Quatro F-35 Lightning II voam sobre a Base Aérea de Luke, Arizona. (Foto: PRNewsFoto / Lockheed Martin Aeronautics)

A Lockheed Martin está trabalhando na obtenção de um Custo por Hora de Voo (CPFH, na sigla em inglês) de US$ 25.000,00 para seu caça de ataque conjunto (JSF) F-35 até 2025.

A meta do CPHF é comparável ao custo para operar aeronaves legadas, enquanto fornece um salto geracional na capacidade; um comunicado da Lockheed Martin disse que o objetivo será entregar 80% de taxas de missão possíveis no curto prazo.

“À medida que a frota do F-35 se expande, estamos fazendo parceria com nossos clientes e tomando medidas agressivas para melhorar a prontidão do F-35 e reduzir os custos de manutenção”, disse Greg Ulmer, vice-presidente e gerente geral do programa F-35 da Lockheed Martin.

A confiabilidade e a prontidão do F-35 continuam a melhorar e as aeronaves de produção mais novas têm em média mais de 60% de taxas de capacidade de missão, com alguns esquadrões operacionais consistentemente próximos a 70%. Além disso, a Lockheed Martin reduziu sua porção de custos operacionais por aeronave em 15% desde 2015.

Anteriormente, sob contratos anuais, a nova logística multianual baseada em desempenho (PBLs) permite que cada empresa realize investimentos e ações de longo prazo para reduzir custos e melhorar a eficiência. Além dos contratos de PBL, a Lockheed Martin estabeleceu 12 Contratos de Reparo Master (MRAs) com fornecedores-chave para aumentar a capacidade e velocidade de reparo.

Os PBLs cobrem vários contratos com a BAE Systems, a Northrop Grumman e a Collins Elbit Vision Systems (CEVS); e os MRAs cobrem contratos com 12 fornecedores separados, incluindo Honeywell, GE e Eaton.

À medida que mais aeronaves entram em serviço, a empresa está otimizando recursos em toda a frota e aproveitando os dados em centenas de milhares de horas de voo para atingir essas metas. O programa está conduzindo competições na cadeia de suprimentos, construindo capacidade de cadeia de suprimento, sincronizando compras sobressalentes, melhorando a confiabilidade e capacidade de manutenção das peças, implementando ferramentas avançadas de análise, aprimorando o Sistema Autônomo de Informações de Logística (ALIS), acelerando modificações de aeronaves anteriores e apoiando a criação de centros de estoques regionais e depósitos de reparação liderados pelo governo.

Anúncios

13 COMENTÁRIOS

  1. E tem gente querendo esse avião para o Brasil…

    Fazendo os cálculos por cima, só de algumas horas de voo por mês, com 24 F-35 em um ano daria para comprar mais alguns F-39 por ano.

    • E quem disse que o Gripen vai voar?
      Os M2000 não voavam, davam 1 rasante num evento e voltavam pra Anápolis.

    • "E tem gente querendo esse aviao para o Brasil…"

      Se fosse de dominio publico o custo/FH do AMX/A-1M veria que essa frase nao faz sentido.

      Caças são caros de operar… Nao tem jeito.

      Abraço.

      • Rsss quer piada maior que caça com 4000 a hora de voo? E tem índio que acredita rsss

      • Está querendo comparar a hora de voo do AMX, F-5, F-39 com o F-35? Volte para o hospício!

        • Por isso disse que se vc soubesse o quanto custa a FH do AMX vc se espantaria. Existe um fator que encarece demais a operaçao de uma aeronave que é a obsolescência. Nao fique bravo… A ignorancia é uma benção mas nao evita frases como a do seu comentario. Rs…

          • Deve mesmo ser eu o ignorante aqui! Eu que estou chutando o valor da hora de voo dos F-5 e AMX…

            Procurando aqui, estimativas em alguns fóruns gringo, o custo do voo do F-5, é 1/3 do F-18.

          • Eles não fazem ideia nem do trabalho e do custo de operar o Búfalo que praticamente não tinha nada eletrônico.

            Se os F5 não forem retirados logo irão no mesmo caminho.

            O problema do AMX somado a obsolência é a baixo nro de produção.

        • Mas olha a diferença de capacidades desses aviões. Os 42.000 dólares atuais do F-35 é caríssimo, mas se baixarem para 25.000 vai estar ótimo.

  2. Mesmo que a LM consiga o que alardeia, ainda é muito caro, caríssimo !

    • Não dá comparar a hora de voo com um F-16 que oferece metade da capacidade.

  3. Gente……

    Antes de brigarem lembrem-se de um pequeno detalhe

    os americanos incluem armamento no valor da hora de voo. os europeus não……

  4. Isso é normal quando se aumenta a produção de um produto. Uso continuo por vários usuários faz o custo de manutenção cair. o F-22 não teve isso que teve só um cliente. com a demanda alta o custo vai desabar

Comments are closed.