Aermacchi MB 326 - Macchi MB-326K voa pela primeira vezUm MB-326KZ que foi construído, mas nunca havia voado, recentemente ganhou os céus.

O voo de teste de um Aermacchi MB-326KZ em Reggio Emilia, perto de Bolonha, Itália, no dia 26 de setembro de 2019, marcou o culminar com sucesso de anos de trabalho dedicado, que consumiu milhares de horas. Esta variante monoplace de ataque ao solo da década de 1970, do bem-sucedido treinador MB-326, pertence à coleção de voo Volafenice de Renzo Catellani.

Na realidade, devemos considerar este MB-326K como uma aeronave totalmente nova, porque, embora a Aermacchi tenha chegado perto, ela nunca concluiu sua construção. Curiosamente, como indica o ‘KZ’ em seu designador de variante, a estrutura (número de construção 6754 e série militar FG754) foi originalmente encomendada no final da década de 1970 como parte de um contrato para 11 unidades para o Zaire, atual República Democrática do Congo. No entanto, dificuldades financeiras no Zaire levaram à rescisão parcial do contrato. Por qualquer motivo, o 6754, apesar de completo, nunca foi totalmente montado ou entregue a outro cliente. Ela ficou armazenado por várias décadas antes da Volafenice adquirir a estrutura essencialmente nova.

Volafanices Aermacchi MB 326K 8 1024x768 - Macchi MB-326K voa pela primeira vezAgora registrado como I-MBCK, a aeronave foi pintada para representar o MM54391, um exemplar da Força Aérea Italiana que serviu com o 311° Gruppo/Reparto Sperimentale Volo (RSV), a unidade de teste de voo baseada na Base Aérea de Pratica di Mare, perto de Roma. Temporariamente no registro civil como I-KMAK, o antigo MM54391 participou de uma campanha de marketing em vários shows e exposições aéreas (Le Bourget: 1971, 1972, 1975, 1979; Farnborough: 1972, 1974, 1976; Hampshire, 1978). Mas talvez o mais importante seja o fato do MM54391 ter viajado pelo Brasil em 1974, onde, nas mãos do piloto de testes da Aermacchi, Franco Bonazzi, realizou inúmeras demonstrações em várias bases da Força Aérea Brasileira em todo o país. O Brasil se tornou um grande cliente do modelo, impulsionando as vendas no Mundo.

Curiosamente, o MM54391 original desempenhou um papel na restauração do 754. A aeronave esteve em exibição ao ar livre por muitos anos na Base Aérea de Pratica di Mare, mas em junho de 2015 Volafenice a desmontou para recuperar inúmeras peças ausentes para o FG754. No final deste delicado trabalho de recuperação, a Volafenice doou o MM54391 ao Museu Malpensa “Volandia”, onde a aeronave será restaurada para exibição estática. É graças ao volume de peças recuperadas do MM54391 real que o FG754 herda uma parte de sua história, pois esses componentes foram críticos para permitir que o FG754 voasse. É adequado ver o FG754 usar as cores do 391 como um testemunho da importância da estrutura na história da variante.

Oficial aposentado da Força Aérea Italiana, Cdr. Maurizio Lodovisi levou o ‘754 para o seu voo inaugural no dia 26 de setembro. De muitas maneiras, Lodovisi era o candidato ideal para esse papel, pois ele é altamente experiente no modelo, tendo voado durante seu tempo no RSV nos anos 1980. Tudo aparentemente correu bem, e a aeronave fez outros voos nesse meio tempo. 

O Aermacchi ou Macchi MB-326 era um avião de treinamento a jato militar leve que voou pela primeira vez em dezembro de 1957. A produção começou em 1961 e o modelo alcançou um sucesso comercial significativo, sendo adotado por 10 Forças Aéreas. Além disso, Austrália, Brasil e África do Sul os construíram sob licença. O treinador ficou em produção até 1975, com mais de 800 unidades construídas nas várias linhas de produção.

Aermacchi MB 326K Photo By Andrea Torelli - Macchi MB-326K voa pela primeira vezEra uma aeronave tão eficaz que os últimos exemplos militares ativos só foram aposentados na última década! Como nas aeronaves de treinamento militar mais bem-sucedidas, o tipo recebeu interesse pelo uso em funções de combate. E, como tal, surgiram várias variantes de ataque leve, das quais o MB-326K era uma. 

Volafenice possui e opera o ex-treinador da Força Aérea Italiana MB-326E MM54168, que o museu restaurou por um período de seis anos. O MM54168 voltou aos céus em 2012.

O proprietário da aeronave, Renzo Catellani sempre teve uma paixão por aviões. Ele fundou o Museo dell’Araba Fenice (Museu da Fênix) para coletar artefatos aeronáuticos para ajudar a educar o público sobre a história da aviação. Volafenice (mais conhecido como Museo Volante Vola Fenice – ou Phoenix Flying Museum) é a principal subsidiária do museu encarregada de restaurar e operar aeronaves históricas.


Com informações de Warbirds News.

 

Anúncios