Concepção artística do novo bombardeiro russo PAK DA.

O Ministério da Defesa da Rússia assinou um contrato com a Tupolev, desenvolvedora do bombardeiro furtivo de longo alcance PAK-DA para iniciar a produção e alcançar uma possível data de entrega até 2027.

O PAK-DA é um bombardeiro furtivo de longo alcance que pode levar mísseis de cruzeiro e até bombas nucleares.

“O Ministério da Defesa da Federação Russa assinou todos os contratos necessários para iniciar a produção do bombardeiro de longo alcance PAK-DA. Os testes de vôo da aeronave estão programados para 2027”, disse o vice-chefe do departamento Alexey Krivoruchk para a agência Zvezda, de acordo com divulgação do Ministério da Defesa russo nesta segunda-feira.

“As características da aeronave foram acordadas, todos os documentos contratuais necessários para a produção de amostras foram assinados e os estágios de projeto preparatório estão em andamento”, disse Krivoruchko.

O novo avião de combate substituirá os atuais bombardeiros operacionais estratégicos Tu-22M3, Tu-95 e Tu-160.

De acordo com relatos da mídia russa, a Rússia construirá três protótipos de seu bombardeiro estratégico de capacidade nuclear de próxima geração, apelidado de PAK-DA para avaliação e teste.

Anúncios

11 COMENTÁRIOS

  1. Male mal acabou a novela do PAK-FA e já vai começar a do PAK-DA. Bom o primeiropasso já esta autorizado… vamos ver em qtos capitulos termina essa soup opera.

    • Ué…Não entendi. Qual o problema com o Pak-Fa ? Foi desenvolvido mais rapidamente que o F-35 e de acordo com os requisitos das forças armadas russas. E é louvável o esforço para desenvolver o Pak-Da. Projeto de gente grande, certamente somente 3 países no mundo terão aeronaves desse tipo, os EUA, a China e a Rússia.

      • Marcelo, acredito que você está enganado. O desenvolvimento do F-35 se iniciou em 2001, o primeiro protótipo voou em 2006 e a aeronave entrou em serviço com a USAF em 2016, ou seja, 15 anos de desenvolvimento. Já o SU-57, começou como PAK-FA em 2002 e apenas em 2019, ou seja, 17 anos depois do início de seu desenvolvimento, entrou em serviço com a Força Aérea Russa (e em números bem limitados até o momento).

        • Deculpe mais o F-35 inicou-se em 16.11.1996, quando o DoD slecionou a Boeing e a Lockheed Martin para a fase de concepção e desenvolvimento do JSF, com a Pratt and Whitney como fornecedorados motores, zendo ofertado um contraro para a construção de dois Protótipos para testes.

      • @Marcelo, ao meu ver, o PAK-FA/SU-57 ainda é uma novela, em episodios finais, mas tendo em vista que nem o motor definitivo eles conseguiram desenvolver como queriam… nao é simplismente a questao do tempo e sim de todos os altos e baixos que aconteceram no seu desenvolvimento, Lembre-se que até cogitaram cancelar o projeto depois de anos e centenas de horas de voo de teste. Uma novela nao se caracteriza somente pelo seu periodo de duraçao, mas tambem pela quantidade de fatos que ocorreram e podem ser curtas ou longas. Entendeu…

        Louvável o desenvolvimento do PAK-DA, concordo e quero muito ver esse monstro voando, mas a Russia esteve com os orçamento bem apertado para o SU-57, imaginemos para o PAK-DA.

  2. Parabéns aos russos. Outrora remasterizaram muita tecnologia da era soviética. Mas esse passo é muito importante para manter o país afiado nas tecnologias que o mundo elegeu como sendo do futuro, a furtividade. Mostra que mesmo com recursos não tão abundantes, conseguem 'se virar e dar um jeito'. Se vão produzir grandes quantidades, é outra história, porém desenvolver e dominar a tecnologia é coisa de 'gente grande'.

  3. Pelo menos esse Tupolev é um objetivo às claras, há anos se fala dele, não é um Su-57 naval, de maquete (eu até faria um diorama de um jato fake desses, se estabacando no mar, com direito a ejecão)…

  4. A História deixa claro que duvidar das capacidades de realização tecnológica dos russos é sempre um grande erro.
    Tudo bem que seja claro que isso não se aplica àqueles "formados" na "Academia de Ciências Aeroespaciais de Hollywood", mas é bom não duvidar. Aliás, sobre as capacidades técnicas dos russos há um excelente testemunho de Heinz Guderian, no livro "Achtung Panzer", que recomendo ler. É antigo? É, mas ainda muito atual.

Comments are closed.