Uma enorme aeronave C-5 Galaxy da Força Aérea dos EUA.

A proteção do meio ambiente e a redução de todos os tipos de poluição, especialmente a sonora e as emissões de gases do escapamento, além da segurança, são prioridades fundamentais do setor de aviação.

O transporte aéreo é o tipo mais jovem de transporte, que começou a se desenvolver rapidamente após a Segunda Guerra Mundial, com a introdução de motores turbojato.

A implementação desses motores na aviação resultou na construção de aeronaves maiores, mais seguras e mais rápidas. Um efeito colateral negativo da alta eficiência dos motores turbojato é o ruído, que se tornou mais frequente e insuportável com o súbito aumento do número de operações de aeronaves nos aeroportos.

A maioria dos pesquisadores está se concentrando na influência do ruído do tráfego aéreo e seu aspecto negativo na saúde humana e no meio ambiente. Alguns dos pesquisadores são orientados para medidas operacionais focadas na redução de ruídos das aeronaves, como o Sistema de Monitoramento de Ruídos em Aeroportos.

O sistema de monitoramento de ruídos

Aeroportos, pequenos e grandes, usam sistemas de monitoramento de ruído e engenharia acústica de aeronaves para reduzir o ruído das operações de voo na comunidade do entorno. O monitoramento do ruído do aeroporto é geralmente usado para avaliar os programas de redução de ruídos e para desenvolver procedimentos de partida e chegada de aeronaves que minimizem o impacto do ruído da aeronave com base na altitude, na trajetória de voo e na hora do dia.

Na maioria das aplicações, o objeto de um Sistema de Monitoramento de Ruído do Aeroporto é monitorar, gerenciar e controlar os níveis de ruído gerados pelos movimentos de aeronaves dentro e ao redor do aeroporto.

A saída final de informações do Sistema de Monitoramento de Ruído é o recurso mais importante e, muitas vezes, determina a utilidade de todo o sistema. Se as informações coletadas não puderem ser acessadas e facilmente entendidas, até mesmo o sistema mais abrangente terá pouca utilidade prática.

Os sistemas são projetados para fornecer informações precisas e concisas ao operador, sem sobrecarregar o usuário com complexidade desnecessária. Um Sistema de Monitoramento de Ruído é construído a partir de “módulos” individuais. Isso permite que ele seja criado com apenas um monitor de ruído e um programa de software simples, ou expandido para um sistema completo com a adição de componentes específicos e software aprimorado.

Monitoramento por meio de softwares

Muitos aeroportos menores simplesmente exigem a medição do clima geral de ruído, ou o impacto ambiental do aeroporto, juntamente com os níveis de ruído produzidos por movimentos de aeronaves individuais. Isto pode ser realizado por um número adequado de Terminais de Monitoramento de Ruído e um programa de software adequado.

O programa é escolhido de acordo com a aplicação específica, o número de monitores de ruído necessários e o nível de ativação necessário. Este programa fornece uma interface para os Terminais de Monitoramento de Ruído, permitindo que os instrumentos sejam configurados e as informações medidas sejam baixadas.

Depois que as informações são baixadas, os relatórios são gerados pelo banco de dados integrado. Esses relatórios são projetados para fornecer todas as informações exigidas pela maioria dos usuários. Quando isso não atender aos requisitos exatos do operador, os padrões de relatórios podem ser facilmente alterados e modificados conforme necessário.

1 COMENTÁRIO

  1. A matéria me fez refletir sobre algo: como todos os centros urbanos brasileiros se posicionaram à beira dos principais aeroportos, mesmo em cidades médias do interior.

    Podemos discutir as décadas sem planejamento urbano e as lógicas comerciais no mercado de imóveis. Mas o que me incomoda é outro ponto. A dificuldade de se operacionalizar desapropriações e ações de reintegração de posse, a despeito da clareza e dos benefícios legais ao ente público.

    A título de exemplo, muitos problemas de segurança e de poluição sonora nos aeroportos se resolveriam com o direito de extensão, a despropriação por zona. Ela permite que áreas adjacentes ao imóvel originalmente destinado a obra pública sejam igualmente transferidas, seja em razão de um grande valorização ou, principalmente, para o desenvolvimento do projeto.

    Nos existentes acredito não ser mais possível. Porém, em outra conjuntura econômica, se voltar a se discutir os aeroportos regionais, essa medida será indispensável.