A Marinha da Colômbia incorporou dois helicópteros AS365N3 Dauphin que foram adquiridos do mercado offshore brasileiro. (Foto: Armada Nacional de Colombia)

Em cerimônia presidida pelo Dr. Guillermo Botero Nieto, Ministro da Defesa Nacional da Colômbia, em Barranquilla, foi inaugurado o novo Centro de Treinamento e Simulação de Emergência Aeronáutica, além da incorporação de dois helicópteros AS365N3 Dauphins na Marinha Colombiana (Armada Nacional de Colombia).

Os dois helicópteros (matrículas ARC-251 e ARC-252) eram operados anteriormente no Brasil pela Omni Taxi Aéreo para transporte offshore, e chegam na Colômbia como substitutos para os AS555 Fennec. Os helicópteros foram adquiridos pelo Direccion Maritima (DIMAR, espécie de Guarda Costeira), mas eles serão usados em navios da Marinha. Um segundo par de helicópteros é esperado para o final de 2019

Os helicópteros serão operadas para melhorar a segurança da vida humana no mar, a proteção dos interesses nacionais e o desenvolvimento da Colômbia como uma potência regional bioceânica e um país costeiro.

O Centro de Treinamento e Simulação de Emergência Aeronáutica da Marinha Colombiana foi estabelecido com o objetivo de treinar membros em serviço da Marinha, de outros serviços militares colombianos e de países amigos, de empresas privadas do setor marítimo e fluvial, o pessoal da indústria petrolífera e empresas aeronáuticas nos procedimentos básicos e avançados de sobrevivência no mar, de acordo com as normas da Organização Marítima Internacional (IMO) e da Organização para a Formação da Indústria Petrolífera (Opito).

A Marinha Nacional da Colômbia possui o equipamento, o know-how e as capacidades necessárias para cumprir suas obrigações internacionais no mar, como a salvaguarda da vida nas águas territoriais colombianas. Também estabeleceu, em conjunto com o Ministério da Defesa Nacional, um contrato de derivativos para a operação de um simulador modular para fornecer treinamento para procedimentos de evacuação de helicópteros submersos e de cabines de aeronaves. Também prevê a transferência de know-how e tecnologia para garantir que a aviação naval mantenha a capacidade de treinar pessoal civil e militar.

Os acordos de cooperação industrial, comumente conhecidos como “compensação”, são um instrumento para o desenvolvimento estratégico da nação, transferindo know-how e tecnologia para o setor de defesa.

Por outro lado, levando em conta o fato de que a aviação expande a cobertura, a velocidade e a eficácia dos outros componentes da Marinha, a introdução do serviço dos dois helicópteros Dauphin melhora e complementa as capacidades desenvolvidas para as operações marítimas da Colômbia.

A capacidade de conduzir operações aeronáuticas offshore ou onshore, a partir de plataformas navais sem a necessidade de aterrissar, e com um raio de ação maior, apóia o investimento em Segurança Marítima Compreensiva realizado pela Direção Geral Marítima e pela Marinha Nacional.

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Quando vi a manchete achei que poderia ser alguns do EB. Que.pena Que não são…

    • Não, esses são Dauphin, os do EB são Panthers a versão militar. Aliás você só fala isso porque não conversou com o pessoal do EB. Eles não abrem mão dos seus panteras que agora, modernizados e remotorizados estão ficando muitos bons

    • Juro que não entendi….. Porque o EB venderia seus Pantera recem modernizados.

Comments are closed.