O Almirante Kuznetsov passa por modernizações e reparos, que devem ocorrer até 2022.

O chefe da United Shipbuilding Corporation, Alexey Rakhmanov, garantiu que o Ministério da Defesa da Rússia cumprirá os prazos de reparação do navio, e que o porta-aviões Admiral Kuznetsov seria consertado a tempo após o acidente na doca flutuante. Nesta semana, várias reportagens comentaram sobre o fato da incapacidade do estaleiro de consertar o porta-aviões após o acidente no doca flutuante.

“Você tem certeza de que este acidente não afetará os prazos das obras de reparo?”, perguntou o primeiro vice-ministro da Defesa, Ruslan Tsalikov, a Alexey Rakhmaninov na teleconferência.

“Tudo que diz respeito a danos causados ??pelo alagamento das docas e os mecanismos que caíram no convés de decolagem de um porta-aviões não influenciará significativamente os prazos”, respondeu o chefe da USC, acrescentando que o porta-aviões não apresenta danos sérios.

Segundo ele, todas as medidas para reparar a prontidão técnica do navio são realizadas de maneira programada. As atualizações necessárias já foram introduzidas no roteiro e não afetarão o prazo do contrato.

“É importante que você tenha certeza de cumprir os prazos e garantir uma alta qualidade”, afirmou o primeiro vice-ministro da Defesa.

O Almirante Kuznetsov durante reparos na doca flutuante.

A doca flutuante PD-50 afundou em 30 de outubro em Murmansk durante uma saída planejada do pesado porta-aviões Almirante Kuznetzov. De acordo com as informações preliminares, o convés do navio foi danificado por um guindaste desmoronado. O navio está agora no Estaleiro 35.

No dia 30 de outubro foi relatado que quando a doca flutuante PD-50 afundou durante a saída planejada do cruzador pesado de transporte de aviões Almirante Kuznetsov, o guindaste ?2 desmoronou sobre o convés de decolagem.

Alexey Krivoruchko também afirmou que o Ministério da Defesa russo assinou um contrato com o Estaleiro Zvezdochka em 2018 dentro da Ordem de Defesa do Estado para recuperar a prontidão técnica com obras de modernização do porta-aviões pesado almirante Kuznetsov a ser concluída no quarto trimestre de 2022.

Ao mesmo tempo, o vice-ministro da Defesa observou que, no período de 17 de setembro a 30 de outubro, as operações planejadas das docas foram executadas na íntegra na 82ª Fábrica de Reparação de Navios em Murmansk.


Fonte: Ministério de Defesa da Rússia

Anúncios

15 COMENTÁRIOS

  1. bom, então o navio não foi danificado seriamente. Irão dar um jeito para fazer a reforma sem a doca seca flutuante.

  2. “O navio será consertado dentro do prazo a ser indefinidamente prorrogado…”

    Essa é a verdade….

  3. Que novela! Na boa, porque os Russos insistem em manter esse porta-aviões? Se querem continuar operando PAs, porque não economizam dinheiro se desfazendo de tantos navios diferentes e antigos da sua Marinha e padronizam a frota e economizam mais ainda não modernizando o Kuznetsov, pra tentar desenvolver algo novo?
    Ou larga da ideia de ter Porta-Avião. O Su-33 tá no limite mesmo.

    • A marinha não é prioridade e grande parte da capacidade técnica se perdeu. Depois da revolta ucraniana, nem motores navais eles tem. Venderam duas escoltas em construção para os indianos, que compraram os motores direto da Ucrânia.

      • mas já tem turbinas navais substitutas para as suas fragatas. Os indianos comprsram da Ucrânia para manter comunalidade na sua frota, já que haviam comprado navios anteriormente com turbinas ucranianas. Como a Russia detem tecnologia para fabricação de turbinas era apenas questão de tempo para substituírem as turbinas navais ucranianas.

        • Venderam fragatas que eles precisam com urgência, que estavam com a construção parada por falta de motores, mas os motores russos funcionam perfeitamente. Parece que estou assistindo a RT.

  4. Deve ser para meramente ostentar o título de uma das nações que operam porta aviões porque servirá mais como alvo. Risco somente ao meio ambiente e aos marinheiros.

    • A notícia anterior dizia que o local para reforma do Kuznetsov não poderia ser consertado, e que sem ele, possivelmente a reforma não aconteceria. Por isso a dificuldade no conserto do único porta-aviões russo.

  5. Será que nesta reforma vão retirar aqueles gigantescos lançadores verticais de mísseis Granit?

    • acho que não, faz parte da doutrina russa, as aeronaves são mais para defesa aérea. O ataque é feito por esses mísseis. Quem sabe substituem os antigos por novos Oniks supersônicos e mísseis de cruzeiro Kalibr.

Comments are closed.