Dois helicópteros de ataque Mil Mi-28N Night Hunter das Forças Armadas Rússias.

O Ministro de Defesa do Iraque negou as reportagens da imprensa de que um pacote de US$ 4,2 bilhões de negócios de armas com a Rússia foi cancelado devido a preocupações de corrupção.

Saadun al-Dulaimi anunciou no sábado que o acordo “está seguindo em frente”, logo após Ali Mussawi, assessor de Nouri al-Maliki, primeiro-ministro do Iraque, dizer que havia sido cancelado.

Jane Arraf, repórter da Al Jazeera em Bagdá, disse que a encomenda de helicópteros de ataque e de mísseis superfície-ar será para utilizar para “esforços de contraterrorismo”, de acordo com as autoridades iraquianas.

Ela disse que o acordo é um sinal de que Bagdá “por razões técnicas e por razões políticas, gostaria de não ser totalmente dependente dos Estados Unidos” em armamentos militares.

Isto é especialmente importante, disse nosso correspondente, pois muito do armamento do país foi destruído após a invasão dos EUA em 2003.

Posição russa

Dulaimi negou que houve corrupção no negócio, e disse que o governo estava simplesmente atrasando no fornecimento de detalhes sobre o negócio a uma comissão anti-corrupção.

No entanto, falando a Al Jazeera de Moscou, Pavel Felgenhauer, analista de defesa da Rússia, disse que na Rússia as “armas são vendidas por uma agência especializada e por comerciantes de armas”.

Esses grupos estão ligados aos militares, “mas não são os militares”.

Felgenhauser também disse que a Rússia não tinha legislação proibindo comissões aos intermediários “estrangeiros” em contratos de vendas de armas.

Portanto, existe a possibilidade de que “exista muito dinheiro envolvido para países estrangeiros” em tais negócios, disse Felgenhauer.

Mussawi, ao anunciar que o acordo havia sido cancelado, não disse exatamente quando a decisão final foi tomada para impedir o negócio.

Nenhum comentário

A embaixada russa em Bagdá não estava disponível para comentar.

O acordo foi aprovado há um mês, quando uma delegação liderada por Maliki visitou a Rússia.

Se for finalizado e implementado, isso tornaria a Rússia o segundo maior fornecedor de armas para Bagdá, depois dos EUA.

A imprensa russa disse que as entregas cobrem fornecimento de 30 helicópteros de ataque Mi-28 e 42 sistemas de mísseis superfície-ar Pantsir-S1 .

Também foi dito que as discussões continuam no caminho para eventual aquisição do Iraque de um grande quantidade de caças MiG-29 e helicópteros, além de armamento pesado.

O comunicado disse que as ofertas foram secretamente discutidas no começo de abril, e revistas novamente em julho e agosto, durante visitas a Rússia por delegações iraquianas, que incluíam Dulaimi.

Fonte: Al Jazeera – Tradução: Cavok

Dica do amigo Kwhvelasco. Obrigado 😉

Nota do Editor: O amigo russo Rustam já havia confirmado por meio de um comentário no post que falava sobre o cancelamento, que a notícia não condizia com a verdade. Agora, todos órgãos de imprensa estão confirmando que o contrato continua válido.

Solicito um minuto da atenção de você leitor do Cavok. Estamos tendo despesas elevadas com servidores devido ao alto tráfego gerado mensalmente, e precisamos da ajuda de todos para continuar mantendo o site estável e permanentemente no ar. Sem a ajuda de vocês, fica inviável manter o Cavok, já que infelizmente as empresas aeronáuticas brasileiras até o momento não anunciaram no nosso site, mesmo sendo o Cavok uma das maiores referências sobre notícias de aviação do país, reconhecido inclusive internacionalmente, e um dos sites de aviação mais visitados do país, senão o maior. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral.




Desde já meu muito obrigado.

Fernando Valduga

Enhanced by Zemanta
Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. Como o Rustam já havia dito a corrupção no Ministério da defesa, era a venda de terras pertencentes a esse ministério a terceiros, aqui no Brasil e chamado de Grilagem, o que acontece direto com as terras da união.

    Já no Iraque li em uma reportagem que dizia que empreiteiras estavam superfaturando obras de reconstrução do país, também bem conhecido aqui na terra brasilis, onde a empresa faz um orçamento que por exemplo que se uma obra for custar 50 milhões, eles passam o valor para o governo de 100 e gastam 30 pra fazer.
    Igual em sarneylandia, se não me engano onde foram feitas 2 pontes no meio do nada.

  2. EUA estão jogando um jogo sujo, como têm feito todo o mundo, que é por isso que 90% da terra do seu ódio e desprezo!!

    Concorrentes Rússia persuadir o Iraque a abandonar operações para 4,2 bilhões dólar
    O maior negócio na última década no campo da cooperação técnico-militar entre Moscou e Bagdá, no valor de US $ 4,2 bilhões é sob ameaça. Assessor do primeiro-ministro iraquiano, Ali Mousavi anunciou que o contrato seja cancelado por causa de suspeitas de corrupção. Apesar do fato de que o ministro da Defesa do Iraque, quase imediatamente desmentiu o conselheiro palavras, medo do fracasso da operação, como os encontrados em "Y", não é sem mérito. Entre as possíveis fontes de seus oponentes "b" nos círculos governamentais na Rússia chamou os EUA e Ucrânia. De acordo com "Kommersant", os competidores convencer Bagdá que o valor do contrato era muito alta.

    O acordo entre a Rússia eo Iraque em MTC – a maior desde a queda de Saddam Hussein em Bagdá – foi anunciado durante a visita de Outubro do primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki a Moscou. Em seguida, ele se tornou conhecido que o Iraque havia comprado em 30 helicópteros de ataque russos Mi-28N e 42 sistemas antiaéreos com mísseis e armas ", shell-C1", no valor de US $ 4,2 bilhões em disso, de acordo com o "Y", que foi também concordaram em iniciar negociações para a compra de lutador russo MiG-29M/M2 Iraque.

    Mas no sábado o primeiro-ministro iraquiano conselheiro Ali Mousavi, de repente anunciou que o russo-iraquiana contrato armas anulado. "Quando ele (o primeiro-ministro do Iraque -." B ") voltou da Rússia, ele tinha algumas suspeitas sobre a corrupção Então ele decidiu reconsiderar o negócio todo,." – Disse o assessor, acrescentando que, neste caso, há uma investigação. Contra quem é dado, Ali Mousavi não especificou.

    Após esta declaração sensacional tentou corrigir a situação do militar iraquiano: no mesmo dia, o ministro da Defesa Sadun al Dulaimi imediatamente convocou uma conferência de imprensa na qual ele negou para a estréia conselheiro. Ele sugeriu que a confusão foi devido ao atraso na prestação de informações sobre o contrato em comissão do Iraque contra a corrupção. "O acordo era razoável" – assegurou o ministro.

    No entanto, apesar das garantias do ministro da Defesa do Iraque, a Rússia pretende exigir uma explicação oficial de Bagdá. "Estamos negociando com o lado iraquiano, esclarecer sua posição, incluindo sobre as declarações polêmicas feitas recentemente – disse a fonte" b "no governo russo -. Antes de nós nenhuma informação sobre a mudança de planos Bagdá ou preocupações não surgiu alcançar".

    De acordo com o "Y" ou o Serviço Federal de Cooperação Técnico-Militar, ou "Rosoboronexport", que deve implementar o acordo, não receberam o aviso de cancelamento do contrato. Não há informações sobre o cancelamento da transação e por meio de canais diplomáticos.

    No entanto, as fontes de "Y" não exclui que, na forma de execução do contrato pode ser difícil, e envolveu-os em um terceiro. "Os Estados Unidos têm feito esforços significativos para impedir a operação, – o" Y ", uma fonte nos círculos do governo russo -. Gostaria de saber se eles vão ser depois do fato para tentar impedir ou dificultar-lo." "Os americanos não são para muitos anos realizou a operação no Iraque, depois de dar o mercado de armas da Rússia", – disse outro militar-diplomática fonte "b". Uma fonte "b", perto do sistema russo de cooperação técnico-militar, disse que o primeiro dos países pós-soviéticos no mercado militar, o Iraque tentou quebrar a Ucrânia, mas a Rússia estava à frente dela, o que não poderia causar ciúme em Kiev.

    Segundo o "Kommersant", os opositores da operação, principalmente a atraía a soma de US $ 4,2 bilhões, tentando convencer Bagdá que "tendo em vista a gama de preço de entrega era muito alta." E como prova de contrato de chumbo, que em 2006 entrou para a Rússia e Síria por 50 complexos "Pantsir, C1" vale cerca de $ 900 milhões – é, dizem eles, várias vezes menores do que os valores previstos nos contratos russo-iraquianas.

    "Há relatos de que alguns dos nossos concorrentes no mercado de armas de Bagdá deu a entender corrupção O fato de que o valor real de um prisioneiro conosco um pacote, supostamente muito menor, ea diferença com a soma nela indicada vai para a esquerda, -. Fonte" b ", perto sistema russo de cooperação técnico-militar -. quando estamos juntos com o Exército iraquiano em detalhes todos os itens previstos acordos de perguntas para nós não surgiu e sobre qualquer tipo de corrupção da questão ". Segundo a fonte "b", após a divulgação de informações sobre a transação "contra a Rússia começou esta guerra de informação."

    No entanto, especialistas não descartam que complicam a implementação do acordo russo-iraquiana pode e fatores dentro próprio Iraque. "Em algumas partes do país, uma entidade curda, que tem o potencial para se tornar a base de um Curdistão independente, – diretor do Centro de Análise de Estratégias e Tecnologias Ruslan Pukhov -. Representantes dos curdos na liderança iraquiana (os curdos são, por exemplo, o presidente Jalal Talabani eo chefe Ministro das Relações Exteriores Hoshyar Zebari -. "b") não quer armar o governo central em Bagdá o mesmo Mi-28N, o que poderia ser usado contra os curdos ".

    Se os contratos russo-iraquianas ainda será feito, a Rússia vai entrar no segundo maior fornecedor de armas para o Iraque (a primeira é para os EUA). E vai criar condições favoráveis ??para uma maior promoção de armas russas para o mercado iraquiano, que é estimado por especialistas como muito promissor. Após o fim das operações militares no Iraque Defesa país Ministério lançou um programa global de rearmamento, em que os EUA haviam comprado 36 caças F-16, carro define a construir tanques Abrams, veículos blindados e outras armas no valor de aproximadamente $ 12 bilhões

Comments are closed.