13BAF02B 4B87 4124 9D68 91E8F98EEB5D 600x337 - Mitsubishi Heavy Industries adquire programa Regional Jet da Bombardier
Aeronave CRJ1000.

A Mitsubishi Heavy Industries (MHI) e a Bombardier anunciaram hoje a assinatura de um acordo definitivo, pelo qual a MHI adquirirá o programa de jatos regionais da Bombardier.

O acordo foi fechado pela quantia de US$ 550 milhões, pagável à Bombardier após o fechamento, e a aquisição pela MHI de passivos no valor de aproximadamente US$ 200 milhões.

Segundo o acordo, a participação líquida da Bombardier no Programa de Aeronaves Regionais (Regional Aircraft Securitization Program – RASPRO), avaliado em aproximadamente US$ 180 milhões, será transferida para a MHI.

De acordo com o contrato, a MHI assumirá as atividades de manutenção, suporte, reforma, marketing e vendas das aeronaves da série CRJ, incluindo os serviços relacionados e a rede de suporte localizados em Montréal, Québec, Toronto, Ontário, e seus centros de serviços localizados em Bridgeport, West Virginia e Tucson, Arizona, bem como os certificados do tipo.

Esta aquisição é complementar ao negócio de aeronaves comerciais existentes da MHI, em particular o desenvolvimento, produção, vendas e suporte da família de aeronaves comerciais da Mitsubishi SpaceJet. Os recursos de manutenção e engenharia do programa CRJ irão aprimorar ainda mais as funções críticas de suporte ao cliente, uma área de negócios estratégica para a MHI na busca de crescimento futuro.

D74ACBE7 9934 4875 B5E2 0C46A6694A1B 600x400 - Mitsubishi Heavy Industries adquire programa Regional Jet da BombardierSeiji Izumisawa, Presidente e CEO da Mitsubishi Heavy Industries Ltd., comentou: “Conforme destacamos durante o recente Paris Air Show, estamos trabalhando muito para garantir um novo potencial de lucro para as companhias aéreas e estabelecer um novo padrão para a experiência do passageiro. Esta transação representa um dos passos mais importantes em nossa jornada estratégica para construir uma forte capacidade de aviação global. Ele aumenta esses esforços assegurando um conjunto de classe mundial e complementares de funções relacionadas à aviação, incluindo manutenção, reparo e revisão (MRO), engenharia e suporte ao cliente.”

Izumisawa concluiu: “O programa do CRJ tem sido apoiado por pessoas tremendamente talentosas. Em combinação com nossa infra-estrutura e recursos existentes no Japão, Canadá e outros lugares, estamos confiantes de que isso representa uma estratégia eficaz que contribuirá para o sucesso futuro da família Mitsubishi SpaceJet. A MHI tem décadas de história no Canadá e espero que esta transação resulte na expansão de nossa presença no país e represente um passo significativo em nossa estratégia de crescimento.”

“Estamos muito satisfeitos em anunciar este acordo, que representa a conclusão da transformação aeroespacial da Bombardier”, disse Alain Bellemare, presidente e diretor executivo da Bombardier Inc. “Estamos confiantes de que a aquisição do programa pela MHI é a melhor solução para clientes de linhas aéreas , funcionários e acionistas. Estamos comprometidos em garantir uma transição suave e ordenada.”

Bellemare continuou: “Com a nossa transformação aeroespacial, temos um caminho claro e uma visão poderosa para o futuro. Nosso foco está em dois pilares de crescimento: a Bombardier Transportation, nosso negócio ferroviário global, e a Bombardier Aviation, uma franquia de jatos executivos de classe mundial com produtos que definem o mercado e uma experiência inigualável para o cliente.”

A unidade de produção da CRJ em Mirabel, Québec, permanecerá com a Bombardier. A Bombardier continuará a fornecer componentes e peças de reposição e montará o atual backlog de CRJs em nome da MHI. A produção do CRJ deverá ser concluída no segundo semestre de 2020, após a entrega do atual pedido de aeronaves.

A Bombardier também reterá certos passivos representando uma parte das garantias de crédito e valor residual, totalizando aproximadamente US$ 400 milhões. Este montante é fixo e não está sujeito a alterações futuras no valor da aeronave e a pagar pela Bombardier nos próximos quatro anos.

A transação é esperada atualmente para ser fechada no primeiro semestre de 2020 e permanece sujeita a aprovações regulamentares e condições habituais de fechamento.

O acordo contempla uma taxa reversa a pagar pela MHI sob certas circunstâncias.

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

    • A Airbus adquiriu a linha C Series (CS100 e CS300) que foram rebatizados A220-100 e A220-300, respectivamente. A linha Dash 8 passou para De Havilland Canada e a Bombardier agora ficou apenas com a linha de aeronaves executivas (Learjet, Challenger e Global).

      • O Q300/400 que já foi Dash 8 foi originalmente da DHC, hoje foi vendido para a controlafora da Viking que fabrica hoje os DHC-6 e moderniza os monomotores DHC-2 e DHC-3 trocando os motores radiais por turbohélices.

  1. Mais um pouco restará somente a fabricação de locomotivas e motos aquáticas. Aos acionistas tudo, ao país Canadá, "uma banana".

  2. Vão pagar 550 milhões a Bombardier , mais 180 mi em dívidas. Sendo que a Bombardier ainda ficará com 400 milhões em dívidas.

    Entreguismo, traidores, estão vendendo o país aos imperialistas japoneses, bla, bla, bla…

Comments are closed.