dos concorrentes é o Sikorsky UH-60 Black Hawk.

Se a KAI conseguir exportar o Surion para as Filipinas, a Indonésia também poderá ser um potencial comprador, disse Kim durante uma recente coletiva de imprensa na sede da empresa em Sacheon, na província de Gyeongsang do Sul.


Fonte: Yonhap News Agency

Anúncios

6 COMENTÁRIOS

  1. Bastante interessante o desenvolvimento recente de produtos militares de países como Turquia e Coreia.
    Tornam-se independentes em relação ao material americano e ainda podem abiscoitar uma parte do mercado internacional.
    Excelente!

    • Continuam comprando muito equipamento militar dos EUA….

      Aceite a realidade Xings!

    • O material americano e de outros países fará parte destes produtos na forma de motores, sensores, avionicos, armamentos, etc. E a parte do mercado que a Turquia pode abiscoitar é formada justamente pelos clientes de terceira categoria da Russia, os que os chinos ainda nao tomaram.

    • Como é um derivado direto de modelo da Airbus, não dá para afirmar que há independência tecnológica: o mesmo para sistemas embarcados e armas.
      Coréia e Turquia tem trabalhado em um certo grau de desenvolvimento, mas que envolvem parcerias e produtos com potencial exportação nos mercados ocidentais, não par aqueles com restrições para compra de material Otan.

      Por mais que pareça interessante para substituir o MD-500, o "Esquilo NG" é claramente inadequado para substituir o Cobra.

  2. esse não serve para ataque e muito menso enfrentar o exército da korea do norte e o máximo seria de batedor. Isso é solução de país atrasado como no Brasil. EB, MB que usam o esquilo em versão de ataque. sem esquecer o Pantera do EB. todos impróprios para ataque.;

Comments are closed.