A L3 Technologies atualizará 176 aeronaves C-130H em operação com a ANG e o comando da reserva da USAF. (Foto: U.S. Air Force / Airman 1st Class James Richardson)

A L3 Technologies ganhou um potencial contrato de US$ 499,6 milhões para atualizar o sistema de aviônica dos aviões C-130H operados pela Guarda Aérea Nacional (ANG) e pelo Comando da Reserva da Força Aérea dos EUA (AFRES).

A USAF recebeu seis ofertas para o contrato de incentivo a preço fixo cobrindo trabalho de suporte de produção, treinamento e logística em 176 aeronaves C-130Hs, disse o Departamento de Defesa na terça-feira.

O ramo de serviços da USAF fornecerá inicialmente US$ 37,4 milhões no momento da concessão de seus fundos fiscais de pesquisa, desenvolvimento, teste e avaliação.

A atualização de aviônica é parte de um programa maior de modernização dos C-130. As 176 aeronaves C-130H também terão novas hélices NP2000 e uma “atualização Série 3.5” feita para os motores Rolls-Royce T56.

O sistema de hélice NP2000 da Collins Aerospace é para ajudar o desempenho operacional do C-130H, reduzindo o tempo e custo de manutenção. A atualização da Série 3.5 deve permitir que os motores T56 operem a temperaturas mais baixas e mais altas, enquanto prolonga a vida útil das peças e aumenta a confiabilidade em 22%, disse a Rolls-Royce.

O trabalho contratado será realizado principalmente em Waco, Texas, e está previsto para ser concluído até 30 de setembro de 2029.

Anúncios

12 COMENTÁRIOS

  1. Gostaria de saber quanto uma atualização dessas custaria aqui no Brasil com apenas 12 Hércules. Observando que até substituição de Hélices vai ter.

    • Se não me engano a fab não tem todos modelo H, tem mais antigos, mas não tenho certeza.

      • A FAB recebeu C-130E noa anos 60, após os anos 70 foram todos C-130H e o grosso dos atuais são C-130H comprados usados da Itália em 2001 e modernizados. Não sei se sobrou algum C-130E operacional, devem ter sido todos aposentados.

      • A FAB operou 8 C-130E e 3 SC-130E. Perdeu 4 C-130E e 1 SC-130E em acidentes. Estes são os mais antigos.
        Operou também 16 C-130H e 2 KC-130H, perdeu 1 C-130H em acidente. Destes, 10 C-130H são ex-Itália recebidos a partir de 2001. No total operou 29 C-130 no decorrer da sua história. Talvez esse número justifique os 28 KC-390.
        Acredito que hoje estejam operacionais os 2 KC-130H e mais uns 8/10 C-130H entre alguns modernizados.

        http://www.rudnei.cunha.nom.br/FAB/index.html

        • Os 28 KC-390 serão necessários porque serão divididos por Anápolis, Manaus e Rio de Janeiro.
          Antes os C-130 ficavam concentrados no Rio de Janeiro, metade no Galeão e metade nos Afonsos.
          O Brasil nunca operou 29 C-130 ao mesmo tempo.

  2. Segundo pesquisa do Radar Aéreo esta é a situação dos C-130E e SC-130E da FAB, nenhum está mais na ativa.
    2450 (C-130E) W/O – 21/12/69 Recife/PE
    2451 (C-130E) WFU GIG – OUT/16 oferecido em leilao como sucata
    2452 (C-130E) W/O – 26/10/65 Santa Maria/RS
    2453 (C-130M) PRESERVADO – OUT/17 MUSAL/RJ
    2454 (C-130E) WFU GIG – Utilizado como simulador pela FAB
    2455 (C-130E) W/O – 27/09/01 Niterói/RJ
    2456 (C-130E) PRESERVADO – AGO/17 Chácara interio RJ
    2457 (C-130E) W/O – 24/06/85 Santa Maria/RS
    2458 (SC-130E) WFU – Leiloado como sucata
    2459 (SC-130E) WFU GIG – MAI/17 oferecido em leilao como sucata
    2460 (SC-130E) W/O 14/10/94 Formosa do Rio Preto/BA
    .
    W/O é perda total e WFU retirado/aposentado

    • Grato pelas pesquisas e informações WRStrobel. É uma satisfação colhermos e encontrarmos essas informações.

      Me pergunto se em algum momento na década de 90 ou inicio dos anos 2000, antes de tomar a decisão de adquirir os C-130H ex-AMI, a FAB em algum momento cogitou adquirir novos ou usados C-130J.

      • Não tinha dinheiro para isso, preferiu comprar os C-130H ex-AMI que estavam menos voados que os nossos e modernizar, era a única opção.
        C-130J usados a venda apareceram agora com a decisão da RAF vender os C-130J mais curtos e ficar só com os C-130J-30 depois de receber os A400M e C-17, nos anos 90 não tinha C-130J usado a venda.

Comments are closed.