O motor produzido pela Northrop Grumman foi operado com sucesso em condições acima de Mach 4 e estabeleceu o recorde de maior empuxo produzido por um motor hipersônico scramjet na história da Força Aérea dos EUA. (Foto: U.S. Air Force)

Após uma atualização de dois anos de suas instalações de teste, a Unidade de Teste de Aerodinâmica e Propulsão da AEDC (Arnold Engineering Development Complex) na Base Aérea de Arnold, no Tennessee, finalmente conseguiu testar o mais recente motor scramjet da Northrop Grumman a velocidades hipersônicas simuladas, estabelecendo um novo recorde no processo.

Os scramjets, é claro, só podem operar em velocidades hipersônicas, pois dependem da extrema velocidade nas entradas de ar para comprimir e aquecer o ar antes que a combustão possa ocorrer. Onde um turbojato usa um compressor e um mecanismo de pistão usa um curso de compressão para obter esse efeito, os scramjets em alguns casos não precisam de partes móveis. O ar entra a velocidades hipersônicas, e é então forçado a entrar em um canal de estreitamento que o comprime, e então o combustível é adicionado no ponto mais estreito, acendendo e produzindo o impulso quando ele sai da câmara.

Nesse caso, a unidade de teste emitiu mais de 13.000 libras de empuxo – um teste recorde da Força Aérea dos EUA para um motor hipersônico que “respira ar”. Isso pode não parecer muito impressionante, com a Boeing se preparando para colocar os jatos GE9X em seus próximos modelos de aviões que produzem mais de 100.000 libras de empuxo cada, mas o voo hipersônico começa a cinco vezes a velocidade do som e teoricamente chega tão rápido como Mach 24, e isso torna tudo consideravelmente mais desafiador.

De fato, até mesmo testar a coisa acabou exigindo uma atualização de dois anos das instalações de teste da AEDC, porque não havia um único equipamento de teste no país capaz de reproduzir as velocidades e condições térmicas necessárias para operar corretamente este motor através de seus passos.

O mecanismo scramjet em questão foi concebido durante o programa de testes X-51, há cerca de 10 anos. Com 5,5 metros de comprimento, ele foi projetado para lidar com 10 vezes o fluxo de ar que o X-51 podia, e eventualmente é programado para alimentar uma série de aeronaves militares hipersônicas.

O programa de testes de nove meses submeteu o motor Northrop Grumman a um total de mais de 30 minutos de tempo de combustão.

“A série de testes, realizada em conjunto com a AEDC e o AFRL (Laboratório de Pesquisas da Força Aérea dos EUA), sobre este scramjet do tamanho de um caça foi realmente notável”, disse Pat Nolan, vice-presidente de produtos de mísseis da Northrop Grumman. “O scramjet executou com sucesso uma série de números de Mach hipersônicos para tempos de execução sem precedentes, demonstrando que nossa tecnologia está liderando o caminho no fornecimento de plataformas hipersônicas de grande escala para nossos combatentes.”

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Nem preciso de binoculo para ver russos revendo projetos antigos, para tentar acompanhar os lideres, mas numa lentidão quelônica; europeus, com as mãos na cabeça, imaginando um consórcio que produza algo 70% "parecido", e; chineses, com as burras cheias de dinheiro, se rasgando de inveja. E só…