Entrega da Aeronave AF-1B N-1013, modernizada pela Embraer. (Foto: Marinha do Brasil)

No dia 6 de setembro, com a entrega da aeronave modernizada AF-1B N-1013 ao Setor Operativo, foi concluída mais uma fase do contrato de modernização dos AF-1B/C.

A aeronave poderá ser empregada em operações de inteligência ao acompanhar alvos de superfície, uma vez que a N-1013 também apresentou evolução no quesito furtividade, por receber pintura que reduz a identificação visual. Destacam-se algumas funcionalidades do radar EL/M 2032, como os modos de operação: ar-ar, ar-mar, ar-solo e navegação, cuja principal tarefa é detectar e rastrear alvos aéreos e de superfície, além de fornecer a distância ar-solo para o subsistema de pontaria de armas. No modo TWS (Tracking Wire Scan) podem ser localizados e rastreados automaticamente 64 alvos de superfície ou terrestres simultaneamente e no modo SAR (Synthetic Aperture Radar) é possível fazer o mapeamento terrestre em missões de reconhecimento.

Essas capacidades, aliadas as existentes nos radares 997 Artisan do Porta-Helicópteros Multipropósito “Atlântico”, permitirão o cumprimento de missões de interceptação e ataque, na defesa aérea da Força Naval, com maior eficiência.

O aumento da prontidão, da disponibilidade de aeronaves com sistemas modernos e da segurança dos voos resultam do sucesso do contínuo trabalho em parceria desempenhado pela Marinha do Brasil e a Embraer.

Anúncios

16 COMENTÁRIOS

  1. “Na defesa aérea da força naval”. Parece piada. Isso quer dizer que nossa esquadra tem que atuar perto da costa pra ter alguma “proteção” aérea.

  2. Para cada um entregue e depois devolvido, muito a conta gotas, as mesmas fotos, pompa e cerimônia..
    É… Felizmente o Brasil não tem ameaças externas iminentes e segue dormindo eternamente em seu berço esplêndido..
    Porque se fosse preciso um esforço de guerra imediato, seria duro sair dessa inércia..
    Nem me lembro mais quando começou esse programa de modernização dessa quantidade pífia de Skyhawks. (Sim Skyhawks, não é piada, apesar de parecer)
    Ao que parece (não tenho certeza) não vai passar muito além disso.
    Será mesmo que vale esse gasto apenas como desculpa de "manter uma doutrina"?
    Tenho minhas duvidas..

  3. A MB deveria urgente cancelar o sub nuclear que custará bilhões para fazer,.manter, PMG, troca de.comvusrivel nuclear e reciclagem no fim da vida útil e comprar:

    12 F-35B
    Construir um porta aviões iguais dos italianos
    Aumentar de 4 para 8 unidades de sub convencionais

    E se duvidar aínda da pra comprar mais umas corvetas da China com o dinheiro que sobrar do sub nuc

  4. Se essa notícia parece cômica a novela dos KC Traders parece uma piada de mau gosto. Nove anos para colocar uns turbo hélices e dar uma tunada em 4 aviões da época da guerra do Vietnã e que a Argentina já tinha feito na década de 90…e ainda faltam dois anos para entregar!

  5. Ufa, vou poder dormir mais tranquilo sabendo que nosso país está bem defendido por esse poderoso caça.

      • Aí você olha a história deste belo vetor e descobre que o projeto previa um bombardeiro levíssimo, pequeno, barato, subsônico, embarcado, para descarregar todo o arsenal daquela marinha. Nos anos cinquenta!

        • Eu admiro o projeto do A4, extremamente funcional do ponto de vista da engenharia, mas usá-lo em 2019, com menos de meia duzia, a um preço caríssimo e sem utilidade alguma visto que dependendo da situação nem esses poucos conseguem dar apoio na tomada de uma praia, uma praia….
          Enfim, é um descaso da MB com nosso dinheiro, junto do A12 que matou vários jovens, tudo pelo capricho da elite da marinha que quer que seus filhos brinquem de voar….

  6. Quem deve estar gostando da continuidade desse programa é a Argentina. Devem estar contando os dias para darem baixa aqui, o que, pelo andar da carruagem (falta de utilidade), não vai demorar muito pra acontecer.
    O problema é que nós é que estamos pagando a conta.

    • O comando de lá é igual o de cá, só não vemos mais e mais descasos dos argies pois eles não tem o nosso alto orçamento.

    • A Argentina não tem um Porta-Aviões a muito mais tempo que o Brasil e continua a ter uma aviação naval…

      Porque o Brasil não pode fazer O MESMO, até porque a MB ainda mantém a ambição de voltar a operar Porta-Aviões…

      Não se pode simplesmente parar e "jogar no lixo" os A-4 e mesmo os KC-Traders depois do dinheiro gasto e PRINCIPALMENTE depois da força formar aviadores e mecânicos…

      Mesmo sem o Navio-Aeródromo estes vetores serão usados, limitadamente, enquanto forem operacionais…

      Se daqui a dez anos continuarmos sem NAe aí é fim de linha mesmo porque o pessoal se perde e (se quisermos ser uma marinha de oceano) teremos que recomeçar do quase ZERO…

  7. O Skyhawk é um avião clássico, já foi muito bom,mas já teve sua época. Acho perda de tempo e gasto desnecessário modernizá-los, a Marinha deveria possuir alguns S-3 Viking, seriam muito mais úteis, além de poder ser usado em missões de apoio aéreo aproximado, poderia ser usado para SAR, patrulha/guerra anti-superfície e anti-submarinho, guerra eletrônica, reabastecimento em vôo e ainda mantendo a capacidade operacional da aviação de asa fixa da MB bem como das tripulações.

Comments are closed.