4a4158f80dede54a51be8807582007e2
X-47B é transportado em um elevador de aeronaves a bordo do porta-aviões Harry S. Truman (CVN 75). (Imagem: US Navy)

A Marinha dos EUA decidiu não enviar os dois X-47B a museus e vai mantê-los em “estado de espera de voo” por mais cinco meses.

A Marinha decidiu adiar o envio de seus drones de combate X-47B para um museu da aviação. Por enquanto, a aeronave da Northrop Grumman, será mantida na condição de voar, na espera de decisões de alto nível sobre a forma de avançar o programa.

A Marinha está estudando um leque de opções envolvendo os veículos aéreos X-47B,” disse o capitão da Marinha, Beau Duarte, gerente de programa para aviação não tripulada em porta-aviões.

3c7527a570067d2f8982ab025eca3124

Em abril a Marinha informou que iria doar os drones, apelidados de Salty Dog 501 e Salty Dog 502, para um museu, mesmo após uma série de testes bem sucedidos no mar. O pensamento na época era de que não havia mais uso para a aeronave, embora a Marinha continue a estudar os dados dos testes.

Os legisladores rapidamente reagiram a essa decisão e exigiram que a Marinha mudasse o rumo das ações. O Comitê de Serviços Armados do Senado sugeriu a Marinha a continuar a testar o X-47B. A comissão repreendeu a Marinha por abandonar o programa num momento em que outras nações estão correndo para desenvolver seus drones de combate e mísseis antinavio, que tornariam aeronaves de longo alcance, como o X-47B, uma valiosa arma em uma futura guerra.

Duarte disse que a mudar a condição do programa prevê o financiamento da Northrop Grumman para manter a aeronave X-47B em “estado de espera de voo” na Estação Aérea Naval de Patuxent River, Maryland.

1dff76e4f5f512f6196cde9422d6f13e

As realizações técnicas do X-47B no ano passado, com lançamentos por catapulta e pousos enganchados em porta-aviões, voo em formação com aviões tripulados e reabastecimento em pleno ar, foram ofuscados por batalhas políticas sobre o plano da Marinha para terminar o programa.

A Marinha investiu US$ 1,8 bilhões no programa ao longo dos últimos oito anos.

A Marinha pretendia emitir um concurso público para um novo robô para uso em porta-aviões, chamado UCLASS (unmanned carrier launched strike and surveillance). Vários projetos da indústria eram esperados, e as autoridades insistiram que a Marinha não iria comprar uma versão modificada do X-47, mas os planos para começar a trabalhar no UCLASS estão paralisados, uma vez que o Capitólio busca principalmente um drone espião que seria mais acessível, mas menos avançado tecnologicamente do que o X-47.

Nós vamos precisar de um UCLASS com capacidade de ataque e profunda penetração em território inimigo“, disse o deputado Randy Forbes, um dos mais ferrenhos críticos do programa. Forbes e vários analistas questionaram exigência da Marinha para 14 horas de resistência, o que significava que a aeronave não seria capaz de transportar uma pesada carga de armas. Ele concordou com a Marinha que um avião de combate avançado seria caro, mas, no entanto, deve ser uma prioridade. “Tudo o que fazemos hoje é caro“, disse Forbes.

22d22f46d774112bb15e0c5f0b6e73ed

Por orientação do Congresso, o Pentágono está revendo as especificações da Marinha para o UCLASS como parte de uma ampla revisão estratégica. “O UCLASS, como muitos outros programas, está passando por uma avaliação como parte de deliberações orçamentais“, disse Duarte. A solicitação de propostas permanece em espera enquanto se aguarda o resultado da revisão do Pentágono.

Um porta-voz da Northrop disse que não poderia comentar especificamente sobre o futuro do X-47B. Os executivos da indústria nos últimos meses estão insatisfeitos com a indecisão em programas como o UCLASS, o que está custando as empresas milhões de dólares, pois estão pagando para manter suas equipes de design. A Northrop Grumman, a Boeing, a General Atomics e a Lockheed Martin receberam contratos de US$ 15 milhões para projetos UCLASS, mas podem ter que voltar à prancheta de desenho depois que o Pentágono concluir a revisão.

 

FONTE: National Defense – Tradução e edição: CAVOK


Anúncios

33 COMENTÁRIOS

  1. A Marinha investiu US$ 1,8 bilhões no programa ao longo dos últimos oito anos.

    Quanto roubaram só na Petrobras nesses 8 anos?? 😀

    Os cara aposentando X-47 e aqui nem reformar A-4 se consegue. Lixo de país medíocre!

    • Inveja. Os políticos de lá debatendo sobre defesa…sobre armas…sobre tecnologia…sobre o melhor para os soldados…

      • Caro Giordani,

        Realmente é dar inveja ver políticos engajados com assuntos de Defesa.

        []'s

        • "Cada um é engajado com aquilo que melhor sabe fazer…

          Infelizmente…

      • Eles lá têm voto distrital Gio! Enquanto isso aqui em Banânia a gente tem o voto proporcional onde o Tiririca leva consigo outros palhaços para o Congresso

        • Pior é que o Tiririca ainda é um dos melhores!!!!!!!!
          Palhaços somos nós…

      • Aqui nem um ex-capitão do EB e famoso deputado(Bolso…) defende a compra de equipamentos sofisticados para nossas FA. Estamos ferrados…

    • Um corrupto, inexpressivo dentro da quadrilha, só ele, devolveu US$ 100 milhões!!!! Só ele!!! Vê o quanto essa gente surrupiou!!!

      • um operador… O Homem-Linguado tem mais de 200 milhões de dollars na suiça.

        somos um país rico gerido por ladrões.

      • por isso eu defendo execução em praça publica, e umas mudanças na legislação

    • Silvestro,
      Mas a MB lança propaganda mostrando o quanto moderna e capaz é a sua força ahahah. A própria MB ahah.

    • Mas que lambança é essa, gastaram bilhões desenvolvendo uma aeronave como essas para enfiar num Museu? Olha só o que andamos ensinando aos ianques maléficos a arte de transformar bilhões em NADA, nisso nós somos mestres PHD nem vem que não tem, ninguém nos tira esse título!

      • O amigo não compreendeu bem. O X-47B era só um degrau para um UAV melhor, o UCLASS, porém, o que ocorre é que faltou $$$.

      • o conhecimento gerado deve servir de base pros novos projetos, a nortrhop sai ganhando

    • É bom lembrar que esse programa é produto de vários outros, em áreas diversas, cuja soma dos custos ultrapassou em muito os 1,8bi. Não se começou "do zero".

  2. Q imensa tecnologia!! E ELES deixando d lado pra ver se querem ou nao… isso q é poder!! E noix aqui brigando pra termos um punhadim d caças cuecos…

    Alias, alg tem noticia se foi assinado o contrato do emprestimo ou se c*gou tudo d novo? Os 10 dias já passaram…

  3. Será um desperdício ver uma aeronave dessas indo para um museu depois de ter cumprir todas as missões que foi solicitada com excito.
    Nunca pensei que fosse dar os parabéns a alguns políticos, mas hoje será a primeira vez, por conta dos parlamentares americanos levar a sério sua defesa nacional.
    Mas eu também fico pensando que até para os EUA manter dois projetos extremamente caros e importantes quase que simultaneamente como no caso do F-35 e do X-47B é quase que economicamente insustentável.

  4. Olha a USNAVY fazendo coisa errada, você percebe o quanto os caras são diferentes quando os legisladores entende do assunto e corrige o outro lado ahahah.
    O X47 faz parte de uma projeto GRANDE, muita coisa ali será usado num 6G, aposentá-lo seria um crime.

    • Uma coisa sempre tem que ser levada em consideração. A maioria dos eleitos, são ex combatentes, gente que sabe o que é estar sob fogo. Isso faz toda a diferença.

    • sua função como demonstrador de novas tecnologias foi concluída imagino eu

  5. O X-47B do jeito que está já é uma arma mortal. Agora imagino uma versão com mais capacidade e furtividade… Invadindo qualquer país impunemente.

    Acredito que vale a pena continuar o programa. 🙂

    []'s

  6. Posso estar enganado, desde o fracasso do F-111 naval a US NAVY só obteve sucesso em todos seus projetos.

    • Rodrigo,

      Eles são a linha de frente; a primeira linha de defesa… Suas exigências são as mais rigorosas. Seus padrões tem que ser os melhores…

      • Sim RR, comento isso comparando US NAVY e USAF, os programas da USAF costumam se arrastar e são cheios de reinvenção da roda, enquanto a US NAVY parece dar somente passos curtos, mas passos muito bem pensados e sem custos exorbitantes.

        • As lições aprendidas com o F-111B são estudadas até hoje, pelo visto. E tanto é, que a USN não embarcou no F-22 naval e o F-35, bem, esse foi imposto, porque o almirantado não queria…

          • Pois é, estranho é que eu vi um pessoal da USNavy dizendo que prefere mais F-35 do que mais Growlers.
            Segundo eles o F-35 tem mostrado capacidades de ECM bastante interessantes e o Growler é dispensável.

            Não adiantou o lobby da Boeing.

            Sds.

  7. Discordo dos parlamentares, o objetivo deles pode ser bom mas acabam atrapalhando.
    O objetivo do programa é apenas ser um demonstrador de tecnologias e operação, pra avaliar custos, requerimentos e desempenho quanto a estratégia de utilização desse projeto. Não é projeto final. É interessante sim mas parte do desenvolvimento tecnológico consistem em aprender com as limitações de projetos anteriores, inclusive custos, incorporar novas estratégias e tecnologias e então melhorar a funcionalidade do projeto.
    Se os novos requerimentos de programas após o J-UCAS e UCAS-D (X-47B) apontam pra uma redução de requerimentos e custos é por que vale mais a pena poder contar com um UCAV pior mas em maiores números do que ter poucos bonzões. A maior capacidade de combustível também significa que menos UCAVs precisariam estar num porta aviões, reduzindo custos e abrindo espaço pra outros tipos de drones/aeronaves.

    Muitos desenvolvimentos da DAPRA apontam pra drones mas baratos (descartáveis), com melhores sensores e armas, operados em grandes volumes associados a poucos F-35, então não há necessidade de se manter um projeto (com funcionalidade questionável) mais caro e incrementado só por ser bom, isso não ajuda muito no plano geral.

Comments are closed.