Os pilotos do caça J-15 realizaram vários exercícios de decolagem e pouso no primeiro porta-aviões da Marinha do Exército de Libertação Popular Chinês (PLA), o Liaoning, no momento que a China está enfrentando a pandemia do COVID-19.

“Um porta-aviões é um grande navio de guerra, com muitas pessoas concentradas em suas cabines, tornando-o vulnerável a doenças infecciosas. A capacidade de conduzir com êxito missões relacionadas indica que o Liaoning fez um ótimo trabalho no controle do COVID-19”, disse o especialista naval de Pequim, Li Jie, ao Global Times na terça-feira.

Os exercícios na costa estavam sendo conduzidas com o navio de guerra em passagem pelo Estreito de Bohai no início deste mês. A Naval Aviation University conduziu avaliações de segurança para garantir o sucesso do treinamento e do trabalho de controle de epidemias, informou o diário do PLA.

“O treinamento e o desenvolvimento de pilotos de caça embarcados em um porta-aviões real, em vez de em um aeródromo simulado, é muito importante, pois os jatos são armas de um porta-aviões e os pilotos precisam ganhar experiência em cenários de combate reais”, disse Li.

Na semana passada, a Guizhou Aviation Industry Corporation da China sugeriu modificar o jato JL-9 Mountain Eagle para construir um novo treinador de jatos embarcado em porta-aviões.

“A Marinha chinesa agora tem um sistema completo para o treinamento independente de pilotos baseados em porta-aviões, que tem um significado significativo para o seu programa geral de porta-aviões”, disse Weihutang, uma coluna sobre assuntos militares afiliada à CCTV.

O treinamento para preparação para a guerra não será interrompido, mesmo no meio da epidemia COVID-19, e o treinamento de pilotos de caça com base em aeronaves deve continuar, segundo a reportagem.

O segundo porta-aviões da China, o Shandong, também relatou zero casos de COVID-19, em 17 de fevereiro.

Anúncios