Sukhoi Su-57 durante demonstração aérea no MAKS 2019. (Foto: Marina Lystseva / TASS via Getty Images)

A Turquia e a Rússia iniciarão negociações sobre cooperação no setor de aviação, em uma tentativa de fortalecer as negociações bilaterais, incluindo os caças furtivos Sukhoi Su-57, após a visita de um dia do presidente turco Recep Tayyip Erdo?an a Moscou, segundo uma autoridade russa.

“Continuaremos a falar sobre tópicos da agenda e, é claro, abordar os S-400. Falaremos sobre como podemos passar por uma fase mais avançada do Su-35 e a possível aquisição do Su-57”, disse Dmitry Shugayev, chefe do Serviço Federal Russo de Cooperação Militar e Técnica, a repórteres durante o MAKS 2019.

Su-35 Flanker.

A Turquia tem demonstrado interesse em caças russos, pois foi removida do programa F-35 dos EUA, de acordo com Shugayev.

Erdo?an, em 27 de agosto, fez uma visita de um dia a Moscou para participar da MAKS 2019, a feira anual de aviação e espaço da Rússia. O presidente também se reuniu com seu colega russo Vladimir Putin para discutir relações bilaterais e ocorrências recentes em Idlib, incluindo os ataques do regime de Bashar al-Assad.

Durante a feira de aviação, Putin apresentou os últimos desenvolvimentos na indústria aeronáutica e espacial russa, incluindo os caças Su-57 e Su-35, o helicóptero militar Ka-52, helicóptero pesado Mi-38 e helicóptero médio Ka-62.

Putin afirmou que Erdo?an foi o primeiro líder estrangeiro a ver a “aeronave mais perfeita” da Rússia.

Depois que os líderes examinaram os motores, eles realizaram uma reunião a portas fechadas por mais de uma hora, seguida por uma entrevista coletiva conjunta.

Turquia interessada em produção conjunta

O elemento mais importante dos passos que a Turquia toma com a Rússia é a produção conjunta e a Turquia deseja estender essa solidariedade também à indústria de defesa, disse Erdo?an na conferência de imprensa.

“Uma das características mais importantes das medidas que tomamos com a Rússia é a produção conjunta. Vimos isso nos S-400s. O treinamento de nosso pessoal está em andamento. Queremos continuar com essa solidariedade em muitas áreas da indústria de defesa, sejam nos jatos de passageiros ou de combate”, afirmou Erdo?an.

“O espírito de solidariedade é fundamental aqui. Mas nossa solidariedade econômica é extremamente importante ”, afirmou.

“Com isso, em nossas reuniões de hoje, tivemos a oportunidade de discutir quais medidas poderíamos dar em vários campos da indústria de defesa e o que poderíamos fazer”, acrescentou.

O presidente acrescentou que o volume de comércio entre a Rússia e a Turquia atingiu US$ 25 bilhões, mas o objetivo é atingir US$ 100 bilhões.

“Além disso, a chegada de turistas russos à Turquia significou muito em relação à unidade do nosso povo”, disse ele.

Putin, por seu lado, disse que ele e Erdo?an discutiram cooperação e trabalhos conjuntos nos jatos Su-35 e Su-57.

“Conversamos sobre a cooperação no Su-35 e o possível trabalho conjunto no novo Su-57. Temos muitas oportunidades”, afirmou.

“[Erdo?an] quer iniciar um novo programa em ambulâncias aéreas. A Rússia também tem planos semelhantes em sua agenda. Todos os nossos parceiros estão interessados ??na produção conjunta. Estamos prontos para isso e discutiremos com eficiência ”, acrescentou.

“Os ataques de regime no Idlib não são aceitáveis”

Idlib está enfrentando uma crise humanitária desde que o regime de Assad iniciou seus ataques em maio, disse Erdo?an.

“É inaceitável que o regime espalhe a morte na terra e no ar sob o pretexto de combater o terrorismo”, disse ele.

Ele disse que a Turquia pode cumprir sua responsabilidade no acordo de Sochi “se o regime acabar com os ataques” no país.

“Nosso objetivo é parar o derramamento de sangue e proporcionar ao nosso vizinho Síria um ambiente pacífico pelo qual ele anseia há oito anos”, acrescentou.

A Turquia precisa proteger suas fronteiras porque o “assédio” do lado sírio continua, enfatizou o presidente.

Putin, por sua vez, disse que a Rússia entende as preocupações da Turquia com a situação de segurança de sua fronteira com a Síria.

“A [Turquia] precisa garantir sua segurança nas fronteiras. Este é o direito legítimo da Turquia”, acrescentou.

Putin também disse que a situação em Idlib suscita uma preocupação “séria”, acrescentando que a Rússia e a Turquia têm um entendimento comum sobre como resolver o problema, já que os dois países apóiam a soberania e a integridade territorial da Síria.

“Juntamente com o presidente da Turquia, delineamos medidas conjuntas adicionais para neutralizar os ninhos dos terroristas em Idlib e normalizar a situação lá e em toda a Síria como resultado”, disse Putin.


Fonte: Hurriyet Daily News

Anúncios

13 COMENTÁRIOS

  1. Vamos entrar nesse negócio também! Precisamos de toda essa “solidariedade”!

  2. Quem diria! A Turquia foi pros braços da Rússia mesmo… Isso para os EUA e OTAN é um pesadelo

    • A Turquia faz fronteira com Síria, Iraque, Irã, Armênia e Geórgia. Todos esses países tem grupos insurgentes.

      No sul, há a questão do Chipre. No norte, o mar negro é o maior meio de contrabando de ópio, armas e gente do planeta. Dentro do território, há curdos.

      Isso é um pesadelo.

  3. Rússia ansiosa pelo próximo país que terá atritos com os EUA para emplacar novos negócios! O vácuo deixado pelos EUA tem sido preenchido pelos camaradas russos, aliás eu se fosse os Russos não faria diferente. Os Chineses que precisam melhorar sua diplomacia.

    • Os americanos andam sancionando amigo e inimigos, não me surpreenderia se outros países entrassem em atrito com os EUA.

  4. Quero ver o que vão fazer com tanto F-16 quando os bichinhos começarem a ser sucateados e amontoados nas bases aéreas, por falta de componentes — e o Falcon EXIGE ser bem tratado, ele não roda capenga.

    Nenhum país que não seja fabricante escapa dos estoques vazios, não há mercado negro que consiga suprir…

    • A Turquia foi o maior Fabricante de F-16 fora dos EUA, inclusive para exportação, algumas coisas vinha dos EUA, mas a maioria era fabricado localmente..
      O mais complicado para ela e conseguir um motor, mas quantos países mulçumanos hoje operam F-16…Então não é complicado para ela manter seus F-16 voando até darem baixa normalmente…

      • Caro Brunowecelau,

        Mas você está falando da situação turca em condições atuais. Eu falo da Turquia que, aos poucos, se descola da Otan e, principalmente, dos EUA (que, não nos esqueçamos, investe maciça e indiretamente na defesa de Israel, Egito e… Turquia).

        Migrando para material russo e sofrendo uma "intervenção branca" americana, a Turquia não será só posta de molho — como o Paquistão já ficou algumas vezes –, mas ela terá grandes dificuldades de conseguir até tubos pitot dos fornecedores — e eu duvido que qualquer outro país islâmico, usuário do F-16, queira peitar os EUA e ceder alguma coisa (pois até os estoques fornecidos são controlados, há uma área do Pentágono, ligada ao Congresso, só para xeretar se o usuário A usou isso, se o B andou solicitando aquilo)…

        Assim, pensemos em todas as possibilidades. 🙂

      • EUA não entregaram o software e partes sensíveis como radar e com****dor a nenhum país. O único país com algum acesso é Israel.

        • Eduardo:
          ""Não existe fabricante de F16 além da LM. EUA não entregaram o software e partes sensíveis como radar e computador a nenhum país. O único país com algum acesso é Israel.

          Gentileza não espalhar fake News.""

          Lamentável sua arrogância e falta de conhecimento neste comentário Sr.Eduardo, por que modificou ?? E triste que o Brasileiro "primeiro atire, depois passa saber quem era o alvo"…Vc não deva saber a diferença entre montagem de kits e Co-Producão…

          Mas para aqueles que são educados:
          A Turquia através do Programa "Peace Onyx I e II
          Co-fabricou mais de 300 unidades de F-16, no programa Onyx I até 70% da aeronave era Fabricada na Turquia, inclusive partes do motor F-10- GE 100, que era fabricado pela TEI; no programa Onyx II o F-16 chegou a ser produzido 80% na Turquia, tudo isso era feito na TUSAS antecessora da TAI…

  5. Lamentável é não contra argumentar o que eu disse e distorcer como se tivesse dito outra coisa.

    Eu não disse que o F16 turco foi montado apartir de kits. Eu disse que o software, computador, radar e outras áreas sensíveis como foram fornecidas pela LM.

    Os turcos podem até manter o caça voando, mas não podem realizar nenhuma atualização ou integração. O caça fica como está até o dia da aposentadoria.

    Com relação as armas, devem usar os mísseis em estoque ou clonar a interface do AIM 120 e do AIM9. Vai dar trabalho.

    Vc vai desinformando as pessoas. Fala uma parte e esconde o resto para chegar em uma conclusão falsa. Lamentável mesmo.

  6. Pessoalmente, adoto o seguinte procedimento.

    Quando estou em outros países, sigo as regras deles. Se não gosto, vou embora. Se alguém me perguntar, não respondo.

    É assim que faço, mas cada um vive como acha melhor.

Comments are closed.