O jornal India Today publicou que a Marinha indiana pretende investir cerca de US$ 25 bilhões.

A Marinha indiana tem hoje o porta-aviões INS Vikramaditya operacional, enquanto o INS Vikrant está em construção e deverá se juntar ao serviço nos próximos anos. A Marinha planeja começar a construção de mais um e comprar 57 aviões de combate. A exigência é que sejam caças bimotores, o que coloca o Boeing F/A-18E/F Super Hornet e o Dassault Rafale como favoritos.

Citando a “ameaça chinesa”, a Marinha pediu a construção do terceiro porta-aviões, movido a energia nuclear e usando tecnologia e sistemas dos EUA, tornando-o muito mais caro em comparação com os sistemas existentes.

A Marinha argumentou que deveria ter um porta-aviões para cada região (mar oriental e ocidental) com um porta-aviões em reserva para que quando um esteja em manutenção, a segurança do país não seja negligenciada.

No entanto, o Ministério da Defesa não está muito interessado no projeto devido aos altos custos envolvidos e forçará o governo a mudar seus planos de aquisição para os próximos anos, obrigando-o a esperar uma série de outros sistemas de armas urgentemente necessários ao Exército e a Força Aérea, disseram fontes.

O custo do equipamento para a decolagem do porta-aviões usando a catapulta magnética, um sistema patenteado por uma empresa do setor privado dos EUA, também será um fator importante na determinação do custo final do navio para a Índia, disseram as fontes.

Para a compra das aeronaves para o porta-aviões, a Marinha apresentou um pedido de informação (RFI), mas não recebeu autorização do Ministério da Defesa para continuar com o projeto.

Fontes do Ministério da Defesa também disseram que a necessidade de expandir ainda mais a frota de porta-aviões precisa ser pensada de novo, já que todos os alvos e rotas na Região do Oceano Índico podem ser cuidadosamente atendidos pelos ativos e bases existentes na área.

Anúncios

8 COMENTÁRIOS

  1. Com essa escalada na Ásia, os EUA agradecem. Venda de equipamentos e mais gente para confrontar a China.

    • A China é que vem se movimentando agressivamente o que acaba criando tensões com diversos países. Não apenas a Índia se sente intimidada como no Mar da China o Vietnã também tem sido intimidado. E mais acima ainda tem o Japão e Taiwan.

      Houvesse vergonha na cara e inteligência por essas bandas, e tendo em vista os movimentos dos chineses na África, estaríamos reforçando nossa marinha para se contrapor à presença cada vez mais constante da PLAAN no Atlântico Sul. Entretanto, como por aqui falta inteligência sobra ideologia (burra e falida), preferem vituperar contra a IV Frota "duzamericanú mau" ou contra a presença britânica nas Falklands.

      • Reforçar nossa MB para se contrapor a China???
        Esqueça… Não temos recursos para isso nem a China é uma ameaça para nós no cenário atual.

        • Em 1966, quando os políticos trabalhistas (tinha de ser!) declararam que Royal Navy iria abrir mão dos Porta-Aviões e que a estratégia dali para a frente seria apenas ter como área de atuação a Europa, um jornalista questionou o então ministro da defesa como se seria se os argentinos atacassem as Falklands. E ele respondeu que "não iria se preocupar com algo tão remoto, inexistente…."

          Dezesseis anos depois…..

          Ademais é tolice, irresponsabilidade, ingenuidade e/ou delírio ideológico, especialmente à luz das movimentações chinesas na África, achar que eles não representam uma ameaça para nós no futuro.

          • Então devo ser muito tolo, ingênuo, irresponsável e estou sofrendo de grave delírio ideológico, pois não vejo nenhuma ameaça naval da China em relação ao Brasil.
            Quanto a atuação econômica chinesa na Africa e AL vendendo armamentos, não vejo problema nenhum, é mais um comerciante vendendo seus produtos.

            • Quando os chineses estiverem bem posicionados na África ocidental, com uma base naval de frente para o litoral brasileiro, você vai continuar defendendo que a China "não é uma ameaça"? Ou será que você prefere enxergar uma ameaça em Mount Pleasant?

              • Onde foi que defendi a China???
                Mesmo com 10 Bases Navais na Africa a China continua não sendo ameaça para o inócuo Brasil que não é nenhuma ameaça aos chineses, o UK e a US Navy que controlam o Oceano Atlantico que se preocupem com isso.

                • Não lhe vi defendendo a China e não disse isso mas sim que você está ignorando uma ameaça ao interesses nacionais brasileiros.

Comments are closed.