Helicóptero TH-119 da Leonardo, a oferta para substituir os Sea Rangers da Marinha dos EUA.

A Marinha dos EUA está buscando um substituto para sua antiga frota de helicópteros de treinamento Bell TH-57B/C Sea Rangers (um derivado do helicóptero bimotor Bell 206). A Leonardo Helicopters está oferecendo o TH-119 com o desempenho, potência e segurança dos helicópteros bimotores da Marinha dos EUA, mas em um pacote de helicóptero de motor único que é mais barato de comprar e manter.

“Com o TH-119, estamos entregando o que chamamos de helicóptero de treinamento de espectro total”, disse Andrew Gappy, diretor de programas para Marinha, Fuzileiros Navais e órgãos federais da Leonardo. “É igualmente capaz em uma configuração que pode fazer todos tipos de voos que eles atualmente fazem no plano de estudos. E ainda tem muito espaço para crescer.”

“Você está basicamente obtendo recursos de dois motores em um perfil de custo de motor único”, acrescentou Gappy. “Há momentos em que ter um bimotor é bom. Este simplesmente não é um deles.”

A Marinha está buscando no mercado um substituto existente, pronto para uso, da sua frota de helicópteros de treinamento TH-57 Sea Ranger. Os planos são começar a comprar os novos treinadores no ano fiscal 2020, e ter toda a frota TH-57 substituída até 2023. Em novembro será realizado um encontro com empresas, seguido de uma requisição de propostas final em fevereiro de 2019. As propostas finais prováveis serão entregues em abril, com uma concessão de contrato no início do ano fiscal de 2020, de acordo com documentos da Marinha.

O TH-57 Sea Ranger é baseado no Bell 206 Jet Ranger, que também serviu de base para o helicóptero blindado OH-58 Kiowa, agora aposentado do Exército Americano. A oferta da Bell para substituí-lo é a versão mais moderna do 407 – o GXi.

Helicópteros TH-57C Sea Ranger da Marinha dos EUA.

A Airbus está oferecendo seu H135 bimotor, um primo do H145 escolhido como o helicóptero de treinamento dedicado do Exército e designado como o UH-72 Lakota.

O TH-119 da Leonardo é uma versão monomotor do helicóptero leve AW109 Trekker. Ele possui um sistema aviônico de tela dupla com moderno cockpit no conceito glass, compatível com dispositivos de visão noturna da Genesys Aerospace Systems. Mais de 250 AW119 já foram construídos na fábrica de Leonardo, nos arredores de Filadélfia.

Alimentado por um único motor Pratt & Whitney Canada PT6B de 1.000-shp, o 119 traz a segurança e redundância de um helicóptero bimotor em uma estrutura de avião mais simples e econômica, projetada especificamente para treinamento, disse Gappy.

“Avaliamos o que temos que atende à exigência e sentimos que a aeronave atendeu a essa exigência é a melhor e se encaixa na longa história que a Marinha tem com aeronaves monomotoras para treinamento em nível de graduação”, disse Gappy. “Nós avaliamos tanto o monomotor quanto o bimotor e voltamos com a certificação IFR completa no 119, e ele atende ao requisito e dará à Marinha o perfil de custo que eles buscam e a simplicidade que eles buscam com espaço para crescer.”

No topo da lista de requisitos da Marinha publicada em um rascunho de solicitações em outubro, está a certificação da FAA para voar sob as regras de voo por instrumentos, ou IFR, que é necessário para voar sobre o oceano ou através do tempo onde a visibilidade é prejudicada.

O legado TH-57C é certificado IFR sob uma versão anterior dos padrões atuais da FAA, mas não passaria mais. Portanto, a Marinha está insistindo na certificação IFR sob as restrições atualizadas.

Tem havido muito esforço por parte dos fabricantes para fazer com que a FAA revise os padrões de treinamento IFR, mas a maneira mais certa de liberar uma aeronave é certificá-la sob as regras atuais, disse Gappy.

O 119 está em frotas de treinamento em outros lugares e tem recebido maior atenção de países da Europa e da Ásia depois que a Leonardo o apresentou para a Marinha dos EUA, disse Gappy.


Fonte: Rotor&Wing International – Edição: Cavok

SEM COMENTÁRIOS