O moderno caça F-22 Raptor viu suas capacidades serem emparelhadas ao Eurofighter Typhoon em simulados combates próximos durante o Red Flag-Alaska. (Foto: U.S. Air Force)

Os Estados Unidos gastaram quase US$ 80 bilhões para desenvolver o caça stealth mais avançado da história, o F-22 Raptor, mas a Força Aérea dos EUA recentemente descobriu em primeira mão que, enquanto os próprios aviões dominam os céus nos modernos combates aéreos de longo alcance, eles estão “empatados” com jatos estrangeiros mais baratos quando se trata da antiga escola de dogfighting, ou combate aéreo próximo.

O F-22 fez sua estréia no exercício de treinamento internacional Red Flag-Alasca em junho deste ano, onde os aviões “limparam do céu as forças inimigas simuladas e ofereceram segurança para as aeronaves australiana, alemãs, japonesas, polonesas e da OTAN”, segundo um relatório público emitido pela Força Aérea dos EUA após o exercício. Os F-22s participaram do exercício sob severas restrições de voo impostas pelo secretário de Defesa Leon Panetta, à luz dos problemas misteriosos de oxigênio potencialmente mortais com os aviões – problemas que o Pentágono acredita que agora estão resolvidos.

Essa foi a primeira vez que os caças Typhoon da Força Aérea Alemã participaram do Red Flag-Alaska, e puderam voar com os caças Raptor da USAF. (Foto: Staff Sgt. Miguel Lara III / U.S. Air Force)

A Força Aérea dos EUA disse que os aviões voaram 80 missões durante o evento “com uma taxa de missão muito elevada de sucesso.” No entanto, uma nova reportagem da publicação Combat Aircraft Monthly revelou que, num punhado de missões destinadas a testar o F-22 numa situação muito específica – combate aéreo próximo entre duas aeronaves (dogfight) – o jato parecia perder suas caras vantagens frente a um rival aliado, o Eurofighter Typhoon, voado neste caso por pilotos alemães.

“Esperávamos um desempenho inferior com o Eurofighter mas isso não ocorreu”, disse o oficial da Força Aérea Alemã (Luftwaffe) Marc Grune, de acordo com a revista. “Nós estávamos empatados. Eles não esperavam que nós curvássemos tão agressivamente.”

Dois outros oficiais alemães, o coronel Andreas Pfeiffer e o major Marco Gumbrecht, observaram na mesma reportagem que as capacidades do F-22 são “esmagadoras” quando se trata do moderno combate de longo alcance, já que o caça stealth é projetado para envolver vários inimigos bem além do campo natural de visão do piloto – principalmente quando o F-22 ainda está fora de alcance do outro avião. Grumbrecht disse que, mesmo com seus aviões fazendo tudo certo, eles não eram capazes de chegar dentro de 20 milhas dos jatos de última geração, antes de serem alvejados.

Segundo os pilotos alemães, o caça F-22 continua imbatível nos combates “além do alcance visual”, mas nos combates aproximado ele praticamente ficava de igual para igual com o Eurofighter.

“Mas assim que você faz o contato…” disse Pfeiffer, referindo-se ao ponto em que os caças se envolvem num combate próximo, “nessa área, pelo menos, o Typhoon não necessariamente tem que temer o F-22 em todos os aspectos… No duelo o Eurofighter está pelo menos tão capaz quanto o F-22, com vantagens em alguns aspectos.”

Em resposta a reportagem, um porta-voz da Força Aérea dos EUA, tenente-coronel Tadd Sholtis, disse à ABC News que um combate próximo é apenas uma forma de avaliar as capacidades de uma aeronave e disse que não é “necessariamente a mais relevante para cada cenário.”

“O F-22 é concebido e utilizado como parte de uma força integrada que fornece capacidades ofensivas que tornam os combates próximos muito menos prováveis, mantendo a capacidade de lidar com combates próximos em conjunto com outros caças”, disse ele.

Os pilotos alemães dos caças Eurofighter puderam simular no Red Flag-Alaska um combate contra os caças F-22, tanto de longa distância como aproximado. (Foto: Eurofighter)

O general John Jumper da Força Aérea dos EUA, um dos poucos pilotos que voaram ambas as aeronaves antes de se aposentar em 2005, disse naquele ano que é difícil comparar o F-22 e o Eurofighter.

“Eles são diferentes tipos de aviões para começar”, disse ele, de acordo com uma reportagem da Air Force Print News. “É como pedir para comparar um carro da NASCAR com um carro de Fórmula 1. Ambos são emocionantes de diferentes maneiras, mas eles são projetados para diferentes níveis de desempenho.”

O F-22 “pode manobrar como nunca visto antes, mas o que você quer é ser capaz de entrar em espaço aéreo contestado, não importa onde seja,” disse Jumper, referindo-se as capacidades stealth e de velocidade supercruzeiro do F-22 que se destinam a permitir que o avião possa escapar dos radares para entrar desapercebido em território hostil – uma habilidade que falta no Eurofighter não-stealth.

Sobre onde seria esse espaço aéreo contestado, a Força Aérea não disse. Mas em abril de 2011, um executivo da Lockheed Martin, a principal fabricante do F-22, disse à ABC News que o avião poderia “absolutamente” encontrar uma casa em missões de ataque rápido contra países como o Irã ou a Coréia do Norte. No fim de semana, a Força Aérea dos EUA enviou um esquadrão de F-22 para a Base Aérea de Kadena, no sul do Japão, pouco mais de 800 quilômetros ao sul da fronteira norte-coreana – um movimento que surge três meses depois um número não revelado dos furtivos jatos serem enviados para uma base aliada nos Emirados Árabes Unidos, cerca de 200 milhas do continente iraniano.

O F-22 é o avião de combate mais caro da história, num custo total de aquisição de cerca de US$ 79 bilhões para 187 aviões, o que significa que cada avião custa cerca de US$ 420 milhões. As estimativas para o Eurofighter Typhoon – caça de primeira linha para vários países aliados, incluindo o Reino Unido, Alemanha e Itália – colocam o avião em menos de US$ 200 milhões cada, de acordo com um relatório de abril de 2011 pelo Comitê de Contas Públicas da Inglaterra.

“O Red Flag foi uma missão para conhecer uns aos outros, e o primeiro contato dos Eurofighters alemães com os EUA continental”, disse Grune sobre o combate simulado contra os F-22s. “Nós não estamos pensando no futuro num outro combate entre os caças. Queremos trabalhar juntos, mas numa partida onde possamos trabalhar juntos. Eles ficaram impressionados, como ficamos impressionados com eles.”

Fonte: ABC News – Tradução: Cavok

Anúncios

96 COMENTÁRIOS

  1. Mais um para o clube do Rafale e Growler.

    Muito interessante a afirmação do oficial alemão dizendo que mesmo fazendo tudo certo, não eram capazes de chegar dentro das 20 milhas antes de serem derrubados como patos. 🙂

    Traduzindo: Se conseguirmos sobreviver à vantagem "esmagadora" do F-22A Raptor na arena BVR, podemos ter uma chance…. Se.

    []'s

    • Nossa NICK…imagino o que vc seria capaz de se submeter, pra poder voar em um F-22, ou mesmo tirar uma foto sorrindo ao lado de um piloto americano, com um sorrisinho orgulhoso.

      • Caro Rafael,

        E tu acreditaria que eu não gosto do F-22A? Ou melhor, é o segundo caça? O primeiro seria o YF-23, aquele sim deveria ter sido o caça da USAF para o século 21. 🙂

        []'s

  2. Evidente isso parece desculpa esfarrapada dos alemães. Basta ver o evasivo "Não necessariamente tem que temer", ou "Pelo menos tão capaz"….Basta ver que os germânicos não foram taxativos. Apenas o foram quando tratam de ressaltar a inegável superioridade do Raptor em combates à longa distância. Ou seja: Aos Adeptos do marketing mentiroso da Dassault,não foi dessa vez que vão conseguir provar a "superioridade"do vetor gaulês, em que pese a avalanche de fotinhas

    • Ow Tireless,

      Muda a fita meu jovem, creio que ninguém mais de blog nenhum aguenta mais falar sobre o avião X e o avão Y do FX-2.

      Por que é que todo comentário seu, tem que ter obrigatóriamente uma ironia sobre o Rafale ou a Dassault?. Não estou defendendo o avião e muito menos a empresa, pois eles é que tem que fazer este papel… Mas qual é cara, o Rafale te encomoda tanto assim par lembrar dele mesmo quando a notícia fala sobre ovos azuis botados por galinhas coreanas?

      Acho que já chega com este papinho né, vamos focar na notícia e comentar sobre ela, ficar desviando o assunto já basta em outras trilogias por aí.

      Abraço.

    • HMS, amigo, não força! 🙂 o Rafale teria logrado êxito em um DF, não em BVR, assim como os Alemães, os franceses esperavam ser surrados sumariamente e não aconteceu isso lá nos EAU… negar que o Raptor é superior? não mesmo! mas em alguns momentos o imponderável pode desabonar até mesmo o F-22… além do mais o Rafale conta com uma suite de guerra eletrônica melhor que o Typhoon… bem superior eu diria, tanto em termos de sensoriamento como de integração… e é tão ágil quanto! o Rafale em sua configuração de superioridade aérea é muito ágil, principalmente nas velocidades onde os combates normalmente se travam…

      “O F-22 é concebido e utilizado como parte de uma força integrada que fornece capacidades ofensivas que tornam os combates próximos muito menos prováveis, mantendo a capacidade de lidar com combates próximos em conjunto com outros caças”, disse ele.

      isso sim é relevante, na verdade, depois da WWII e já durante, esta tem sido a linha americana de "levar" um conflito armado! CONJUNTO! não é só com o Raptor! alguém aí já viu os USA entrarem numa guera só com a Marinha? ou só com a USAF, ou mesmo só com o USArmy? claro que nenhum país faz ou fez isso, mas os USA são mestres em "amarrar" suas forças… além de contarem com numerosas e esmagadoras forças, elas estão muito bem integradas… eu não ficaria surpreso, se acontecesse um ataque ao Irã, de ler uma notícia dando conta de F-22 operando com os Growlers e SH/EF… rotineiramente… e de forma magnífica! os USA tiram leite da pedra, quando se trata de operar seus meios, por isso digo que nem sempre eles tem os melhores equipamentos em suas mãos!

      Hoje, se fizessem um "time internacional" de aeronaves eu faria minha seleção:

      F-22 para causar um dano psicológico devastador!

      F-15 para levar o dano real e garantir presença constante!

      Rafale para botar o inimigo de joelhos em todas os cenários!

      F-16 para manter todos de cabeça baixa!

      e F-35, amanhã, para ninguém se meter a besta! 🙂

      e o Super Tucano para que os desgarrados restantes continuem escondidinhos…

      meio "american-way-force" né? rsrsrss

      abraço!

      • Irretocável seu posto amigo Chicão! não vou contestar uma linha pois de fato o amigo tem razão. Acabei dando uma de american fanboy…rs!

        Abração Broe!

      • Ah faltaram os Helis!:

        BHs para levar o piano, piano com uma GAU em cima! 🙂
        SHs para "arrancar" mussum da água!
        Super Linx para surpreender os "intrometidos"
        e AH-64 para limpar os "elefantes" 🙂

        • Xiiii…só colocou avião ocidental na tua lista…é só questão de tempo até o primeiro fanboyzovski se manifestar…

          • Tranquilo, rsrsrs na verdade eu coloquei quase todos da mesma "nacionalidade" pelo entrosamento! rsrsrsrs mas caberia um Su-35 e um PAK para "amanhã"…. 🙂

      • Francisco vc esqueceu o F5 forever para perpertuar a super putenfia.

  3. Credo… ainda com esse papinho?? Até F-5 vai bem em dogfight contra o F-22.

    Mas, é aquela história… já que não conseguimos fazer igual, vamos falar mal.

      • Felipe,

        As unidades de F-22 tem seu treinamento de combate contra os Forevis-5 Agressors…

      • Os americanos agora também estão treinando dogfighting com F5 para não serem surpreendidos nesta arena.

      • Os nossos Forevis5 com certeza derrubariam um raptor… acertando ele com um canopy que se solta em pleno ar.

  4. Realmente o f-22 foi concebido para infliltrar-se facilmente em territorio hostil,como se diz na giria abrir caminho,mas tem mais propagando do que tecnologia,muita grana para pouco serviço,com todo este preço éra para não apresentar poblema nenhum,pois foi testado e aprovado,e tando que a mesma construtora tambem ganhou o direito de contruir o f-35,éra para não ter pareo nenhum nem em curta nem em media e nen em longa distancia pois custa o dobro de qualquer caça de ultima geração em serviço no mundo.

  5. Já dizia o chines Sun Tzu: "Diante de uma larga frente de batalha, procure o ponto mais fraco e, alí, ataque com a sua maior força."

    O operador de um vetor como o F-22 sabe muito bem de onde tirar melhor proveito do mesmo. Se a coisa fosse como dizem os alemaes e provavelmente não é, e, se o inimigo se aproximar perigosamento, um piloto do F-22 sozinho e desavisado, vejam que coisa estranha de acontecer, pode simplesmente desengajar e dar meia volta. Sun Tzu continua: "Se numericamente és mais fraco, procura a retirada." Não há vergonha nenhuma disso. É só o que tem sido feito na história da humanidade. É melhor voltar pra combater outro dia do que perder a guerra.

    • Sério? 🙂 que novidade Bordi!

      Só combina com os mísseis BVR, lançados acima das 20 milhas, para eles não perderem seus alvos…

      a taxa de acerto em BVR, ainda hoje, é pateticamente baixa… e o sucesso dos IR modernos é que vão levar a vantagem… nada como um alvo bem travado! o calor não se "confunde, uma vez travados,uma "sequência" de IRs dificilmente perderão seu alvo…

      • Francisco AMX,

        Eu não diria isso…

        É bem verdade que a taxa de acerto BVR não é aquela coisa magnifica, mas uma das razões de ser dos mísseis é justamente impedir a ação do inimigo. Veja bem… Se um míssil for lançado contra uma formação de ataque, os aviões inimigos serão obrigados a executar manobras evasivas, e para tanto, terão que lançar todas as suas cargas. Isso, por si só, encerra a missão… Se for um combate contra uma CAP inimiga, diante do BVR a caminho, a CAP terá que quebrar a formação, lançando seus tanques subalares ( se estiverem carregando ) e executando manobras que por si só impedirão a iniciativa e dificultarão o apoio mútuo em combate, permitindo ao caçador, no mínimo, uma aproximação em vantagem para um engajamento a menor distância; isso se não encerrar o combate de vez, pois o consumo de combustível se eleva com a potência necessária para executar as manobras, o que provavelmente obrigará o inimigo a voltar…

        Em suma, só a presença do BVR no cenário já é uma ameaça incontestável a qualquer agressor. Mesmo que não acerte, uma vez o míssil lançado, o inimigo terá que esquivar-se e provavelmente acabará em uma posição na qual ele não poderá revidar ou mesmo prosseguir com a missão…

    • Parece que algumas forças aereas e pelo menos uma grande marinha já investiram algum dinheiro em uma realidade um pouco diferente da que você coloca. Burros eles!

      Ah! Corre e avisa o ministério da defesa da tua querida França pra suspender a compra do Meteor. Estão jogando dinheiro fora se o MICA IR é tão bom assim! Quem sabe com a economia dá pra pagar o HMD do Rafale ou ele será tão bom que nem HMD precisa?

      • gostei do "tua querida França"… nem vou mais te responder… te abraça com o Juarez, tomem um chinaps, e curtam a chegada do SHs… e parem de reclamar e encher o ouvido alheio com a mesma ladainha… todos já tão carecas de saber o que vcs pensam… dizer o que? um diz que já trabalhou na Helibras… e hoje fala mal… pq será? o que aconteceu?… boa coisa não foi…

  6. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK !!

    Vcs não acham que eu ia deixar esse prato cheio passar batido, acham ???

    SE o EFA em combate aproximado pega ele, um Su 35 detona com ele.

    Eu perguntei isso pro Bosco no outro blog ja faz uns dois anos: O QUE ACONTECE

    SE O SU 35 CONSEGUE CHEGAR PERTO DO F22 PARA COMBATE DOGFIGHT TRADICIONAL ??

    Eu sempre teorizei que as chances seriam iguais ou até melhores para os sukhoi, que manobram melhor.

    ( não é propaganda russa, é fato, o caça mais ágil, a despeito da vetoração do F22, ainda são os Su 30-35)

    OU SEJA: Cabe aos russos, chineses e europeus desenvolver sistemas de contra-medidas para que se aproximem dos F 22.

    Como ?? Um alternativa é o J 20 e Pak Fa, outra, sei la, ECCMs e aesas mais avançados, e tintas stealth devem ajudar.

    Mas isso fica para os Eng. Aeronauticos.

    Ps: O EFA usa AESA ????

    Um AESA mais avançado pega um stealth ???

    A maldição dos USA é que essa superioridade deles existe em tempos de paz. Ou seja, foram bilhoes para uma coisa sem muita utilidade nesse instante.

    Se daqui a 20 anos chineses e russsos tiverem armas semelhantes, o esforço norte americano, embora louvavel, tera sidod e pouca utilidade pratica: muito dinheiro para uma superioridade desnecessaria, já que é improvavel que a China ou a Russia ataquem os USA numa apocaliptica terceira guerra mundial.

    Apenas os americanofilos anti-russos fanaticos acham que essa guerra deve acontecer, com exterminio dos 140 milhoes de russos. Passam o dia sonhando com isso, pois podem esperar sentados.

    Felizmente o proprio governo norte americano é mais sensato que alguns blogueiros. Ainda bem, para o planeta inteiro… ( nao sobraria planeta numa terceira guerra…).

    • O comentário mais sensato até agora, equilibrado e sem pirraças. 🙂

    • Pena que o sukhoi não foi projetado para manobrar tão bem quanto o raptor em grandes altitudes e velocidades.

      Também não há provas de que o Su-35 seja mais manobrável que o raptor, os outros flankers su-27 e 30 com certeza não são.

      • É. Não tem pq os americanos se borram na hipótese de ver seu superultraporreta projeto de N bilhões de US$ sendo travado num CAC por um caça russo de 4ª geração ++, cujo projeto inicial se deu no início dos anos 80 e tido como obsoleto por alguns blogueiros. Ou houve algum red flag com Su-30 e F-22, no qual o "the greatest fighter of all-time" levou a melhor e não fiquei sabendo?

    • Resumindo o que vc falou:

      1- "SE" o Su-35 chegar perto sem ser abatido ele ganha do F-22. Só que pra isso acontecer, o piloto do F-22 tem que estar escutando AC/DC no último, com vendas nos olhos e voando sozinho num campo de batalha;

      2- "Se daqui a 20 anos"… Os americanos ficarem assistindo TV e comendo hambúrguer, os chineses e russos vão ficar de igual pra igual. Só que eles já estão desenvolvendo novas tecnologias. Daqui a 20 anos, pode sair outro avião e PAK FA e J-20 vão ainda estar atrás.

      3- "A maldição dos USA é que essa superioridade deles existe em tempos de paz. Ou seja, foram bilhoes para uma coisa sem muita utilidade nesse instante." –
      A Rússia está atualmente em guerra? Não! Então pq que eles estão desenvolvendo o PAK FA?? Ah! É se por um acaso tiver guerra… Tipo os americanos?? Que fazem o máximo do "suar na paz para não sangrar na guerra". Engraçado, se for usar essa sua teoria, a FAB não precisaria de FX-2 tb… pode parar com tudo e gastar o dinheiro com bolsa família.

      No final das contas a caravana segue… os americanos com as últimas tecnologias enquanto os russos estão correndo atrás da década perdida deles (90-00). Os russos podem empatar e superar os americanos?? Claro! Com certeza, mas a curto prazo, duvido. Aposto mais é na China.

      • Acho que sua linha de raciocínio está correta, porém, nao leva em consideraçao questoes economicas atuais, que devem perdurar durante a próxima década. O que quero dizer é que Rússia e China tem perspectivas financeiras melhores do que EUA para as próximas décadas. Nao é a toa que o contingenciamento está forte nos EUA. E é bom lembrar que, se os EUA afirmam que o F-22 é dificílimo de detectar, os russos dizem que fazem milagres com plasma em seus avioes para evitar detecçao por radar. Se dá pra acreditar nos americanos, porque nao também nos russos? Sempre é bom lembrar que técnologia custa dinheiro, e o dinheiro hoje está na Ásia. Abs

    • "Ou seja, foram bilhoes para uma coisa sem muita utilidade nesse instante."

      E tudo a a união soviética gastou tem alguma utilidade nesse instante? Qual a utilidade dos Tu-160 ou do mig-31?

      • Eu acho que os Americanos e Russos tinham que fazer uma guerra de verdade só de brincadeirinha para gastarem um pouco estas armas! 🙂 escolher uma área do pacífico para o cenário, e convidar todos nós para assistir de camarote… não muito perto claro! 🙂

      • Nããão poxa, tem cara que nao entendeu ainda…

        Os tu 160 e Mig 31 são DA GUERRA FRIA. Estariam na Russia ate hoje de qualquer maneira.

        Já o Raptor, em 1991, poderia simplesmente ter sido cancelado, e isso não afetaria os USA em nada. Pq ? Pq não se tem onde usa-los.

        Foram bilhoes numa coisa magnifica mas que não tem onde ser aplicada.

        E que inevitavelmente será alcançada. Russia e China não estão paradas.

        Ahh os USA continuam avançando. Claro.

        Mas os 20 anos foram pro ralo. Pq ? pq ja existem J 20 e T 50. estão em desenvolvimento

        e quando forem lançados se igualarão aos Raptor, no basico dos quesitos.

        Entendam, a pesquisa russa NÃO PAROU na decada de 90, o que ocorreu é que ELES NAO TINHAM DINHEIRO PARA IMPLEMENTAR OS NOVOS SISTEMAS NAS FORÇAS EXISTENTES.

        O Caça russo stealth é um projeto DE 1994, mas não tinha dinheiro para ele.

        Russos ja tem AESA e motores super cruise. So não instalaram 1000 deles na VVS ainda por pura falta de grana. Mas, serão instalados nos T 50.

        Toda a VVS está em recuperação gradativa. As reportagens do Cavok provam isso.

        E a China, que estava 40 anos atrasada, já está encostando. Impressionante, não ?

        Não nego a presente superioridade norte americana. É NATURAL, ELES TIVERAM DUAS DECADAS DE PROSPERIDADE TOTAL COM RECURSOS A VONTADE ENQUANTO QUE A RUSSIA QUASE SE DESINTEGROU.

        O MÉRITO É DOS RUSSOS, DE ESTAR COM OS T 50 E OUTROS EM DESENVOLVIMENTO, COM MUITO MENOS RECURSOS, ATE HOJE, E SE APROXIMANDO NOVAMENTE DOS USA.

        E DOS CHINESES, CUJO IMPRESSIONANTE DESENVOLVIMENTO TECNOLOGICO É DE FAZER CAIR O QUEIXO DE QUALQUER UM. ELES NÃO TINHAM NADA E HOJE JA TEM O J20.

        Quando houver ( se houver) um grande conflito, o que nao ocorrerá tao cedo, Russia e China estarão ja em paridade com os USA e os F 22 ja estarão velhos.

        Isso tudo MANTIDOS os parâmetros de desenvolvimento econômico atual ( USA meio estagnados e endividados com setor imobiliario em colapso, Russia em 4,5 % e China em 8% de crescimento do PIB ao ano).

        Fan boys dos USA, vc podem ter ovnis voando por Washington, não importa : OS NORTE AMERICANOS TEM 14 TRILHOES EM DIVIDAS E VAO TER QUE PAGAR DE UM JEITO OU DE OUTRO.

        Talvez os USA fossem mais espertos em economizar um pouco na decada de 00 e evitar a crise que os atingiu, ao inves de torrar grana em 180 caças magnificos mas DESNECESSARIOS, alem de outros gastos militares absurdos.

        Daí o porque de eu dizer : O F 22 nao tem utilidade pratica nesse instante. NÃO pela grana que torraram.

        Tanto que OS PROPRIOS NORTE-AMERICANOS CANCELARAM SUA PRODUÇÃO.

        PQ VCS ACHAM QUE A PRODUÇÃO FOI CANCELADA ?? PQ O WAGNER É "COMUNISTA" ?? NÃO, NÃO É POR ISSO…

        • Caro Wagner,

          Acho q vc esta sendo incoerente mais uma vez..

          Quanto os russos gastaram em armas nucleares? E usaram onde?

          Isso se chama Dissuasão

          • A que preço, Symon ??

            Em tempos de paz, com 3000 F 15s e F16s e F 18s disponiveis ??

            Versoes stealth desses vetores, com vetoração, dariam mais 30 anos de folga a Usaf. Sem custos tao exorbitantes.

    • Eu não sou anti-russo amigo Wagner. Tanto que você não me vê fazendo apologia à terceira guerra mundial. Mas digo e reafirmo que as justificativas dos oficiais da Luftwaffe foram muito evasivas no que tange ao dogfight. E foram taxativas ao elogiar as capacidades do Raptor acima de 20 milhas

      • Sim HMS, eu sei, nao falava de vc… tranquilo.

        🙂

        Os caras que eu falo sabem muito bem quando me refiro a eles…

    • Wagner,

      A questão não é uma contra-medida no sentido dessa palavra. Apenas uma capacidade de detecção brutal seria capaz de colocar um Raptor na tela de um radar… Contudo, um bom sistema de guerra eletrônica simplesmente anula ou debilita essa capacidade de detecção, e como dificilmente um Raptor iria operar sem cobertura de aeronaves de guerra eletrônica… Até aqui, jammear um radar mostra-se muito menos dificil do que tentar burlar uma capacidade de deflexão de ondas…

      A única medida viável para contrabalancear o caça americano é o desenvolvimento de um rival, como aliás, russos e chineses estão buscando fazer…

      Quanto a superioridade dos EUA, ela tem seu foco em permitir a vitória e um maior nível de dissuasão por meios convencionais frente a potênciais adversários, sem a necessidade de mobilização dos meios alternativos.

  7. só há um meio para deter o Raptor, é o fator quantidade/perdas e daqui uns 20 anos China, talvez, poderia utilizá-lo…..diante de um enxame de caças 4+ e 4++ talvez reste um Flanker para pegá-lo no dogfight. minha opinião abcs (mas ainda acho que os Raptors só entrariam depois dos Tomahawks, já com as Forças Aéreas inimigas combalidas).

  8. A verdade é que a vantagem tecnológica atualmente não costuma durar mais de uma década. Com a generalização do uso de aeronaves stealth, os países que possuem uma base industrial-tecnológica capaz irão buscar uma contramedida eficaz para detecção desse tipo de vetor.

    Vimos aqui outro dia o desenvolvimento de um radar que detectaria os atuais stealth.

    Em tempo, eu ja disse aqui outras vezes que em um dogfight o F-22 perderia facil pro su-35 e até pro Su-30. Não me impressionou em nada ver essa noticia de mais um eurocanard derrotando o "grande panfleto stealth".

    Aliás, viram o que o Romney disse esse fim de semana? Que Israel é "culturalmente superior aos palestinos". Esse discurso me lembra um certo austríaco na década de 30/40.

    • "eu ja disse aqui outras vezes que em um dogfight o F-22 perderia facil pro su-35 e até pro Su-30."

      Disse sem saber! O raptor é mais ágil que o flanker. Não se esqueça que o sukhois indianos perderam em dogfights para os F-15.

      "grande panfleto stealth"
      E o histórico de serviço dos sukhois é o que?

      Não viu a parte da matéria dizendo que os EF nada podiam fazer acima de 20 milhas?????????? O mesmo é válido para os sukhois ou algum de vocês tem algo que prove o contrário?

      • Caro João Paulo, não sou russófilo e já escrevi pouco acima que o Raptor é superior e juntamente com mísseis balísticos não tem para ninguém…..mas essa de f-15 na Red Flag creio que vc exagerou, aquela palestra filmada foi feita por um piloto que não tinha participado do exercício e ele era claro em admitir que após os pilotos indianos se habituarem bem com os vetores russos, seriam plenamente capazes de derrotarem a 4ª geração americana….já vi simulações nos EUA que demonstravam que o eagle não era páreo ao flanker (simulação de vetor x vetor apenas, sem todo o suporte que os EUA também são imbatíveis) abcs

      • João

        O F 22 NÃO FOI VISTO FAZENDO AS MANOBRAS QUE OS SUKHOI CONSEGUEM FAZER.

        O YOUTUBE ESTA CHEIO DESSAS MANOBRAS.

        SÓ OS SUKHOI CONSEGUEM FAZER AS MAIS RADICIAS, TIPO A COBRA.

        SOMENTE ELES PODEM TER ESSA AGILIDADE, FATO COMPROVADO JÁ.

        O RAPTOR NÃO É TÃO ÁGIL QUANTO O FLANKER E SUPER FLANKER, JAMAIS FOI VISTO FAZENDO AS MANOBRAS QUE OS RUSSOS FAZEM.

        AGORA SE VC TEM UM VIDEO DE UM F22 SUPERANDO UM SU 35 EM RELAÇÃO A MANOBRAS, POSTE AQUI, TODOS QUEREMOS VER.

        • Tá louco?

          tá cheio de videos mostrando o raptor fazendo cobras e as mesmas manobras que os flankers. Prova de que você não pesquisou!

          Tem um vídeo que mostra o Raptor fazendo um cobra e ficando parado no ar por mais de 2 segundos coisa que os flankers não frazem! Inclusive o raptor faz o cobra com mais estabiloidade que o Su-30.

          Perca a um pouico do seu tempo e vá pesquisar para saber o tamanho da bobagem que você está falando.

          O raptor é mais ágil que o flanker não adianta!

          • Isso nem de longe é uma manobra cobra, o Draken mal chega a 90º de angulo Alfa, os Su-27 chega 120º e a grande diferença é que ele recupera a energia muito rapidamente, se vc observar o Draken perde muita altitude aponto do piloto suar a camisa…

      • Oi Caruso
        Parece que o ocorreu na índia foi o contrário: os Su30-MKI deram pau nos F-15 usando uma combinação de manobras vetoradas e o lançamento em sequencia de 2 misseis: um pra despistar e outro pra matar…

        • Olá MGT, isso ocorreu nas simulações que mencionei, saiu nos jornais de lá com a seguinte manchete "flanker hits eagle every time", atirando o primeiro, o eagle percebe, despista, vai de encontro ao atirador que com as manobras vetoradas consegue colocar o eagle em situação de vôo adversa e nesse momento atira-se o segundo (isso é vetor x vetor apenas), na red flag os EUA levaram a melhor, mas é sabido que os americanos pilotam 4g+ há mais tempo, o palestrante sabia disso e disse que com o tempo e treino os indianos seriam capazes de abater seus 4g.

        • Sim, essa é bem conhecida. Eu tinha uma edição antiga da revista Força Aérea sobre os misseis BVR que trazia essa história.

          Se não me engano era uma combinação de tiros de R-27 + R-77.

          De qualquer forma não é segredo nem pros americanos que o SU-27 era superior aos Eagle, os unicos que ignoram esse fato são os Fanboys, esses se acham mais ianques que os proprios ianques e acabam dando vexame na net.

    • Camarada Relojoeiro

      Se o Mitt Romney ganhar, a industria belica norte americana vai comemorar, pois ele ja disse que acha que a Russia é o maior rival geopolitico ainda dos USA.

      É preocupante que um lunático enfurecido como o Romney ganhe nos USA. Não para a Rússia, é claro, que não pode ser vencida pelos USA nem por ninguem, mas sim para os povos de paises menores tipo Mianmar e Coreia do Norte, que correm o risco de serem massacrados como o Iraque.

      Se ele der carta branca a Israel, os jueu podem atacar Teerã, os aiatolas vão reagir, e imagine a explosao de violencia.

      Muitas vidas correm perigo com um republicano no poder.

      O que ele falou em Israel é o mesmo que Hitler falava na decada de 30, como vc bem observou.

      Tanto que muitos israelenses não concordam com ele…

      • Depois dessa já estou pensando seriamente em sufragar o nome do Mitt na urna.. rsrsrs

  9. Essa afirmação dos alemães é óbvia. A principal vantagem dos Raptors é a furtividade. É dar tapa em bêbado,agora se cai no visual fica tudo mais ou menos na mesma capacidade. Afinal o F-22 não é um ovini( sé é que existem).

  10. Romney não falou isso… ele não seria estúpido de encher a boca com essa ladainha a la huttington a essas horas?!?!?

    http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/23

    Parece que sim, né… aff… Nem preciso perguntar a ele a opinião sobre o Irã… se esse cara ganha a LM volta a ter pedidos rapidinho…

  11. Não sou um especialista, mas acredito que no dogfight a superioridade hoje em dia fica mais por parte da mira montada no capacete (HMD) mais a capacidade do míssil IR de 5G por exemplo que faz mais curva é mais resistente a interferências e etc, do que a capacidade de manobras da aeronave.

  12. Boas a Todos!

    Dizerem que o su 27/30/35 ganha ao EF nao me parece, pois o EF foi desenvolvido unicamente para fazer frente ao sus e para vence-los, lembrando que quando o EF foi desenvolvido ja os centros de pesquisa europeus tinham acesso ao su27. E como o corpo do su é identico ao 30 e 35 a manobrabilidade deles é a mesma, tirando é claro a velocidade de ponta dependendo dos motores.

    O EF e o seu clone Rafael, mas principalmente o EF, foi feito para ser o melhor dogfighter do mundo e pelos visto ainda se porta muito bem contra a nova geração.

    Agora a teoria do steahlt e das 20 milhas depende muito, pois actualmente ja nao existe combate de apenas aviao vs aviao, existe sempre uma equipa de apoio de radares em terra ou ar que transformam esta realidade.

    Ou seja, se pusermos o f22 como agressor (como dito em cima) basta que o territorio que é atacado pelo f22 ter espalhado pelo mesmo varios recetor de radar passivos e logo logo vao descobrir o f22. Pois a tecnologia stealht por muito que consiga absorver as ondas de radar, o que principalmente faz é refletilas para outras direçõe que nao as do radar imissor, ou seja, por muito que refleta as emissoes estes recetores passivos desde que bem colocados no terreno vao receber estas emissoes e calcular a localizaçao do f22. E ai deixa de haver a vantade do steahlt ou da luta a cima daas 20 milhas, pois ambos sabem a posiçao do inimigo.

  13. A grande INFORMAÇÃO aqui é o F-22 não é tão superior assim em combate aproximado em relação a um Eurofighter (sem radar AESA).

    Outra coisa, a informação anterior (intensamente desacreditada) que o Rafale também teria tido desempenho equilibrado contra o F-22 nos combates aproximados nos exercícios nos EAU ganha mais PESO.

    Ambos os Eurocanards quando receberem seus radares AESA se tornarão mais fortes e com tendência a serem mais duros no combate aproximado.

    Alguém tem dúvida que o SU-35 é superior ao EF e o Rafale ???

    O FATO de Rafales e Typhoons "engrossarem" no dogfight com o Raptor indica que a disputa com o Su-35 é NO MÍNIMO incerta.

    Qualquer avanço eletrônico e aeronautico que "corroa" a vantagem BVR do Raptor pode jogar no RALO Bilhões de dólares de vantagem militar.

    E isto é tecnologicamente INEXORÁVEL, vai acontecer cedo ou tarde.

    Tanto assim que os americanos já encerraram a produção do Raptor e já colocaram no seu planejamento (ESTE ANO) o início do desenvolvimento do seu sucessor…

    O Raptor está ficando Jurrássico, para os AMERICANOS…

    • Giba:

      Analisando as declarações dos oficiais alemães é possível chegar à seguinte conclusão:

      É muito difícil chegar a menos de 20 milhas do Raptor. Nas palavras do próprio oficial alemão, mesmo fazendo tudo certo era muito difícil chegar a menos de 20 milhas do F-22 sem sem alvejado. Ou seja, o aparelho cumpre completamente aquilo que lhe foi esperado.

      No campo visual as coisas equilibraram um pouco. Digo um pouco mais pelas próprias palavras dos alemães. Como disse o primeiro oficial a falar: "eles(os americanos) não esperavam que curvássemos tão agressivamente". Ou seja, os pilotos da Luftwaffe tiveram que suar um bocado e extrair todo o possível dos seus aparelhos para teoricamente equilibrar o jogo. Já outros dois pilotos foram mais evasivos. Basta ver que um deles disse que no alcance visual "não necessariamente tem algo a temer". Se ele estivesse tão confiante batia no peito e diria que lutou de igual para igual não?. Mas por outro lado talvez você esteja certo e o JHMCS e o AIM-9X tenham feito falta.

      Quanto ao Su-35, embora seja uma aeronave magnífica, ainda assim está uma geração atrás do F-22. Os russos sabem disso e desenvolvem o PAK FA. Embora alegadamente o Su-35 seja mais ágil que o F-22 (até em virtude do seu TVC 3D, ao passo que o do Raptor é 2D por questões de furtividade), me parece que uma formação de Su-35 que venha de frente para uma de F-22, caso cheguem a travar contato visual, já estarão em desvantagem.

      Por fim, não existe ganho tecnológico que se corroa ou se perca. O F-22 ainda está muito a frente dos outros e o aprendizado dele decorrente será útil para o seu sucessor.

      • O que você, eu e os americanos não sabem AINDA COM 100% DE CERTEZA é qual foi o conteúdo (e a sua QUALIDADE) adicionado de 5ª geração e incluído no NOVO AVIÃO SU-35…

        E questão das questões, o quanto a nova geração de aviônicos e eletrônicos RUSSOS EVOLUIU uma vez que atualmente a indústria russa tem amplo contato com a eletrônica comercial ocidental (que ANTES não existia ou era muito limitado) e quanto este "contato próximo" pode ter beneficiado a evolução dos sistemas eletrônicos militares russos MODERNOS e a diferença ESPERADA baseada na diferença dos antigos sistemas da era soviética…

        Isso sem mencionar que especificamente em termos de vetoração de empuxo a tecnologia russa é claramente SUPERIOR.

        Por fim as capacidades BVR do F-22 são LIMITADAS pela carga paga da aeronave.

        Sua hipótese de aplicação militar que é infiltração stealth em área contestada deve ser ANALISADA.

        Sua missão é entrar furtivo (que implica sem cargas externas), cumprir sua missão (que ainda não é capaz pois a parte de ataque ao solo BÁSICA recém foi implementada e ainda não tem o radar altímetro anti-colisão ao solo) uma vez descoberto, usar o seu super cruisse para FUGIR e usar PARCIMONIOSMENTE seus poucos mísseis contra os atacantes que se aproximarem… DEMAIS.

        O PROBLEMA YANKEE é que se os TAIS oponentes forem os SU-35s não há vantagem significativa de velocidade para o Raptor e se o número de perseguidores for superior ao número de mísseis disponíveis ao Raptor (ou ele não acertar todos eles um por aeronave atacante)…

        Estará numa situação tática que se seus irmãos menores não correrem para defendê-lo, ele poderá não ter como se evadir de uma velha e boa Briga de Cachorro…

        PORTANTO esta argumento de que o F-22 raramente entre em combate VR convencional é BEM DISCUTÍVEL na minha opinião…

        • Gilberto Rezende,

          Aí vem a questão. A única maneira conhecida de se anular ou diluir a capacidade stealth é com uma capacidade de detecção realmente poderosa. Contudo, jammear um radar é muito mais simples do que burlar um sistema de deflexão de onda. Daí que uma aeronave americada, seja ela qual for, dificilmente estará operando fora da cobertura de aeronaves de guerra eletrônica. Ou seja, mesmo que um Su-35 possa lograr êxito em localizar um Raptor a distância razoavel ( considerando toda a capacidade de detecção brutal anunciada ), ele provavelmente jamais conseguiria faze-lo em um combate contra vetores stealth cobertos por defesas eletrônicas, defesas essas que mesmo que não anulem a capacidade de detecção em si, por certo lograrão diminui-la ao ponto de proporcionar ao vetor americano a vantagem…

    • "O Raptor está ficando Jurrássico, para os AMERICANOS…"

      Imagina como fica o Brasil então com F-5M.. 🙂

      • Era geológica anterior…

        Início do Paleozóico:

        O F-5E é do Cambriano…

        Ou Devoniano se considerar o F-5M…

  14. Desde sempre o F-22 não é essa bola toda não para Dog…

    Ele foi concebido para combate BVR e invaão de áreas hostis com o mínimo de detecção…

    Já existem radares que conseguem detectar um F-22 até a certa distância, o problema é que não travam nele só o acompanham…

    Até um MIG-21 em Dog tem plenas capacidades de derrubar um F-22, com Mísseis já beiram os 100G's de carga de manobra vcs acreditam que algum caça atual tenha possibilidade de fugir de um??

    Ah, o SU-35 é mais manobrável que o F-22…Empuxo vetorado é coisa Russa não americana…

    O F-22 usa vetoração 2D os Russos já possuem a 3D para MIG-35 e SU-35…Só não os utilizam em seus vetores por custo…

    O IRST do Flanker é poderoso e pode alcançar um F-22 a grande distância…

    Lembrem-se…para qualquer inovação altamente tecnológica sempre há uma solução muito simples(os EUA desenvolveram uma caneta que funcionasse no espaço…os Soviéticos levaram o Lápis…)

  15. ou seja o alemão disse que o f22 é mau, mas no fundo não o consegue abater, porque não se consegue aproximar dele

    • Vdd, e pior, nem ao menos consegue ver ou saber onde encontrar um.. rsrsrs

      • é do tipo o f22 ve o inimigo lança e o missil e esqueçe, o outro quando tem sinal de missil nem sabe de onde ele veio

  16. Só pra pensar: se o EF realmente entrou pro grupo dos "caça" F-22, como fica agora o Gripen? O AESA dele tá saindo, mas será que ele tem bala na agulha pra entrar pro clube? Tem mobilidade pra isso? Abs PS: choveu no note e detonou metade do teclado, por isso esses textos mal formatados.

  17. Porra ! mesmo com um texto lucido e cristalino ainda tem cara que prefere insistir na zombaria.E´bom refrescar a cabeça da macacada deque como sugeriram ,o RAPTOR nao demostrou sua capacidade total de manobra em funçao das falhas no sistema de respiraçao,ou sera´que esqueceram que ele voava com restriçoes. So quero ver apartir de setembro aonde o F22 sera liberado para se adestrar em dogfighter,entao ate la´o SI e SI bla bla vai ser usado ate que sejam postadas imagens do raptor manobrando no TALO, e tem mais os russos que nao sao apegados a lendas ou a achometros ,sabendo da existencia do F22 ja providenciaram um oponente para combate-lo, o SU50 sim,.este vai dar trabalho ,a auto manobrabilidade do f22 pode ser neutralizada pelos misseis supers Gs, concordo,o mesmo vale para os SUs !

  18. Que Typhoon,Rafale,F18,su 35 aceitem o futuro presente Dogfight é para sub-desenvolvidos, nada chega perto de um F22. Imaginem uma força com F22 seguida de F35, f117 e B2 nada se compara a isso!!!

  19. Pelo que entendi eles chegaram próximos de 20 milhas do F22, abaixo disso foram abatidos, 20 milhas é igual a 36Km, então me respondam qual a NEZ dos melhores misseis bvr russos e do meteor europeu, será que com AESA e misseis com 100 ou 130 Km essa situação de combate BVR não fica mais igual, uma vez que a nez dos mísseis americanos é menor. Em outras palavras, quanto o f22 tem de se aproximar dos rivais de 4G para lançar um Míssil sem que seja detectado e esse ser efetivo sem receber um contra ataque? No caso de contra ataque simultâneo como fica o f22, já que o mesmo não leva tantos mísseis?

    • Alexandre:

      O F-22 leva 8 mísseis, sendo seis AIM-120 e dois AIM-9. Tudo isso internamente. Se você chama isso de poucos mísseis…

    • Caro Alexandre,

      Tão importante quanto o radar AESA, é o sistema passivo de detecção do F-22 AN/ALR-94. Tem um alcance muito maior que o próprio radar e é capaz de triangular posições inimigas no modo totalmente passivo à mais de 300km de distância. O AIM-120D recentemente integrado possui um alcance estimado de 180 km, e que talvez lançado do F-22, tenha um alcance ainda maior, ou um NEZ maior ainda, visto que o mesmo é lançado com muito mais energia pelo Raptor. O Raptor também voa em supercruise "de verdade" algo em torno do 1800km/h. Os caças de 4ª geração tem velocidade de cruzeiro em alto subsônico, 900/1000 km/h.

      O SU-35S tem um radar do tipo PESA de 400km de alcance. Possui o OLS com alcance de 90km, e misseis ar-ar na faixa de 180km de alcance. Grande manobrabilidade, mas seu RCS em ordem de combate deve girar no mínimo em torno de 1m2.

      Não vejo o SU-35S como um oponente à altura do F-22.

      Em um hipotético 1×1, com o SU35-S fazendo scans com seu IRBIS-E, seria uma presa fácil para o F-22. E se operando no modo passivo, seu alcance de detecção estaria na faixa dos 90km, muito dentro do alcance dos BVR AIM-120D. Novamente, não vejo chances para o SU-35S.

      Mas, os russos alardeiam que seu sistema de jameamento de misseis permite escapar dos BVR inimigos. Por outro lado, o AIM-120D possui uma forte capacidade anti-jammer. Ou seja, se os russos conseguirem trazer o combate para a zona WVR terão uma chance, como o Typhoon e o Rafale tem. Mas o F-22 pode simplesmente desprezar o combate WVR e sair fora do combate em Suppercruise.

      []'s

  20. Obrigado Nick, pela explicação, mas me ative aos mísseis americanos atuais que não alcançam mais que 90 Km, lógico com uma nez bem menor, com a chegada do aim120d os gringos vão igualar aos russos em BVR e ai a vantagem é do F22 neste quesito, mas o mesmo ainda não está operacional. Hms tireless, obrigado tb , mas quantos mísseis bvr leva um SU 30 ou Su 35, bem mais, como tb tem mais autonomia e persistencia em combate, então minha dúvida era o uso dos BVR para intimidar o agressor, lançando-os mesmo que não haja engajamento dos mesmos, quem tem mais leva vantagem não é verdade, sempre sobra algum para o tiro de misericórdia.

    • Caro Alexandre,

      Disponha.:)

      Acredito que o SU-35S é uma máquina fantástica, e na sua classe(4.5ª geração) é o provavemente o melhor(pelo menos até o F-15 Silent Eagle se tornar realidade). Seria uma ótima opção para o FX-2. Mas alguma coisa "pegou" na seleção. Acredito que foram as ToTs, e talvez o fato que faria sombra para o caça francês.

      []'s

  21. Se vier um piloto russo falar que o raptor é superior vai ter gente falando que ele é um traidor e se bandiou pro lado dos EUA e vão continuar falando que o raptor é piada, mata piloto, desintegra-se na chuva, que custou os olhos da cara e não mostrou nada(isso é até interessante, deve ter muito comentaristaengenheiroespecialista aqui do Brasil pagando imposto nos EUA; inclusive rusofilos de carteirinha; tamanha é a preocupação com o dinheiro público americano).A pergunta crucial e simples é:se os americanos são tão burros e ignorantes ao investir em aviões furtivos durante tantos anos, o que dizer das nações que estão correndo atrás de projetos semelhantes depois de saberem, conforme o comentário dos colegas do blog, que o raptor é um tremendo mico, que furtividade e combate BVR já se tornaram coisas do passado, jurássicos? Afinal se um otário mete os pés pelas mãos o esperto que está observando vai evitar o mesmo erro, ou será que o esperto acha que o otário não é tão otário assim?

    • Eu tempo, eu tenho uma teoria para responder está questão: a propaganda imperialista/capitalista cegou mãe Russia, mãe China, pai Japão, Primas India e Turquia e alguns sobrinhos europeus.Alguem tem que avisar estas nações, enganadas pelo grande satã ocidental. Ainda bem que o meu amado Brasil não cai nessa, temos o super retrofiado F5 forever 6g+++ou-.

Comments are closed.