A Força Aérea Alemã foi a primeira a testar a capacidade do A400M de reabastecer em voo outras aeronaves e agora também foi a p[primeira a colocar o A400M em operação com esta função.

Outra nova capacidade para a Luftwaffe (Força Aérea Alemã): o A400M está sendo testado no exterior como um avião-tanque. Sua tarefa é parte da Operação Counter Daesh, para reabastecer aeronaves alemãs e aliadas no ar.

O Esquadrão de Transporte Aéreo 62, da Luftwaffe, trabalha há um ano para atingir esse objetivo.

O Comandante da Ala de Transporte Aéreo (LTG) 62, Coronel Ludger Bette, aprovou o primeiro contingente de uma versão de reabastecimento do Airbus A400M. “Eles abordam essa missão com o espírito de equipe do LTG 62. Desejo ao time o melhor e que todos voltem para casa em boa forma”, disse Bette aos 21 soldados do LTG 62 enquanto se dirigiam para a Jordânia, onde substituirão um Airbus A310 na missão de reabastecimento na região.

Desde agosto de 2018, a certificação do A400M como aeronave de reabastecimento na versão AAR (Air-to-Air-Refueling) está em andamento. O esquadrão de transporte aéreo (LTG) 62 da Wunstorf é a única unidade das Forças Armadas da Alemanha (Bundeswehr) equipada com modernos aviões de transporte. Atualmente, há 30 A400Ms “no convés” em Wunstorf. No futuro, eles assumirão as missões de transporte do C-160 Transall.

Além da preparação para o voo pelo Ministério da Defesa com suas três aeronaves de transporte de múltiplas funções A310 (MRTT), a aeronave A400M é agora uma parte indispensável da capacidade de transporte de pessoal e material estratégico das Forças Armadas da Alemanha. Até agora, o uso como MEDEVAC (Medical Evacuation) sublinha a capacidade multi-função do A400M.

A migração da tarefa está progredindo e o papel como tanque para as aeronaves alemãs e aliadas também está sendo assumido pelo A400M. Atualmente, os Tornados e Eurofighters alemães e os Eurofighters espanhóis foram tecnicamente liberados para o reabastecimento do A400M.

Aprovações adicionais de usuários, como as forças italianas e britânicas, são esperadas em breve. A Luftwaffe é pioneira, pois a Alemanha é a primeira nação usuária do A400M a fornecer essa capacidade.

Tudo somado, o esquadrão terá dez conjuntos de equipamentos disponíveis para adaptação como aviões-tanque. Isso permite que o A400M seja usado de maneira flexível. Como um avião tanque, o Airbus pode reabastecer duas aeronaves ao mesmo tempo. No total, cerca de 40 toneladas de querosene podem ser entregues, e até dez aeronaves podem ser reabastecidas em uma hora.

Após inúmeros voos de certificação nacionais e internacionais, mais voos de reabastecimento sob condições de operação estão na agenda para as próximas semanas.

As equipes de Wunstorf agora têm os procedimentos necessários para realizar missões de reabastecimento sob condições operacionais. Como parte da operação para conter o estado islâmico, os soldados são enviados em conjunto com a força-tarefa.

A implementação será paralela às operações de voo com o A310 MRTT, também localizado na base aérea de Al-Asrak, na Jordânia. Experiências valiosas podem ser trocadas diretamente e usadas para otimizar ainda mais essa habilidade.

Este “batismo de fogo” é o marco final para a prontidão operacional do A400M como um avião-tanque. Graças à sua proteção balística, o A400M também pode voar diretamente para áreas operacionais como o Mali e o Afeganistão e operar lá.

O Inspetor Geral da Luftwaffe, Tenente General Ingo Gerhartz, concorda: “Hoje estamos dando um passo gigantesco. Com a implantação do A400M na Jordânia como avião-tanque, somos a primeira nação a instalar essa aeronave”.

Chegada na Jordânia

O A400M da Luftwaffe após pousar na Jordânia.

O A400M AAR adotado com o registro 54 + 10 começou sua missão na Jordânia e seu primeiro uso como aeronave de reabastecimento. Por volta das 21h20, hora local, pousou com segurança no destino de Al-Asrak.

“O voo foi tranquilo – claro que também emocional, com o conhecimento de que com 21 soldados e militares da minha unidade estamos dando o início visível para outro marco importante nas capacidades do A400M”, disse o piloto e comandante da missão após aterrissagem. “Estamos satisfeitos por poder aplicar em ação o treinamento que tivemos nos últimos meses.”

Nas próximas duas semanas, muito trabalho será feito pela equipe do LTG 62. O teste como uma aeronave de reabastecimento em ação – uma verdadeira estréia que usará o contingente alemão em combate ao Estado Islâmico no Iraque para obter uma experiência valiosa nas operações AAR do A400M.

Anúncios