Boeing CH-47D Chinook, by Sergey Rimsha
Boeing CH-47D Chinook, 90-0197 (cn M-3349) – US Army / Foto: Sergey Rimsha

No último dia 15 de agosto, na presença de técnicos americanos, o Exército Marroquino (Royal Moroccan Army) recebeu três unidades do helicóptero pesado de transporte CH-47D Chinook.

As aeronaves, que pertenceram anteriormente ao Exército Americano (US Army) foram reformadas e atualizadas, nos EUA, pela empresa ‘Columbia Helicopters’, num processo que demorou sete meses.

O custo total dos três Chinook foi de US$ 84,9 milhões, incluindo treinamento, documentação, peças de reposição e ferramental.

divider 1

FONTE: Morocco World News – EDIÇÃO: Cavok

IMAGEM DE ABERTURA: Meramente ilustrativa

DEMAIS IMAGENS: Retratam o evento

Anúncios

15 COMENTÁRIOS

  1. O EB tinha de ter esse heli. Na campanha das Falklands ele foi imprescindível para ambos os lados, tanto que a RAF usou um, capturado dos argentinos, para suprir a perda daqueles que estavam no Atlantic Conveyur.

    • Pois é né Gaudério! Mas o "Brasil – PuTênfia" prefere comprar a kombi voadora, pagando preço de F-16 zero de fábrica, sob a canhestra justificativa de "Transferênfia di tequinúlugia", onde a Airbus Helicopters transfere dela para ela mesma…..

      Vai entender….

      • HMS é a vida… eles continuam com essa na compra de um avião, que não existe, já pagando 3 (Três) F-16 novinhos de fábrica, de saída, vamos ver quantos F-16 o Gripen E/F vai nos custar… eu apostaria em uns 5 ou 6… podemos determinar a "moeda brasileira" para comprar equipamentos bélicos… o AMX já custou mais de 2 F-16… acho que podemos avaliar quantos F-16 custam cada coisa que formos comprar…

    • Giordani,

      E não há como esquecer o 'Bravo November', que foi o único Chinoock inglês a operar e fez milagres, com índice invejável de disponibilidade… Aliás, o dito cujo ainda hoje opera, já tendo participado de operações recentes com a RAF.

    • Realmente faz falta um helicóptero pesado para o exercício. E os EUA querem vender, falta visão de nosso MD. Até o Mi-26 tb serviria bem.

  2. Boa tarde Senhores!

    O Brasil acaba de fechar acordo inédito com os EUA para o programa espacial…(depois da idiotice patriótica do passado…, se bem que o FHC também queria entregar uma porção de nosso território nacional aos EUA), mas voltando ao tema acima, quem sabe ainda está aberto a oferta da Boeing de 10 CH47D para o Brasil…

    Somente não sei se US$28,3 milhões por unidade modernizada, incluindo-se o pack mencionado está caro ou não e pior ainda se o MD terá como pagar isso.

    CM

    • Pois é, Moreno!
      Sobre os Chinook, eu tenho a impressão que esses 3 helicópteros que o Marrocos comprou faz parte daquele lote que a Boeing teria oferecido ao Brasil. Pelo menos, é muita coincidência que estejamos falando exatamente da mesma variante, CH-47D.

      Sobre a parceria com os EUA para o programa espacial, o projeto é bastante interessante. Tomara que dessa vez o Brasil cumpra o papel que lhe cabe nesse negócio.

        • Três Chinook custaram ao Marrocos menos do que pagamos por uma Kombi e meia aqui no Brasil!

          • Não é isso que eu achei um absurdo! US$28.3millhões para uma aeronave muito mas capaz que o Caracal ou Caracol sei lá….

            • Ambas tem funcoes diferentes amigo, um é mais tatico e multi role o outro e mais pesado e robusto, assim como mais complexo mecanicamente, sendo adequado para operacoes de forca mesmo

              • Jura que ninguém sabia disso até você explicar a diferença? Parece até que é português, ora pois!

                • Que queres dizer com isso? E sou português qual é o problema, o meu país nem usa esse caracal ou caracol'', facto é que nao esta sequer em posicao de ser pior que chinook

      • Eu penso que seja o mesmo lote sim… e tomara que desta vez quanto ao programa espacial agente decole.
        Uma coisa ninguém pode dizer quanto aos acordos comercial feito com os EUA:
        Os americanos levam a sério contrato, prazos, multas, cláusulas. Se houver palhaçada por parte do governo brasileiro o negócio sairá bem mais amargo e caro que o remédio ucraniano foi para o contribuinte.

        CM

Comments are closed.