A variante naval da aeronave de combate leve (LCA) Tejas realizou pela primeira vez uma decolagem ski jump (foto) e uma aterrissagem enganchada durante uma única triagem no dia 29 de setembro, que o Ministério da Defesa indiano chamou de conquista seminal. (Foto: Ministério da Defesa indiano)

Uma conquista foi realizada na busca de tecnologias relacionadas à operação de caças embarcados em desenvolvimento na Índia. No dia 29 de setembro de 2019, o segundo protótipo do LCA Tejas Naval realizou sua decolagem com “ski jump” e, cerca de 10 minutos depois, realizou o pouso enganchado, ambos no local de testes situado na Estação Naval de Hansa, Goa.

Embora essas duas atividades tenham sido realizadas individualmente anteriormente, essa foi a primeira ocasião em que o ciclo completo de lançamento e recuperação necessário para operações de porta-aviões foi realizado em uma única demonstração.

Sendo um programa pioneiro de aquisição e demonstração de tecnologia para o conceito único de operações de aeronaves de decolagem curta, mas com recuperação enganchadas (STOBAR), a equipe do LCA (Naval) teve que conceituar e experimentar modos de software complexos a partir de uma lista de testes nova. Tudo isso tinha que ser feito, enquanto tentava-se explorar e expandir de forma incremental as capacidades estruturais da aeronave para suportar os brutais requisitos das operações embarcadas em porta-aviões.

A natureza exploratória desse estágio do programa requer experimentação com várias opções de software e configurações de hardware. Isso inclui várias configurações de superfícies aerodinâmicas, diferentes estratégias de controle de voo, ferramentas de aviônicas e símbolos de exibição para facilitar a tarefa de pilotagem, várias iterações para os “mecânicos” (amortecedores / membros estruturais / pontos de contato), etc.

A integração abrangente e contínua de todas essas variantes experimentais simultaneamente em uma única plataforma não é, portanto, possível até que todas as opções tenham sido avaliadas e a configuração preferida tenha sido decidida. Os eventos de 29 de setembro de 2019, portanto, demonstram a conclusão da fase de exploração básica do programa e a transição para as iterações de aprimoramento.

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Melhor instalarem um bote salva-vidas embaixo do assento da versão naval. Se colocarem uns dois mísseis nas asas ele não decola…

  2. Acho curioso o método russo, chinês e indiano de lançamento de aeronaves, contudo, o tejas capacitado finalmente pra tal pode ser bom sinal até pros queen elizabeth prosperarem na Índia, bastando para isso adicionarem cabos de parada.

Comments are closed.