O conceito de módulo lunar tripulado e reutilizável que a Lockheed apresentou para as futuras missões da NASA.

Hoje, no Congresso Internacional de Astronáutica (IAC) em Bremen, na Alemanha, os especialistas da Lockheed Martin revelaram o conceito da sonda lunar tripulada e mostraram como o módulo reutilizável se alinha com o Portal Lunar da NASA e futuras missões a Marte.

O módulo de pouso lunar tripulado é um sistema totalmente reutilizável de estágio único que incorpora tecnologias e sistemas comprovados por voo da nave Orion da NASA. Em sua configuração inicial, a sonda acomodaria uma tripulação de quatro pessoas e 2.000 libras de carga na superfície por até duas semanas antes de retornar ao portal sem reabastecer na superfície.

“A NASA pediu à indústria por abordagens inovadoras e inéditas para promover o objetivo dos EUA de retornar com humanos à Lua e estabelecer uma presença sustentável e duradoura lá”, disse Lisa Callahan, vice-presidente e gerente geral de Voos Comerciais Espaciais para Civis da Lockheed Martin Space. “Esse é um conceito que aproveita ao máximo o Portal Lunar e as tecnologias existentes para criar um aterrissador versátil e poderosa que pode ser construído com rapidez e economia. Esse mo1dulo pode ser usado para estabelecer uma base de superfície, entregar cargas científicas ou comerciais e conduzir exploração extraordinária da lua”.

A órbita única do Portal Lunar fornece acesso lunar global a um módulo deste tipo. Ter a capacidade de visitar vários locais com um módulo reutilizável suporta muitas comunidades internacionais, comerciais e científicas, além da exploração sustentável da Lua pela NASA. Depois de uma missão na superfície, ele retornaria ao Portal, onde poderia ser reabastecido e mantido em órbita até a próxima missão enviadas da superfície.

O módulo acoplado no Portal Lunar.

“O Portal é a chave para a reutilização completa, freqüente e rápida deste módulo”, disse Tim Cichan, arquiteto de exploração espacial da Lockheed Martin Space, que apresentou o conceito do módulo no IAC. “Como este módulo não precisa passar pela fase complicada de reentrada na atmosfera da Terra, ele pode ser reutilizado várias vezes sem precisar de uma reforma significativa e cara. Essa é uma grande vantagem do Portal e de um sistema modular, flexível e reutilizável, uma abordagem para a exploração do espaço profundo”.

Os investimentos feitos em tecnologia desenvolvida pela Orion podem ser reutilizados para reduzir o custo, a complexidade e o cronograma de desenvolvimento. Alguns dos sistemas testados em voo e testados em humanos usados ??no projeto incluem aviônica, suporte de vida, sistemas de comunicações e navegação, e uma versão leve de seu recipiente de pressão do módulo da tripulação.

Os módulos reutilizáveis ??são habilitados pelo Portal Lunar e são importantes para a exploração sustentável. Além disso, missões com desembarques lunares humanos e um posto avançado orbital lunar são valiosas para preparar o envio de humanos a Marte. Enquanto a Lua não tem atmosfera, ainda há muitas lições que se aplicam a um futuro voo tripulado para Marte, tais como: experiência de operações em um ambiente desafiador e dinâmico, operação e reabastecimento em órbita, propulsão criogênica de longa duração e navegação terminal de descida, orientação e controle.

4 COMENTÁRIOS

  1. Essa volta a Lua é frustrante para um entusiasta, todo o projeto é uma "Apollo 2.0", poderia dizer que apenas atualizaram ou digitalizaram os projetos dos engenheiros que faziam no papel, mas pelo que ando vendo a NASA está reaprendendo de novo, triste mas é o que acontece quando não se forma equipes constantemente, quando nao há motivos para tal.

    Acho que o Homem em Marte não sai antes de 2050, não temos toda tecnologia para ir e não vejo ninguém pesquisando a finco, video de naves indo a Marte qualquer agência faz, quero ver os protótipos…

    * Só uma observação que sempre lembro, a NASA é que está na frente nessa corrida e não as empresas privadas.

    • Eu discordo, acho que esta abordagem de manter uma estação lunar é muito mais inteligente e funcional do que a ideia das missões Apollo…

      Naquela época se fez o impensável com o máximo de esforço possível pois era tudo na base da pressão e por mais positivos que tenham sido os resultados, era algo totalmente insustentável de se manter… Hoje muita coisa precisa ser refeita sim mas diferentemente daquela época, agora o processo está sendo muito mais natural, com muita participação autônoma de empresas e tudo sem o fator da guerra fria, isso trás o beneficio de ter mais tempo para se planejar tudo, esta ideia de retorno a Lua mesmo está sendo estudada pela NASA a muito tempo e depois de pronta terá a vantagem de ser algo muito mais maduro e com grande chances de trazer muito mais resultados.

      Mesmo que alguém diga que ainda tenha um fator politico na exploração espacial, garanto que isso já não tenha tanta importância quanto a busca pelos resultados e a eficiência do projeto.

      • O programa Apollo (as concepções e tal) pretendia ter bases na superfície Lunar, bases mesmo com "Iglu", agora estou na duvida quanto a uma estação em órbita, eu vi as concepções mas não sei se era da NASA ou alguma das empresas parceiras, mas tinha também.

        Sobre a desmilitarização da exploração espacial, eu acho lindo, mas não vejo relevância num futuro próximo, claro ela começou ontem, compreendo totalmente mas não muda o fato dela estar sempre um paço atrás, ou seja penso que quem sempre vai puxar a fila é as agências governamentais, o "norte" é a grana do contribuinte não tem jeito.

      • Concordo plenamente com o colega. Uma coisa é atravessar o oceano de caravela. Outra coisa é atravessar em um A380.
        Esse movimento de explorar as dificuldades utilizando a lua é a coisa mais racional a se fazer.