O painel do P-3 modernizado com o sistema de aviônica Flight2 da Rockwell Collins.

O sistema integrado de aviônica Rockwell Collins Flight2 foi selecionado pela Lockheed Martin para oferecer um pacote modernizado para as aeronaves P-3B da Marinha da Grécia, em conformidade com os próximos regulamentos para a operação de espaço aéreo global sem restrições.

A atualização de aviônica integrada do Flight2 converterá a cabine de comando em um grande cockpit no conceito glass, facilitando a visualização de informações críticas nas telas de voo primárias e multifunções e o sistema de exibição do instrumento do motor. Além disso, as capacidades integradas de comunicação e Identificação de Amigo ou Inimigo (IFF) 5 garantem a prontidão da missão.

“Os pilotos dos P-3s irão experimentar um novo nível de voo através de uma maior consciência situacional, capacidades de comunicação aprimoradas e alertas úteis”, disse Dave Schreck, vice-presidente e gerente geral de Soluções Embarcadas para Rockwell Collins. “Eles serão capazes de atingir com sucesso suas missões de forma mais eficaz para retornar para casa com segurança”.

O Flight2 já está instalado em 15 aviões C-130s gregos. O sistema é construído com arquitetura compatível com os Sistemas de Comunicações, Navegação, Vigilância e Gerenciamento de Tráfego Aéreo (CNS / ATM), e é suportável e sustentável para atender aos requisitos atuais e futuros dos regulamentos da aviação.

A modificação faz parte do programa de modernização e atualização de aeronaves de patrulha marítima P-3B da Marinha da Grécia, que inclui uma atualização de meio de vida (MLU) para ampliar a vida útil em 15.000 horas, manutenção a nível de depósito em fases, sistema de integração e gerenciamento de missão e aviônica atualizada.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. A LM vai modernizando os P-3 para voar mais uns 20 anos e a Boeing vendendo menos P-8.
    Os nossos P-3AM ja vão completar 7 anos da entrega depois de modernizados, não foi feita a extensão de vida útil de 15.000 horas na célula porque era cara demais, por isso a LM perdeu a concorrencia para a CASA, hoje Airbus, que revisou a célula em um nível menor do que a MLU da LM onde é trocada a seção central da asa, a caixa de suporte na fuselagem e estabilizadores horizontais.
    Pode ser que algumas células precisem desta extensão, principalmentr se o Brasil for usar os P-3AM por muito tempo além dos 15 anos inicialmente pretendidos.
    O que foi feito nos P-3AM não foi gambiarra como alguns sugerem, foi uma revisão com retirada de corrosão e tratamento, sem a troca dos componentes, pois o valor total da modernização era limitado a um teto máximo na concorrencia e a MLU da célula extrapolava.
    Se algum P-3AM precisar desta extensão agora, não se perde o que foi trocado na modernização como novos motores, aviõnica, radar e sistema FITS com consoles, é um serviço que pode ser feito a parte na LM, de qualque maneira ja serão completados 7 anos da modernização.

    • Neste artigo da LM da para ver uma explicação da extensão MLU e na foto em embaixo do texto da para ver o primeiro P-3 a sofrer a MLU, que foi um P-3 AWACS da US Customs Border Protection, agencia civil dos EUA, em processo de MLU, neste caso recebeu nova asa completa que voltou a ser fabricada para a modernização da Nova Zelândia e Canadá e quem mais precisar, antes só eram trocados os pontos de fixação da asa e era instalada uma usada revisada em boas condições.
      Notem que as partes móveis como flaps e ailerons, trem de pouso e suportes dos motores é aproveitada como em toda troca de asa em qualquer avião, no T-27 modernizado pela CIAC também foi assim.
      Na foto da LM as partes amarelas são as novas e as cinza as velhas, da para ver bem claro apesar do pequeno tamanho da foto do P-3.
      O primeiro vídeo do artigo é sobre a criação dos P-3 e o segundo é sobre a MLU do P-3.
      . https://lockheedmartin.com/us/products/p3.html

Comments are closed.