Um dos jatos Embraer 190 da companhia aérea KLM Cityhopper, visto em Recife. (Foto: Wagner Damasio / Cavok)
Um dos jatos Embraer 190 da companhia aérea KLM Cityhopper, visto em Recife. (Foto: Wagner Damasio / Cavok)

A KLM Cityhopper, subsidiária regional da KLM, assinou um contrato de leasing com o BOC Aviation para adicionar seis jatos EMBRAER 190 à frota atual de 22 E-Jets. Os E190 adicionais fazem parte do plano estratégico da KLM Cityhopper de substituir aeronaves mais antigas de sua frota de aviões Fokker. O primeiro dos seis E190 está programado para ser entregue no segundo semestre de 2013.

Assim como seus E190 atuais, os novos também serão configurados com 100 assentos em classe única. Após a entrega da última aeronave desta nova aquisição, a KLM Cityhopper terá mais E190 em sua frota do que qualquer outro tipo de aeronave. Todos os E190 serão utilizados nas rotas européias da KLM a partir do Aeroporto Schiphol, em Amsterdã.

“Ver a KLM Cityhopper continuar a modernização de sua frota com E190 adicionais é um grande endosso ao programa de E-Jets”, disse Paulo Cesar Silva, Presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial. “Por meio da parceria com a Air France, o grupo vai operar, de forma combinada, mais de 50 aviões, a maior frota de E-Jets da Europa. Já a participação do BOC Aviation foi fundamental para o sucesso desta operação e mostra o papel que esta importante empresa de leasing desempenha no programa de E-Jets.”

“Este acordo é um exemplo perfeito dos investimentos que a KLM está fazendo”, disse Camiel Eurlings, CEO da KLM. “Estes investimentos não apenas tornam a viagem mais confortável, mas também contribuem para uma operação mais sustentável e eficiente, o que nos ajudará a alcançar nossos ambiciosos objetivos de redução de ruído e emissões de carbono.”

“Estamos muito satisfeitos em trabalhar com a KLM, apoiando sua subsidiária KLM Cityhopper em seu plano de modernização com o E190, um excelente e versátil avião”, disse Robert Martin, Diretor-Geral e CEO da BOC Aviation.

A BOC Aviation é a principal empresa de leasing de aviões com sede na Ásia com uma carteira de 225 aviões próprios e gerenciados, que são operados por 56 companhias aéreas em todo o mundo. Sua frota tem uma idade média de menos de quatro anos.

Desde que os E-Jets entraram em serviço, em 2004, a Embraer recebeu mais de 1.300 pedidos para essas aeronaves. Mais de 950 E-Jets foram entregues até o momento para 65 clientes de 45 países. A versátil família de 70 a 130 assentos está voando com companhias aéreas de baixo custo, operadoras regionais e tradicionais. No total, a frota de E-Jets já acumulou mais de 10 milhões de horas de voo.

Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. Parabens a Embraer por mais esse bom negócio;

    Acho que o mercado de jatos regionais só tem espaço para 1 ou 2 players, Embraer e mais 1, talvez Bombardier CRJs ou Mitsubishi MRJ, os demais postulantes (SSJ100 russo, ARJ ching ling, Rekoff holandes… até o CSéries) vão todos naufragar…

  2. "Os E190 adicionais fazem parte do plano estratégico da KLM Cityhopper de substituir aeronaves mais antigas de sua frota de aviões Fokker."

    Bem que a AVIANCA poderia se inspirar e se tornar a segunda operadora de E-Jets no Brasil.

  3. Calma que tem espaço para todos, o SuperJet 100 já tem mais de 200 encomendas, o Bombardier C-Séries já tem 177 encomendas antes do voo do protótipo, o MRJ tem 165 encomendas antes do voo do protótipo e o Bombardier CRJ 100/200 tem mais de 1000 unidades entregues e o CRJ700/900/1000 tem mais de 600 unidades entregues.

Comments are closed.