Governo da Nova Zelândia escolheu o C-130J-30 como opção preferencial para substituir seus antigos C-130H.

O ministro da Defesa da Nova Zelândia, Ron Mark, anunciou a escolha do Lockheed Martin C-130J-30 Super Hercules como a opção preferida para a substituição dos antigos aviões C-130H da Real Força Aérea da Nova Zelândia.

A substituição das cinco aeronaves de transporte Hercules é o projeto de maior prioridade dentro do Plano de Capacidade de Defesa do Governo da Coalizão de 2019. O Gabinete decidiu buscar informações detalhadas de custos para uma aeronave de substituição, o C-130J-30 Super Hercules.

“O atual Hércules tem nos servido bem desde os anos 1960, mas eles chegaram ao fim da estrada, e aeronaves de substituição adequadas e comprovadas precisarão ser adquiridas”, disse Ron Mark. “A frota atual está aumentando o custo de manutenção e está demorando mais para passar pela manutenção.”

“Depois de considerar cuidadosamente a gama de aeronaves de transporte aéreo militar, o Super Hercules foi selecionado, pois oferece o alcance necessário e a capacidade de carga útil, bem como atende plenamente aos requisitos da Força de Defesa da Nova Zelândia”, diz Ron Mark.

Um preço será cobrado pelo processo de Venda Militar Estrangeira dos Estados Unidos para o C-130J-30 Super Hércules, fabricado pela Lockheed Martin.

O C-130J é uma aeronave comprovada, com mais de 400 C-130Js entregues a mais de 21 países, incluindo Estados Unidos, Reino Unido, Austrália e Canadá.

“Ele é usado pelos principais parceiros de defesa e carrega uma carga útil maior mais rápida e mais avançada do que a frota atual, sem perda de capacidade de aterrissar onde nossos Hercules atuais são implantados.

“A capacidade de transporte aéreo tático é um dos ativos de maior valor disponível para a Nova Zelândia, oferecendo enorme utilidade para a comunidade e nação, permitindo a movimentação de pessoal e carga em todo o país, Pacífico Sul, Antártica e em todo o mundo.

“Precisamos de um desempenho comprovado e esta aeronave é testada e aprovada. Não podemos correr riscos com o que é uma das nossas capacidades militares mais críticas ”, diz Ron Mark.

Nenhuma decisão final do contrato foi tomada, seja em números de plataforma, custos detalhados ou implicações de financiamento e orçamento. Um Caso de Negócio de Implementação do Projeto está programado para ser encaminhado ao Gabinete no próximo ano, onde essas questões serão consideradas. O Plano de Capacidades de Defesa 2019 observou que o custo estimado seria de mais de US$ 1 bilhão.

Anúncios