New Zealand Procuring Four Boeing P 8A Poseidon Maritime Patrol Aircraft 600x375 - Nova Zelândia confirma compra de quatro aeronaves P-8A Poseidon
Nova Zelândia confirmou a compra de 4 aeronaves P-8A Poseidon.

O governo da Nova Zelândia concordou em comprar quatro aeronaves de patrulha marítima Boeing P-8A Poseidon do governo dos Estados Unidos.

As quatro aeronaves substituirão os antigos aviões de patrulha marítima P-3K2 Orion, operados pela Real Força Aérea da Nova Zelândia desde a década de 1960. A atual frota Orion chegará ao final de sua vida operacional esperada em 2025.

“A compra garante que a Força de Defesa da Nova Zelândia possa continuar a fornecer a vigilância marítima, a proteção de recursos, a resposta humanitária e de desastre do país e no Pacífico Sul”, disse Ron Mark.

“Esta decisão fortalece a proposta Pacific Reset do governo de coalizão ao fornecer uma capacidade de patrulhamento marítimo com a abrangência e resistência significativas necessárias para ajudar os parceiros na região.

“A compra permite que a Nova Zelândia continue sendo implantada em uma ampla gama de situações marítimas independentes e, quando necessário, trabalhe de forma eficaz com parceiros como a Austrália, o Reino Unido e os Estados Unidos, que operam ou operarão a mesma aeronave”, disse Ron Mark.

20161128raaf8185068 0404 600x401 - Nova Zelândia confirma compra de quatro aeronaves P-8A Poseidon
A Nova Zelândia segue o mesmo caminho da Austrália na troca das aeronaves Orions.

O papel das aeronaves de patrulha marítima inclui:

  • Apoio à vigilância marítima, ajuda humanitária e resposta a desastres e proteção de recursos em torno da Nova Zelândia e no Pacífico Sul;
  • Contribuir para a ordem internacional baseada em regras através da participação em operações globais de paz e segurança;
  • Busca e salvamento na região da Nova Zelândia, que se estende do pólo sul até o equador e cobre 1/11 da superfície da Terra;
  • Monitoramento de recursos ambientais e marinhos.

“Um exemplo da exigência de uma aeronave de patrulha marítima totalmente capaz é simplesmente o número de vidas que podem ser salvas”, disse Mark. “Nos últimos sete anos de operações de busca e salvamento em nossa região, as aeronaves de patrulhas marítimas Orion contribuíram para salvar 119 vidas”.

Outras tarefas que os Orions realizaram recentemente incluíram a participação em operações internacionais para combater a pirataria e contrabando ilícito no Chifre da África, a vigilância do vulcão em Vanuatu, avaliação dos danos dos ciclones Winston e Gita no Pacífico, a vigilância da infra-estrutura crítica após o Terremoto de Kaikoura e monitoramento de pesca ilegal.

“A manutenção de uma capacidade de patrulhamento marítimo é essencial para a segurança nacional da Nova Zelândia e para nossa capacidade de contribuir para os esforços globais de segurança”, disse Ron Mark.

Os novos P-8As, sistemas de treinamento, infraestrutura e introdução em custos de serviços totalizarão US$ 2,346 bilhões. Eles serão entregues e começarão a operar a partir de 2023.

p 8 600x297 - Nova Zelândia confirma compra de quatro aeronaves P-8A PoseidonO custo de capital será distribuído ao longo de vários anos financeiros até 2025/26. Esta é uma decisão de investimento que caiu para este governo, mas será distribuída a médio prazo e será entregue para a Nova Zelândia por muitas décadas. O P-8A foi a opção de aeronave de patrulha marítima mais econômica disponível.

O Esquadrão Nº 5, que atualmente opera os Orions, mudará da base da força aérea de Whenuapai para Ohakea para operar os P-8As.

O Governo também considerará opções para uma capacidade complementar de vigilância marítima durante a próxima revisão do Plano de Capacidade de Defesa, a ser concluída até o final de 2018.

“A capacidade complementar considerará aeronaves tripuladas menores, sistemas de aeronaves remotamente pilotadas (RPAS) ou satélites, para tarefas adicionais de vigilância marítima dentro da Zona Econômica Exclusiva da Nova Zelândia e perto da região. Isso liberará a nova frota dos P-8A para voar mais missões, no Pacífico Sul e mais além”, diz Ron Mark.

Anúncios

9 COMENTÁRIOS

  1. Uma boa aquisição.
    Alguma informação se no pacote também virão as armas?
    O "Fator China" aquecendo o mercado militar naquela região!

  2. Tomara algum dia vermos a mesma notícia com Brasil sendo o comprador,por mais que particularmente adoraria ver um E-190 E2 nesta versão do Poseidon.

  3. Aquisição racional, e olha que eles não tem a "amazônia azul" hahaha.

  4. Descartaram o P1 pelo jeito os japoneses não vão conseguir vender para ninguém, quatro unidades do P1 sairia por volta de US$900 milhões.

    • O P-8, na plataforma do 737, é quase imbatível no quesito custo de operação. E é tão bem equipado quanto o P-1

  5. Escolha natural. Gostaria de ver um programa de compra semelhante no Brasil. com a programação de entrada em serviço em torno de 2025, mas… nos daremos felizes se asas novas para os p-3 forem compradas.

  6. Lembro que o programa da RNZAF também previa uma aeronave para substituir os C-130. Será que a dobradinha Boeing/Embraer surtirá efeito nessa concorrência com P-8/KC-390?

Comments are closed.