A Northrop Grumman estaria interessada em participar de alguma maneira no novo caça japonês.

A Northrop Grumman está de olho no projeto do novo caça a jato japonês que poderia competir contra a Lockheed Martin, disseram três fontes, quase três décadas depois de perder uma competição semelhante para construir um jato furtivo avançado para a Força Aérea dos EUA.

Caças F-15J e F-2 da Força de Autodefesa Aérea do Japão (JASDF)

“A Northrop está interessada”, disse uma das fontes, que tem conhecimento direto dos planos. A Northrop já respondeu aos pedidos de informação do Japão (RFI) e manteve conversas preliminares com autoridades japonesas da indústria de defesa, disse ele.

A Northrop Grumman forneceu ao Japão um menu de tecnologias que poderiam contribuir para o projeto de caça F-3 da próxima geração, mas ainda não fez nenhuma proposta específica para o Japão, disseram as fontes.

As fontes recusaram-se a ser identificadas porque não estão autorizadas a falar com a mídia.

A oferta da empresa competiria com as propostas da Lockheed Martin, que incluem um design híbrido furtivo baseado em seu F-35 Lightning II e F-22 Raptor. O F-22 venceu o demonstrador YF-23 Black Widow da Northrop para ganhar o lucrativo contrato US Advanced Tactical Fighter (ATF) em 1991.

Lockheed ofereceu um jato que seria uma variante misturada entre o F-22 e o F-35.

O F-22 é proibido para exportação e é usado apenas pela Força Aérea dos EUA. Mas o Japão encomendou 42 caças F-35s para atualizar os antigos jatos de combate cujos projetos datam da década de 1970. Ela planeja aumentar esse pedido, incluindo as compras das versões de decolagem curtas e pousos verticais (STOVL) adequadas para operações em porta-aviões.

A Northrop Grumman não pôde comentar imediatamente.

Tanto ela como a Lockheed Martin precisariam da aprovação do governo dos EUA para oferecer tecnologia de aeronaves de ponta ao Japão.

PARCEIROS ESTRANGEIROS

Tóquio também buscou ofertas da Boeing, que fabrica o F/A-18E/F Super Hornet, e identificou empresas europeias de defesa sobre uma possível cooperação, incluindo a BAE Systems, líder do consórcio que construiu o Typhoon europeu.

A empresa britânica também forneceu ao Ministério da Defesa do Japão uma lista de tecnologia com a qual poderia contribuir, disse uma quarta fonte do setor de defesa.

Os jatos McDonnell Douglas (Mitsubishi) F-4EJ Kai Phantom II estão sendo aposentados da JASDF.

Trazer parceiros estrangeiros permitiria ao Japão disseminar os custos de desenvolvimento, estimados em cerca de US$ 40 bilhões, e dar-lhe acesso à tecnologia que, de outra forma, teria que desenvolver do zero.

Tóquio, no entanto, quer garantir que as companhias japonesas forneçam os aviônicos e equipamentos de voo do F-3, que incluem sistemas de comunicação e navegação, radar e motores que estão sendo desenvolvidos pela IHI Corp.

Até agora, o governo japonês emitiu três RFIs para o F-3 e enviou cartas aos governos britânico e norte-americano descrevendo suas exigências com mais detalhes, disseram fontes à Reuters.

Qualquer empresa estrangeira escolhida para o projeto F-3 trabalhará com a empreiteira de defesa japonesa Mitsubishi Heavy Industries.

A fabricante do A6M Zero, que enfrentou Grumman Hellcats e Wildcats no Pacífico na Segunda Guerra Mundial, desenvolveu um caça a jato há duas décadas. Este avião, o F-2, foi um esforço conjunto com a Lockheed Martin.

A Mitsubishi Heavy também monta os F-35s do Japão, um programa para o qual a Northrop Grumman contribui com componentes como fuselagens centrais e camadas externas. As outras aeronaves militares da empresa norte-americana incluem a aeronave de alerta antecipado E-2 Hawkeye e o veículo aéreo não-tripulado Global Hawk (UAV), ambos comprados pelo Japão.

Demonstrador de tecnologia Mitsubishi X-2 Shinshin.

A Northrop Grumman construiu o bombardeiro stealth B-2 Spirit e está desenvolvendo o novo bombardeiro B-21 Raider para a Força Aérea dos EUA. Seu último caça foi o F-14 Tomcat, aposentado em 2006 da Marinha dos EUA, mas ainda em serviço com a força aérea iraniana.

Por enquanto, não está claro quando o Japão começará o desenvolvimento do F-3, já que as autoridades japonesas lidam com as prioridades de gastos e os planejadores militares planejam os gastos. As autoridades de defesa gostariam de apresentar a aeronave em meados da década de 2030 para deter intrusões no seu espaço aéreo pela China e Rússia.

Com muitos dos engenheiros que projetaram o F-2 atingindo a idade de aposentadoria, o Japão, de acordo com uma quinta fonte familiarizada com as capacidades da indústria de defesa japonesa, precisará iniciar o projeto nos próximos dois anos para garantir que ainda tenha as habilidades necessárias para construir uma frota de avançados jatos furtivos.


Fonte: Reuters

4 COMENTÁRIOS

  1. Sai fora! Eles estão querendo desenvolver o avião deles justamente para não precisarem de vcs.

  2. FX japonesa +FX Norte Coreana= F-35 Lockheed… Claro que com a mesma roupagem (Design com modificacoes) Quem sabe o mundo todo só terá caças com o mesmo design para se enganarem com fogo amigo… Chineses e Russos bem que poderiam fazer uns Kamikazes modelos F-35 controlados remotamente para se abalrroarem nos ares…
    Por favor Grey's queremos tecnologias para fazerem caças menos copiáveis… kkkkkkk

  3. Taí uma boa alternativa. Torço pra esse caça japones existir.

  4. Ruim.

    Desse jeito o Japão, um rico adolescente-bobão de 45 anos de idade (que usa um boné com hélice), nunca sairá da casa da avó…

Comments are closed.