Mirage F1-2
A Argentina enviou uma delegação para verificar as condições dos caças.

A Espanha está prestes a retirar do serviço os últimos Mirage F-1. O ministério da Defesa deseja obter algum ganho financeiro com a ‘aposentadoria’ dos caças e a Argentina é o país mais bem cotado para comprá-los.

O dinheiro seria um “extra”  necessário. No total são oito Mirage F-1, atualmente em serviço na Ala 14, com sede em Los Llanos (Albacete), além de outros quatro (para servirem como fonte de peças de reposição).

A Argentina enviou uma delegação para a base em Albacete para verificar as condições dos caças, cuja a unidade em breve deve chegar as 200 mil horas de voo. De acordo com fontes da Força Aérea, os recursos desta transferência “são essenciais para cobrir determinadas emergências”, mas se recusam a comentar um valor estimado para o contrato.

Alguns militares expressaram relutância para com este contrato em potencial com a Argentina, pois existem rancores e mágoas com o governo argentino, como por exemplo o caso da expropriação da YPF.

Mirage F1
O Mirage F-1 está em serviço com força aérea espanhola desde 1975. Oito células serão fornecidas, mais quatro como fontes de peças.

O Mirage F-1 serviu por 38 anos com a força aérea espanhola e os últimos oito aviões serão desativados ainda este mês, durante um show aéreo, previsto para o dia 23 de junho.

 

NOTA DO EDITOR: Realmente eu gostaria de ver o Mirage F.1 com o cocar da FAA, mas qual seria o ganho? A FAA mal consegue manter seus velhos e desdentados Mirages voando. E a FAA receberia armamento compatível? Valeria o investimento?

NOTA DO EDITOR²: O Mirage F.1 pra mim foi o melhor de todos! Além, é claro, de ser lindíssimo!

 

FONTE: elconfidencialdigital


Anúncios

42 COMENTÁRIOS

  1. A Argentina tomando o mesmo rumo do Brasil, comprando sucatas descartadas por outros!

  2. Vale a pena.
    Nem que durem um ano. Deixava os caças mais aliviados; tirava o radar, equipamento externo, só um radio e os dois DEFA, pintura azul e branca com um sol amarelo na cauda e a cara do Maradona fumando charuto na fuselagem.
    Ficaria uma máquina. Os aviadores argentinos merecem essa diversão.

  3. Depois de tanto tempo a serviço da Espanha – que não é conhecida como a mais cuidadosa das operadoras – devem estar no osso, teriam que passar por um retrofit antes. Mas quem somos nós para falar mal né, até ontem tínhamos XAVANTE na linha de frente…

  4. Não seria mais interessante para os hermanos o M2000? Falta só UM semestre para darem baixa do GDA. Se os hermanos querem sucatas, os M2000 com certeza estão em melhores condições do que esses F1! Além do mais, o MF1 é um 'puro sangue', que não admite erros e do jeito que esses pilotos argentinos andam voando…

  5. O que que vai mudar pra eles com 8 aviões? Só serve pra brincar de força aérea.

  6. Apesar de críticas, a única força aérea que realmente incorporou material novo foi a Venezuelana, pois comprou 24 Cy-30 e 18 K-8. A FACh apesar dos seus falcons, vem um pouco atrás, já que apenas os 10F-16C/D são novos. Será que as FAs sulamericanas nunca vão sair da penúria?

  7. O Mirage F1 é o melhor mirage! sempre digo isso, já esta enchendo o saco ahahah

    Oito unidade, melhor nem sair de casa general…..

    Como o Gio disse, carroça por carroça tem nossos M2000 hahahah, se bem que o BNDES entraria na doação, vish melhor não, melhor não! ahahahahah

  8. Não dá nem para zuar com os hermanos, enquanto nós tivermos como caça de ponta os F-5EM, mesmo que com HMD+P.4.

    Os F-1 teriam de ser retrofitados(e põe retrofitado nisso) e modernizados. Quem sabe trabalho para o PAMA/Embraer, ou no caso deles a FAE. 🙂

    []'s

  9. Pq a Argentina não compra ou aluga uns Gripens ??
    a Saab faz tanta propaganda que são os caças mais baratos do mundo…rss

  10. Entre esses Mirages e continuar voando o que já tem, creio que faz mais sentido para eles manter o atual inventário… Custo a crer que esses F1 estejam em melhores condições que os Mirage III ou Dagger… Mais fácil buscar A4 no mercado para servir de fonte de peças para os A4-AR, o único vetor daquela força capaz de manter um mínimo de adestramento avançado para a FAA…

    • O que importa não é se estão melhores e sim os suprimentos que ainda existem para o F1, se a célula ainda tiver horas disponíveis compra e depois moderniza no padrão RDY do Marrocos, custou US$ 16 Mi por aeronave.

  11. WRStrobel,

    Aí vai depender do custo que seria modernizar apenas oito exemplares… Salvo engano, a modernização para os marroquinos foi para 27 exemplares… Dependendo de como for, faria mais sentido buscar M2000 dos estoques franceses ou mesmo esses brasileiros que serão retirados…

  12. Caro _RR_, Mirages 2000, ex-FAB, para a FAA? Não brinque pesado assim, deixemos o tradicional Ari Toledo nessa função… 😀

    Os MIII daqui foram quase todos espetados ou sucateados — e ninguém fez a menor força para doar um parafuso deles à FAA, que utiliza o mesmo material.

    Então, por inúmeras razões semelhantes, não seria lógico repassar aos vizinhos logo os M2000 (por mais “bombas” que pareçam, nos custos)…

    E óia a dona Christina mandando nacionalizar outra empresa brasileira, a ferroviária ALL Argentina… Diplomacia 10!

    • Caro Armand Assante,

      Eis o ponto: se eles pagarem, podem levar tudo…

      Salvo engano, cada caça custou a FAB algo como 8 milhões de euros… Não creio que valeriam mais hoje… E diante do custo de adquirir e atualizar esses F1, é mais fácil apelar para o Brasil por um preço camarada…

      Mas no final, creio que vão é visitar o Tio Sam atrás de mais A4 ( se ainda tiver alguma coisa por lá… ) ou apelar por alguns F-16A…

  13. Caro _RR_, mas acredite: mesmo que tivessem dinheiro para nos pagar muito bem pelos M2000 — que em dezembro/2013 virarão tranqueiras encostadas –, a FAB não repassaria de bom grado tal equipamento à uma nação vizinha — e logo essa!

    Esse sentimento vai além de qualquer razão financeira… Para você ter uma ideia, quando o Brasil tinha porta-aviões, se sentia militar-diplomaticamente “obrigado” a convidar esse pessoal à missões a bordo — e eles aproveitavam para treinar toque e arremetidas com os Super Étendard, tudo para evitar “desconfianças”… E são e serão mútuas, sempre.

    Por mais desdentados que os M2000 fiquem, é uma questão militar, é uma máquina muito superior ao que a FAA tem hoje, até em menos idade, menos desgaste, e, bem remendada, é ainda uma pequena ameaça.

    Uma coisa é receber, por vários anos seguidos, contatos de venda pelo civil B767 Tango 1 (depois que o Brasil comprou o Airbus ACJ VC-1, tais propostas acabaram) ou doar H-1H à Bolívia, T-27 ao Paraguai, assuntos “passáveis” entre nações sul-americanas.

    Só uma interferência muito grave do GF resultaria em tal venda BR-ARG (e geraria um caos aqui dentro)…

    E embora não signifiquem nada às Malvinas, até a GB ficaria emburrada e provocaria a França quanto a alguma impossibilidade de repasse de tal material a terceiros…

    Por fim, eu não aceito água do Maradona antes de cobrar um pênalti. Você aceitaria? 😀

    • Armand Assante,

      Bons argumentos!

      Concordo que entregar equipamento militar aos argentinos poderia provocar uma reação indevida do Reino Unido.

      Há também ( muito bem apontado por você ) o ponto estratégico da coisa… Se o FX-2 acabar dando em nada, o Brasil terminaria por repassar um equipamento ainda em condições de ser usado ( e ainda útil no cenário latino americano ) para um potencial adversário. Mesmo que a vantagem numérica fosse da FAB, não há como negar que as performances do M2000 são superiores em muitos parâmetros…

  14. Nem é mais bonito nem melhor! uhauhauha esta eu "disconcordo" Gio! uhauha

  15. Galileu, se formos falar em retrospecto o MIII supera ele, e se falarmos em capacidades o M2000 supera ele, e ainda acho o MIII e o M2000 mais bonitos, não que o F-1 seja feio… Mirage sempre foi esteticamente bonito! 🙂

  16. O MIII supera o F1? Em quê? Só em vendas (e aí temos uma jogada do governo francês detonando o F1 em prol da linha do MIII), porque nos requisitos operacionais, o F1 é muito superior. Carrega mais, manobra melhor e por incrível que pareça, tem maior autonomia de combate…não adianta, o F1, uma proposta austera do F2, é o melhor Mirage.

  17. Gio, falei em retrospecto de combate, pois ele tem história e "sangue" nozóio! rsrsrs
    Já em capacidades o M2000 veio para fechar com chave de ouro! com FBW e a modernidade que os anos 80 já experimentava em termos de aviônica/controle digital: transformou os problemas da asa em delta em benéficies! 🙂
    sobre estética, para mim ele fica em 3, mas todos os Mirages foram/são muito bonitos! 🙂

  18. O M2000 é um tremendo de um avião, verdadeiro F-16 europeu! Foi um crime o que a Dassault fez! Forçar o fim da linha em prol do Rafale.

  19. Se os nosso M III davam caldo ainda (como muitos falaram) então nossos M-2000 tem muito chão pela frente para serem aposentados.

  20. A questão do caldo era somente sobre a célula, que só teve metade da vida útil utilizada pela FAB (daí tu vê como voavam esses aviões), porque em termos de motor e aviônica , a manutenção se tornaria inviável economicamente.

  21. GIORDANI,

    M2000 com um verdadeiro radar AESA, suíte integrada de defesa, e um belo arsenal de diversas procedências… Poderia vender mais que pão quente… E decretaria o fim do Rafale…

Comments are closed.